Depois que eles carregaram a Madona sadomasoquista e Cristo em salto agulha em procissão para o Orgulho Gay, Estou sendo julgado por chamar um promotor LGBT de inconsistente

DEPOIS DE CARREGAR A MADONNA BADOMASUS E O CRISTO NO SALTO ALTO NA PROCISSÃO AO ORGULHO GAY, MI TROVO SOTTO PROCESSO PER AVERE DATO DELL’INCOERENTE A UN PROMOTORE LGBT

.

Estou nas mãos de sua generosidade: de um lado só tenho você, do outro, uma matilha de lobos que certamente não quer a minha condenação - o que é realisticamente improvável - mas a da Igreja Católica, per attaccarsi così una medaglietta ideologica sul petto e seguitare a prenderci a schiaffi con la prossima Madonna sadomaso o con il prossimo Cristo sui tacchi a spillo, bordandoci querele se qualcuno osa replicare ai promotori del fascismo dell’antifascismo, no intolerância do tolerante e para discriminação contra os campeões antidiscriminação.

- Realidade -

.

.

La Madonna sadomaso portata il processione il 5 giugno al Gay Pride di Cremona dai fascistas do antifascismo e dai discriminatori dell’antidiscriminazione

I soliti lobbisti LGBT levaram em procissão para o orgulho gay de Cremona o Madonna bdsm precedido no ano passado pelo Cristo em uma minissaia em estiletes e várias outras amenidades encenadas nesses desfiles de suínos. Non si sa bene sulla base di quali libertà, perché la dissacrazione di tutto ciò che è cattolico non rientra nelle libertà sancite dalla Costituzione della Repubblica Italiana.

.

.

Enquanto nas ruas de Cremona a estátua da Madona sadomasoquista desfilou pela obra da alegria mais criativa que sempre se sentiu à vontade para exprimir ultrajes aos sentimentos cristãos, Encontro-me sob julgamento criminal porque processado por um promotor LGBT, completa com uma associação pertencente ao segmento mais radical do lobby LGBT que ajuizou uma parte civil. Para que dano não é conhecido.

.

Meu respeito pela lei não me permite dar detalhes e entrar em detalhes, porque os julgamentos são realizados nos tribunais, não nos jornais ou nas praças. São os juízes que têm que julgar, não os apoiantes das partes envolvidas. Posso apenas dizer-lhe que numa área legitimamente controversa, talvez animado, mas não ofensivo, sem prejudicar a dignidade da pessoa humana, censurei publicamente um promotor LGBT comprometido com a defesa dos "direitos civis" a ser inconsistente e a "cuspir no prato onde comeu", porque enquanto por um lado apoiava a ideologia Gênero sexual, casamento entre casais do mesmo sexo, adoção de crianças para casais gays, aborto e eutanásia considerados conquistas sociais e seguir todas as coisas que não compartilho, mas que qualquer um é totalmente livre para expressar, ao mesmo tempo, estudava em uma universidade católica de propriedade da Santa Sé, mesmo se beneficiando de uma bolsa de estudos, enquanto seus colegas pagavam 20.000 euros para fazer o mesmo mestrado de dois anos. Pergunta: para mim um padre católico e teólogo, seria autorizado a aderir e aderir a uma associação LGBT com todas as minhas convicções morais, sapendo che non perdo occasione per rigettare ciò che di ideologico queste associazioni propagano? Questioni di pura e semplice coerenza. Se uno è contrario a tutto ciò che la Chiesa Cattolica insegna sul piano morale — ed è libero di esserlo — perché andare a studiare proprio in un’università cattolica di proprietà della Santa Sede con tanto di borsa di studio? La natura di questo dibattito polemico era così chiara che il Pubblico Ministero dispose l’archiviazione «per particolare tenuità del fatto». No entanto, meu autor apresentou uma objeção à ordem de demissão, me forçando a passar por um julgamento, o que significa antes de tudo gastar dinheiro.

.

A lógica do todo é simples e clara: bater em um para colocá-lo na cama 100, porque a Madona sadomasoquista e o Cristo de minissaia de salto alto estão bem, eles fazem parte da liberdade de expressão gay, mas uma resposta crítica a esses ativistas e promotores não é permitida, Posso! Não somente: você acaba no tribunal com muita associação LGBT que constitui uma parte civil para reclamar uma indemnização (!?).

.

Infelizmente não tenho volta nem um escritório de advocacia que patrocina ativistas católicos nem uma associação católica que os apóia financeiramente. Mas eu sou um padre e um teólogo com uma coragem reconhecida até pelos meus piores inimigos, que me permite trabalhar para dar voz a muitos católicos, cada vez mais empurrado para uma nova reserva indígena pelo intolerância do tolerante, ou se preferir venha fascistas do antifascismo.

.

No ano passado, pedi ajuda aos leitores, você me deu e eu sou grato a você. Graças às suas ofertas gratuitas, pude pagar as taxas legais incorridas até agora, mas infelizmente tenho que sustentar outros para as fases subsequentes de um processo que deveria ter terminado com um arquivamento mas que foi empurrado para a sentença, com tudo o que isso implicará não tanto em tempo, mas infelizmente em despesas. Se você acredita que o meu é um trabalho que realmente dá voz ao pensamento de muitos de vocês obrigados a permanecer em silêncio, por favor me apoie, porque não posso contar com a ajuda de ninguém.

.

Quando essa história acabar Vou dar-lhe um relato preciso de todo o progresso, mas eu não posso fazer isso agora, porque como expliquei faltaria respeito pela Justiça e aqueles que são chamados a administrá-la.

.

Na parte inferior desta página você pode encontrar o código iban e todos os detalhes da conta bancária das edições L'Isola di Patmos, ou você também pode usar o sistema PayPal conveniente e seguro. Na descrição escreva "Contribuição de honorários advocatícios do Padre Ariel". Por favor, envie um e-mail para a equipe editorial: isoladipatmos@gmail.com para que eu possa agradecer. No ano passado não pude agradecer a várias pessoas porque não enviaram um e-mail e foi-me impossível responder-lhes, Aproveito esta oportunidade para agradecer a todos eles e a todos vocês novamente.

.

Estou nas mãos de sua generosidade: de um lado só tenho você, do outro, uma matilha de lobos que certamente não quer a minha condenação - o que é realisticamente improvável - mas a da Igreja Católica, per attaccarsi così una medaglietta ideologica sul petto e seguitare a prenderci a schiaffi con la prossima Madonna sadomaso o con il prossimo Cristo sui tacchi a spillo, bordandoci querele se qualcuno osa replicare ai promotori del fascismo dell’antifascismo, no intolerância do tolerante e para discriminação contra os campeões antidiscriminação.

.

a Ilha de Patmos, 21 junho 2022

.

______________________

Queridos leitores,
esta revista exige custos de gestão que sempre enfrentamos apenas com suas ofertas gratuitas. Aqueles que desejam apoiar nosso trabalho apostólico podem nos enviar sua contribuição pela maneira conveniente e segura PayPal clicando abaixo:

Ou se preferir, você pode usar o nosso
conta bancária em nome do:
Edições A ilha de Patmos

Agência n. 59 De Roma
IBAN:
IT74R0503403259000000301118
Para transferências bancárias internacionais:
Código SWIFT:
BAPPIT21D21

Se você fizer uma transferência bancária, envie um e-mail para a redação, o banco não fornece seu e-mail e não poderemos enviar uma mensagem de agradecimento:
isoladipatmos@gmail.com

Agradecemos o apoio que deseja oferecer ao nosso serviço apostólico.

Os Padres da Ilha de Patmos

.

.

.

“Um toque de leveza de verão” - Antonio Spadaro, Estou te pedindo um amigo: se rendas e rendas beiram a blasfêmia contra o Espírito Santo, as coxas dos jesuítas expostas em frente ao Sumo Pontífice se enquadram na moda do novo curso?

UN TOCCO DI LEGGEREZZA ESTIVA― ANTONIO SPADARO, TE LO DOMANDO PER UN AMICO: SE PIZZI E MERLETTI RASENTANO LA BESTEMMIA CONTRO LO SPIRITO SANTO, LE COSCE DELLE GESUITE ESIBITE DAVANTI AL SOMMO PONTEFICE RIENTRANO INVECE NELLA MODA DEL NUOVO CORSO?

.

Dopo che il Sommo Pontefice Clemente XIII ebbe soppressa la Compagnia di Gesù nel 1773 e incarcerato a Castel Sant’Angelo il Preposito Generale Lorenzo Ricci, alla sua morte avvenuta nel 1775 il Maestro dell’Ordine dei Predicatori commentò: «Cristo è morto crocifisso tra due ladroni, questo è un ladrone morto tra due crocifissi».

- Realidade -

.

.

.

.

 

.

Diletto Fratello Antonio Spadaro,

a cosce lunghe gesuite in udienza dal Romano Pontefice, ma il problema di grande emergenza ecclesiale e pastorale sono però pizzi e merletti

chiedo a te, ma lo faccio per un amico, non essendo io interessato a tutto ciò che attiene la Compagnia delle Indie, che fu a suo tempo la Compagnia di Gesù. Se infatti Dio me ne concederà grazia, spero di vivere sino al giorno che i Gesuiti saranno definitivamente soppressi da qualche Sommo Pontefice con pregressa esperienza di specialista in oncologia, quindi abituato a trattare i tumori degenerativi in fase terminale.

.

ultimamente o Sumo Pontífice ha fatto un discorso a un gruppo di presbiteri siciliani, l’ultima parte del quale richiamava la canzone di Gino Paoli «Eravamo quattro amici al bar, che volevano cambiare il mondo». Molto interessante la prima parte, nel corso della quale se l’è di fatto presa con un episcopato mediocre e inadeguato, formato da soggetti tutti quanti nominati rigorosamente da lui, o a lui suggeriti dai suoi più stretti fiduciari, che semmai si sono premurati di bruciare le candidature di soggetti di autentico valore. Mas se, in certi discorsi seri, si inseriscono delle battute sarcastiche a raffica, è inevitabile che i mezzi di comunicazione di massa si incentrino poi solo su quelle, riducendo il tutto a delle sferzate dirette a preti che bivaccherebbero tra rendas e rendas. Mentre il discorso in verità, o perlomeno tutta la prima parte di esso, era molto serio. Questa si chiama scienza o tecnica della comunicazione, che tu dovresti conoscere.

.

Non so chi informi il Santo Padre e soprattutto che sceneggiatura di film di fantascienza gli sia stata narrata, perché il clero siculo, lungi dall’essere una congrega di merlettari, semmai imbarazza per la sua sciatteria. Trovare in estate preti che si presentano a celebrare la Santa Messa in bermuda a fiori e ciabatte infradito è cosa all’ordine del giorno, altro che «pizzi della nonna»! La gran parte non indossa neppure la casula o la pianeta, solo un camice dal quale traspaiono sotto i calzoncini corti e una stola gettata sulle spalle. Resumidamente: i suoi fiduciari, quale trama di film di fantascienza gli hanno narrato per indurlo a quelle battute stile «quattro amici al bar» che hanno deviato ascoltatori e poi commentatori da tutto ciò che di molto serio aveva detto poco prima?

.

Non è la prima volta che il Santo Padre si esprime basandosi sul «mi hanno detto che…», espressione che prelude il substrato di fonti discutibilmente attendibili derivanti da quel chiacchiericcio clericale che la Santità di Nostro Signore ha più volte additato e rimproverato a giusta ragione. Può essere che esista allora un chiacchiericcio buono e uno cattivo? Ou, mais simplesmente: può essere che non esistono più le persone in grado di rispondere? Perché quando a me un Vescovo disse «mi hanno detto che …», Eu disse em resposta: «Anche a me hanno detto tante cose su di lei, però mi guardo bene dal convocarla per dirgliele».

.

O 19 Posso 2022 hai guidato i direttori delle riviste europee della vostra Compagnia delle Indie a colloquio con il Sommo Pontefice, dandone tu stesso resoconto con un articolo su La Civiltà Cattolica. Nella foto che campeggia nel tuo articolo si nota una donna piuttosto in carne coperta da una gonna aderente che lascia scoperte le gambe 20 centimetri sopra le ginocchia. Peraltro stiamo a parlare di gambe non propriamente paragonabili a quelle di una top model, gambe che sarebbe bene coprire e non esibire.

.

Caro Antonio Spadaro, per coerenza e spirito di verità devo dichiarare di essere stato nella mia vita un peccatore e purtroppo anche un libertino. E di donne — mentirei se lo negassi — ne ho conosciute in lungo e in largo, soprattutto belle. Poi è avvenuta la mia conversione, la mia purificazione dai tanti peccati della carne che ho commesso e oggi vivo nel rispetto delle sacre promesse, senza mai essere venuto meno alla continenza e alla castità, pela graça de Deus. Il sacro ordine sacerdotale non ha però azzerato la mia memoria, inclusa la pregressa vita di libertino peccatore. Por causa disso, intendendomi di donne sicuramente più di te, mi permetto di darti un consiglio assolutamente non richiesto: riferisci a nome mio alla Signora Gesuita in questione che non ha né le gambe né il fisico per portare abiti del genere e che l’indumento più idoneo sarebbe stato per lei una toga romana, adatta a coprire con dignitoso pudore ciò che non si dovrebbe proprio mostrare, perché del tutto inopportuno mostrare, specie di fronte al Romano Pontefice.

.

Concludo con una domanda per un amico, diplomatico di lungo corso, nato in una famiglia protestante ma di fatto agnostico. quando em 2019 si recò in udienza privata dal Sommo Pontefice assieme alla sua bellissima moglie, anch’essa non cattolica, la Signora aveva una gonna che la copriva 20 centimetri sotto le ginocchia, benché estate aveva i collant e il vestito abbottonato fin sotto il collo, le braccia coperte fino ai polsi e un velo nero in testa. Tutto questo perché era una donna non cattolica profondamente rispettosa dell’Augusta Persona del Romano Pontefice, del luogo dove si trovava e del cerimoniale. Nós vamos, se questo diplomatico non cattolico vedesse la foto della vostra Signora Gesuita scosciata e mi domandasse lumi, pensi di potergli rispondere tu? Perché da parte mia potrei solo replicare che oggi, na Igreja Católica, il problema sono solo pizzi e merletti che nei concreti fatti equivalgono a una autentica bestemmia contro lo Spirito Santo.

.

Dopo che il Sommo Pontefice Clemente XIII ebbe soppressa la Compagnia di Gesù nel 1773 e incarcerato a Castel Sant’Angelo il Preposito Generale Lorenzo Ricci, alla sua morte avvenuta nel 1775 il Maestro dell’Ordine dei Predicatori commentò: «Cristo è morto crocifisso tra due ladroni, questo è un ladrone morto tra due crocifissi».

.

In attesa della vostra prossima e spero vicina soppressione definitiva, ti porgo un fraterno saluto.

a Ilha de Patmos, 17 junho 2022

.

.

.

.

______________________

Queridos leitores,
esta revista exige custos de gestão que sempre enfrentamos apenas com suas ofertas gratuitas. Aqueles que desejam apoiar nosso trabalho apostólico podem nos enviar sua contribuição pela maneira conveniente e segura PayPal clicando abaixo:

Ou se preferir, você pode usar o nosso
conta bancária em nome do:
Edições A ilha de Patmos

Agência n. 59 De Roma
IBAN:
IT74R0503403259000000301118
Para transferências bancárias internacionais:
Código SWIFT:
BAPPIT21D21

Se você fizer uma transferência bancária, envie um e-mail para a redação, o banco não fornece seu e-mail e não poderemos enviar uma mensagem de agradecimento:
isoladipatmos@gmail.com

Agradecemos o apoio que deseja oferecer ao nosso serviço apostólico.

Os Padres da Ilha de Patmos

.

.

.

Covid nos impediu de colocar água nas fontes, mas o clero nos corrige “permite” para abençoar casais gays após sua união civil na prefeitura

IL COVID CI IMPEDIVA DI METTERE L’ACQUA NELLE ACQUESANTIERE MA IL CLERICAMENTE CORRETTO CIPERMETTEDI BENEDIRE LE COPPIE DI GAY DOPO LA LORO UNIONE CIVILE IN MUNICIPIO

 

Il presbitero che ha inscenato e presieduto il tutto si è affrettato a giustificare che sono state solo benedette due persone. E, se dopo la Comunione Eucaristica i due “sposini amorosi” sono saliti all’altare per ricevere un grembiule, simbolo del servizio da loro prestato a questo gruppo di cattolici LGBT in cammino, ciò «non è stato un gesto liturgico», declarou, pure se il tutto è avvenuto nell’ambito della sacra liturgia e non nella sala da fumo del bar poco distante dalla chiesa parrocchiale, perché quando certi tipi di preti pensano di poter prendere in giro gli altri credendosi di prassi più scaltri, finiscono col perdere sia il senso del ridicolo che quello della umana decenza.

- Realidade -

.

.

 

artigo em formato de impressão PDF

.

.

Per approfondire il tema vi suggeriamo la lettura di questo libro scritto dai Padri Ariel S. Levi di Gualdo e Ivano Liguori (per andare al negozio cliccate sopra l’immagine)

Non è paradosso né ossimoro ma semplice realtà: per disposizione della Conferenza Episcopale Italiana è stato proibito per due anni di mettere l’acqua lustrale dentro le acquasantiere delle chiese per evitare di veicolare la diffusione e il contagio da Covid-19, solo in questi giorni ne è stato ripristinato l’uso. Uma escolha sábia e prudente já adotada em séculos passados ​​durante as grandes pragas. Cuidado semelhante não foi aplicado a outros casos ligados a epidemias mais graves. E assim, diretamente na diocese governada pelo Presidente da Assembleia dos Bispos italianos, dois homossexuais orgulhosamente praticantes que pouco antes selaram sua "união civil" no prédio municipal vizinho de Budrio, na província de Bolonha, foram recebidos na igreja e abençoados.

.

Nós "velhos sacerdotes" nascido sob o pontificado do Santo Pontífice Paulo VI e criado sob o longo pontificado do Santo Pontífice João Paulo II, estávamos acostumados com a ideia de que o pior vírus era o pecado, forja de todas as piores pandemias. Hoje devo reconhecer que estávamos errados. Na verdade, eram apenas as pilhas de água benta, ser veículos potenciais para infecções virais e desenvolvimento de pandemia.

.

À luz da lógica eclesial e eclesiástica Gostaria de salientar que duvido que ele tenha sido adequadamente informado sobre Cardeal Matteo Maria Zuppi, pelos comediantes sacerdotes deste drama sacrílego, porque é um ato sacrílego, há pouco para contornar isso. se ele tivesse sido informado, Duvido que ele teria consentido, acima de tudo, saber qual o hype da mídia que certas travessuras gays sempre despertaram, expandido, no caso concreto, do delicado papel desempenhado pelo Arcebispo Metropolitano de Bolonha, qual é Presidente da Conferência Episcopal Italiana. Por isso acredito a priori na total inocência do Cardeal Matteo Maria Zuppi, que certamente foi a primeira vítima desse drama, que eu despacho para ele, porque ele é um bom homem, justo e sempre muito acolhedor e carinhoso com os padres, desde que foi bispo auxiliar em Roma.

.

Vamos resumir as novidades e depois passar a comentar uma palavra e um conceito que agora se tornou tabu: Muito ruim. Em 11 de junho aconteceu que dois jovens oficializaram sua "união civil" no município de Budrio, na província de Bolonha. O tempo para atravessar a praça para chegar ao igreja paroquial de São Lourenço, onde foram aguardados por uma multidão animada e por 14 concelebrantes, provavelmente todos eles clerical gay friendly. Presidiu a sagrada liturgia Gabriele Davalli, gerente Diocesano - inacreditável, ouvido! ― della pastoral da família e arcipreste de um freguesia vizinha, que acompanharam os dois "amantes recém-casados" durante sua jornada no grupo de católicos LGBT.

.

Alguns confrades daquele presbitério eles entraram em contato com nossa equipe editorial especificando:

.

«Caso o responsável pela cena quisesse corrigir o tiro depois que o dano já foi feito, dizendo que ele só abençoou duas pessoas, saiba que todos os anexos e conexos típicos das cerimónias de casamento estiveram presentes, dê flores ao fotógrafo para fotografar os dois na primeira fila sob o presbitério " [cf.. WHO].

.

E como eles previram foi assim: o presbítero que encenou e presidiu tudo foi rápido em justificar que apenas duas pessoas foram abençoadas. E, se dopo la Comunione Eucaristica i due “sposini amorosi” sono saliti all’altare per ricevere un grembiule, simbolo del servizio da loro prestato a questo gruppo di cattolici LGBT in cammino, ciò «non è stato un gesto liturgico», declarou, pure se il tutto è avvenuto nell’ambito della sacra liturgia e non nella sala da fumo del bar poco distante dalla chiesa parrocchiale, perché quando certi tipi di preti pensano di poter prendere in giro gli altri credendosi di prassi più scaltri, finiscono col perdere sia il senso del ridicolo che quello della umana decenza. O que mais adicionar: cada comentário para tanta hipocrisia chique clerical seria supérfluo, então concluímos com uma pergunta destinada a permanecer sem resposta, e depois passar para coisas mais sérias. Não sei quem formou o presbítero Gabriele Davalli em teologia fundamental e moral católica. Mas, já que definitivamente era eu quem estava mal formado, que entre os meus preciosos formadores tive também o Cardeal Carlos Caffarra, de uma forma calma, na verdade de uma forma tímida, com o rubor que queima minhas bochechas, porque como você sabe eu sou um menino tímido do campo, de uma forma subjugada, atrevo-me a perguntar: Gabriele Davalli, depois de terem admitido a Comunhão Eucarística dois homossexuais declarados "recém-casados" e depois de lhes terem dado o avental, símbolo do serviço prestado antes do final da Santa Missa, Você estava ciente ou não que à noite, os dois, eles certamente terão comemorado se abraçando, com muita cerimônia e benção recebida pela manhã durante a Santa Missa? Ou você acha que talvez, querido gabriele davalli, que à noite foram para a cama recitando o Santo Rosário à Bem-Aventurada Virgem Maria pedindo sua intercessão para ter o apoio e a força necessários para não cair em pecado vergonhoso? este, seria o que eu pediria a Gabriele Davalli se eu fosse seu bispo, que obviamente, por sua graça e por minha graça, eles não são.

.

A triste verdade é que um diocesano responsável pela pastoral da família e outros treze sacerdotes gay amigável que concelebrou fazendo da Eucaristia um teatro sacrílego, eles realmente abençoaram o pecado e confirmaram publicamente duas pessoas em pecado mortal. E se alguém puder provar que estou errado - à frente de todo o Arcebispo Metropolitano de Bolonha, que, como repito, considero completamente inocente, bem como um homem bom e justo - venha e me mostre o contrário. Acima de tudo eu desejo que, bispos na liderança, diga-me publicamente - não com a clássica e lamentável carta privada - que a teologia e a moral católica com que fui treinado posso jogá-los com segurança no vaso sanitário e depois dar descarga no ralo. Mas acima de tudo quero que me expliquem que tudo o que até ontem era um feio pecado mortal, hoje se tornou amor ser acolhido e abençoado. Depois que eles explicarem isso para mim, publicamente, no dia seguinte devolverei o meu mandato ao exercício do sagrado ministério sacerdotal nas mãos do bispo que me deu e retirar-me-ei à vida privada.

.

Na sociedade civil ser homossexual e praticar a homossexualidade não é crime. acrescento: e nunca poderia ser, Eu seria o primeiro a sair às ruas para protestar, se alguém tentou processar homossexuais como tal em qualquer capacidade. Homossexualidade não é doença, no limite, pode ser um transtorno psicológico mais ou menos grave ou desconforto em quem o vive mal ou em quem não o aceita e, portanto, sofre com isso. Como padre católico e como teólogo, sempre reconheci às pessoas o direito de viver a sexualidade que desejam e de não serem discriminadas de forma alguma por suas escolhas e práticas sexuais., o Catecismo da Igreja Católica também o diz, que aliás é bom lembrar:

.

2357 «L’omosessualità designa le relazioni tra uomini o donne che provano un’attrattiva sessuale, esclusiva o predominante, verso persone del medesimo sesso. Si manifesta in forme molto varie lungo i secoli e nelle differenti culture. La sua genesi psichica rimane in gran parte inspiegabile. Appoggiandosi sulla Sacra Scrittura, che presenta le relazioni omosessuali come gravi depravazioni (cf.. GN 19,1-29; RM 1,24-27; 1 CR 6,9-10; 1 TM 1,10) la Tradizione ha sempre dichiarato che “gli atti di omosessualità sono intrinsecamente disordinati” (cf.. Pessoa humana, n. 8). Sono contrari alla legge naturale. Precludono all’atto sessuale il dono della vita. Non sono il frutto di una vera complementarità affettiva e sessuale. In nessun caso possono essere approvati».

2358 «Um número considerável de homens e mulheres têm tendências homossexuais profundamente enraizadas. Esta inclinação, objetivamente desordenado, constitui evidência para a maioria deles. Portanto, eles devem ser recebidos com respeito, compaixão, delicadeza. A seu respeito, qualquer marca de discriminação injusta será evitada. Essas pessoas são chamadas a cumprir a vontade de Deus em suas vidas, e, se eles são cristãos, para unir as dificuldades que eles podem encontrar como consequência de sua condição ao sacrifício da cruz do Senhor ".

.

Per me la questione è tutta quanta teologica, visto che faccio il prete e il teologo non il master chef. Se Dio non ha impedito ad Adamo ed Eva di commettere il peccato originale, possiamo forse impedire noi, para homens, di commettere peccati? Porque, che piaccia o no a certi miei mondani confratelli gay amigável, pronto, se necessário, para disfarçar um "casamento" ridículo entre dois homens como uma bênção que, como tal, não é negada a ninguém, em todo caso, permanece o fato de que para a moral católica e a lei de Deus na qual está enraizada "os atos de homossexualidade são intrinsecamente desordenados". Uma vez que o ato foi condenado, isto é, pecado, em relação aos homossexuais solteiros, isto é, os pecadores, A moral católica esclarece: «[...] devem ser recebidos com respeito, compaixão, delicadeza. A seu respeito, qualquer marca de discriminação injusta será evitada ". Tudo isso sempre repetindo, em relação ao pecado, que certos atos “não são fruto de uma verdadeira complementaridade emocional e sexual” e que “em nenhum caso podem ser aprovados”.

.

A sodomia é um pecado grave contra a natureza criada e ordenada por Deus. Portanto, se certos padres conhecessem e praticassem os elementos básicos da teologia e moral católicas, se eles simplesmente conhecessem o Catecismo, em vez de disfarçar o "casamento simulado" de dois homens como uma "bênção", devem estar cientes de que o pecado faz parte do exercício da plena liberdade e livre arbítrio do homem, mas que o pecado desfigura a alma do pecador e causa escândalo à comunidade dos crentes. Portanto, o pecado, sim, faz parte do pleno exercício da liberdade humana, mas não é, no entanto, um direito e ninguém, especialmente dentro da Igreja, pode reivindicar como tal, nem mesmo os casais de homossexuais "amantes recém-casados".

.

Várias vezes em meus escritos públicos, mas também durante as minhas conversas privadas com os confrades que me usam como diretor espiritual ou como confessor, Eu me encontrei explicando a diferença substancial entre pecado e pecador, especialmente aos jovens sacerdotes que saíram de definir daquele filme de ficção científica a que os nossos seminários toda a paz estão agora reduzidos, alegria e amor. Nós sacerdotes, como santificadores, mestres e guias do Povo de Deus, não só temos o dever de rejeitar o pecado, porque em nossas consciências sacerdotais há o imperativo e a obrigação de combatê-la. A fala do pecador é diferente, que é nosso onde é nosso dever acolher, ajudar e amar, especialmente aqueles que cometem os pecados mais graves, porque sobretudo por eles Cristo derramou o seu sangue redentor na cruz. assim, se em vez de acolher o pecador o rejeitamos como tal, trairíamos e profanaríamos da pior maneira a santa missão que Cristo Deus nos confiou através da instituição do sacerdócio ministerial.

.

O problema subjacente é que um exército de sessenta e oito presbíteros e sessenta e oito netos criados por eles e levados a uma overdose de paz não especificada, alegria e amor, eles não sabem mais a diferença entre pecado e pecador, que é uma diferença fundamental e substancial. Inútil como pode ser, porque nada que seja estruturalmente ideológico pode ser riscado, Vamos agora tentar entender bem esse perigo mortal constituído pelo terrível pecado propagado pelos lobistas LGBT, de que falei longamente nas minhas longas conversas privadas com o Cardeal Carlo Caffarra. Este perigo - que repito é mortífero e aterrador - é dado pelo facto de grupos constituídos por autoproclamados católicos “Cattolici LGBT” eles estão entrando na Igreja e nas comunidades paroquiais, enganando os bispos de maneira grandiosa, padres e freiras tolos. E eles estão fazendo seu caminho para não serem seguidos e curados espiritualmente, para não curar suas fragilidades e feridas, não tentar curar suas almas do vírus epidêmico do pecado, mas para ser legitimado e confirmado em pecado mortal. Esta é uma armadilha na qual um exército de bispos, padres e freiras tolos estão caindo como peixes na rede. O lobby LGBT entrou na Igreja por uma década como um cavalo de tróia para reivindicar e demonstrar que o primeiro a estar errado foi acima de tudo Deus ao nos criar homem e mulher. Eles não estão errados, sempre envolto em vitimização e dor, é a Igreja que com a sua “retrive” e “copo” moral se atreve a impedir que dois gays ou duas lésbicas se amem, negando assim - dizem - a própria essência do Santo Evangelho, que é amor e só amor. Certain, que o Santo Evangelho é amor, bastaria, no entanto, perguntar-se e entender que amor verdadeiro ela espalha, porque o amor que ele anuncia acaba sangrando na cruz com quatro pregos cravados na carne e com uma coroa de espinhos na cabeça, coisa bem diferente do porcini e profanando júbilo os vários orgulho gay, que também recentemente nos deu a Madonna sadomasoquista e Cristo de salto agulha. Ou talvez o Santo Evangelho, em nome de um "amor" não especificado, nos permite abençoar a união de dois homens, celebrá-los na igreja e admiti-los à Comunhão Eucarística, para que possam voltar ao quarto à noite, "Abençoado" e "santificado", sodomizar um ao outro em nome do amor? Talvez seja este o amor anunciado pelo Santo Evangelho?

.

Foi por este motivo do que em 2009, aquele sábio de Deus do Cardeal Carlo Caffarra, mesmo coberto com todos os piores insultos, criticado e insultado em toda a imprensa gay amigável da esquerda chique radical, proibiu um coro composto por 25 homossexuais declarados para se reunir nas instalações da paróquia bolonhesa de San Bartolomeo della Beverara. Porque uma coisa é acolher o homossexual solteiro, que deve ser aceito, respeitado, amado e cuidado espiritualmente, O tempo todo. Outra coisa é permitir que grupos de homossexuais católicos não especificados sejam estabelecidos diretamente dentro das estruturas eclesiais e eclesiásticas, que, como a experiência nos ensina e como sempre, quase sempre aconteceu, acima de tudo, eles questionam a doutrina e a moral da Igreja Católica. Porque é a Igreja, que deve se curvar ao capricho de seu pecado, acolhê-lo e legitimá-lo, finalmente o abençoe. Isso é algo que a Igreja nunca poderá fazer.

.

De vez em quando algum bispo me acusa de usar tons fortes, outras, muito mais numeroso, em vez disso, eles me pedem para dar voz pública ao que eles nem sempre podem dizer em tons fortes. E como não usar tons fortes, diante de um exército cada vez mais denso de sacerdotes que não são mais capazes de distinguir nem o pecado do pecador? Mas eles não são o problema, eu sou o cara durão. E na Igreja visível imbuída de um amor inespecífico, a dureza não é permitida, porque agora não somos mais "o sal da terra" [MT 5, 13] mas o açúcar da terra. Como resultado, abençoando dois homossexuais na igreja durante a ação litúrgica que voltam para jogar salto à noite, isso é muito bom e certo, pelo menos para todos aqueles que decidiram se transformar no açúcar da terra.

.

Cada temporada histórica tem seus personagens, mas em circunstâncias deste tipo certamente sentimos falta do Sumo Pontífice João Paulo II. Porque em casos mais ou menos semelhantes, que já ocorreram em numerosas dioceses ao redor do mundo, ele não teria hesitado em chamar os respectivos bispos antes dele. E num espírito de autêntica caridade cristã, os camareiros, antes de entrar na audiência, eles recomendariam: "Excelência, prima di recarsi dal Sommo Pontefice passi dalla Farmacia Vaticana, acquisti e indossi il pannolone di contenzione, perché sarebbe sicuramente imbarazzante, per lei come per chiunque, pisciarsi addosso dinanzi al Santo Padre». Oggi le cose sono cambiate, abbiamo il presbitero padovano Marco Pozza, para amigos Don Spritz, que em jeans e scarpette da ginnastica slacciate va a intervistare il Santo Padre e che non avendo di meglio da fare pubblica un messaggio di auguri per una coppia di suoi amici gay in occasione del loro matrimonio, salvo correggere poco dopo il post cambiando la parola “casado” com “unione civile”. Ciò che però solo importa è di non presentarsi dinanzi al Santo Padre con una talare romana addosso e un rispettoso ferraiolo sulle spalle, perché in quel caso si può correre il rischio di essere fulminati con uno sguardo. Ma tutto finirebbe con un’occhiata fulminea, perché per far pisciare addosso qualcuno occorrerebbe la tempra che all’occorrenza sapeva avere il Santo Pontefice Giovanni Paolo II, mas acima de tudo sua santidade seria necessária, porque só os santos, quando o caso o exige, eles podem até fazer você mijar pelo bem da sua alma.

.

Meu amado e venerado Carlo Caffarra, Eu sinto inveja santa por você, que você foi chamado em setembro 2017 para a casa do pai, onde eu gostaria de estar também, poupando-me assim da abominação da desolação que nos espera, porque agora, alguns de nossos bispos tímidos e improvisados, amoroso com o pecado, mas com raiva daqueles sacerdotes deles que sempre se atrevem a condenar o pecado, da tempo ci stanno facendo veramente aspirare la grande grazia della morte.

a Ilha de Patmos, 16 junho 2022

.

.

.

.

______________________

Queridos leitores,
esta revista exige custos de gestão que sempre enfrentamos apenas com suas ofertas gratuitas. Aqueles que desejam apoiar nosso trabalho apostólico podem nos enviar sua contribuição pela maneira conveniente e segura PayPal clicando abaixo:

Ou se preferir, você pode usar o nosso
conta bancária em nome do:
Edições A ilha de Patmos

Agência n. 59 De Roma
IBAN:
IT74R0503403259000000301118
Para transferências bancárias internacionais:
Código SWIFT:
BAPPIT21D21

Se você fizer uma transferência bancária, envie um e-mail para a redação, o banco não fornece seu e-mail e não poderemos enviar uma mensagem de agradecimento:
isoladipatmos@gmail.com

Agradecemos o apoio que deseja oferecer ao nosso serviço apostólico.

Os Padres da Ilha de Patmos

.

.

.

Cura da árvore genealógica? Entre o carma e os ritos xamânicos. Algumas orientações teológicas e pastorais para o discernimento

CURA DA ÁRVORE FAMILIAR? TRA KARMA E RITI SCIAMANICI. ALGUMAS LINHAS TEOLÓGICAS E PASTORAL PARA FAZER DISCERNIMENTO

Orar pela cura dos pecados passados ​​dos antepassados ​​em função da libertação de seus descendentes não é apenas inútil, mas também anticristão, pois é contrário ao Apocalipse e ao ensino de Jesus.. Dito isso, vamos nos fazer uma pergunta agora: por que devemos insistentemente pedir ao Senhor que nos liberte dos pecados de nossos ancestrais, de suas más escolhas, de seus atos viciados no uso do livre-arbítrio se ao fazê-lo realmente afirmamos uma relação moralista doente de causa-efeito tão aparentemente óbvia, tão impiedoso a ponto de transmitir um determinismo destrutivo que Jesus rejeita?

- Notícias da Igreja -

.

Autor
Ivano Liguori, ofm. Capp.

.

artigo em formato de impressão PDF

 

 

.

.

.

É um fato triste e verdadeiro que quando o homem não acredita mais em nada, ele sempre acaba acreditando em tudo, quando ele deixa de acreditar em Deus ele acaba acreditando nos deuses e lendo o tarô. Há também personagens obscuros que distorcem os elementos do catolicismo, incluindo a Virgem Maria, que acaba sendo distorcido e desfigurado da pior maneira, em parte para criar atração, em parte para estabelecer mercados rentáveis ​​reais.

.

Por vários anos agora nós ajudamos, dentro de alguns movimentos ligados à Igreja Católica, especialmente aqueles mais próximos da área extremista dos carismáticos, para uma prática espiritual conhecida como Oração de cura da árvore genealógica o Oração de cura intergeracional. O que exatamente é esta oração? É útil? Mas a maioria, é católico e de acordo com o Apocalipse rezar desta forma?

.

Com este artigo Desejo dar apenas algumas linhas de interpretação teológica e pastoral para ajudar os fiéis a operar um discernimento justo e saudável, visto que muitas vezes a confusão pode prevalecer sobre as pessoas que se encontram diante de situações de doença e sofrimento que as impedem de manter a devida clareza de fé no momento da provação. E quando somos atingidos por aquela dor que muitas vezes nos torna frágeis e vulneráveis, ao virar da esquina há sempre aqueles que procuram fazer um lucro pessoal, que pode ir desde a arrecadação de dinheiro até a perversa alegria de exercer o poder de controle sobre as consciências.

.

Estou bem ciente da delicadeza e complexidade do assunto que precisariam de outras ferramentas e espaços para serem tratados de forma completamente exaustiva. Muito tempo deve ser gasto desvendando as delicadas questões teológicas e psicológicas subjacentes à necessidade de cura e cuidado., juntamente com a responsabilidade pessoal e comunitária diante do mistério do mal e do pecado que cansa o caminho diário do homem e da sociedade. A coisa mais apropriada a fazer seria escrever um livro sobre o assunto para ter certeza de lidar com cada pequeno aspecto e questão que o tema da cura da árvore genealógica destaca.. Esperar que alguém complete um trabalho que atualmente não existe - muito já foi escrito sobre esse tipo de oração de cura, mas sempre de maneira muito parcial, parcial e fragmentário - é bom relacionar imediatamente esta oração ao Magistério da Igreja, especialmente em referência à pessoa de Cristo como vencedor do pecado e do sofrimento em todas as suas formas. Jesus é "aquele que liberta de todo mal" [Seiva 16,8], e continua a ser o poderoso Salvador que dá salvação e saúde ao seu povo, sempre pronto a intervir pelo bem daqueles que a ele se dirigem como Bom Samaritano.

.

Antes de tudo é necessário colocar esta oração dentro de uma definição clara que pode circunscrever suas fronteiras. em síntese, podemos dizer que o Oração de cura da árvore genealógica é aquela oração que pede a Deus que elimine as causas e consequências daqueles males que afetaram uma determinada pessoa no passado cujas consequências ainda persistem no presente, recaindo sobre seus descendentes. Aqui está um exemplo: se meu bisavô cometeu um pecado, um mal ou foi portador de certa tendência ou falha que marcou sua existência de forma incisiva, este pecado (macho, tendência, tara) ainda pode se manifestar na vida futura dos netos mesmo depois de várias gerações, trazendo consigo as consequências inevitáveis ​​do sofrimento. Portanto, males objetivos como a violência, alcoolismo, a prática do ocultismo, a tendência ao suicídio ou aborto, algumas doenças psicológicas, algumas corrupções morais, eles podem se repetir na vida de uma pessoa que paga no presente e sofre de forma completamente inocente o que foi vivenciado por um ancestral no passado.

.

queria tomar como exemplo o caso de um avô distante em relação a um bisneto, mas a mesma coisa poderia ser dita mais imediatamente entre um pai e um filho ou entre uma mãe e um filho, portanto, entre gerações também muito próximas umas das outras. No campo das ciências clínicas oncológicas é conhecido e cientificamente estabelecido que certas formas de tumores podem ser hereditárias, por isso, especialistas aconselham filhos e netos a realizar verificações periódicas. Nas ciências clínicas psiquiátricas também se sabe que certas doenças ou transtornos mentais são hereditários, por exemplo esquizofrenia.

.

Vamos tentar esclarecer tudo com outro exemplo: o Código de Direito Canônico a 1917 aos royalties 983-991 indicava toda uma série de impedimentos para receber a sagrada ordem sacerdotal. As leis canônicas anteriores ao Concílio de Trento estabeleciam que os filhos dos açougueiros não podiam receber ordens sagradas. Um padrão que, se não for explicado, hoje pode até despertar hilaridade, mas tinha sua própria lógica. Em alguns períodos históricos a de açougueiros era uma profissão particularmente sangrenta e quase sempre o abate de animais acontecia de forma muito violenta. Tudo acabou afetando não só o aspecto psicológico e comportamental de quem exercia essa profissão, mas também nos membros de sua família, de seus filhos e netos nascidos e criados nesse tipo de contexto familiar, sociais e trabalho.

.

Em muitos casos particulares o pobre que sofre tais males nada mais é do que um elo de uma longa cadeia de indivíduos sobrecarregados por contínuos males físico-espirituais e males repetidos que perdurarão até que se rompam os vínculos com aquelas raízes que representam a causa objetiva desses distúrbios. A cura se dá por meio de uma série de orações específicas e meticulosas que revisam todos os males físicos e espirituais que existem no mundo..

.

Per l’esemplificazione dei Lettori riporto qui di seguito alcuni stralci di una Oração de cura da árvore genealógica composta da un personaggio Sui generis e che è possibile ritrovare sul Web. Testi più o meno simili è possibile trovarli anche altrove o leggerli in diversi libri che trattano dell’argomento:

.

"Jesus, ci hai rivelato che dal peccato commesso dall’uomo all’origine del mondo è venuto ogni male e che anche il peccato di ciascuno ha influenza negativa sugli altri, specialmente il peccato dei genitori sui figli e i discendenti. Através da geração as mesmas características físicas e psíquicas são transmitidas, os bons frutos das virtudes e as tristes consequências dos vícios, saúde e doença, o bem eo mal. Pelo bem que os pais e antepassados ​​nos transmitiram, nós lhes agradecemos e obrigado, porque com sua graça eles fizeram bem. Pelo mal que nos transmitiram, nós os perdoamos e os confiamos à tua misericórdia, pedindo seu perdão por eles e fazendo sufrágios. Jesus, agora oramos por nossas gerações passadas e presentes, tanto do ramo paterno como do ramo materno. Por favor, cure nossa árvore genealógica, do qual somos fruto. Por eles e por nós, cortar quaisquer influências negativas que eles nos transmitiram. Seu Precioso Sangue desce para purificar, curar, liberar, libertar, para que hoje nossa geração seja sã e santa, unida e feliz para que ela só possa transmitir coisas positivas, ser um canal só de saúde e santidade. Jesus, curar nossa árvore genealógica".

"Jesus, curar-nos de todas as doenças que chegaram até nós através das gerações passadas. Cura-nos de doenças físicas: do coração, um pouco de sangue, do sistema circulatório; da boca, do nariz, das orelhas, garganta, dos brônquios, dos pulmões; do esôfago, estômago, fígado, da vesícula biliar, del pâncreas, do intestino; rins, do trato urinário; do cérebro, medula espinhal e sistema nervoso; dos ossos e da coluna; da pele; dos nossos cinco sentidos; cura-nos de tumores e todas as doenças estranhas; dalla frigidità e dalla sterilità, dall’impotenza e dalle malattie veneree. Guariscici da tutti i casi di malattie mentali che ci sono stati nella nostra storia familiare: forme di paranoia, schizofrenia, psicosi, comportamenti depressivi e autodistruttivi. Guariscici da tutte le malattie psichiche: ansiedades, affanni, depressioni, insicurezze, paure, complexo, tristezze, pensieri di suicidio, tedio della vita, squilibri, attacchi di panico. Interrompi la trasmissione di tutte queste malattie. Togli queste tare ereditarie. Certifique-se de que sempre haja saúde física em nossa geração, integridade mental, equilíbrio emocional, relacionamentos saudáveis, bondade, amo; para passar esses seus dons para as gerações subsequentes. Jesus, cura-nos de todas as doenças hereditárias"

"Jesus, libertar-nos de todos os males causados ​​em nós pelos ancestrais que participaram do ocultismo, ao espiritismo, para feitiçaria, para magia, às seitas satânicas, para a Maçonaria. Corta o poder do maligno que, sua culpa, ainda pesa sobre nossas gerações. Quebre a cadeia de maldições, mal (faturas, ligaduras, assinaturas, riti voodoo), obras satânicas que sobrecarregam nossa família. Liberte-nos dos pactos satânicos, consagrações a satanás e laços mentais com os seguidores de satanás. Sempre nos mantenha longe de reuniões de espíritos e de qualquer atividade pela qual satanás possa continuar a ter domínio sobre nós. Tome qualquer área sob seu poder que foi entregue a satanás por nossos ancestrais. Mantenha afastado o mau espírito para sempre, repara todos os seus danos, salve-nos de todas as suas novas armadilhas. Só de Ti todos nós podemos ter vida, liberdade, o ritmo. Jesus, livrai-nos de todos os males causados ​​pelo maligno"

"Jesus, libertar-nos de todos os maus hábitos em nossa árvore genealógica: do jogo, do esbanjamento, de beber, das drogas, da mesquinhez, de roubo. Ponha fim a todos os nossos maus hábitos. Liberte-nos de todos os pecados capitais: da preguiça, da ganância, da garganta, com raiva, da inveja, da luxúria, do orgulho. Livrai-nos do mau legado que os nossos antepassados ​​dedicaram a esses vícios. Liberte-nos de todos os ídolos que nossas gerações anteriores adoravam: dinheiro, il potere, o prazer, la casa, i terreni, i gioielli, i titoli. Taglia i vincoli che ci legano a questi casi di idolatria. Liberaci da tutta la corruzione e la violenza, dall’ira e dalla malignità dei nostri antenati che sono stati sfruttatori, ricattatori, criminali. Rompi in noi tutti i legami a questi comportamenti. Liberaci da tutto il male compiuto dai nostri antenati spinti dall’odio: odio verso gli altri, verso se stessi, em direção a Deus, odio razziale, fanatismo religioso».

.

Come è evidente dal testo della preghiera sopra riportata, essas invocações são muito longas e detalhadas em listar todos os males e áreas das quais você deseja ser curado. A falha desta oração não é tanto a de pedir a cura do mal ou do maligno - algo que Jesus nos ensina a fazer como um pedido explícito no Nosso pai - mas na teologia subjacente a esta forma de oração que é o que os antigos judeus conheciam com o nome de teologia da retribuição o teoria salarial. Também podemos encontrar esse pensamento teológico em algumas filosofias religiosas orientais como referência à Lei do Karma ou à crença na Reencarnação.

.

Vamos prosseguir em ordem: A origem mais imediata desta Oração de cura da árvore genealógica devemos isso ao trabalho e à doutrina do psiquiatra britânico Kenneth McAll (1910-2001). Ele era um missionário protestante fervoroso e apaixonado, quem foi capaz de iniciar esta prática terapêutica, suficiente para transformá-lo em uma verdadeira escola espiritual. Per chi volesse approfondire la vita e l’opera di questo medico carismatico, consiglio di leggere i suoi due libri più famosi: Fino alle radici. Cura da árvore genealógica, edizioni Ancora, Guida alla guarigione dell’albero genealogico, edizioni Segno. Tra le pagine di questi testi il lettore troverà l’intero manifesto e impalcatura di tutta quanta questa teoria psico-teologica-terapeutica.

.

Quando trattiamo il tema della sofferenza fisica e spirituale devemos ser especialmente cuidadosos para não exasperar ou enganar as pessoas envolvidas. Diante do sofrimento humano, especialmente aquele sofrimento de um tipo inocente, não podemos nos dar ao luxo de cometer erros ou ser tranqüilos brincando com a vida das pessoas ou suas fragilidades, acima de tudo, evitando nutrir e incutir falsas esperanças. Tampouco podemos pensar em empacotar soluções de baixo custo e alto impacto emocional que visam agradar o sofredor dando-lhe uma sensação de alívio imediato, mas que na verdade não resolvem o problema e podem até levar a amargas decepções..

.

Revelação divina atesta-nos que o problema do sofrimento está inextricavelmente ligado ao mistério da iniqüidade que Cristo destruiu com sua paixão, morte e ressurreição e que ele mesmo pagou gratuitamente por meio de sua augusta pessoa. A partir desse primeiro pecado de desobediência, descrito em Gênesis 3, a rebelião contra Deus gerou uma consequência trágica dentro do mundo criado que tem a face da morte, de sofrimento, da desordem e da perda da comunhão. Do justo Abel ao inocente Isaque, do sábio Jó a Cristo, o Senhor, o homem sempre debateu e questionou por que há sofrimento e mal no mundo. Mas, acima de tudo, ele sempre se perguntou por que sofre injustamente. E ainda, para ser honesto, não há uma resposta real, ou melhor, não há resposta que gostaríamos de ouvir e que é capaz de explicar tudo.

.

Não há trunfo de um "pecado ancestral" que se torna o ás pega-tudo para justificar qualquer distorção da existência, então é possível desresponsabilizar e delegar tudo para fora do homem, ao contrário, seria necessário partir de dentro do homem de seu coração. Quando nos referimos ao pecado original, fazemos uma diferença substancial com o pecado ancestral. A primeira admite uma responsabilidade pessoal como consequência de uma liberdade mal utilizada, a segunda é fruto de um determinismo cego para o qual não se pode deixar de notar a situação adversa e sofrê-la. Para discernir sobre essas questões, vem em nosso auxílio a Revelação divina, que não dá uma resposta, mas direciona um sentido para explicar o sofrimento.. Há o compromisso de um Deus que se encarna e assume a condição e a fragilidade do homem, destruindo todo o mal no sacrifício da cruz. A vitória de Cristo não é apenas a vitória sobre o mal, mas em todo o mal. É sobretudo a vitória sobre a origem e a causa última do mal em sua essência que é Satanás, como é solenemente afirmado na liturgia batismal: «Renunciem a Satanás, origem e causa de todo pecado?», isto é, de todo mal.

.

Como cristãos, diante do sofrimento, especialmente se for injusto, sabemos fazer muito mais do que o filósofo Sócrates ordenou aos seus discípulos. Não oferecemos um galo ao deus da medicina Esculápio, nós cristãos diante do sofrimento sabemos oferecer o venerável corpo e sangue do Senhor Jesus Cristo que continuamente se oferece e se imola por cada homem de todos os tempos. A resposta cristã ao mal e ao sofrimento não é, portanto, de natureza filosófica, mas teológica, é uma resposta que supera o homem, é elevado a mistério e só se compreende a partir da fé nAquele que superou o sofrimento.

.

Para entender esse discurso sobre o mistério do mal e do sofrimento, quero me concentrar principalmente no que Jesus nos deixou a esse respeito. Quero começar com a cura do cego de nascença que encontramos descrita no Evangelho de João [9,1-41] e, em seguida, terminar com a passagem do evangelista Lucas [13,1-5]. O Evangelho de João conta que os discípulos de Jesus vendo um cego nascido no caminho fizeram esta pergunta ao Senhor:

.

"Rabino, quem pecou, ele ou seus pais, nasceu cego?”. Jesus respondeu: “Nem ele pecou nem seus pais, mas é para que nele se manifestem as obras de Deus".

.

Os discípulos nada fazem senão repropor um pensamento teológico, que estava em sintonia com a teoria salarial da época. Para colocá-lo brevemente, a teoria retributiva afirmava que não há sofrimento sem culpa, que se algo lhe aconteceu mal em sua vida é porque você o procurou e se não foi você, alguém próximo a você foi o responsável direto, como parentes próximos ou ancestrais.

.

Embora já o Livro de Jó minou esta teoria retributiva com sua teologia acompanhante patrocinada pelos três amigos inoportunos, no pensamento religioso judaico do tempo de Jesus esse conceito ainda é forte como veremos no caso da agitação social descrita na passagem do evangelista Lucas [Lc 13,1-5]. O que para nós é suficiente saber, em referência à nossa conversa sobre o Oração de cura da árvore genealógica teorizado por dr. Kenneth McAll, é que não é possível dizer que os pecados dos pais afetam a vida atual dos filhos, secondo quanto già il profeta Ezechiele affermava per conto di Dio:

.

«Mi fu rivolta questa parola del Signore: “Perché andate ripetendo questo proverbio sul paese d’Israele: I padri han mangiato l’uva acerba e i denti dei figli si sono allegati?"» [este 18, 2].

.

Quindi pregare per la guarigione delle colpe passate degli antenati in funzione della liberazione dei loro discendenti non solo è inutile ma è anche non cristiano in quanto contrario alla Rivelazione e all’insegnamento di Gesù. Dito isso, vamos nos fazer uma pergunta agora: por que devemos insistentemente pedir ao Senhor que nos liberte dos pecados de nossos ancestrais, de suas más escolhas, de seus atos viciados no uso do livre-arbítrio se ao fazê-lo realmente afirmamos uma relação moralista doente de causa-efeito tão aparentemente óbvia, tão impiedoso a ponto de transmitir um determinismo destrutivo que Jesus rejeita? Cristo diz não a esta concepção teológica, afirmando fortemente que a cegueira daquele homem tem a glória de Deus como seu único propósito, isto é, a epifania do Reino do Filho e o anúncio do Evangelho no mundo. Aqui tocamos a proximidade de Deus que em Jesus une o homem para libertá-lo e curá-lo. O primeiro beneficiário desta glória será o cego que recuperará a visão, em seguida, seus pais que serão exonerados de uma frustrante responsabilidade social e moral e, finalmente, os doutores da Lei que terão uma boa oportunidade de poder aproximar-se daquela presença daquele Deus que eles tanto pregam, mas ainda acham difícil reconhecer em meio deles.

.

É sintomático notar no Quarto Evangelho o jogo de opostos que muitas vezes ocorre justamente a partir dos sinais epifânicos que Jesus realiza: colui che è cieco è l’unico a riconoscere e vedere il Salvatore, mentre coloro che dicono di vedere restano ciechi ed intrappolati in rigidi determinismi. A questo proposito la madre Chiesa attraverso un documento della Congregação para a Doutrina da Fé ribadisce il pensiero del suo Salvatore facendo ancora più chiarezza attraverso il magistero del Santo Pontefice Giovanni Paolo II:

.

«La malattia però colpisce anche i giusti e l’uomo se ne domanda il perché. Nel libro di Giobbe questo interrogativo percorre molte delle sue pagine. «Se è vero che la sofferenza ha un senso come punizione, quando è legata alla colpa, não é verdade, em vez de, che ogni sofferenza sia conseguenza della colpa e abbia carattere di punizione. La figura del giusto Giobbe ne è una prova speciale nell’Antico Testamento. (…) E se il Signore acconsente a provare Giobbe con la sofferenza, lo fa per dimostrarne la giustizia. La sofferenza ha carattere di prova» [Ver. João Paulo II, Carta Apostólica Salvando a dor, n. 11].

.

Davanti alla sofferenza di qualsiasi natura e origine chiediamo a Dio di essere liberati, a cura realiza-se através da obra de Jesus Cristo e o Livro do Sirac nos exorta a pedir com insistência a cura com atitude filial: "Filho, não desanime na doença, mas ore ao Senhor e ele te curará " [Senhor 38,9]. Elementos fundamentais de uma boa oração de cura são a submissão à vontade de Deus Pai, confiando no abandono ao Filho Jesus Cristo e no recurso à virtude teologal da esperança que, iluminado pelo Espírito Santo, nos permite ver a obra de Deus através de meios comuns de cura, como pessoal médico, terapias e medicamentos, intervenções de saúde e uma comunidade de cura. Todos os outros meios extraordinários de cura pertencem somente a Deus, que escolhe seus próprios tempos e métodos para agir no momento certo.

.

Para viver a doença com fé e para obter a cura almejada devemos nos colocar dentro de uma ação de graça que é sempre imerecida, mas que nunca pode ser separada da conversão do coração. Esse discurso nos leva a examinar a passagem do evangelista Lucas [13,1-5] que se baseia em uma história de crime que aconteceu na época de Jesus. Desta vez o mal tem caráter social e corporativo e a teologia da retribuição nos leva a ampliar a relação entre o indivíduo e a sociedade. O homem é capaz de se relacionar com outras pessoas, então as consequências de certas ações coletivas causam sofrimento e danos para toda a comunidade. Diz o evangelista Lucas:

.

"Naquela época, algumas pessoas vieram falar com ele sobre aqueles galileus, il cui sangue Pilato aveva fatto scorrere insieme a quello dei loro sacrifici. Prendendo la parola, Jesus disse-lhes:: Creia que aqueles galileus eram mais pecadores do que todos os galileus, por ter sofrido tal destino? Não, Te digo, mas a menos que você se arrependa, todos vocês vão perecer igualmente. O quelle diciotto persone, em que a torre de Síloe desabou e os matou, Você acredita que eles eram mais culpados do que todos os habitantes de Jerusalém? Não, Te digo, mas a menos que você se arrependa, todos perecerão da mesma maneira ».

.

Também desta vez Jesus desequilibra a teologia da retribuição, não aceita a ligação mecanicista entre sofrimento e culpa. Em outras palavras, parece dizer:

.

«Você está convencido de que aqueles galileus eram mais pecadores do que todos os galileus, porque eles fizeram esse fim? Bem, você está errado, eles eram tão pecaminosos quanto e como você. A questão é que eles ainda não haviam se convertido, isto é, não compreendiam que a felicidade do homem passa pela entrega total da própria vida a Deus. Você que ainda está no tempo!».

.

Não Aleatório, a este discurso sobre a conversão, ao lado da seguinte parábola da figueira infrutífera. Temos que ser honestos, muitas vezes em nosso relacionamento com Deus e com os outros estamos mais propensos a ser fritos do que fruto de conversão. Se olharmos para nós mesmos com autenticidade, muitas vezes somos árvores com apenas folhas, mas sem frutos. Aqui está a razão para a nossa não cura. A conversão é uma sugestão preciosa para poder abrir um caminho pastoral para a cura e a cura. Converter-se ao Senhor significa partir de uma vida que está enraizada nele e que abandona o mal através de pequenas escolhas cotidianas.. J.R.R.Tolkien também Lo Hobbit em outras palavras, ele reafirma esse conceito evangélico no diálogo entre Gandalf e Galadriel:

.

“Descobri que são as pequenas coisas [...] as ações diárias de pessoas comuns que mantêm a escuridão sob controle. Simples atos de bondade e amor".

.

A conversão significa recorrer humildemente à graça dos sacramentos poder manter a comunhão constante com Deus, sabendo que sem ela é impossível permanecermos de pé. Conversione significa mantenere un costante dialogo con il Signore e chiedere la misericordia verso coloro che ci hanno ferito così come vediamo fare in Abramo che chiese a Dio la guarigione degli empi a partire dalla funzione vicaria dei giusti:

.

«Davvero sterminerai il giusto con l’empio? […] Per riguardo a loro, perdonerò tutto quel luogo» [GN 18, 1-33].

.

Per questo motivo è bene chiarire che non sono gli altri che sono i responsabili della mia felicità non realizzata, della mia infermità fisica e spirituale, muito menos meus ancestrais. Nem mesmo o diabo se torna o primeiro responsável pelos meus fracassos. Todas essas coisas só nos permitem assumir a responsabilidade por nós mesmos, baixando para os outros o que nos pertence e que não queremos fazer.. Per questo sarebbe più opportuno chiedere al Signore non tanto la guarigione del nostro albero genealogico ma la guarigione del nostro cuore e la liberazione da tutte quelle rigidità che ci impediscono una buona volta di convertirci a Lui.

.

Para concluir desidero solo accennare alla presenza di quei condizionamenti sociali e familiari che possono essere l’occasione per commettere il male o per facilitare una certa corruzione morale dei costumi nella società. Tali condizionamenti vengono definiti dalla Dottrina Sociale della Chiesa come “strutture di peccato”. Dentro queste strutture ricadono tutte quelle situazioni sociali o istituzioni che sono contrarie alla legge divina ma che restano sempre l’espressione e l’effetto dei peccati personali. Quindi le strutture di peccato se non arginate e risanate possono diventare causa di corruzione e perdizione per l’uomo ma esse sono sempre il risultato di una libertà umana che fugge dalla conversione a Dio, di un cuore che non ascolta e che non obbedisce, di una responsabilità che accetta di andare contro Dio a prescindere dalle conseguenze. In tutto ciò non c’è determinismo, è possibile sempre una inversione di marcia e una salvezza e non dobbiamo scomodare la responsabilità degli antenati per trovare un alibi accettabile che ci possa sgravare dall’imbarazzo di dire: A culpa foi minha.

.

Eu prefiro voar completamente sobre esses assuntos auto-eleitos campeões de uma "autêntica tradição católica" não especificada, que ao lançar em bombásticas invectivas contra a heresia luterana do século XVI, em realmente jogar de uma certa maneira, incluindo certos "ritos de cura" impróprios, na melhor das hipóteses, eles provam ser pentecostais radicais completamente inconscientes de serem um. E a este respeito, lembro que o pentecostalismo radical é a heresia de uma heresia de uma heresia, isto é, uma heresia de terceira geração. Ou, sem perturbar aquela coisa muito séria que é heresia, quase sempre prerrogativa de mentes altamente educadas e refinadas, mais simplesmente, as ações de certos personagens obscuros são semelhantes em todos os aspectos às das bruxas de baixa liga.

 

Laconi, 15 junho 2022

.

.

.

.

O último livro do Padre Ivano está à venda na loja online da Ilha de Patmos

para ir à loja clique na imagem

.

.

______________________

Queridos leitores,
esta revista exige custos de gestão que sempre enfrentamos apenas com suas ofertas gratuitas. Aqueles que desejam apoiar nosso trabalho apostólico podem nos enviar sua contribuição pela maneira conveniente e segura PayPal clicando abaixo:

Ou se preferir, você pode usar o nosso
conta bancária em nome do:
Edições A ilha de Patmos

Agência n. 59 De Roma
IBAN:
IT74R0503403259000000301118
Para transferências bancárias internacionais:
Código SWIFT:
BAPPIT21D21

Se você fizer uma transferência bancária, envie um e-mail para a redação, o banco não fornece seu e-mail e não poderemos enviar uma mensagem de agradecimento:
isoladipatmos@gmail.com

Agradecemos o apoio que deseja oferecer ao nosso serviço apostólico.

Os Padres da Ilha de Patmos

.

.

.

Os pecados imperdoáveis ​​dos padres diante das santas virtudes dos católicos analfabetos na fé

OS PECADOS "IMPERDÁVEIS" DOS SACERDOTES PERANTE AS SANTAS VIRTUDES DOS CATÓLICOS ANALFABÉTICOS DA FÉ

 

… poderíamos modificar e reescrever a parte final de nossa profissão de fé: "Eu acredito em mídia social e na vida do mundo vindouro". E se alguma coisa,, em vez de o Credo Niceno-Constantinopolitano, poderíamos renomeá-lo Símbolo da fé do católico analfabeto, que ri do conhecimento e que deu vida à fé de «…, Eu penso isso …". E tudo isso, isso é muito claro: não é culpa dos sacerdotes.

- Realidade -

.

.

artigo em formato de impressão PDF

 

.

.

usando ficção fantasia Padre Ariel S.. Levi di Gualdo deu a quem questiona e procura respostas uma viagem ao mistério da vida, encerrando a doutrina sobre derradeiro por trás das linhas de um romance distópico ou “fantateologico”

Ao colocar a mão a um novo livro ou artigos relacionados com a doutrina da fé, Eu sempre me faço uma pergunta: esta perda de tempo adicional é necessária, considerou que o primeiro a mostrar que quer pão, circo e muita coceira são os católicos em primeiro lugar, ou auto-estilizado, ou o pouco que resta do desastroso mundo católico? É legítimo e admissível que um presbítero e um teólogo sejam assaltados por perguntas que o levem a se fazer perguntas tão sérias e pesadas.?

.

Na era digital eu mídia social eles trouxeram legiões de tolos que até ontem discutiam de forma bizarra as questões históricas mais complexas, social, políticos e religiosos dando suas "pérolas de sabedoria" em bares ou salões de cabeleireiro, onde tudo permaneceu fechado no final de suas discussões "aprendidas". Hoje, no mundo de cabeça para baixo destruído em que vivemos, em uma condição de decadência irreversível - um fenômeno sobre o qual tenho falado e escrito há duas décadas -, o ignorante munido de uma cultura que nem chega a um nível médio-baixo, atormentado por essas formas de analfabetismo que podem ser recorrentes e digitais, em mídia social pode ter classificações e seguidores que os especialistas científicos ou divulgadores mais qualificados não podem sequer imaginar. Basta pensar no chamado influência, que, como o nome indica, têm as piores influências sobre nossos jovens e adolescentes, inutile dettagliare a quali bassi e immorali livelli.

.

Neste caos confuso também encontramos um grande exército de católicos verdadeiros ou presumidos, lançar-se na busca mórbida espasmódica por coisas que podem excitar suas coceiras, mas nada têm a ver com as verdades da fé revelada. No máximo, deles é puro fideísmo, quase sempre apoiado por elementos mágicos, supersticioso, esotérico, milenar, em conclusão: neopaganesimo decadente, que nada tem a ver com aquela grande cultura pagã à qual o cristianismo é o primeiro a dever, basta citar Sócrates, Platão, Aristóteles, seguir os grandes pensadores, literatos e juristas romanos.

.

Para retornar ao analfabetismo e analfabetismo digital se junta a outra forma de analfabetismo, a dos analfabetos na doutrina da fé, l’arroganza dei quali è spesso superiore alla loro stessa ignoranza. Que nunca um padre ou um teólogo ouse intervir, pior lembrar ou destacar os erros de certos analfabetos na doutrina da fé. ja fiz varias vezes tambem, geralmente com esses resultados: o diálogo começa com um agressivo "você é incompetente porque não sabe disso...", terminar com um imperativo «tenha vergonha!», se não pior com um lapidário «você é um padre envergonhado!».

.

eu mídia social eles não devem ser subestimados com espírito de superioridade e esnobismo clerical chique, porque constituem um mundo em que hordas de católicos ou supostos católicos se deleitam nas mais improváveis ​​aparições marianas já reconhecidas pela Igreja, que muitas vezes os repudiou publicamente de forma decisiva e inapelável, eles eram tão falsos, mas sobretudo desviante para a fé, especialmente das pessoas mais simples e frágeis. Seguem-se revelações surpreendentes sobre o verdadeiro Terceiro Segredo de Fátima, segundo eles, mantidos escondidos pela Igreja de forma maliciosa. As "profecias" de Nostradamus, escrito em quadras tão ambíguas que qualquer um pode inventar o que quiser depois. A sensacional falsidade das "profecias sobre papas" atribuídas ao irlandês São Malaquias Bispo de Armagh, viveu no século XII, amplamente negado pelo erudito jesuíta Claude-François Menestrier no final do século XVII[1] e già rimaneggiate à manipolate in precedenza nel XVI secolo. As "profecias" do Beato também são muito tentadoras Anna Katharina Emmerick, declarado inautêntico pela Congregação para as Causas dos Santos ao mesmo tempo que sua beatificação[2]. Ainda que infelizmente eu tenha achado o quão inútil e infrutífero é explicar a certos analfabetos na doutrina da fé que beatificar um servo de Deus ou canonizar um beato não significa beatificar e canonizar tudo o que ele disse., escrito ou feito, muito menos reconhecer suas visões místicas ou locuções interiores. Igualmente inútil explicar que as aparições e mensagens marianas, incluindo os reconhecidos pela Igreja, não constituem pilares da depósito de crédito e non obbligano affatto i credenti a una adesione di fede.

.

Diante disso e ao que se segue que é prejudicial à fé e à saúde das almas, ressoa a terrível advertência do Beato Apóstolo Paulo:

.

"No dia, na verdade, em que não suportarão a sã doutrina;, mãe, tendo comichão nos ouvidos eles, amontoarão para si doutores para atender os seus próprios gostos, recusando-se a ouvir a verdade e voltando às fábulas " (II Tm 4, 2-4).

.

Sui mídia social as críticas dirigidas aos padres e para todas as mais altas hierarquias eclesiásticas brotam como flores silvestres depois da chuva, de práticas sempre severas e impiedosas. Nesse sentido, acho que sou a última pessoa a ser acusada de partidarismo, eles tentam vários dos meus livros - que é claro que eu convido você a não ler, que grande perda de tempo seria! - e numerosos artigos nos quais destaco os piores defeitos do clero e das nossas hierarquias eclesiais, fazendo uma análise profunda, impietose e severa, Maio terminou em se stesse, porque toda análise crítica sempre contém soluções possíveis, junto com tanta amargura, mas sobretudo ao meu amor inextinguível pela Igreja, che è eterno come lo è il sacerdozio col quale sono stato segnato e ontologicamente trasformato con un carattere indelebile.

.

Hora extra Vi em primeira mão como os defeitos e as deficiências do nosso clero constituem um esplêndido pretexto para aquele exército de católicos, ou auto-estilizado, que de modo algum pretendem comprometer-se com um sério caminho de fé, o que implica antes de tudo ser treinado e orientado, confiar nos professores e segui-los. Muito mais fácil ficar online, digite uma frase de pesquisa e comece a mudar de um blog para outro, onde os incompetentes sensacionais se atrevem a falar dos fundamentos mais complexos e delicados da fé temperada com um molho sensacionalista, sem nunca perder dois elementos essenciais para despertar a coceira necessária: catastrofismo e conspiração.

.

Você talvez seja assaltado pela antiga questão: quem nós somos, de onde viemos, Para onde vamos? Você quer saber qual é o mistério da vida eterna, o julgamento imediato ou particular de Deus, a ressurreição dos mortos e o juízo universal? Não perca tempo comprando e lendo meu livro O caminho das três chaves, onde em forma narrativa eu ​​falo de derradeiro através de um romance distópico, entre outras coisas, custa 22 Euro, seria apenas dinheiro jogado fora, afinal é o trabalho inútil de um padre e um teólogo que tentou traduzir os principais mistérios da fé em literatura na época de sua maturidade humana, intelectual e espiritual. Você quer saber qual é o mistério da vida? Basta digitar uma frase-chave em um mecanismo de busca e depois beber as páginas mais absurdas em que "teólogos" da internet improváveis ​​e principalmente anônimos misturam mitos, crenças pagãs, legendas, teorias de reencarnação, experiências de quase morte, peças extrapoladas de alguns escritos descontroladamente manipulados dos Padres da Igreja, finalmente apresentando deuses potpourri que não têm nada católico e cristão. E se um padre ou um teólogo se atreve a explicar que os fundamentos da fé católica são bem diferentes, será o suficiente para responder como de costume: «…ah, mas eu li isso...". E se começarmos a conversar com essas pessoas sobre alguns mídia social, exercendo nosso ministério como pastores no cuidado de almas e teólogos, reações e respostas serão aquelas que já mencionei: "Estar envergonhado!», sempre na melhor hipótese, claro.

.

Na opinião de muitos católicos que se proclamam devotos e praticantes, a culpa por tudo isso é atribuída apenas aos padres que não pregam bem, que não fazem catequese, que não estão disponíveis, seguir com toda a sequela dos defeitos do nosso clero, que o abaixo assinado nunca negou nem pretende negar, tendo-os trazido à luz sem hesitação.

.

Vamos tentar examinar o vidro que como sempre está sempre meio vazio e meio cheio, a partir da crise das vocações, pela redução progressiva do número de sacerdotes e sua idade cada vez maior em todos os países ocidentais. Se hoje, um padre sozinho, é obrigado a cuidar de quatro ou cinco paróquias espalhadas por um território, vários quilômetros de distância um do outro, em que até cinquenta anos atrás havia um pároco em cada, até setenta ou oitenta anos atrás também o pároco adjunto, cumpriu seu doloroso ministério de "celebrador compulsivo" de Santas Missas correndo de uma igreja para outra, quanto tempo ele terá para todas as outras atividades pastorais, incluindo especialmente a catequese e a formação dos fiéis, além de cuidar da vida espiritual? Quantos, estudar e preparar? A celebração eucarística representa o culminar de um caminho de vida que envolve o cristão em muitas ações. A experiência de fé e a vida de fé não se reduz a uma Santa Missa dominical, que o caminho da vida cristã é a realização máxima. Portanto, não seria melhor deixar aberta apenas uma igreja paroquial em todo aquele distrito e fechar as outras, se os padres forem enviados a todas as paróquias espalhadas de cidade em cidade, não haverá mais? Não, Não pode ser feito, porque os fiéis se levantarão instantaneamente - e geralmente de forma turbulenta -, apresentar o problema dos idosos que teriam de se deslocar desconfortavelmente na freguesia a quatro ou cinco quilómetros de distância, coisa tão inaceitável. Seus protestos quase sempre acrescentam referências à falta de caridade cristã, a não ser nem mesmo saber o que é esta virtude teologal fundamental para a fé católica, que, no entanto, constitui um termo com efeito, especialmente se pronunciada por alguém que nem sabe o seu significado. Nesse momento o bispo, sem a intenção de ter problemas com os fiéis que conhecem a palavra "direitos", mas ignoram a palavra "deveres" de Fideles Christi, chama o pobre sacerdote e convida-o amavelmente a sacrificar-se pelo bem de salvação das almas, ignorando - espero que involuntariamente -, que não é uma questão de fiéis, mas do pior tipo de infiéis: o dos egoístas arrogantes.

.

Teve a Santa Missa no Domingo na esquina da casa e obrigou um pobre padre agora à beira da exaustão a celebrar em três paróquias a partir de 8.30 Todos 12.30 pela manhã e em outras duas 17 Todos 19, aqui vemos os mesmos "pobres idosos" - para quem é impossível percorrer quatro ou cinco quilômetros para chegar à igreja mais próxima no domingo -, entrar no carro no início da tarde e dirigir 40 o 50 quilômetros para ir a um grande centro comercial na capital provincial. Mas eles devem ter a igreja ao lado, porque nesse caso são pessoas idosas para quem seria pecado mortal faltar caridade não especificada, enquanto se eles tiverem que percorrer uma distância dez vezes maior na direção do grande shopping, nesse caso eles de repente se tornam jovens, preferindo descontos promocionais muito mais, ou o ganha três paga dois, a todos os princípios fundamentais da caridade cristã, que deve ser exercido também em relação aos sacerdotes.

.

A teoria de que as falhas são todas dos sacerdotes, enquanto os fiéis que constituem os membros do Povo de Deus são criaturas inocentes torturadas por pastores inadequados, está destinado a ser levado a sério apenas por aqueles bispos que, para não ter problemas com os protestos dos pretensiosos e egoístas, preferem sacrificar a saúde física e a espiritualidade de seus padres, não hesitando em reduzi-los a celebradores em série de Messe correndo de uma igreja paroquial para outra em todas as aldeias vizinhas.

.

Uma tarefa completamente secundária dos bispos seria também para lembrar seus súditos[3] que se as famílias cristãs, ou o pouco que resta, eles não são mais capazes de promover o nascimento, acolher e estimular novas vocações ao sacerdócio, ninguém pode reclamar que a Igreja não "faz" mais sacerdotes, também porque os sacerdotes não são fabricados, o primeiro núcleo em que uma vocação é acolhida e cultivada é a família cristã. mas quanto, como dissemos agora, os bispos da nova geração estão felizes em receber todas as honras do episcopado, não, no entanto, os pesados ​​encargos que isso implica, eles preferem espremer seus padres cada vez mais reduzidos em número como limões no espremedor de frutas cítricas, cada vez mais em idade avançada, cada vez mais esgotado, muitas vezes frustrado e desmotivado, cercado por fiéis auto-intitulados egoístas, preguiçoso, fofocas e brigas, dos quais, no entanto, eles decidem agradar caprichos e caprichos, evitando assim ter problemas para resolver e decisões impopulares para tomar, como a supressão de paróquias que não podem mais ter um pároco, algo que a maioria dos bispos tem o cuidado de não fazer.

.

Reclamam que a Igreja e os sacerdotes não difundem a sã doutrina é falso e pouco generoso. São inúmeras as instituições religiosas que se preocuparam em montar excelentes sites na internet para tornar o texto da Catecismo da Igreja Católica e os documentos de Magistério da Igreja, a letra do Antigo Testamento, do Santos Evangelhos e do Cartas Apostólicas com comentários e explicações. Existem vários sites que coletam homilias de domingo, vídeos em que os bispos, párocos e teólogos engajados em atividades pastorais e na divulgação da doutrina católica realizam palestras e conferências, muitos bispos publicam um comentário a cada semana com explicações precisas do Santo Evangelho (apenas alguns exemplos: WHO, WHO, WHO, WHO, WHO, etc …). Nosso editor e teólogo capuchinho Ivano Liguori deu aos nossos leitores uma série de catequeses sobre o Sacramento da Penitência reunidas na coluna Catecismo café da manhã com Cappuccino, que publicamos em vídeo no nosso Ilha de Patmos. Que difusão eles tiveram? Eles foram muito apreciados por vários católicos de "nicho" interessados ​​em aprofundar verdadeiramente seu conhecimento da fé e dos sacramentos.

.

Nós confessores sabemos bem disso quando certas pessoas vêm a confissão, muitas vezes sem saber por que, como eles confessam ou como eles não confessam. Repetidamente, depois de ouvir penitentes que por dez minutos fizeram fofocas sem sentido, Com toda a bondade do caso, lembrei que este precioso sacramento é usado para absolver pecados e retornar à comunhão da graça de Deus, não é por acaso que a fórmula lê: «Eu te absolvo de seus pecados ... ». Este precioso Sacramento não serve para absolver de uma conversa, dos quais Deus é o primeiro a saber o que fazer com. Mais uma vez, perguntemo-nos: se um homem que deixou sua esposa, que mais tarde se casou civilmente, então ele também deixou sua segunda esposa, ir morar com uma garota muito mais nova que ele, que sempre levou uma vida que constitui em si mesma uma negação dos valores básicos da vida cristã, confessar-se apenas porque tem de ser padrinho ou testemunha de um crisma ou de um casamento - o que, aliás, não devia e não podia fazer -, nunca é possível dizer-lhe sobre isso: «beh, eu não mato, não roubar, Eu não machuco ninguém... talvez às vezes eu fique com raiva, às vezes acontece que ele conta algumas pequenas mentiras ... ". Pergunta: nunca é possível? E se isso acontecer, temos a certeza de que a culpa é dos sacerdotes que, segundo alguns, não se dedicaram ao precioso ministério dos confessores? O exército de católicos dominicais que recebem a Sagrada Eucaristia apesar de terem suas consciências sobrecarregadas com pecados mortais e que têm o cuidado de não confessar, talvez convencido de que apenas os padres cometem pecados, por acaso eles também constituem nossa grave culpa? Nós, sacerdotes, somos culpados pelo fato de que um grande número de fiéis não tem mais nem mesmo o senso do bem e do mal? É culpa de nós sacerdotes se nos encontramos com fiéis ou presumíveis fiéis dispostos a cobrir-nos de pesados ​​insultos mídia social se nos atrevemos a lembrar que o aborto é um crime grave, que a eutanásia não é de forma alguma um gesto de amor por uma pessoa em estado terminal, que dois homens ou duas mulheres não podem se casar, muito menos adotar "crianças de brinquedo", porque longe de ser amor, questo è piuttosto l’abominio della desolazione? Anche questa è colpa dei preti che non svolgono bene il loro ministero? O più semplicemente si tratta invece soltanto di sedicenti cattolici che ci aggrediscono per avere ricordato loro l’ovvio: che il male non può essere chiamato bene, meno che mai amore?

.

Se é verdade a teoria de que os números falam na internet que constituem um termômetro preciso da realidade, o panorama que se abre diante de nossos olhos é sombrio, para ser exato isso: um vídeo enviado para YouTube por um homem anônimo sem rosto e nome que fala das "profecias" de Nostradamus finalmente interpretadas, um mês após a sua publicação ter registado 545.321 Visualizações. O mesmo dia, um bispo italiano, já um excelente especialista em eclesiologia, professora, formador de sacerdotes e leigos, pastor dedicado durante anos à catequese de adultos, publica uma exegese catequética sobre a ressurreição dos mortos referindo-se ao Santo Evangelho daquele domingo do ano litúrgico, um mês após a sua publicação ter registado 223 Visualizações. Mas outro anônimo logo foi servido com lacunas anormais nos fundamentos da fé católica YouTube publica um vídeo que anuncia a revelação do verdadeiro Terceiro Segredo de Fátima mantido escondido pela Igreja desde o título, um mês após a sua publicação ter registado 361.222 Visualizações. O mesmo dia, um erudito teólogo dominicano especializado em mariologia, publica uma catequese de 30 minutos para explicar o significado e o significado profundo das aparições marianas de Lourdes e Fátima, um mês após a sua publicação ter registado 644 Visualizações.

.

A Igreja compreendeu desde o advento da era digital a importância de mídia social e os meios de comunicação oferecidos pela internet, aproveitou a oportunidade e teve o cuidado de disponibilizar todos os materiais que outrora os fiéis católicos poderiam encontrar em livrarias ou bibliotecas, enquanto aqueles que quisessem ouvir as exegeses de um bom especialista teriam que ir sabe-se lá onde ouvir uma de suas palestras. Hoje eles podem ir online e encontrar todos esses materiais. Mas os números, como acabei de explicar, eles falam claramente, acima de tudo eles falam sobre outra coisa.

.

Se os números falam na internet, a pergunta é obrigatória: tudo isto, o que é bom? Talvez para criar sui mídia social uma praça onde se eleva o lamento perene para a Igreja e os sacerdotes, por aqueles que seguem o novo Frei Cipolla da memória de Boccaccesca que exibe suas relíquias improváveis ​​e absurdas aos tolos, enquanto as catequeses organizadas nas paróquias estão desertas, nossos livros não são vendidos e nossas catequeses e conferências não são ouvidas? Este desinteresse pela doutrina da fé, talvez seja tudo culpa dos sacerdotes?

.

A Internet serviu para dar voz a um exército de pseudo-católicos sempre pronto para o lamento público e severo contra a Igreja que "já não evangeliza" e contra "os sacerdotes que já não agem como sacerdotes, que não fazem catequese e que não instruem os fiéis". Vamos esclarecer: conhecendo a fundo os graves defeitos da Igreja visível e as deficiências dos meus confrades, os números, no entanto, dizem o contrário. Se os fiéis querem aprofundar as questões relacionadas com os fundamentos da fé, ou saber algo sobre o mistério da vida, de morte, da vida eterna, da ressurreição dos mortos... eles não vão abrir as numerosas páginas em que a Igreja visível defeituosa disponibilizou o Catecismo e o guia comentado para sua leitura, eles vão a blogs de bebida e vídeos onde perfeitamente incompetentes falam sobre experiências de quase morte, agradando a curiosidade mórbida das pessoas. Eles não começam a estudar i derradeiro, eles vão e aproveitam os vídeos irritantes sobre as profecias de Nostradamus. Não se aprofundam na mariologia ou na devoção católica e saudável à Virgem Maria, mergulham como golfinhos no oceano de bobagens de sujeitos que ignoram os fundamentos da fé e os provocam com bobagens de charlatães perfeitos sobre os verdadeiros Segredos de Fátima não revelados. Além disso, você sabe, para alguns a Santa Igreja não é mãe, é mestra, mas mentirosa, um cruzamento entre uma seita secreta de poderosos e uma associação criminosa que não anuncia nem guarda a verdade, muito pelo contrário: esconde e desfigura (!?).

.

Eu voo para outra doença virulenta que vem se desenvolvendo após 11 de fevereiro 2013 o Sumo Pontífice Bento XVI tornou livre e legítimo ato de renúncia al sacro soglio. Além dos inevitáveis ​​teóricos da conspiração, personagens sombrios foram desencadeados, movido por rara violência verbal e agressão, que declararam a renúncia inválida porque, segundo eles, ocorreu sob coação, invalidando assim a eleição do Sucessor, definido por vários líderes amarrados de certo teorias dementes como «antipapa usurpador, herege e apóstata "assim como "emissário do anticristo". Essas pessoas apoiam suas próprias teorias bizarras sobre a falta de conhecimento da história da Igreja que tem um, citar a Constituição Apostólica Rebanho Dominic que rege a eleição do Romano Pontífice, mas infelizmente eles nunca leram, nem há evidências de que eles citam erroneamente um artigo depois de tê-lo entendido mal e ignorando completamente que nos três artigos seguintes suas declarações são totalmente negadas. Fazem referências absurdas ao Código de Direito Canônico, mas não sabem como nasce a lei da Igreja, ele se desenvolve, é interpretado e aplicado. Um verdadeiro salteado de legumes finalmente afogado com o molho das profecias e aparições marianas, por sua vez distorcido e manipulado. O que mais dizer e adicionar, se não... que dor! Mas é a Igreja visível que não está à altura de fiéis tão sedentos de verdade, ser povoado por sacerdotes que não estão à altura das necessidades dos católicos tão exigentes e ansiosos por exercer as mais altas e sagradas virtudes da vida cristã.

.

A triste realidade - querendo ridículo, se o todo não constituísse o desastre da fé e sobretudo das almas -, é que se um católico ou autoproclamado tem dúvidas, ele tem o cuidado de não consultar todos os materiais e fontes disponibilizados à Igreja Católica sobre mídia social, mas se estica o Facebook, seu Twitter ou seu Instagram, que, como se sabe, são conhecidos centros de catequese e doutrina. Infelizmente, há pouco para se surpreender: ser tramita e mídia social muitos vieram para a medicina Faça Você Mesmo ou para as ciências exatas Faça Você Mesmo, talvez falte fé Faça Você Mesmo?

.

A queixa generalizada sobre a Igreja que não evangeliza mais ou sacerdotes preguiçosos que não ouvem e que não fazem catequese, sem tirar nada das deficiências da Igreja visível e dos sacerdotes, é apenas uma falsa justificativa. Há muitos párocos, mesmo de grandes paróquias, que depois da missa dominical permanecem os seis dias restantes sem ver um paroquiano, com a mãe viúva idosa e o sacristão que participam das liturgias dos dias de semana constituindo a única assembleia dos fiéis. Apesar de ter tentado organizar encontros catequéticos para adultos e várias atividades para jovens. Obviamente, se tudo não deu certo, isso não se deve à indiferença dos fiéis, a culpa é inteiramente do padre, se alguma coisa, também do bispo que o colocou naquela paróquia. Então, quando alguns desses fiéis ou pseudo-tal se apresentam porque precisam do padre, quero uma folga, quero um certificado, à menor objeção levantada a eles, a resposta será: "... mas eu li na internet que ...".

.

Temos a certeza de que são os sacerdotes que se tornaram fugitivos que não ensinam os fundamentos da fé e doutrina católica? Porque os números dizem outra coisa, sobretudo, as consequências produzidas pelos próprios números o dizem.

.

Animado por esta consciência Decidi publicar um novo trabalho depois do verão onde explicarei o nosso eu acredito o Profissão de fé, cujo nome verdadeiro é o Credo Niceno-Constantinopolitano, porque é o resultado de dois grandes concílios dogmáticos da Igreja e de uma história antiga, complexo e também fascinante, embora esteja ciente de que nunca poderei despertar o encanto de um ou de outro madona falsa que deposita segredos tremendos a um grupo de charlatões que há quarenta anos provocam a coceira dos beócios anunciando "estamos perto agora ... estamos perto ...". Todos os também pela boca - infelizmente! - o diretor da Rádio Maria, deixados livres para falar por nossos bispos omissos que toleraram dolorosamente certas formas de mariolatria que às vezes são piores que uma blasfêmia contra a Santíssima Virgem proferida por um bêbado em uma taverna ...

.

Se você quiser, este meu, você pode chamar isso de "santa frustração sacerdotal". Administrando confissões a numerosos confrades sacerdotes dos quais sou confessor há anos, Muitas vezes me vi tendo que responder a esta pergunta dramática: «A quem dei a minha vida, se dia após dia sou obrigado a reconhecer que todas as iniciativas voltadas para a evangelização dos fiéis terminam em fracassos sensacionais?». Pergunta verdadeiramente dramática à qual eu respondi: "Você deu sua vida a Cristo Deus que suou sangue no Horto das Oliveiras (cf.. LC 22,39-44), a Cristo Deus, diante de quem a multidão escolheu Barrabás (cf.. MT 27, 15-26), a Cristo Deus abandonado pelos discípulos que fugiram (cf.. MC 14, 50-52), a Cristo, Deus negado três vezes por Pedro (cf.. LC 22, 54-62). Mas acima de tudo a Cristo Deus que morreu na cruz, diante do qual o bispo que nos consagrou sacerdotes dirigiu a solene advertência: “Esteja ciente do que você vai fazer, imitar o que você comemora, conformai a vossa vida ao mistério da cruz de Cristo Senhor"[4]».

.

estou plenamente ciente que passarei um verão inteiro escrevendo um novo livro que venderá poucos exemplares e que será lido por poucas pessoas, os mesmos que vamos encontrar reclamando mídia social contra a Igreja que não evangeliza e os sacerdotes que não cumprem o seu dever de mestres e pastores no cuidado das almas, ou faça perguntas sobre as páginas o Facebook em que, sem pena de ridículo, eles pedem que você explique o mistério da Encarnação do Verbo de Deus com uma piada de três linhas, e, em seguida, replicar após alguns segundos: "... mas eu discordo, perché secondo me … perché ho letto che …». Um livro que talvez seja útil principalmente para mim, poder dizer a Deus, o dia em que me encontro cara a cara com ele, que procurei cumprir de todas as maneiras a missão que Cristo me confiou, chamando-me para ser seu sacerdote, Apesar, como se sabe "... mas na internet li isso...".

.

O que mais adicionar em conclusão, caso pudéssemos modificar e escrever novamente a parte final de nossa profissão de fé: "Eu acredito em mídia social e na vida do mundo vindouro". E se alguma coisa,, em vez de o Credo Niceno-Constantinopolitano, poderíamos renomeá-lo Símbolo da fé do católico analfabeto, que ri do conhecimento e que deu vida à fé de «…, Eu penso isso …". E tudo isso, isso é muito claro: não é culpa dos sacerdotes.

a Ilha de Patmos, 6 junho 2022

.

Notas

[1] Ver. Refutação de profecias falsamente atribuídas a S.. Malaquias sobre as eleições dos Papas, editado por Cristiano Wagnero, Leipzig em 1691.

[2] Cardinale Jose Saraiva Martins, Prefeito da Congregação para as Causas dos Santos: «[...] as obras em questão não podem ser consideradas escritas ou ditadas por Emmerick e nem mesmo transcrições autênticas de seus depoimentos e narrativas, mas uma obra literária de Clemens Brentano e com tais extensões e manipulações que é impossível estabelecer qual é o verdadeiro núcleo que pode ser atribuído ao beato. Conclui-se que os escritos em questão não são o verdadeiro espelho do pensamento e das experiências místicas da freira agostiniana.. As declarações individuais, ambos aqueles que expressam uma religiosidade saudável, e aqueles que apresentam peculiaridades e sentimentos anti-semitas, surgiu da criatividade e imaginação artística de Brentano ". O Osservatore Romano, edição de 7 Outubro 2004.

[3] No novo léxico pastoral este termo caiu em desuso, que, por outro lado, tem um significado profundo a nível sacramental e eclesial, dado que "sujeito" significa "sujeito à autoridade apostólica do bispo", tais são seus presbíteros colaboradores e tais são os fiéis da Igreja particular que lhe foi confiada e na qual desempenha a função de pontífice na qualidade de membro do Colégio dos Apóstolos.

[4 Do sagrado rito da ordenação presbiteral.

.

.

______________________

Queridos leitores,
esta revista exige custos de gestão que sempre enfrentamos apenas com suas ofertas gratuitas. Aqueles que desejam apoiar nosso trabalho apostólico podem nos enviar sua contribuição pela maneira conveniente e segura PayPal clicando abaixo:

Ou se preferir, você pode usar o nosso
conta bancária em nome do:
Edições A ilha de Patmos

Agência n. 59 De Roma
IBAN:
IT74R0503403259000000301118
Para transferências bancárias internacionais:
Código SWIFT:
BAPPIT21D21

Se você fizer uma transferência bancária, envie um e-mail para a redação, o banco não fornece seu e-mail e não poderemos enviar uma mensagem de agradecimento:
isoladipatmos@gmail.com

Agradecemos o apoio que deseja oferecer ao nosso serviço apostólico.

Os Padres da Ilha de Patmos

.

.

.

A questão do "Una cum". Em comunhão com os que celebram a Santa Missa Bento XVI? Entre as muitas testemunhas disso está um cardeal e um presbítero: "A cum famulo seu Papa nosso Francisco"

A QUESTÃO "UM CUM». EM COMUNHÃO COM OS QUE CELEBRAM A SANTA MISSA BENTO XVI? HÁ TESTEMUNHA ENTRE OS MUITOS UM CARDEAL E UM SACERDOTE: «UM CUM FAMOSO SEU PAPA NOSSO FRANCISCO»

 

Simone Pifizzi presbitero della Arcidiocesi di Firenze, ci ha informati di avere concelebrato con Benedetto XVI e il Cardinale Ernst Simoni l’11 febbraio 2017. Durante a celebração sagrada, feito com o Missal Romano de São Paulo VI, chegou ao ponto do cânon onde o Sumo Pontífice é mencionado, Bento XVI pronunciou estas palavras claras e precisas: una cum fámulo seu Papa nosso Francisco ... ».

- Realidade -

.

 

.

artigo em formato de impressão PDF

.

.

cidade do Vaticano 11 fevereiro 2017, Monastero Mãe da Igreja: eul Santo Padre Benedetto XVI con il Cardinale Ernst Simoni e il Presbitero fiorentino Simone Pifizzi in sacrestia prima della Santa Messa.

L’11 febbraio 2013 o Sumo Pontífice Bento XVI, 265° Sucessor do Beato Apóstolo Pedro, com um ato formal formaliza seu próprio declaração de renúncia ao governo da Igreja. a taxa 331 O §2 do Código de Direito Canônico afirma:

.

«No caso de o Romano Pontífice renunciar ao seu cargo, é necessário para a validade que a renúncia seja feita livre e devidamente manifestada, em vez disso, não é necessário que alguém o aceite" [cf.. WHO].

.

Ao longo da história della Chiesa la rinuncia del Romano Pontefice è avvenuta molto raramente, pela precisão só 9 vezes in due millenni di storia. É um ato muito pessoal que diz respeito à consciência mais íntima e inquestionável do renunciante. Também por esta razão o cânon especifica: "Não se acredita que alguém aceite".

.

Seria uma alteração dos dados reais omettere di dire che Benedetto XVI ha scelto di fare la propria libera, insindacabile e valida rinuncia adottando modalità che hanno lasciato sconcertati i più insigni canonisti ― SE. Mons. Giuseppe Sciacca, o jesuíta Gianfranco Ghirlanda, o dominicano Bruno Esposito ―, nós sacerdotes e teólogos, para acompanhar os fiéis católicos. Desistindo, ele teria que voltar para sua status que antecede a eleição para o trono sagrado, adeus il Vescovo Joseph Luigi Ratzinger. Nem mesmo um cardeal, o cardinalato é um título honorário puro que o Romano Pontífice perde quando é eleito, enquanto o episcopado, que é um sacramento pelo qual a plenitude do sacerdócio apostólico é transmitida à pessoa consagrada, permanece indelével para a eternidade.

.

Bento XVI, ou quem para ele, criou confusão ao adotar um método que poderíamos definir tecnicamente como "extravagante", como os canonistas mais experientes o definiram educadamente, mas também um estudioso do calibre do Cardeal Walter Brandmüller, considerado o maior eclesiologista e historiador da Igreja da atualidade. De fato, quando surgiu o nome "papa emérito", estávamos todos deslumbrados. Então, che questa trovata di cui al momento non è dato sapere chi è stato il vero artefice, foi considerado infeliz, não há prova de que nove anos depois nunca passou pela cabeça de ninguém estabelecer a instituição do "papa emérito" no corpo de leis eclesiásticas e inseri-lo com um cânone especial no Código de Direito Canônico. Il tutto a riprova che questo monstro ele está destinado a morrer com Bento XVI e nunca mais ser exumado, specie considerando ciò che ha generato in confusione in molti fedeli fragili, per non parlare dei soggetti fuori equilibrio sprofondati nel più becero complottismo.

.

il Santo Padre Benedetto XVI con il Presbitero fiorentino Simone Pifizzi che gli esibisce un volume d’arte

Para melhor compreendida porteremo come esempio due casi limite che rientrano in quelle che alcuni amici psichiatri del Campus Biomedico di Roma ci hanno indicato e classificato come gravi psicosi dovute alla totale alterazione delle capacità cognitive di personaggi non aderenti al reale, aflito com esquizofrenia grave e narcisismo hipertrófico de um tipo violento e destrutivo.

.

O primeiro desses dois assuntos è un presbitero siciliano che sostiene da alcuni anni delle ridicole e assurde tesi fanta-teologiche e che per questo è doveroso non prendere sul serio: "Bento XVI foi forçado pela violência a fazer um ato de renúncia e seu sucessor é um antipapa herético e apóstata". a “prove inconfutabiliportate da questo soggetto evidentemente affetto dalla sindrome da disconnessione cerebrale sono le seguenti: «Il pontefice rinunciatario ha seguitato a vestire di bianco», «a firmarsi con la sigla pontificale», ma soprattutto perché «nel testo latino della sua declaração ci sono diversi errori di sintassi latina che renderebbe del tutto invalida la rinuncia». Quando eu decidi negar publicamente, ou para zombar dele, como é certo fazer com aqueles que afirmam absurdos aos quais não é possível dar nenhuma seriedade, eu usei minha página o Facebook, evitando publicidade nas colunas A Ilha de Patmos, revista visitada por milhões de leitores, considerando que nossa média é de aproximadamente 1.800.000 / 2.000.000 visitas por mês para um total de mais de vinte milhões de visitas por ano.

.

Não podendo argumentar sobre o mérito das questões levantadas com rigor teológico e jurídico científico como uma negação solene de sua tolice, este senhor reagiu como um pato grasnando, acusando-me de ter ciúmes de seu carisma extraordinário, dos quais, segundo ele, me faltaria, tanto da essere candidato — aggiungo io — a un cancro al fegato a causa dell’invidia che mi rode. E assim, convinto come tutti i narcisisti compulsivi che gli altri rimangano feriti a morte se le loro qualità sono poste in dubbio da coloro che di qualità intellettive, logiche e speculative sono privi, ele me apontou como um sujeito ignorante nas ciências teológicas que abusa do título de teólogo sem ser um. Appresso mi ha indicato come un tizio raccattato per strada da un vescovo, fiz um padre por engano e hoje um clérigo errante... e outras amenidades que me fizeram rir, meu Bispo - sem cuja aprovação nunca dei um passo - e todos aqueles que me conhecem tanto no campo eclesiástico como no civil.

.

Pergunta puramente retórica: quem atira mente em rajadas, può pensare di distruggere l’interlocutore o ferire il suo “orgoglio intellettuale”, dopo che questo soggetto è stato giudicato dalla Santa Chiesa a tal punto privo di equilibrio e credibilità da finire prima scomunicato poi dimesso dallo stato clericale? Ammettiamo pure che io sia il peggior presbitero d’Italia e che oltre a non essere un teologo sia un mezzo analfabeta nell’ambito della dottrina cattolica. Vamos levar tudo pra valer. Mas então é imperativo perguntar a si mesmo: a Igreja, que suspendeu um divino? Quem declarou excomungado por cisma e heresia? Afinal, com uma medida tão rara quanto grave, quem é que renunciou ao estado clerical? Eu, ou este doutor sublime que me acusa de ser um clérigo errante que abusa do título de teólogo? Porque estou em comunhão com o Bispo que me deu e nunca revogou o mandato de celebrar o Sacrifício Eucarístico da Santa Missa, pregar e administrar confissões, ossia a esercitare i tria munera sacerdotali: a tarefa de santificar (la potestà di santificare), a tarefa de ensinar (la potestà di insegnare), escritório de governo o gubernardi (la potestà di reggere / governare il Popolo di Dio). De fato, a potestatis sacerdotalis, non si acquisiscono con le inutili carte accademiche conseguite e oggi tirate dietro a chiunque nelle decadenti e scadute università ecclesiastiche, ma con la consacrazione sacerdotale. E nella Chiesa Cattolica non esiste titolo superiore a quello derivante dalla consacrazione sacerdotale, meno che mai il titolo di dottore in sacra teologia, attraverso il quale non sono mai stati conferiti i doni di grazia dello Spirito Santo e i tria munera.

.

Chiariti questi fondamenti della dogmatica sacramentaria, i fanatici al seguito di questo disconnesso cerebrale dovrebbero chiedersi: ma a questo Signore, chi ha conferito analogo mandato a esercitare i tria munera sacerdotali, reconhecendo-o ao mesmo tempo como um eminente teólogo por altos méritos de heresia e cisma? Costui, com aqueles que estão em comunhão, que lhe deu o mandato para exercer o sagrado ministério? Porque eu - apontado como um clérigo errante -, Estou em comunhão e em obediência ao meu Bispo. Seu, con chi è in comunione d’obbedienza? Una cosa è fuori dubbio: a este Senhor, a Igreja, il mandato lo ha totalmente revocato dopo averlo sospeso a divino No 2017, avergli notificato la scomunica automático per eresia e scisma nel 2018, sino a colpirlo nel 2022 col provvedimento più estremo: demissão do estado clerical. Então, o que é óbvio: uno scomunicato per eresia e scisma al quale la Chiesa ha revocato la facoltà di esercitare il sacro ministero sacerdotale e che infine ha dimesso ed espulso dal Clero Cattolico, il quale pur malgrado, dall’alto della propria dimissione dallo stato clericale, dispensa ai preti in comunione e in obbedienza alla Chiesa patenti di teologi o non teologi, é equivalente ao teatro mais hilário e hilário do burlesco. Ou para colocar com um exemplo realista: equivale ao dono de um bordel em Amsterdã que começa a rever as castas virtudes das Clarissas da estrita observância do Mosteiro de Santa Chiara em Assis.

.

o Santo Padre Bento XVI durante a celebração da Santa Missa na capela do Mosteiro Mater Ecclesiae

Este padre renunciou ao estado clerical há anos se dirige ao Sumo Pontífice Francisco e a nós sacerdotes, culpado, segundo ele, de estar "em comunhão com o falso papa usurpador e acólito apóstata do anticristo", com violência e ódio tão ferozes que empalideceram o mais antipapista Lutero. La papera isterica è giunta a partorire delle tali assurdità dinanzi alle quali noi preti e noi teologi rideremmo per giorni, se não tivesse reunido à sua volta um pequeno séquito de infelizes - no sentido etimológico do termo: fuori dalla grazia di Dio ― che a loro volta sono divenuti odiatori seriali operosi nel diffondere odio verso il Sommo Pontefice e «la falsa chiesa antricristica», enlouquecendo mídia social dove ripetono come pappagalli ammaestrati le identiche scempiaggini del loro povero squinternato disconnesso.

.

Em apoio à "renúncia inválida de Bento XVI" o pato histérico traz motivos dignos de um filme cômico das várias séries grotescas dos anos setenta. Dado, portanto, que a renúncia de Bento XVI seria, segundo ele, inválida, consequentemente o Sucessor seria um antipapa, con l’aggravante di essere un «eretico apostata» che «da perfetto accolito della eresia ariana non crede nella divinità di Cristo», nonché reo di avere «demolito i dogmi mariani» e «sostituito al culto della Vergine Maria quello della Pachamama», che peraltro non è né un idolo né una divinità pagana, só para esclarecer. Disso se seguiria que todos nós sacerdotes que "celebramos missas em comunhão com o falso papa herético e apóstata", dizer deste sublime teólogo celebramos "Missas Inválidas" e administramos aos fiéis "Sacramentos Inválidos". Prepare-se esse vídeo potete udire con le vostre orecchie i deliri di odio di questo soggetto, avaliando o que, mas sobretudo de quem estamos a falar.

.

Em seu tempo sono intervenuti diversi teologi che hanno prodotto e diffuso dei video di smentita per il bene della salute delle anime. Ele fez isso com um de seus vídeos o excelente teólogo dominicano Francesco Maria Marino, eu fiz isso com meu vídeo e outros teólogos fizeram isso com vários escritos e artigos. Ele fez isso com um de seus vídeos divulgativo Dorotea Lancellotti, uma mulher de profunda fé católica e uma catequista talentosa por quatro décadas. Como sempre, lungi dall’entrare nel merito delle questioni teologiche e giuridiche con le quali lo abbiamo clamorosamente sbugiardato, o pato histérico sempre reagiu com ataques diretos às pessoas, proferindo mentiras colossais, dando notícias falsas sobre suas vidas, sobre seu sacerdócio e zombando de sua formação teológica. Se, portanto, o abaixo assinado me acusou de ser um "clérigo errante" que "abusa do título de teólogo", ao dominicano Francesco Maria Marino, que, como um erudito teólogo tomista, negou, explicando quão seriamente ele abusou o absurdo da teologia de Aquino, mostrando não compreendê-lo e manipular seus textos, em vez de responder no mérito, ele respondeu provocando que quando falava "abria e revirava muito os olhos".

.

Seguindo o pato histérico depois juntou-se a nós um jornalista a quem já dedicamos uma negação solene, que tentar "ficar na história" veio para dar vida à saga pontifex-fantasia. Aqui está então Bento XVI, além de ter "renunciado inválidamente sob a coação de potências fortes e da Maçonaria internacional", ele até começaria a falar em código. Obviamente, o descobridor e tradutor do chamado "Código de Bento", ele é o cientista em questão.

.

Questi sono i livelli a que tais personagens chegam sem a dor do ridículo humano: se o idoso Bento XVI piscar as pálpebras três vezes, não é um movimento natural do rosto como muitos podem acreditar, mas de um código Morse com o qual ele está falando enquanto se encontra prisioneiro daqueles que hoje governam "a falsa igreja do antipapa herético e apóstata". Em associação com o pato histérico, este jornalista que descobriu e intérprete do enigmático "Código de Bento" também alega a "invalidade das Santas Missas e dos Sacramentos celebrados por nós em comunhão com o falso papa". Resumidamente: um par de cientistas capazes de recordar Jorge & Mildred, famosa série de televisão dos anos oitenta.

.

os concelebrantes na Santa Missa com o Santo Padre Bento XVI, à direita Cardeal Ernst Simone, à esquerda o presbítero florentino Simone Pifizzi

Por motivos de ministério e attività editoriale, i confratelli redattori e io siamo in contatto con molti presbiteri, bispos, membri della Curia Romana. Nosso irmão Simone Pifizzi presbítero da Arquidiocese de Florença, que conheceu o cardeal Joseph Ratzinger como seminarista e pôde passar vários dias com ele quando, como prefeito da Congregação para a Doutrina da Fé, foi convidado em seu seminário, informou-nos que havia concelebrado com Bento XVI e o Cardeal Ernest Simoni em 11 de fevereiro 2017. Durante a celebração sagrada, feito com o Missal Romano de São Paulo VI, chegou ao ponto do cânon onde o Sumo Pontífice é mencionado, Bento XVI pronunciou estas palavras claras e precisas:

.

«[...] em primeiro lugar, o que oferecemos para sua santa Igreja Católica: como fazer as pazes, manter, para unir e governar o mundo inteiro: una cum fámulo seu Papa nosso Francisco ... »

.

Com toda a ironia mais astuto típico dos florentinos, o confrade assegurou-nos que naquele momento da Santa Missa não havia dois capangas colocados do lado direito e esquerdo com seus respectivos revólveres apontados para os templos de Bento XVI, nem foi um drone voando para a capela acima do altar, pronto para desencadear o comando mortífero das potências fortes que, após o ato de renúncia, inseriram um microchip subcutâneo ao Venerável Pontífice para lhe causar uma parada cardíaca por ordem, logo que se tornasse excessivamente desconfortável. Durante a Santa Missa, Bento XVI estava calmo, gratuitamente, serena e tomada pela sacralidade da celebração eucarística.

.

o Santo Padre Bento XVI no final da Santa Missa, alla sua sinistra il Cardinale Ernst Simoni, à direita o presbítero florentino Simone Pifizzi que se despede com um beijo na mão

Talvez tudo pudesse ter sido evitado vestindo uma batina preta, mantendo o caráter episcopal indelével e voltando a ser o Bispo Joseph Aloisius Ratzinger. Porque para o nascimento de certos monstros, do padre herético e cismático que se demitiu do estado clerical ao jornalista que produz contos há dois anos pontifex-fantasia, devemos também agradecer a Bento XVI, sem prejudicar sua teologia, ao seu ensino e santidade de vida. Por outro lado, é ele mesmo quem esclarece:

.

«[...] Doze Apóstolos não eram homens perfeitos, escolhido por sua conduta moral e religiosa de negócio adequado. Eram crentes, sim, cheio de entusiasmo e zelo, Mas ao mesmo tempo marcado por seus limites humanos, às vezes até grave. assim, Jesus chamou-os, porque já eram santos, Complete, perfeito, Mas tornar-se, que eles podem ser transformados para assim transformar a história. Tudo quanto a nós" [Brindisi, 15 junho 2008, texto completo].

.

E se pensarmos nisso, os Apóstolos cometeram muitos e ainda mais graves erros, começando por Pedro que combinou bastante e de onde toma vida a sucessão dos Romanos Pontífices, o último dos quais, por linha legítima de sucessão, é o pontífice reinante Francisco.

.

Da ilha de Patmos, 24 Posso 2022

.

.

I Padri redattori de A Ilha de Patmos ringraziano il Signor Cardinale Ernst Simoni e il caro e stimato confratello Simone Pifizzi presbitero dell’Arcidiocesi di Firenze per questa loro testimonianza, consapevoli che dal 2013 a seguire sono numerosi i cardinali, vescovi e presbiteri che possono attestare altrettanto dopo avere partecipato o concelebrato con il Santo Padre Benedetto XVI nella cappella della sua residenza privata in Vaticano. Tra le numerose di queste testimonianze, ci siamo limitati a prenderne una come esempio tra le tante simili.

.

.

.

______________________

Queridos leitores,
esta revista exige custos de gestão que sempre enfrentamos apenas com suas ofertas gratuitas. Aqueles que desejam apoiar nosso trabalho apostólico podem nos enviar sua contribuição pela maneira conveniente e segura PayPal clicando abaixo:

Ou se preferir, você pode usar o nosso
conta bancária em nome do:
Edições A ilha de Patmos

Agência n. 59 De Roma
IBAN:
IT74R0503403259000000301118
Para transferências bancárias internacionais:
Código SWIFT:
BAPPIT21D21

Se você fizer uma transferência bancária, envie um e-mail para a redação, o banco não fornece seu e-mail e não poderemos enviar uma mensagem de agradecimento:
isoladipatmos@gmail.com

Agradecemos o apoio que deseja oferecer ao nosso serviço apostólico.

Os Padres da Ilha de Patmos

.

.

.

E agora vou explicar porque o narcisismo onanista dos jornalistas está causando mais vítimas do que a guerra na Ucrânia a ponto de gerar maior destruição

E AGORA VOU EXPLICAR PORQUE O NARCISMO ONANISTA DOS JORNALISTAS FAZ MAIS VÍTIMAS DA GUERRA NA UCRÂNIA PARA GERAR MAIS DESTRUÇÕES

A Itália é um país de patógenos narcisistas com um complexo de pessoas astutas em busca de sorte fácil, alérgico ao trabalho duro e sacrifício, que continuam acreditando que o que importa é encontrar o amigo do amigo certo para ter o caminho alisado. Um país, nosso, onde o número de quem escreve é ​​maior do que o de quem compra livros e lê. E non parliamo di quelli che non hanno tempo di leggere perché impegnati in alte attività “cultural” e che cercano di capire qualche cosa con domande che rivelano tutta la demenza che li avvelena.

- Realidade -

.

 

.

artigo em formato de impressão PDF

 

.

.

Para acessar a livraria clique na capa

Alguns dias atrás as edições A Ilha de Patmos eles publicaram um novo livro meu, obviamente está muito bem escrito. O texto é uma análise precisa e lúcida do conflito russo-ucraniano, com pontos críticos e irônicos de informação convencional que obscurece a opinião pública, com raras exceções. É inútil demorar-se em retratar o quão bom eu sou, porque no meu trabalho eu sou um campeão. E, detto ciò, non vado oltre, falar sobre coisas anteriores me aborrece.

.

Para o registro eu adiciono que eu também sou humilde, porque como reconheço minhas virtudes e habilidades - que eu não poderia usar se as ignorasse, como ensinado no Santo Evangelho o Parábola dos Talentos [cf.. MT 25, 14-30] ―, da mesma forma também reconheço minhas limitações e deficiências, que sou o primeiro a destacar, então tirando sarro de mim publicamente. Esta é a diferença entre uma Ferrari e um carrinho, entre um padre verdadeiramente humilde e um clérigo que choraminga com o pescoço torcido «não, Eu não sou digno... não estou à altura!». Mas se tornar uma hiena quando você retrucar: "É verdade! E além de não ser digno ou à altura, com a ocasião, lembro que você não indicou sua pior indignidade e limitações que causam muitos danos aos outros também, dado o delicado papel em que os vilões que dirigem o teatro de marionetes te fizeram subir. Espere, agora vou listar todas as razões para você não ser digno, de você não estar à altura...". E assim você terá se tornado um novo inimigo daqueles implacáveis ​​pelos quais tenho em mente espirituoso, brilhante na dialética, jovem e desportivo no corpo, porque quanto mais ataques eles me dão mais eles me revitalizam e me fazem reflexivo, afiada e combativa. no entanto, nós águias douradas somos assim, mesmo que as galinhas que cavam no galinheiro não dêem paz, sem nunca se perdoar por ser o que eles não são e o que eles nunca podem ser.

.

Vender livros na Itália é difícil, o nosso é um povo onde se aglomeram falsos especialistas e intelectuais que rigorosamente presumem sobretudo saber, então para escrever. Cheio confinamento para o Covid-19, mesmo aqueles que mal conseguiam escrever a lista de compras tornaram-se ensaístas, mas sobretudo romancistas. Mas se pegarmos nessas pessoas - como já fiz várias vezes - e as fizermos falar através da técnica com que idiotas que nem percebem que estão sendo submetidos a um interrogatório disfarçado de diálogo, à questão de quanto estudam e quais foram as últimas obras literárias que leram, mais ou menos a resposta será essa: «Estudar… ler? Mas eu não tenho tempo, estou muito ocupado escrevendo!». Se então formos ler suas pilhas de lixo, além da falta de habilidades de escrita, um total desconhecimento das maiores obras e dos principais estilos literários emergirá imediatamente. As fontes de onde extraem são sites e blogs encontrados na rede telemática, onde abundam tantos "cientistas" que pensam que podem lidar com a história, filosofia, Teologia, geopolítica, ciências exatas e assim por diante, usando como fonte todas as besteiras publicadas na Wikipedia por um exército de pesquisadores anônimos fracassados ​​e velhos professores aposentados irritados com todo o universo cósmico.

.

A Itália é um país de patógenos narcisistas com um complexo de astúcia procurando por sorte fácil, alérgico ao trabalho duro e sacrifício, que continuam acreditando que o que importa é encontrar o amigo do amigo certo para ter o caminho alisado. Um país, nosso, onde o número de quem escreve é ​​maior do que o de quem compra livros e lê. E non parliamo di quelli che non hanno tempo di leggere perché impegnati in alte attività “cultural”, ou que tentam entender algo com perguntas que revelam toda a demência que os envenena. Para um homem assim, do que em um social ele me perguntou sobre o sionismo político, Respondeu: "Nesse assunto eu escrevi um livro No 2006, explicando o complexo fenômeno histórico ". O demente reafirma, então acabou por ser um professor titular em uma escola: "Sim, mas ele não poderia me responder em poucas palavras, porque não tenho tempo para ler". O que eu acho verdadeiramente único é que apenas um esses sujeitos enviam alguns e-mails de protesto à Autoridade Eclesiástica para me acusar de ser um vulgar agressivo, uma vergonha do sacerdócio católico culpado de mandá-los para se foder. Francamente, se um autor que dedicou cinco anos de intenso trabalho e pesquisa ao tratamento de uma questão muito delicada e complexa, Foda-se alguém que espera que tudo seja explicado a ele em poucas palavras depois de declarar abertamente que não tem tempo para ler, a sfanculata andrebbe giudicata come il minimo sindacale, non un attentato di lesa maestà tale da reclamare la mia testa all’Autorità Ecclesiastica, non vi pare?

.

Forse i miei erano altri tempi, mas eu certamente nunca teria ido a uma recepção com um acadêmico para pedir que ele resumisse seu livro em duas palavras e assim me apresentasse ao exame sem ter que lê-lo, estar ocupado com outros assuntos. Os velhos professores com quem tive que lidar nunca me deixariam passar no exame, exceto depois de aprender seu livro de mil páginas de cor, notas de rodapé incluídas.

.

Um livro para vender e divulgar, como anuncia? Os românticos pensam: resenhas jornalísticas, se alguma coisa, depois de um recurso, de prática e rigor, ao amigo do amigo. vou ser franco: quanto a mim, posso enviar gratuitamente um pacote de papel higiênico tamanho família aos jornalistas para ajudá-los a reduzir os altos custos de consumo devido aos problemas de diarréia, mas um livro meu em homenagem nem pra morrer, porque os meus são trabalhos de alta qualidade. Em toda a Itália, os jornalistas a quem dou meus livros de presente são apenas cinco amigos a quem repito cada vez: "Não se sinta obrigado a fazer uma revisão".

.

Alguém pode pensar que isso é uma esquisitice minha, basicamente eu conheço muitas celebridades do jornalismo italiano, incluindo diretores de vários jornais nacionais. Aqui, vamos começar com o último: por que o editor de um jornal que escreve com os pés, a ponto de não precisar ser verificado pelo revisor, mas por um correto edição de seus escritos, deveria favorecer o lançamento do livro por um autor muito mais talentoso e culto, que escreve muito bem e analisa os fatos com uma imparcialidade desconhecida para ele, mantido como ele deve ser responsável perante os mestres, accionistas e vários proprietários, a menos que se declarem verdadeiros e independentes de um programa de televisão para outro, com cara de burro mais ou menos comparável ao de uma prostituta que se proclama virgem? Sarebbe come se alla figlia di Fantozzi afflitta da comprensibili complessi e divenuta poi madre di una creatura più simile a una scimmia che a una bambina, foi convidada a anunciar a beleza de Monica Bellucci e a escrever que sua filha Deva, pelo encanto da natureza, ela é ainda mais bonita que a própria mãe.

.

Eu quero revelar algo desconhecido para muitos: o jornalista é o primeiro a não ler e não se documentar. Exceto por algumas e raras canetas de ouro italianas agora reduzidas a um mundo de nicho feliz, nossos jornalistas estão em condições de ignorância embaraçosa, principalmente pelo fato de que a massa do público quer pão e circo, sangue e confete. Ou talvez você não tenha notado que nas edições on-line dos jornais agora destacam algumas frases em negrito nos artigos, tanto que eles estão cientes de que o site analfabeto médio ou digital, que compõem uma porcentagem assustadoramente alta do público, ele nunca lê um artigo de cima para baixo? Para isso, eles destacam três ou quatro frases, de modo a webeti e analfabetos digitais têm a ilusão de ter formado uma opinião, para então enlouquecer por um social para o outro, mais arrogante e agressivo do que nunca, para dar ampla prova de quando eles não entenderam um maldito emérito. O jornalista que adquiriu certa notoriedade é um narcisista-onanista que nem lê os artigos de seus outros colegas publicados na mesma página em que seu artigo é publicado. Ele está muito ocupado gostando de si mesmo para poder aceitar a existência de homens muito melhores e, acima de tudo, muito mais capazes do que ele.

.

Certi direttori di giornale aquele todas as noites você vê vagando ao redor do programa de entrevista, eles não têm ideia do que seu jornal publica, além de ler atentamente o esboço de cima para baixo antes que o jornal finalizado e aprovado seja impresso, Imagine! No entanto, eles são chamados não por acaso “diretores responsáveis”, proprio perché responsabili dinanzi alla Legge e al Consiglio dell’Ordine dei Giornalisti di quello che i vari autori pubblicano sul loro giornale. I bozzini li leggevano con estrema cura Indro Montanelli ed Enzo Biagi, chiamando spesso il giornalista autore del pezzo per chiedergli spiegazioni, oppure correzioni e modifiche, dar-lhe uma sugestão ou incentivá-lo a continuar trabalhando bem dessa forma. E vários desses antigos editores criaram bons jornalistas, alguns permaneceram assim, melhorando ao longo do tempo, altri si sono rovinati divenendo narcisisti vanesi appena saliti alle luci della ribalta.

.

não tenho interesse em vender 100 o 10.000 cópia mas para fazer bem o meu trabalho e ser contado no círculo dos melhores, dos leais e consistentes, em que há anos tenho meu merecido espaço conquistado a um alto preço em 58 ano de vida. O meu é um trabalho enraizado no presente mas projectado numa perspectiva de futuro, vários dos meus livros publicados há dez ou vinte anos são prova disso, onde com análises precisas, decidida e muitas vezes impiedosa eu antecipei o futuro. E então as coisas correram como eu as descrevi em meus trabalhos com anos de antecedência. E nunca tive orgulho de exultar "eu disse que sim... eu escrevi...", se alguma coisa, expressei minha dor mais sincera e sofri muito por não estar errado, porque anos depois eu gostaria de poder me refutar e explicar que minha análise estava completamente errada. Este é o ponto a partir do qual poderíamos iniciar uma discussão muito séria sobre a grande virtude cristã da humildade, que nada tem a ver com o veneno dos collotors clericais.

.

É por isso que não envio meus livros de presente para ninguém, se não alguns amigos íntimos, deixando as pessoas livres para extrair de uma fonte segura e honesta, ou continuar a enrolar entre pão e circo, sangue e confete, pensando que entendi tudo com a arrogância inconsciente típica de quem continua lendo o título e talvez o subtítulo, juntamente com duas ou três frases destacadas para a massa de webeti e analfabetos digitais, que graças a Deus nunca poderão constituir a audiência dos meus Leitores.

.

Infelizmente Giovanni Boccaccio e Pietro l'Aretino eles não poderiam me conhecer porque os séculos nos separaram. Certamente, de seu merecido Paraíso eles me apreciam e me animam, não para algumas bolas que escreveram cerca de oito séculos atrás, encerrando suas ridículas imagens na figura extraordinária de Frei Cipolla que tentou foder os pobres beócios exibindo suas relíquias tão surpreendentes quanto improváveis. Hoje Frate Cipolla dirige um dos principais jornais italianos, então à noite ele participa programa de entrevista, onde com seriedade inigualável defende a indiscutível autenticidade da relíquia da pena lançada ao Arcanjo Gabriel durante a Anunciação feita à Bem-Aventurada Virgem Maria, e no qual todos aqueles que lêem apenas o título e subtítulo confiam, as duas frases mais cuidadosas destacadas em negrito no artigo, para que acabem fodidos muito mais do que os camponeses que povoaram o campo italiano do século XIV. Pode ser, o homem de hoje, tinha o senso de auto-ironia e sobretudo o senso crítico e especulativo que o homem da Idade Média tinha, vamos esperar!

a Ilha de Patmos, 7 Posso 2022

 

______________________

Queridos leitores,
esta revista exige custos de gestão que sempre enfrentamos apenas com suas ofertas gratuitas. Aqueles que desejam apoiar nosso trabalho apostólico podem nos enviar sua contribuição pela maneira conveniente e segura PayPal clicando abaixo:

Ou se preferir, você pode usar o nosso
conta bancária em nome do:
Edições A ilha de Patmos

Agência n. 59 De Roma
IBAN:
IT74R0503403259000000301118
Para transferências bancárias internacionais:
Código SWIFT:
BAPPIT21D21

Se você fizer uma transferência bancária, envie um e-mail para a redação, o banco não fornece seu e-mail e não poderemos enviar uma mensagem de agradecimento:
isoladipatmos@gmail.com

Agradecemos o apoio que deseja oferecer ao nosso serviço apostólico.

Os Padres da Ilha de Patmos

.

.

.

«Guerra e propaganda ideológica» é o novo livro explosivo dedicado pelo Padre Ariel S. Levi di Gualdo para o conflito russo-ucraniano

- edições Book Shop da ilha de Patmos -

«GUERRA E PROPAGANDA IDEOLOGICA» È IL NUOVO LIBRO ESPLOSIVO DEDICATO DAL PADRE ARIEL S. LEVI di GUALDO AO CONFLITO RUSSO-UCRÂNIO

.

É aceitável que nas nossas redes de televisão tenha sido concedido de noite para noite, a esponenti del Popolo ucraino, di esortare gli italiani a compiere sacrifici per la loro improbabile vittoria contro il russo invasore? Ci rendiamo conto che ciò equivale a chiedere a un padre di famiglia, peraltro pure in modo imperioso e arrogante, di sacrificare i suoi figli per il bene dei figli degli altri? E Tutte queste persone hanno potuto esprimere simili assurdità con i conduttori televisivi che li lasciavano sproloquiare rimanendo in religioso silenzio e senza alcuna possibilità di un realistico e doveroso contraddittorio.

.

Jorge Facio Lince
Presidente da Editions A ilha de Patmos

.

«GUERRA E PROPAGANDA IDEOLOGICA» Introduzione all’opera

.

In questo nuovo libro Padre Ariel S. Levi di Gualdo ha attinto alla sua passata formazione giuridica e geopolitica, unita alla sua successiva di teologo e di profondo conoscitore delle materie storiche. Un libro che potremmo definirepoliticamente scorrettoin quanto vero. Por que hoje, parlare semplicemente di ciò che è vero e reale, non costituisce la norma ma rappresenta uno dei peggiori attentati alla correttezza politica della narrativa convencional.

.

Per accedere al negozio cliccare sopra l’immagine di copertina

.

Durante il conflitto russo-ucraino i telegiornali hanno trasmesso notizie parziali e di parte al punto da richiamare alla memoria dei meno giovani l’informazione di regime della Bulgaria degli anni Cinquanta del Novecento. I più seguiti programa de entrevista delle reti televisive Rai, Conjunto de mídia, La7 e Sky passaram a assumir tons de propaganda tão únicos que despertam a inveja de quem era a notícia de TeleCabul. Tudo isso sempre reafirmando: "No nosso país há total liberdade de opinião e informação". In verità questo conflitto è una guerra di civiltà tra un regime post-comunista molto identitario che si è messo sulle difensive e delle decadenti liberal-democrazie ormai collassate e fallite».

.

Nelle sue pagine l’Autore lascia percepire da subito che l’importante non è essere a favore o contro qualcuno, specie in un ambito insolitamente delicato come può esserlo un conflitto bellico, ma di ragionare. Solamente attraverso un ragionamento lucido e un serio approfondimento, si può giungere a partorire un’opinione pro o contro, oppure astenersi dal giudizio, quando non si hanno ancora tutti i necessari elementi per formularne uno.

.

Questo libro è una sfida alla ragione e al tempo stesso una solenne sbugiardata della nostra informazione sempre più drogata dall’ideologia, come l’Autore chiarisce sin dall’inizio nella presentazione all’opera che potete leggere WHO.

.

As Edições A ilha de Patmos ringraziano la Casa di Produzione Eriador Film per averci gentilmente concesso l’immagine di copertina tratta da Il segreto di Italia, un film di Antonello Belluco di cui vi raccomandiamo la visione.

.

Da ilha de Patmos, 3 Posso 2022

.

.

.

LOJA BIBLIOTECA, WHO

.

ou você também pode solicitá-lo diretamente nas Edições L'Isola di Patmos: isoladipatmos@gmail.com

e recebê-lo em 5 passar dias sem que nenhum lugar

.

.

 

 

.

 

.

.

«Você saberá a verdade, ea verdade vos libertará» [GV 8,32],
mas trazer, difundir e defender a verdade não só de
riscos, mas também os custos. Ajude-nos a apoiar esta ilha
com as suas ofertas através do sistema Paypal seguro:









ou você pode usar a conta bancária:

a pagar a Editions A ilha de Patmos

IBAN TI 74R0503403259000000301118
nesse caso, envie-nos um aviso de e-mail, porque o banco
Ele não fornece o seu e-mail e nós não poderíamos enviar-lhe um
ação de graças [ isoladipatmos@gmail.com ]




O conflito russo-ucraniano. Um povo pode ser iludido por um influenciador e pedir à Europa que participe de um suicídio?

O CONFLITO RUSSO-UCRÂNIO. PODE UM POVO SER ILUSADO POR UM INFLUÊNCIA E PEDI A EUROPA PARA PARTICIPAR DE UM SUICÍDIO?

Para nós católicos, o modelo de heroísmo não são os ucranianos que pedem armas convencidos de que podem derrotar a Rússia e que também querem envolver a União Europeia em seu suicídio em massa enquanto os Estados Unidos da América estão soprando o fogo. E, eu digo suicídio, se tudo correr bem, porque se as coisas acabarem saindo do controle corremos o sério risco de uma Terceira Guerra Mundial.

- Realidade -

.

.

Artigo incluído na coleção deste ensaio que pode encomendar clicando na capa

.

.

.

______________________

Queridos leitores,
esta revista exige custos de gestão que sempre enfrentamos apenas com suas ofertas gratuitas. Aqueles que desejam apoiar nosso trabalho apostólico podem nos enviar sua contribuição pela maneira conveniente e segura PayPal clicando abaixo:

Ou se preferir, você pode usar o nosso
conta bancária em nome do:
Edições A ilha de Patmos

Agência n. 59 De Roma
IBAN:
IT74R0503403259000000301118
Para transferências bancárias internacionais:
Código SWIFT:
BAPPIT21D21

Se você fizer uma transferência bancária, envie um e-mail para a redação, o banco não fornece seu e-mail e não poderemos enviar uma mensagem de agradecimento:
isoladipatmos@gmail.com

Agradecemos o apoio que deseja oferecer ao nosso serviço apostólico.

Os Padres da Ilha de Patmos

.

.

.

A guerra em curso e o tormento do Calvário. Jesus crucificado no drama contemporâneo com Maria e João Apóstolo

A GUERRA EM ANDAMENTO E A FORÇA DO CALVÁRIO. GESÙ CROCIFISSO NEL DRAMMA CONTEMPORANEO CON MARIA E GIOVANNI APOSTOLO

Mentre sui social, na televisão, nei salotti e anche nei caffè si sono susseguiti dibattiti più o meno bislacchi e cervellotici fra persone che esprimevano la loro opinione su quanto accaduto, si formavano così due fazioni: i filo-russi e i filo-ucraini. Premesso che il diritto di esprimere la propria opinione rimane assolutamente libero e legittimo, ecco che le due diverse partigianerie continuano a contrastarsi a colpi di click, publicar, urla e soprattutto insulti di vario genere. Al contrario ho deciso di appellarmi al diritto al silenzio.

Realidade

.

Autor:
Gabriele Giordano M. Scardocci, o.p.

.

artigo em formato de impressão PDF

 

.

.

La Pietà, opera di Van Gogh

O 24 fevereiro è iniziata l’invasione dell’Ucraina da parte della Russia. Questo tutti lo sappiamo dai telegiornali che hanno iniziato a bombardarci di immagini, suoni, testimonianze del nuovo conflitto esploso mentre il Covid19 si stava indebolendo e quindi mutando da stato di emergenza pandemica in uno stato di vita quasi ordinaria.

.

Tramite la casa generalizia dell’Ordine dei Frati Predicatori abbiamo contatti coi nostri confratelli domenicani residenti a Kiev, per degli aiuti umanitari e spirituali. De vez em quando, se le circostanze lo permettono, ci scambiamo messaggi su WhatsApp e outro mídia social. Non troppo spesso, inoltre …

.

… chi mi conosce, si sarà accorto che in questo periodo non ho mai parlato in pubblico, né su questa nostra rivista, né sui social, né sul mio blog. Ho parlato pochissimo anche in privato di quanto sta accadendo a livello internazionale. E ciò non solo per le belle e lunghe fatiche apostoliche che mi hanno impegnato a lungo nel periodo di fine febbraio – inizi di aprile; non soltanto perché ho finalmente concluso la difesa della tesi di dottorato in sacra teologia, che mi ha portato ad avere una grande pace e serenità interiore, come una conferma definitiva della missione di frate presbitero e teologo a cui credo il Signore mi indirizza. Tutti questi sono stati certamente motivi coessenziali a quanto adesso cercherò di spiegare.

.

Mentre sui social, na televisão, nei salotti e anche nei caffè si sono susseguiti dibattiti più o meno bislacchi e cervellotici fra persone che esprimevano la loro opinione su quanto accaduto, si formavano così due fazioni: i filo-russi e i filo-ucraini. Premesso che il diritto di esprimere la propria opinione rimane assolutamente libero e legittimo, ecco che le due diverse partigianerie continuano a contrastarsi a colpi di click, publicar, urla e soprattutto insulti di vario genere. Al contrario ho deciso di appellarmi al diritto al silenzio, riconosciuto in sede legale in più luoghi, secondo diverse sfumature giuridiche e giurisprudenziali, si pensi appunto alla nota frase ― che rappresenta un fatto e un diritto giuridico ― «mi avvalgo della facoltà di non rispondere». Dunque ho deciso di rimanere in silenzio, perché sarebbe un tentativo goffo di porre una analisi socio-politica del conflitto russo ucraino. Credo che tale atto sia basato sulla virtù di prudenza; la prudenza è dunque quella virtù ― un pointellettuale e un popratica allo stesso tempo ― che è virtudes do condutor, guida di tutte le altre, perché è colei che predispone alla retta ragione delle azioni da farsi, secondo la lezione di San Tommaso D’Aquino. La prudenza è per ciò la capacità che l’uomo ha, com a ajuda da graça, di scegliere razionalmente quale azione attuare e omettere in una determinata circostanza. In questa delicatissima circostanza credo per me sia prudente non esprimere giudizi: infatti non essendo esperto in diritto internazionale o storia dell’Europa orientale non ho competenze né basi per poter dare un giudizio fondato. A questo si aggiunga che al momento, persino i più qualificati esperti, non hanno i necessari elementi per poter esprimere giudizi, perché uno solo al presente è il dato di fatto, che è tale per questa come per tutte le guerre: degli innocenti, soprattutto civili, stanno morendo. Por si próprio, non prendere una posizione, si dice che sia già prenderne una. Neste caso, la presa di posizione che mi riguarda, e per il quale sto molto pregando e meditando, va nei confronti di tutte quelle persone, ucraine, russe o residenti in quei territori, che stanno soffrendo a causa della guerra. Perché la guerra è sempre un dramma che sortisce effetti atroci e terribili. Alle persone che soffrono la morte e la sofferenza a causa della guerra vanno queste riflessioni e ad esse sono dedicate. Tutti coloro che soffrono sono infatti intimamente uniti al Cristo sofferente, anche a Maria, nostra Santissima Madre Celeste che soffre nel vedere e vivere tutto questo. Sono uniti nella morte, Sofrimento, dolore, solitudine e distacco dai propri cari. Ma vediamo perché. Gesù sulla croce a un tratto disse una frase importante, che tutti abbiamo scolpita nel cuore: “Padre perdona loro, perché non sanno quello che fanno” [LC 23, 34]. Si tratta di una delle ultime frasi di Gesù. Riflettiamo sulla prima delle parole che ha pronunciato sulla croce in quella frase terribilmente forte e vera. Secondo il teologo statunitense Stanley Hauerwas, in quel momento si focalizza innanzitutto l’intenso rapporto di amore tra Padre e Figlio. Questo è il fondamento del perdono effuso sull’uomo. Da questa relazione unica e irripetibile scaturisce il perdono su ciascuno di noi. Dunque Dio che in sé stesso, nella Trinità Immanente decide di offrire il dono del Figlio e il perdono e il perdono a beneficio dell’umanità. Viene così incontro all’uomo e in gergo tecnico si dice che diviene Trinità Economica: fa entrare l’uomo nella Economia della Salvezza.

.

E qui vorrei soffermarmi con un inciso per chiarire: l’uso della teologia trinitaria che traggo dalle nozioni del teologo gesuita Karl Rahner, non scandalizzi alcuni tra i più acuti lettori della nostra Ilha de Patmos. Il mio fondamento teologico si radica in modo chiaro e imprescindibile nel pensiero di San Tommaso D’Aquino, a seguire anche nello studio delle opere teologiche Hans Urs von Balthasar, che ritengo fruttuose per la mia formazione e per quella di ogni teologo contemporaneo. Ciò detto chiarisco che nell’ambito della dogmatica trinitaria il concetto di distinzione rahneriano: Trinità immanente / economica, appare oggettivamente più solido rispetto a quello del von Balthasar. Per quanto riguarda tutto il resto, o l’impostazione teologica stessa in sé e di per sé, non ho dubbi su chi scegliere e da chi continuare ad attingere. Resumidamente, non sono diventato un “rahneriano anonimo”, ao contrário: nel solco della tradizione teologica domenicana in cui sono cresciuto, penso di essere in grado di vagliare il male per saper discernere e cogliere anche quel poco di vero che c’è in un’opera teologica totalmente disastrosa e pericolosa come quella del teologo Karl Rahner, che rimane però una indubbia e grande mente speculativa nel Novecento. Chiudo questo inciso ricordando che il nostro Padre Ariel S. Levi di Gualdo, con l’apparente durezza senza zucchero che a volte lo caratterizza, in un suo articolo scritto in occasione della sua morte non esitò a riconoscere tutte le grandi capacità speculative di Hans Kung. Questo nostro confratello mise in luce quanto fu dotato dalla natura di capacità geniali, quindi di qualità superiori a quelle del giovane teologo suo coetaneo Joseph Ratzinger. Con la differenza che Küng scivolò nell’eresia mettendosi a de-costruire l’impianto dogmatico del deposito della fede, mentre Ratzinger divenne un custode della dottrina della fede al quale tanto dobbiamo, a partire dal grande magistero del Santo Pontefice Giovanni Paolo II.

.

Dopo questo doveroso chiarimento possiamo quindi focalizzarci e meditare su Gesù. A partire dalla scelta libera, non dovuta. Nell’amore dello Spirito Santo, in unione al Padre, Cristo decide di amarci fino alla fine [cf.. GV 13, 1 ss]. Gesù negli anni della predicazione pubblica fa dunque un cammino di accoglimento della croce, perché sa che questo strumento di morte può essere capovolto e diventare strumento di perdono e di grazia. Le conseguenze sono davvero fortissime: il Cristo straziato sulla croce è la seconda persona trinitaria, che si offre per integrare in sé e nell’uomo le situazioni di morte, Sofrimento, dolore, solitudine da chi amiamo. Gesù è allora vicino a ciascuno di noi in queste situazioni.

.

Così anche nella notte esistenziale più lunga, tutti coloro che soffrono per la guerra, possono nella preghiera sentirsi abbracciati da Gesù nella passione. Un abbraccio orante che rompe la solitudine, sapendo che nella preghiera ritroviamo la pace interiore anche i lontani. Gesù rompe la solitudine anche nella sua presenza reale eucaristica, dove si fa intimo e prossimo a tutti in corpo, sangue, alma e divindade. Proprio Lui che era senza peccato, si donò per i noi peccatori per eliminare il giogo del peccato. Non considerò un tesoro divino la sua uguaglianza con Dio, ci dice San Paolo in uno dei suoi bellissimi inni, ma decise di spogliarsi – pur rimanendo Dio – affinché noi tutti partecipassimo della natura divina [cf.. Fil 2, 6-11]. Ecco l’effetto finale di tanto dolore.

.

La gloria di Cristo, vincitore della sofferenza e della morte, sarà allora la nostra gloria. Non avremo sofferto e pianto invano. Ma fino a quel momento, non cessiamo di essere uniti al Corpo Mistico e alla Santa Madre di Gesù. È Gesù stesso a richiederlo in una delle sue ultime parole: «Donna ecco tuo figlio. Figlio ecco tua madre» [GV 19,25-27]. Gesù si rivolge innanzitutto a Maria. Anche lei è sofferente, disperata. Una sofferenza enorme, quella di vedere un figlio condannato e ucciso in questo modo così terribile e ingiusto. Maria è vicina a tutte le madri che stanno perdendo figli in guerra per lo stesso motivo. Ogni volta che noi preghiamo un rosario, una decina o recitiamo anche una sola Ave Maria, possiamo rivolgerci alla Santa Madre Vergine perché interceda presso Dio per queste madri così sofferenti. Maria, col suo «sì» nell’Annunciazione, ma anche nell’accogliere le terribili pene del Figlio, è anche nostra madre. Non oso immaginare quanta virtù di fortezza ha dovuto impiegare l’Ancella di Nazareth, quanto coraggio nel camminare fino al Golgota, senza esplodere in urla di rabbia e disperazione. Una reazione che forse sarebbe stata del tutto umana e legittima. Invece Maria, nel suo strazio, si affida a Dio, vivendo il dramma del Figlio e accompagnandolo. Quel Figlio non solo suo lo dona adesso definitivamente all’Eterno Padre e allo Spirito Santo. Noi in San Giovanni apostolo, siamo tutti suoi figli. Solo in questo modo lei è cooperatrice nella redenzione, donandoci Gesù, e accompagnandolo nella Passione. Anche in questi tempi così bui rimaniamo uniti a lei. Perché tutti noi, in Giovanni apostolo, siamo chiamati figli di Maria e quindi uniti come figli anche nell’altra Madre Vergine: a Igreja. E nella Chiesa intesa come Ecclesia congregata possiamo tutti cooperare al bene comune, alla solidarietà internazionale e aiutare coi soccorsi umanitari e la vicinanza spirituale le popolazioni che soffrono. Anzitutto però, se siamo Ecclesia congregante, dobbiamo tutti imparare ad essere un piccolo San Giovanni Apostolo. Dunque imparare a rileggere tutti gli eventi del tempo che viviamo con uno sguardo dall’alto. Con uno sguardo d’Aquila. E oltre a farlo noi, testimoniare al tempo stesso che esiste un altro orizzonte di senso, un’altra prospettiva che è in noi e che al tempo stesso ci supera. È lo sguardo contemplativo di tutte le cose. In questo Maria ci è di esempio nelle virtù e nel grande amore materno. Giovanni, figura di tutta la Chiesa, è esempio della Chiesa che accoglie e raduna in sé tutti i popoli, indicando loro i sentieri di eternità e di senso che integrano il tempo presente. In questo Venerdì Santo facciamone memoria, se parteciperemo veramente e intimamente all’azione liturgica della Passione del Signore.

.

Doce Jesus, O amor de Jesus (St. Caterina da Siena)

.

Roma, 15 Março 2022

Passio Domini

.

.

.

Blog pessoal

Padre Gabriel

.

.

Visite as páginas de nossa loja livro WHO e apoie nossas edições comprando e distribuindo nossos livros.

.

Notícias do Roman Província Dominicana: visite o site oficial dos dominicanos, WHO

.

.

.

______________________

Queridos leitores,
esta revista exige custos de gestão que sempre enfrentamos apenas com suas ofertas gratuitas. Aqueles que desejam apoiar nosso trabalho apostólico podem nos enviar sua contribuição pela maneira conveniente e segura PayPal clicando abaixo:

Ou se preferir, você pode usar o nosso
conta bancária em nome do:
Edições A ilha de Patmos

Agência n. 59 De Roma
IBAN:
IT74R0503403259000000301118
Para transferências bancárias internacionais:
Código SWIFT:
BAPPIT21D21

Se você fizer uma transferência bancária, envie um e-mail para a redação, o banco não fornece seu e-mail e não poderemos enviar uma mensagem de agradecimento:
isoladipatmos@gmail.com

Agradecemos o apoio que deseja oferecer ao nosso serviço apostólico.

Os Padres da Ilha de Patmos

.

.

.