As desastrosas nomeações episcopais de uma Igreja que despreza e destrói talentos para fazer prevalecer a ideologia

LE DISASTROSE NOMINE EPISCOPALI DI UNA CHIESA CHE SPREZZA E DISTRUGGE IL TALENTO PER FAR PREVALERE L’IDEOLOGIA

Nel 1960, Enquanto nos Estados Unidos da América, havia segregação entre brancos e negros, abolido apenas 4 anni dopo dal Civil Rights Act, cheiro, o tanzaniano Laurean Rugambwa, neoeletto cardinale, vestito di rosso porpora con ermellino e cappa magna riceveva il baciamano a ginocchio flesso da parte dei membri della più antica nobiltà pontificia. Conosce il Santo Padre Francesco queste edificanti perle di storia legate a una curia romana che bacia la mano a un cardinale negro mentre negli Stati Uniti i negri non potevano neppure salire sui mezzi pubblici?

 

 

artigo em formato de impressão PDF

 

.

Prendere parroci di consolidata esperienza e promuoverli all’episcopato non sarebbe di per sé cosa sbagliata, porque o que os numerosos pequenos precisam vitalmente, ma anche medie diocesi italiane è la figura di un vescovo con esperienza pastorale, che sappia trattare coi suoi presbiteri e accogliere e guidare la porzione di gregge del Popolo di Dio a lui affidato. Essere però parroco, o esserlo stato, non è affatto una garanzia, perché al vescovo è richiesta una particolare completezza che pochi parroci hanno, specie quelli che per giungere all’episcopato sono riuscito a cucirsi addosso ilfortunatocurriculum di «prete di frontiera» o «di periferia», imprescindibile e determinante sotto questo pontificato. Il Vescovo deve anzitutto saper governare i propri presbiteri con autorità e autorevolezza, confermandoli giorno dietro giorno nella fede (cf.. LC 22, 31-34) Então dirija decisivamente e credivelmente o povo de Deus.

il Cardinale Laurean Rugambwa, foto de arquivo, cidade do Vaticano,1960

I vescovi devono rifuggire dagli atteggiamenti degli smidollati che per accontentare tutti e non scontentare nessuno creano situazioni di paralisi auto-distruttiva, perché di fatto non governano la loro Chiesa particolare e lasciano che a governarla siano le prepotenze, as brigas e o arbitrî dos sacerdotes dividem entre eles, onde prevalecer é apenas a arrogância do mais forte ao longo do tempo são colocados nos lugares certos tendo acumulou as piores armas de chantagem. Sacerdotes em certas dioceses, Embora representem um pequeno número de três ou quatro elementos, hanno messo sotto scacco e ridotto al silenzio tre o quattro vescovi uno appresso all’altro, depois de fazê-los entender que tinham nas mãos instrumentos de chantagem tanto no lado moral quanto no econômico para explodir uma diocese inteira, con tutte le implicazioni di carattere penale nel caso in cui certe notizie fossero giunte alle competenti autorità giudiziarie civili e penali. E muitos bispos italianos, em tais situações,, Eles permaneceram com sua pastoral de mão bonita usado unicamente como litúrgica bugiganga para fazer nada, o meglio sì, a fare solo le comparse sulla scena del teatrino.

O bispo deve ser um mestre de doutrina. E qui si noti che non ho detto un teologo sopraffino, ma un maestro di dottrina, capaz de ensinar e impor a conformidade se necessário da Igreja do Magistério que supremo guardião na sua Igreja particular de depósito de crédito. Considerate però le omelie registrate che sono state pronunciate sia per il loro insediamento in cattedra sia durante i primi atti di ministero episcopale da parte di diversi di questi vescovi provenienti da paróquias-existencial-periféricos, la dottrina di diversi di loro non è poi così entusiasmante; e quando non si conosce bene e a fondo il depósito de crédito, Não é fácil proteger, Mas claro ninguém limita a graça do Espírito Santo, che però è bene non sfidare sino ai livelli di certe infelici nomine.

O bispo também deve ser um conhecedor do direito e avere un naturale senso spiccato della giustizia. E aqui se nota: Eu não disse que deveria ser uma excelente médica de direito canônico, mas uma pessoa dotada de um senso de direito, Porque se não for, deslizarão facilmente para o livre-arbítrio, todas as injustiças piores de fábrica. Mesmo neste caso, muitos da nova geração, lasciano parecchio a desiderare pure in tal senso, pur essendo stati parroci Periférica-existencial per tanti anni ed essersi presentati come paladini della Chiesa povera per i poveri che guarda ai profughi e ai Rom.

O bispo é o liturgista supremo e a celebração da Eucaristia depende da validade de todos os Eucaristia celebrada na sua Igreja particular. E mesmo neste caso é bom ignorar a maneira desleixada e aproximada com que alguns bispos da paróquias-existencial-periféricos, verdadeiro ou presumido, foram tiradas por anos e anos por muitos videomakers celebrando liturgias, sobre a qual é bom espalhar um véu.

Sia le mode, tanto o conformismo, ambos levam de maneiras diferentes, mas paralelas, ao mesmo desastre. De fato, prima della moda conformista dei vescovi-parroci-periferico-esistenziali, abbiamo vissuto sia la moda dei vescovi-curiali con Giovanni Paolo II sia la moda dei vescovi-professori con Benedetto XVI. Estes segundos, perlopiù legati all’ultimo scorcio di pontificato di Giovanni Paolo II e al successivo pontificato di Benedetto XVI, que percebendo o quanto dentro da Igreja o fermento de erros doutrinários ou heresias fez subir o panetone gigante, para remediar, em vez de fechar as fábricas de panetone, invece di togliere a certe pontificie università e pontifici atenei il titolo “pontificio”, si comincia a far nominare vescovi dei professori di teologia più o meno illustri, spesso proprio provenienti da queste stesse fabbriche di eresie, dentro do qual foram-se os alto-falantes mais perniciosos e primeiros. Infelizmente esses professores, alcuni dei quali teologi veri altri dei puri palloni gonfiati, nel corso del tempo hanno seminato in giro per le diocesi tanti e tali danni che in molti casi occorreranno decenni prima che vi si possa porre rimedio, especialmente quando esses danos graves está relacionada com as ordenações não é erradas que alguns indivíduos como estes nunca deve ser sacerdotes.

I problemi non si risolvono passando da una moda all’altra, a política já fez. O forse la Chiesa vuol ripetere gli errori dei politici? Alguém se lembra os dias antes da queda de historicamente baixa credibilidade política, i partiti politici italiani tentarono di allettare gli elettori candidando attori, cantores e jogadores nos cadernos eleitorais? A dire il vero fu candidata ed eletta anche una celebre estrelas pornô. Vogliamo ripetere questi stessi errori nella Chiesa, estrelas pornô incluído?

Il problema non è che per divenire vescovi sia necessario essere stati parroci, ou professores de teologia, ou o exercício de funções na Cúria. Na verdade, não é o papel que torna o homem santo, Mas o homem que santifica o papel que foi chamado para cobrir. Un buon vescovo può uscir fuori da un parroco di periferia come da un luminare della teologia, da un addetto al servizio diplomatico come da un presbitero che ha servito la Chiesa in un ospedale specializzato nella cura di malati terminali, da un missionario che ha trascorso molti anni della sua vita nei villaggi più poveri del Congo come da un ricercatore che gran parte della sua vita l’ha trascorsa dentro gli archivi e le biblioteche storiche, perché è l’uomo che fa il buon vescovo, non lo specifico incarico ch’egli ha ricoperto. Contrariamente si rischia di ragionare e di assegnare episcopati sulla base di stereotipi ideologici, con i risultati desolanti che finiscono poi per brillare alla luce del sole oggi.

Parlando del dramma degli auto-candidati e della mafia clericale che li promuove, in un mio libro pubblicato agli inizi del 2011[1], falando do Episcopado e da nossa vocação natural para a santidade, escrito em nosso batismo de água, Afirmei que cabe à Igreja estabelecer como as pessoas consagradas nos três graus do Sacramento da Ordem devem realizar e prestar seus gratos e preciosos serviços; Este é o pressuposto que subjaz à natureza do Sacramento da Ordem. É inaceitável que os sacerdotes virá para cima como candidatos para o episcopado de bispos ou propor ao metropolitan vê grande, para escritórios da Cúria Romana ou o título honorário de cardeais. Qualquer um, direta ou indiretamente fez, as sanções devem ser excluídas de qualquer possibilidade de promoção. Ninguém é promovido na verdade e consagrado bispo em seu próprio prestígio pessoal, mas para ser um fiel e dedicado servo para servir a Igreja particular que lhe foi confiada, tendo sempre em mente que Deus se encarnou em Jesus não para ser servido, mas para servir (cf.. MT 20,28). Devemos, portanto, trabalhar para um resultado importante um dia: um clero católico formado por sacerdotes seculares e regulares bem ciente que ser bispo de uma grande e importante diocese ou paróquia padre de ser uma freguesia de pequeno país é muito digna e importante para a Igreja, em que o Bispo da diocese de grande e pastor do pequeno país Igreja oferecer ambos um serviço indispensável, Unidos por sua natureza mesma de servos.

Na igreja há uma valiosa figura inspiradora e l’alto esempio del Santo Vescovo Carlo Borromeo, mas há tanta figura inspiradora preciosa de nenhum exemplo menor e maior: John Mary Vianney, eletto non a caso patrono dei sacerdoti. Nessuna mente savia avrebbe mai inviato Carlo Borromeo come parroco ad Ars e John Mary Vianney come vescovo a Milano; ma è appunto la Chiesa la unica, la sola a stabilire chi deve diventare vescovo di Milano e chi curato di Ars, desenvolver melhor a sua vocação natural à santidade e preservar e salvar a fé no Povo de Deus.

Quando al buon senso subentrano però le mode ou estratégias de mercado que jogou no real slogans publicitários, il rischio che si corre è di mettere Giovanni Maria Vianney a fare il Vescovo di Milano e Carlo Borromeo a fare il curato ad Ars, com um resultado triste: nem se tornarão santos. O primeiro, ele não se tornará santo porque será um sujeito inadequado, pois não está à altura de ser o bispo de Milão; O segundo, Não se tornará Santo porque um assunto é inadequado, porque não fazer Ars tratados, e ambos causarão danos sem fim.

No estado em que estamos, É inútil olhar para os pequenos, estratégias de fútil clericais, hoje voltado para a panificação de professores e curiais, amanhã a essa paróquia padres que de alguma forma tomou sobre si mesmo – ou embuste realmente inteligente – o cheiro dos pobres e dos arredores existenciais que parecem sair de moda hoje. Ciascuna di queste scelte sono solo palliativi che portano al totale fallimento. O que na verdade não parece entrar as cabeças menores de certos eclesiásticos, è che per giungere a essere veramente perfetti nell’unità (cf.. GV 17, 23) se necessário, devemos também proceder a divisões dramáticas, Conscientes de que o senhor Christ também veio trazer uma espada e a guerra, non solo la pace intesa alla maniera degli onirici pacifisti ideologici (cf.. MT 10,34), Conscientes de que mais cedo ou mais tarde, no momento oportuno, o trigo será separado de ervas daninhas, quando si avrà la certezza che per strappare la gramigna non sia sacrificata neppure una spiga di grano. Isso não significa que: aumento permanentemente sufocar ervas daninhas o bom grão, come di questi tempi stiamo invece facendo (cf.. MT 13, 24-30).

Le odierne mode impediscono a delle aquile reali di accedere a uffici ecclesiastici dove potrebbero rendere ottimi servizi alla Chiesa. Perché le mode sono sempre nocive, de qualquer tipo que sejam, incluindo a pesquisa de hoje dos pastores com real ou presumido passou entre Caritas, le baraccopoli e i campi Rom, perché ciò vuol dire che al presente, um homem de Deus de completude humana extraordinária, moral, teológico, giuridica e pastorale come Rafael Merry del Val, Não só nunca se tornaria Cardeal, ma neppure vescovo e forse neppure prete, perché solo il suono del suo cognome farebbe storcere molti nasi che fingono di voler sentire unicamente l’odore delle pecore da prendere su se stessi, senza aver affatto capito quello che il Santo Padre Francesco voleva dire e trasmettere ai pastori in cura d’anime affermando di essere pastori con addosso l’odore delle pecore (cf.. WHO). Nem eu nem qualquer estrada um homem como Giovanni Battista Montini, reo di provenire da una famiglia della vecchia e ricca borghesia lombarda[2]. Non indugiamo poi sulle infelici sorti che nella Chiesa elegante di oggi sarebbero toccate a un soggetto come Eugenio Pacelli, sul quale meglio soprassedere per passare direttamente ad Angelo Giuseppe Roncalli, Mas em um real, nem todos Santino da iconografia popular. Hoje como hoje, o futuro San Giovanni XXIII, Akutagawa carreira diplomática como núncio apostólico em Paris, Nunca se tornaria Patriarca de Veneza "para mais ― septuagenário ultra, Depois de ter passado toda a sua vida no serviço diplomático da Santa Sé? Claro que não, porque se a lógica tivesse sido aplicada Fashionistas hoje teria sido procurou por definitivamente um pastor de uma província veneziana que entre 1945 e a 1950 aveva arricchito il proprio curriculum dopo essersi dedicato ai profughi e agli orfani di guerra o per avere servito pasti ai senzatetto rimasti privi di casa dopo i bombardamenti degli Alleati sull’Italia.

Se em certos episcopais ver sono inviati di prassi vescovi che hanno già maturato esperienze pastorali in altre diocesi dove hanno data buona prova di governo, há uma razão, ou não? Se alguns locais em todo o mundo durante séculos são arquiepiscopal também cardeal vê, è perché vi sono antiche tradizioni legate alla storia e ai passati regni e principati della penisola italica; disso se consolidou um costume que não precisa necessariamente ser mantido. Regras e práticas podem ser mudadas e, fazer isso, Peter não tem que pedir permissão a ninguém. No limite, se ele quer, ou se ele vem com a humildade necessária para fazê-lo, pode obter aconselhamento aos históricos e mecanismos eclesiais podem conhecê-los melhor do que ele; ma lui solo, rimane munito della piena Potestas agir como achar mais adequado. Portanto, o atual patriarca de Veneza foi criado Cardeal, talvez a pessoa em questão não esteja interessada em nada, ma ai veneziani abituati ad avere da secoli un patriarca insignito anche del titolo onorifico cardinalizio interessa molto, tanto che questa mancata berretta rossa l’hanno vissuta come una umiliazione, alcuni persino come un affronto personale.

Capisco che il Santo Padre s’è dichiarato proveniente «dall’altra parte del mondo», ciò non vuol dire però cimentarsi nel fare stravaganze dell’altro mondo, Porque é comum à terra que a Igreja italiana, aos seus bispos e clérigos, mas especialmente a sua história de 2.000 anos de idade, è dovuto perlomeno lo stesso rispetto che il Santo Padre mostra di avere per i profughi veri o presunti che sbarcano per una media talvolta di 700/800 um dia em um país — nossa — incapaz de segurar e assistir a tal uma enxurrada de pessoas, Porque estamos falando 400.000/ 500.000 persone all’anno che giungono su un territorio ― quello italiano ― che non è certo esteso come l’Argentina.

Alla Chiesa italiana e alla sua storia è dovuto perlomeno lo stesso rispetto che il Santo Padre ha per gli abitanti dei campi Rom, i cui addetti all’industria dell’accattonaggio bestemmiano Cristo e tutti i santi lungo Via della Conciliazione, davanti alla Papale arcibasilica di San Pietro, dietro a chi osa non dargli soldi. Não é bom ou boa, mesmo para um Roman Pontiff, seppure avvolto da un’aura “liberista” alla quale credono solo coloro che dentro le chiese non ci entrano neppure per Natale e per Pasqua, deixe ser entendido: "Eu sou e faço o que quero". Per noi è indubbio che tu sei Pietro, per i tuoi amici luterani o pentecostali non so’, ma per noi sì, tu és Pedro. Portanto, prima stabilisci regole precise, Você tem plena autoridade para fazê-lo. Primeiro abolir costumes e hábitos, Então você nomear Cardeal a quem quiser, quando quiser, impedindo uma fatia dos seus fiéis, que durante séculos tem sido à frente de suas dioceses, o Bispo sempre criado Cardeal prática, debbano chiedersi che cosa hanno fatto di male alla Chiesa e al Santo Padre per ricevere da lui un simile schiaffo.

La Chiesa ha bisogno della propria saldezza e della propria stabilità, para o qual também contribuem em parte tradições e costumes completamente acidentais e contingentes, que como tais são mutáveis ​​e podem ser abolidos a qualquer momento pelo Supremo Pastor. Creio, no entanto, que a pessoa indicada para ser um jogo perigoso de desestabilização sem primeiro ter estabelecido regras, é o Sucessor do Príncipe dos Apóstolos, também porque mais cedo ou mais tarde., o povo de Deus, Isso nunca foi tolo ao longo da história da salvação, Você pode começar a se perguntar: O que é tudo isso pro, mas especialmente, a qual prezzo dobbiamo pagare le eccentriche gesta di questo soggetto che pare affetto da gran sete di originalità? E stando almeno alle nostre chiese sempre più vuote, più che dinanzi a fedeli che si pongono certe domande, siamo dinanzi a un esercito sempre più numeroso di fedeli a tal punto disamorati da non ritenere utile porsi neppure domande preferiscono disertare o abbandonare direttamente le chiese.

La Chiesa non può rinunciare a essere madre e maestra Além do tempo, delle mode e delle ideologie, perché la grandezza della Chiesa è sempre stata quella di essere proprio madre e maestra. E una buona maestra, Isso é pura mãe, antes de tudo educa. Esta é a razão por que esta mãe maravilhosa que é um corpo cuja cabeça é Cristo (cf.. Com o 1, 18) ele nunca fez uma distinção de classe, raça e nação. Todos sabemos que as falhas da nossa igreja, Santa e pecadora, de acordo com a antiga definição Ambrosiana. Difetti storici che il sottoscritto conosce quanto basta per averli più volte stimmatizzati in ossequio al saggio monito del Sommo Pontefice Leone XIII che affermò:

«Historiador da igreja será mais vigorosamente em sua origem divina como tem sido leal a não ocultar provas que minimamente pecados de seus filhos e sua própria às vezes que ministros sofrer esta noiva de Cristo» (Discorso agli accademici di Francia, 8 setembro 1899).

Questa madre e maestra, al tempo stesso santa e peccatrice, mesmo nas suas épocas mais controversas e contrastantes viu numerosos homens de famílias muito simples e modestas ascenderem aos seus chamados cumes. Persino nelle sue epoche più controverse e contrastate riusciva a individuare il talento, em vez de: Eu só queria. Quem diz que, con spirito tanto romanofobico quanto anti-storico, que até não muito tempo atrás, tornar-se bispos e cardeais, tinha que ser chamado Borghese, Orsini, Coluna, Odescalchi, Chigi, Médicos, Sforza... errado e se importa, o meglio non conosce proprio la storia della Chiesa. Le cronologie dei vescovi che si sono succeduti nelle nostre numerose diocesi italiane, incluir nomes de muitos dos homens de famílias extremamente pobres, entrati nei seminari con i corredi donati loro da un povero parroco di campagna che aveva raccolto offerte tra fedeli altrettanto poveri.

Não se esqueça que para ter sucesso Cardeal Rafael Merry del Val, que era um concentrado de sangue das famílias nobres mais antigas da Europa, fu il Cardinale Pietro Gasparri, que foi secretário de Estado de Bento XV e Pio XI, nonché firmatario dei Pactos Lateranenses che posero fine alla lunga Questione Romana cominciata con la presa di Roma il 20 setembro 1870 e duração 59 lunghi anni sino al 1929. Pietro Gasparri, Nascido em uma pequena cidade na região de Marche, província de, veio de uma família de camponeses, pastores. Nella curia romana, dove neppure i Sommi Pontefici sono mai stati esenti dall’attribuzione di un soprannome, era soprannominato, não surpreendentemente, er pecoraro. Pietro Gasparri fu un canonista di rara raffinatezza e determinante il suo contributo per la stesura del Codice di Diritto Canonico del 1917. O Santo Pontífice Pio X veio de uma família modesta, Quem queria ao lado no papel de Secretário de estado Cardeal Rafael Merry del Val. Da famiglia povera nacque il Cardinale Alfredo Ottaviani, no de Trastevere, onde seu pai trabalhava como operário em uma padaria. O Cardeal Giuseppe Siri era figlio di un bidello e di una portinaia. Ci fermiamo a questi pochi esempi perché lunga sarebbe la lista di uomini i cui nomi sono oggi inseriti nella storia della Chiesa, affatto segnati dai cognomi delle più potenti famiglie principesche europee.

Cosa dire poi che nel 1960, mentre negli Stati Uniti d’America c’era la segregazione razziale tra bianchi e negri, abolido apenas 4 anni dopo dal Civil Rights Act, cheiro, il tanzaniano Laurean Rugambwa, neoeletto cardinale, vestito di rosso porpora con ermellino e cappa magna riceveva il baciamano a ginocchio flesso da parte dei membri della più antica nobiltà pontificia. Conosce il Santo Padre Francesco queste edificanti perle di storia legate a una curia romana che bacia la mano a un cardinale negro mentre negli Stati Uniti i negri non potevano neppure salire sui mezzi pubblici? É informado, o Santo Padre Francisco, seu Predecessor Bento XIV Supremo, o século Prospero Lambertini, No 1741 non esitò a sfidare ― pur con tutti i rischi del caso ― le maggiori potenze europee, condenar sem apelação e escravidão declarada ilegal, dor de excomunhão imediata, venda e a redução dos índios em escravidão? Condenação já emitiu seu chefe anteriormente antecessores Eugene IV (1435), Paulo III (1537), Urbano VIII (1639), nessuno dei quali proveniva dalle «periferie esistenziali» né mai avevano svolto alcun apostolato nelle villas de las de Miseria.

Temo che da alcuni decenni si siano frantumati equilibri delicati e antichi e che oggi si sia giunti all’apoteosi. Nunca de fato, no passado, a Rafael Merry del Val impediu um padre de talento reconhecido de sentar com ele nas cadeiras do Colégio dos Cardeais, como reo para ser de origem humilde. Quel che però si dovrebbe temere oggi è che numerosi Pietro Gasparri e Alfredo Ottaviani totalmente privi del grande talento e della grande pietà che caratterizzò questi uomini di Dio, mas cheios de ambições a que nunca poderiam aspirar no mundo civilizado, pode impedir um Merry del Val para se tornar bispo e Cardeal, perché «non corrispondente a quelli che oggi sono i criteri e gli stili pastorali» — da villas de las de Miseria - "do Santo Padre Francisco", con tutto l’immane danno che ne deriverebbe e che ne è già derivato alla Chiesa privata ormai da anni di tale fede, talento e rara intelligenza.

Oggi La Chiesa non è più capace a educare e valorizzare i preziosi talenti donati da Dio a certi suoi figli. Non so se qualcuno rifletterà su tutto questo, in una Chiesa non più capace a cogliere il talento, a educare e per logica conseguenza a cogliere il talento e a mutare in autentici principi i Gasparri e gli Ottaviani, -los fazendo qualquer coisa menos princípios de princípios de um príncipe de nascimento como Merry del Val. Tenho medo que nestes tempos tristes, dove tanti uomini di Chiesa paiono drogati dall’immediato e dal vivere giorno dietro giorno senza pensare al futuro e a costruire per il futuro, Em suma, eles vão fazer reflexões semelhantes. Quando você faz o golpe e a outra vai dar de modas, per prima cosa si perde la libertà dei figli di Dio e si cerca con le peggiori coercizioni e i peggiori arbitrî di obbligare anche gli altri alla perdita di questo prezioso dono di grazia. E uma igreja não mais lançamentos que lurches entre experiências e falência apenas como modas é destinado a falência em colapso, a partir de seu coração: il Collegio degli Apostoli, em que recrutar um medíocre atrás do outro para que os triunfos de golpe da mediocridade no poder. Nunca como hoje na verdade é falsa e enganosa soou uma advertência dirigida a Judá:

«[...] Maria então, Eu tomei um quilo de óleo perfumado de nardo real, muito precioso, ungiu os pés de Jesus e limpou os pés com seus cabelos, e toda a casa estava cheia com a fragrância da pomada. Então Judas Iscariotes, um dos seus discípulos, Ele tinha então traí-lo, disse: “Perché quest’olio profumato non si è venduto per trecento denari per poi darli ai poveri?”. Ele disse isso não porque ele se importou para os pobres, Mas porque ele era um ladrão e, Como é o caso, levou o que eles colocaram nele. Jesus então disse: “Lasciala fare, Por que mantê-lo para o dia do meu enterro. Os pobres que têm sempre convosco, ma non sempre avete me”» (GV 12, 3-8).

Assieme al pretesto dei poveri rischiamo di avere anche un esercito di Giuda, ladrões e traidores, nonché ruffiani, Pronto para usar os pobres como false e medida como um novo pretexto para seu ganho pessoal, sempre movido por essas ambições irreprimíveis provenientes da rainha mãe de todos os pecados capitais: o Superbia, que sempre as cortinas, corretamente evitando perceber o presente e construir o futuro santo para o louvor e a glória de Deus.

a Ilha de Patmos, 5 Posso 2024

.

NOTA

[1] Ver. Ariel S. Levi di Gualdo, E Satanás se tornou trino, Primeira edição. Roma 2011, reimprimir, Roma 2019, Edições A ilha de Patmos.

[2] Ver. Ariel S. Levi di Gualdo, Digressões de um padre liberal, circa il vero curicculum di Giovanni Battista Montini, página 61 e ss.. Roma 2023, Edições A ilha de Patmos.

.

______________________

Queridos leitores,
esta revista exige custos de gestão que sempre enfrentamos apenas com suas ofertas gratuitas. Aqueles que desejam apoiar nosso trabalho apostólico podem nos enviar sua contribuição pela maneira conveniente e segura PayPal clicando abaixo:

Ou se preferir, você pode usar o nosso
conta bancária em nome do:
Edições A ilha de Patmos

Agência n. 59 De Roma
IBAN:
IT74R0503403259000000301118
Para transferências bancárias internacionais:
Código SWIFT:
BAPPIT21D21

Se você fizer uma transferência bancária, envie um e-mail para a redação, o banco não fornece seu e-mail e não poderemos enviar uma mensagem de agradecimento:
isoladipatmos@gmail.com

Agradecemos o apoio que deseja oferecer ao nosso serviço apostólico.

Os Padres da Ilha de Patmos

.

.

.

"Algo mudou". De Jack Nicholson ao Cardeal Matteo Maria Zuppi, diploma honorário da Universidade de Catânia

"ALGO MUDOU". DE JACK NICHOLSON AO CARDEAL MATTEO MARIA ZUPPI GRADUAÇÃO HONORÁRIO NA UNIVERSIDADE DE CATANIA

«[…] Se opiniões diferentes também não forem bem-vindas, e talvez até palavras de dissidência, não haverá nenhuma mudança real. Hoje a assembleia da CEI está em moratória porque já não há algarismos significativos; você poderia compartilhar as posições de Siri ou Martini ou não, mas as suas intervenções foram pontos de referência importantes. Hoje só cafetões falam, aqueles que querem ser vistos […]» (de uma entrevista com o Arcebispo emérito de Pisa Alessandro Plotti, ex-vice-presidente do CEI)

 

artigo em formato de impressão PDF

 

 

.

Dentro da Igreja hoje pode acontecer de parecer um pouco com definir cinematográfica do filme, Algo mudou, protagonista principal Jack Nicholson junto com um adorável cachorrinho. Para quem ainda não viu, vamos resumir brevemente: Melvin Udall, interpretado por Jack Nicholson, é um famoso escritor de romances, misantropo e portador de neurose obsessivo-compulsiva que, através de um hilariante emaranhado de fatos em que acaba envolvido junto com a garçonete de um restaurante, para um pintor gay que é seu vizinho e seu cachorrinho Griffon de Bruxelas, chega a uma transformação inesperada e incrível que o leva a se tornar uma pessoa terna e amável.

Diante de alguns fatos, diga isso hoje Algo mudou é redutor, porque nos deparamos com reversões tão radicais que são difíceis de interpretar. Como quando o 12 Abril, a Universidade de Catania concedeu o título de mestre Honorário dentro Política Global e Relações Euro-Mediterrânicas a Sua Eminência o Cardeal Matteo Maria Zuppi, Arcebispo Metropolitano de Bolonha e Presidente da Conferência Episcopal Italiana.

Eu acho que é irrelevante concentre-se em relacionamentos desde antes 17 fevereiro 1861 - data que marcou a queda do Reino Bourbon - liga esta universidade às lojas históricas da Maçonaria da cidade, como uma figura a partir dos nomes de muitos acadêmicos ilustres que foram membros da Maçonaria ao longo de dois séculos. A menos que os numerosos cartazes funerários com o seu nome e as iniciais A:.G:.(D):.G:.UMA:.(D):.você:. (sigla indicando: Para a Glória do Grande Arquiteto do Universo) pendurado na cidade de Etna nas últimas décadas, não eram apenas pegadinhas dos impressores de Catania ou da equipe editorial do Sicília e de O Jornal siciliano que queriam brincar na página de seus obituários publicados mediante pagamento para comemorar o falecido.

Ser maçom não é impróprio, nem mesmo um crime, a adesão a uma associação histórica é legal e legítima; a menos que seja uma Loja desviante como P2, que ganha vida a partir da Maçonaria, mas não é de forma alguma uma expressão dela, mas apenas desvio. Que a filiação às Lojas é incompatível com a pertença à Igreja Católica, isso é mais um assunto, ligado a esse sistema parcialmente gnóstico e parcialmente esotérico que torna a Maçonaria incompatível e irreconciliável com o catolicismo.

Sem sequer insistir no anticlericalismo que percorre a tradição histórica na Universidade de Catânia, nossos interesses são completamente diferentes, Contudo, alguns esclarecimentos são necessários. Partimos, portanto, de um exemplo verdadeiramente marcante agora fixado em crônicas históricas: quando em novembro de 2007 foi convidado pelo Reitor Magnificus para inaugurar o ano letivo na Universidade La Sapienza de Roma, o Sumo Pontífice Bento XVI desistiu de realizar um lectio magistralis inaugural após protestos de grupos de estudantes e professores que se levantaram gritando «a universidade é laica!», enquanto as de muitas universidades italianas apoiaram e apoiaram o protesto, incluindo o de Catânia.

Antes de começar temporada juvenil de hoje o bispo de Pecorecci - muitos dos quais teriam sido reprovados num exame de teologia fundamental até algumas décadas atrás -, na Itália tivemos vários bispos que foram grandes estudiosos e homens de profunda cultura, distribuído em todas essas diferentes áreas do que em linguagem jornalística imprópria, porque é estranho em si à própria estrutura da Igreja, eles são chamados de tradicionalistas, Conservadores, Progressistas. Ou, para colocar nas palavras do Arcebispo de Pisa Alessandro Plotti, que foi vice-presidente da Conferência Episcopal Italiana:

«Se opiniões diferentes também não são bem-vindas, e talvez até palavras de dissidência, não haverá nenhuma mudança real. Hoje a assembleia da CEI está em moratória porque já não há algarismos significativos; você poderia compartilhar as posições de Siri ou Martini ou não, mas as suas intervenções foram pontos de referência importantes. Hoje só cafetões falam, aqueles que querem ser vistos; o tema pastoral é jogado fora com os grupos de estudo, que na verdade dura meia hora, e então falamos apenas sobre Otto per Mille e dinheiro, o que poderia muito bem ser feito por correspondência. E para dizer isso, por exemplo, em relação à família há problemas realmente grandes a enfrentar e todos estão tentando entender que orientação a Igreja tomará” (cf.. entrevista publicada em Jesus a 10 fevereiro 2014, texto WHO).

Vários destes bispos mais vezes, ao longo da última 30 anos, incluindo o próprio Alessandro Plotti que pertencia à chamada área progressista, eles tiveram que desistir de convites para estruturas acadêmicas e universidades porque os inevitáveis ​​agitadores estudantis, instigados nos bastidores por ex-professores de 1968, eles criaram o inferno (cf.. WHO). O então Presidente da Conferência Episcopal Italiana, Cardeal Camilo Ruini, foi desafiado e vaiado em Siena em 24 setembro 2005 (cf.. WHO) porque «é o símbolo do conservadorismo, do ataque à laicidade do Estado e à negação dos direitos homossexuais", como informou o representante dos Jovens Comunistas de Siena na conferência de imprensa (cf.. WHO).

No entanto, não nos deparamos com pessoas diferentes, porque aqueles que ontem fecharam as portas ao sucessor dos Romanos Pontífices que fundaram a Universidade La Sapienza, tornando-a um centro universal de cultura, ciência e pesquisa ao longo dos séculos, eles são os mesmos que concedem diplomas hoje Honorário ao presidente da Conferência Episcopal Italiana, não é mais vaiado e criticado como seu antecessor acusado de ser um violador da laicidade do Estado, mas recebido com tapinhas nas costas e chamado amigavelmente de "Don Matteo".

Mais do que imaginar Algo mudou, deveríamos nos perguntar: quem foi explorado e por que? E certamente seria necessário também perguntar-nos: que é um "cafetão" - para citar Alessandro Plotti - que nem entende, devido à sua própria limitação inevitável e invencível, de ser explorado?

Vamos tentar ir aos bastidores do pequeno teatro, porque fazer isso não é tão difícil: o julgamento contra o então Ministro da Administração Interna Matteo Salvini foi aberto em Catânia, acusado de ter impedido no final de julho 2019 o pouso de 116 imigrantes ilegais do navio Gregoretti, parada no porto da cidade de Augusta, na província de Siracusa (cf.. WHO). Que sob este pontificado, o dos migrantes, é um elemento que oscila entre a neurose obsessiva e a ideologia, é um fato completamente incontestável. Assim como o envolvimento imprudente - em parte verificado e em parte ainda por verificar - que alguns bispos tiveram com um militante comunista como Luca Casarini, que deve ser tratado com extrema cautela e sobretudo com a máxima prudência, certamente não foi convidado para o Sínodo dos Bispos.

Traduzindo do Inglês para o Italiano graduação Honorário conferido está em Política global e Relações euro-mediterrânicas. Incrível! As portas das universidades foram fechadas aos Pontífices e Bispos de ontem, ou gritaram uns com os outros quando abordaram instituições ou fundações estatais, porque independentemente de suas tendências, seja conservador ou progressista, eles ainda disseram o que o mundo não queria ouvir, pelo Cardeal Arcebispo Metropolitano de Gênova Giuseppe Siri ao Arcebispo Metropolitano de Milão Carlos Maria Martini, por outro lado, mas ambos preocupados com a tendência secularista que a sociedade europeia estava a tomar, especialmente em sua rejeição às vezes até odiosa e violenta do Cristianismo. Hoje, que em vez disso decidiu se prostituir com o mundo, através de muitos novos bispos que eram variadamente "rufiões" e tímidos, aqui os Presidentes das Conferências Episcopais Italianas batem palmas nos ombros, eles são chamados de "Don Matteo" e recebem diplomas Honorário precisamente sobre questões políticas e euro-mediterrânicas relativamente às quais os próprios galardoados reivindicaram a cabeça de um Ministro da República Italiana de uma forma mais sanguinária do que a de Robespierre.

Mesmo que na verdade nada tenha mudado, em qualquer caso, não somos idiotas nem pretendemos ser tratados como tais por um mundo que mostra que nos ama a ponto de estarmos dispostos a ter vergonha de Cristo, você esquece que está escrito:

"Para quem se envergonhar de mim e das minhas palavras nesta geração adúltera e pecadora, o Filho do homem se envergonhará dele, quando vier na glória de seu Pai com os santos anjos " (MC 8,38).

Vergonhoso e perigoso tão poucos quanto o abençoado apóstolo Paulo será hoje mais do que nunca:

"De fato, É talvez a favor dos homens que eu pretendo ganhar, ou melhor, que de Deus? Ou estou tentando agradar a homens? Se eu ainda estivesse agradando a homens, não ser um servo de Cristo! Eu, portanto, declaro a você, irmãos, que o Evangelho por mim anunciado não se baseia no homem; pois não o recebi nem aprendi dos homens, mas por revelação de Jesus Cristo" (Garota 1,10 e ss.).

Desta empresa que, seguindo o modelo e exemplo da França, quer estabelecer o "grande direito universal ao aborto" na Carta da Europa, Nós, católicos, não devemos esperar aplausos ou homenagens. Se eles nos aplaudirem ou nos recompensarem, é porque somos os primeiros a assegurar aos filhos do Príncipe deste mundo que, em última análise, “o Evangelho não é uma destilação da verdade”, como afirmou recentemente o Presidente da Conferência Episcopal Italiana ao responder a um entrevistador de O Corriere della Sera (cf.. WHO, WHO). Se eu quisesse, poderia sugerir a Sua Reverenda Eminência, para amigos Don Matteo, também outra expressão eficaz, ao pronunciá-lo, ele logo acabaria sendo o segundo acadêmico italiano nomeado da França depois Maurício Serra, mas prefiro ficar calado e evitar fazer sugestões.

a Ilha de Patmos, 14 abril 2024

.

.

______________________

Queridos leitores,
esta revista exige custos de gestão que sempre enfrentamos apenas com suas ofertas gratuitas. Aqueles que desejam apoiar nosso trabalho apostólico podem nos enviar sua contribuição pela maneira conveniente e segura PayPal clicando abaixo:

Ou se preferir, você pode usar o nosso
conta bancária em nome do:
Edições A ilha de Patmos

Agência n. 59 De Roma
IBAN:
IT74R0503403259000000301118
Para transferências bancárias internacionais:
Código SWIFT:
BAPPIT21D21

Se você fizer uma transferência bancária, envie um e-mail para a redação, o banco não fornece seu e-mail e não poderemos enviar uma mensagem de agradecimento:
isoladipatmos@gmail.com

Agradecemos o apoio que deseja oferecer ao nosso serviço apostólico.

Os Padres da Ilha de Patmos

.

.

.

Gabriele Giordano M. Scardocci
Da Ordem dos Pregadores
Presbítero e Teólogo

( Clique no nome para ler todos os seus artigos )
Padre Gabriel

O Diabo entre as notícias policiais, coceira e realidade no 2024

O DIABO ENTRE O CRIME, COCEIRA E REALIDADE EM 2024

«Os seres humanos são anfíbios – metade espírito, metade animal [...]. Como espíritos eles pertencem ao mundo da eternidade, mas como os animais eles são habitantes do tempo"

 

Autor:
Gabriele Giordano M. Scardocci, o.p.

 

artigo em formato de impressão PDF

 

 

Em fevereiro deste ano os meios de comunicação de massa anunciaram a terrível notícia de um homicídio familiar por motivos religiosos. Tudo se esgotou, com crueldade particular e brutal, para a Milícia Altavilla, na província de Palermo. Com o já consolidado espírito de pura coceira eu programa de entrevista grupos populares nacionais já falam sobre isso há algumas semanas, colocando pessoas completamente desprovidas de conhecimentos básicos sobre determinados assuntos para discutir nas salas de televisão.

Segundo fontes jornalísticas um homem mataria sua família, com exceção de sua filha de dezessete anos. Mais tarde, ele chamou a polícia para se entregar. O motivo do assassinato, sempre de acordo com as fontes, seria a presença demoníaca na casa.

Diante de tal tragédia, o que inicialmente me chocou muito, Achei que seria uma escolha melhor permanecer em silêncio e orar. Se, face a este episódio horrível, condenarmos veementemente este assassinato e o questionamento do Diabo por parte de pessoas exaltadas, ao mesmo tempo, não faz sentido julgá-los pelo seu estatuto religioso e pela sua fé, que só Deus sabe. Como um sacerdote, Frade e teólogo dominicano, porém, creio ser necessário esclarecer qual é a verdadeira natureza do Diabo, e distinguir entre a responsabilidade do anjo caído e a do homem.

Embora um texto sobre o diabo sempre atraia, É importante para mim escrevê-lo para despertar também a consciência e a responsabilidade pessoal no exercício da virtude. Quantas batalhas ocorreram na história da Itália? Pense nas Guerras Púnicas e em Cipião, sem a qual não teríamos tido a civilização romana, mas sim a cartaginesa. Pense na Segunda Guerra Mundial, quando os Aliados chegaram para libertar a nossa nação dos nazistas. Mas esta batalha nos envolve como filhos de Deus: somos todos responsáveis ​​por nós mesmos, como pessoas, tanto do nosso bem comum como do dos outros. Um dos exemplos de aplicação do Bem Comum foi quando durante o Confinamento prometemos ficar em casa, permitindo a prática daquele Bem Comum que, segundo o ensinamento da Igreja, é «o conjunto daquelas condições de vida social que permitem tanto às comunidades como aos membros individuais, alcançar a perfeição de maneira mais completa e rápida » (Doutrina Social da Igreja, 346). Agora, uma das condições que todos alcançamos com nosso esforço virtuoso naquele momento foi acabar com a fase pandêmica o mais rápido possível para que todos os italianos pudessem se aperfeiçoar. Mas nós que somos chamados à vida de fé, nós também enfrentamos uma batalha especial. São Paulo nos fala sobre isso:

«Nossa batalha, na verdade, não é contra criaturas feitas de sangue e carne, mas contra os Principados e Potestades, contra os governantes deste mundo de trevas, contra os espíritos malignos que habitam nas regiões celestiais" (Ef 6, 12).

Esta batalha contra essas realidades espirituais, demônios chamando-os pelo nome, não é uma batalha de espadas, varinha mágica ou bruxaria. É uma batalha interna, espiritual de fato, em que o diabo tenta nos desviar do caminho descrito por Deus para nós. Vamos tentar fazer uma pequena descrição do diabo, que vemos pela primeira vez agindo contra Adão e Eva, primeiro em Gênesis 3.

«A serpente era a mais astuta de todas as feras feitas pelo Senhor Deus. Ele disse para a mulher: “É verdade que Deus disse: Você não deve comer de nenhuma árvore do jardim?”. A mulher respondeu à serpente: “Podemos comer dos frutos das árvores do jardim, mas Deus falou do fruto da árvore que está no meio do jardim: Você não deve comê-lo e não deve tocá-lo, caso contrário você morrerá". Mas a serpente disse à mulher: “Você não vai morrer de jeito nenhum! Pelo contrário, Deus sabe quando você comeu, seus olhos seriam abertos e você se tornaria como Deus, conhecendo o bem e o mal". Então a mulher viu que a árvore era boa para comer, agradável aos olhos e desejável para adquirir sabedoria; ele pegou do seu fruto e comeu, então ela também deu um pouco para o marido, quem estava com ela, e ele também comeu.".

O texto bíblico nos diz algo muito importante. O que sabemos ao ligá-lo ao Novo Testamento - e ao que a Doutrina Católica assumiu - é que Satanás e os anjos rebeldes desobedeceram a Deus. São Pedro nos explica:

«Na verdade, Deus não poupou os anjos que pecaram, mas ele os mergulhou em abismos escuros, mantendo-os cativos para julgamento" (2PT 2,4).

Teologia angélica e demoníaca oferece um estudo aprofundado do texto bíblico. O diabo é antes de tudo um anjo, um anjo que desobedeceu a Deus e caiu. assim, Ele tem as mesmas características naturais dos anjos, mas com algumas diferenças que veremos agora. Em primeiro lugar, o diabo, ser espiritual sem corpo, como todas as criaturas ele foi criado por Deus. No jargão técnico diz-se que é pura forma substancial sem matéria.

Como então explicar as aparições de anjos e demônios? Uma pergunta que é normal fazer, Os teólogos se perguntaram e depois ofereceram várias respostas. Segundo São Tomás de Aquino, o Diabo, quando aparece de uma certa maneira, É porque combina os elementos naturais e materiais: então diremos, por exemplo, que cria jogos de luz, vozes terríveis e imagens perturbadoras (PERGUNTA, eu, q. 41, a2, AD3). Não porque ele os tenha em sua natureza, mas porque é capaz de interagir com o mundo exterior e com os humanos.

Segundo o Padre Serge Thomas Bonino o Diabo é culpado do pecado do orgulho: na verdade, sendo uma entidade espiritual, ele queria um bem espiritual. O maior bem espiritual é obviamente ser como Deus. Mas o Diabo não quis ser como Deus por um dom da graça, explica São Tomás: ele realmente queria se tornar Deus. Resumidamente, diante de Deus, ele reivindicou o direito de ser chamado à participação divina (S. Bonino, Anjos e Demonios, Palavra e silêncio, 2007, 246 – 264). Isso nunca é um direito, É um dom da graça, que é oferecido pelo Senhor àqueles que se confiam a Ele. O diabo, segundo São Tomás ele era orgulhoso e não queria confiar-se a Deus, e ele então afirmou se tornar Deus. Por estas razões ele foi lançado na Geena, e a partir daí ele tenta puxar-se cada vez mais para dentro dele e para o Inferno. O Diabo age sobre os homens justamente para afastá-los de Deus e conduzi-los ao inferno, dimensão e “lugar” que são tudo menos metafóricos, mas real e acima de tudo eterno.

Apesar de serem campeões do orgulho e do egoísmo, todos os demônios se uniram, em um pacto de sujeição a Satanás, líder dos demônios, com o objetivo de afastar os crentes de Deus. Unido, em seu orgulho, eles sabem que são fortes. Mas nós não estamos sozinhos. Deus está conosco e só precisamos saber como eles agem: a tentação. A ação comum com a qual o Diabo nos impede e luta é tradicionalmente chamada de tentação.. No entanto, isso não significa que o Diabo realize ações por nós ou nos obrigue a realizá-las..

A tentação é a dimensão da solicitação e incitação ao pecado, ainda mais terrível. Tudo o que temos que fazer é lutar e resistir a este convite ao mal, fazendo uso da nossa liberdade e do nosso livre arbítrio., através do qual se pode cair em tentações diabólicas e resistir e rejeitá-las. É uma batalha desigual, mas não estamos sozinhos. A graça do Senhor nos ajuda. O diabo sabe bem disso e por isso tenta nos distanciar dele.

Clive Staples-Lewis ele soube dar voz a essa certeza do Diabo de uma forma excelente, quando em seu esplêndido trabalho As Cartas do Inferno faz o diabo dizer Screwtape:

«Os seres humanos são anfíbios – metade espírito, metade animal [...]. Como espíritos eles pertencem ao mundo da eternidade, mas como os animais eles são habitantes do tempo" (Cartas de Screwtape, capítulo 8).

Permaneçamos sempre fortes em sua graça, que recorremos especialmente nos sacramentos e na intimidade da oração. Com estas ferramentas não precisamos temer nada e nos tornarmos cada vez mais homens e mulheres de virtude.

Concluímos com a aparência: Demônio e coceira. Nossos editores Ariel Levi di Gualdo e Ivano Liguori, que na época treinava para exorcistas, eles sempre repetiam: «Do Diabo, em contextos televisivos e na imprensa, quanto menos falamos sobre isso, melhor '. Vamos esclarecer o que eles significam: quando ouvem os aspectos delicados da demonologia sendo abordados de maneira coceira programa de entrevista televisores, onde, no mínimo, algum padre ou religioso imprudente concorda em falar em um platéia povoado com soubrette idosos colocados no papel de comentaristas improváveis ​​e de secularistas mais ou menos agressivos e zombeteiros, ambos acabam sendo atacados por colmeias, e é completamente compreensível. Nenhum de nós deveria se prestar a fomentar, mesmo e apenas involuntariamente, certos jogos de coceira. Exceto para ser silenciado, se não for atacado depois de menos de meio minuto tentando em vão explicar o que não tem interesse nesses contextos televisivos, porque a única coisa que você almeja é coceira, a apresentação, não raramente o Lixo. Por esta razão, alguns sacerdotes deveriam evitar aceitar convites para aqueles salões de televisão onde é realmente impossível explicar certos temas delicados e oferecer esclarecimentos sobre eles.. É neste sentido que nossos dois irmãos afirmam: «Do Diabo, quanto menos falamos sobre isso, melhor '. O que quer dizer,: evitar, certos sacerdotes, prestar-se a fazer rir o Diabo, enquanto alguns de seus fiéis acólitos nunca perdem a oportunidade de colocar o padre ou o exorcista em dificuldades e depois expô-lo ao ridículo. Por que razão esta, a Associação Italiana de Exorcistas, ele tem repetidamente exortado padres e exorcistas a não aceitarem convites para programas de televisão e a evitarem falar sobre certos assuntos onde seja impossível discuti-los. Mas nem todo mundo ouve, como diz Al Pacino no final do esplêndido filme Advogado do diabo: «Vaidade... de todos os pecados é sempre o meu preferido».

Florença, 10 abril 2024

.

.

Inscreva-se em nosso canal Jordânia a clube teológico dirigido por Padre Gabriele clicando na imagem

 

OS ÚLTIMOS EPISÓDIOS ESTÃO DISPONÍVEIS NO ARQUIVO: WHO

.

Visite as páginas de nossa loja livro WHO e apoie nossas edições comprando e distribuindo nossos livros.

.

.

.

______________________

Queridos leitores,
esta revista exige custos de gestão que sempre enfrentamos apenas com suas ofertas gratuitas. Aqueles que desejam apoiar nosso trabalho apostólico podem nos enviar sua contribuição pela maneira conveniente e segura PayPal clicando abaixo:

Ou se preferir, você pode usar o nosso
conta bancária em nome do:
Edições A ilha de Patmos

Agência n. 59 De Roma
IBAN:
IT74R0503403259000000301118
Para transferências bancárias internacionais:
Código SWIFT:
BAPPIT21D21

Se você fizer uma transferência bancária, envie um e-mail para a redação, o banco não fornece seu e-mail e não poderemos enviar uma mensagem de agradecimento:
isoladipatmos@gmail.com

Agradecemos o apoio que deseja oferecer ao nosso serviço apostólico.

Os Padres da Ilha de Patmos

.

.

.

Informamos ao Arcebispo de Chieti-Vasto que o padre excomungado Alessandro Minutella reserva-se nas estruturas religiosas de sua Diocese para celebrar os ritos da Semana Santa e depois seguir no Grand Hotel de Assis

INFORMAMOS AO ARCEBISPO DE CHIETI-VASTO QUE O SACERDOTE EXCOMUNICADO ALESSANDRO MINUTELLA RESERVA-SE NAS ESTRUTURAS RELIGIOSAS DE SUA DIOCESE PARA CELEBRAR OS RITOS DA SEMANA SANTA E DEPOIS CONTINUA PARA O GRANDE HOTEL DE ASSIS

Quando ligamos para a Casa del Pilgrino em Manoppello, instituto fundado na época pelos Frades Menores Capuchinhos, perguntar se eles sabiam quem iriam hospedar, os responsáveis ​​literalmente caíram das nuvens ao responder que durante horas 20 no 24 eles fizeram uma reserva com um grupo de "fãs de basquete" (!?)

- Notícias da Igreja -

Autor
Os Padres da Ilha de Patmos

.

 

Senhor. Alessandro Minutela ele incorreu em excomunhão automático por cisma e heresia (veja decreto WHO), subseqüentemente, por sua obstinação obstinada, foi demitido do estado clerical por decreto do Sumo Pontífice Francisco (veja decreto WHO), portanto, não faz mais parte da Igreja e do clero católico por sentença proferida pela Autoridade Eclesiástica Suprema.

Por anos viaja pela Itália e pela Europa recolhendo pessoas perdidas e vulneráveis, trazendo ao mundo a “boa notícia” de que o Sumo Pontífice Bento XVI nunca teria feito um ato de renúncia e que o Sumo Pontífice Francisco nada mais é do que um “satânico emissário usurpador de o Anticristo".

Como ele foi excomungado e demitido do estado clerical Senhor.. Alessandro Minutella não pode acessar locais de culto ou usar estruturas eclesiásticas de forma alguma, ele não pode se qualificar como padre católico e não pode usar a vestimenta eclesiástica do clero.

Num claro sinal de desafio e provocação decidiu celebrar durante o Tríduo Pascal em Manoppello, numa estrutura religiosa junto ao Santuário da Sagrada Face. Mas vamos ao engano: quando ligamos para o Casa do Peregrino de Manoppello, instituto fundado na época pelos Frades Menores Capuchinhos, perguntar se eles sabiam quem iriam hospedar, os responsáveis ​​literalmente caíram das nuvens ao responder que durante horas 20 no 24 tinha feito uma reserva para um grupo de “cesta de torcedores”. É claro que o Sr.. Alessandro Minutella enviou seus supostos contatos para fazer uma reserva provocativa por meio de engano, certamente não em seu nome nem no de sua exótica associação de hereges cismáticos, mas mesmo em nome de um … “cesta de torcedores” (!?) Porém, o Arcebispo de Chieti-Vasto saberá o que fazer e como fazer.

No dia seguinte o Sr.. Alessandro Minutela e seus seguidores estarão todos Grande Hotel em Assis, que não é uma estrutura religiosa, mas apesar de não o ser, é uma estrutura que graças à religiosidade funciona e desenvolve a sua actividade hoteleira, o suficiente para evitar que uma pessoa expulsa da Igreja cause grave indignação ao sentimento católico, com todos os seus fanáticos a reboque, diretamente em um dos maiores lugares simbólicos do mundo da religiosidade cristã.

a Ilha de Patmos, 22 Março 2024

.

.

.

______________________

Queridos leitores,
esta revista exige custos de gestão que sempre enfrentamos apenas com suas ofertas gratuitas. Aqueles que desejam apoiar nosso trabalho apostólico podem nos enviar sua contribuição pela maneira conveniente e segura PayPal clicando abaixo:

Ou se preferir, você pode usar o nosso
conta bancária em nome do:
Edições A ilha de Patmos

Agência n. 59 De Roma
IBAN:
IT74R0503403259000000301118
Para transferências bancárias internacionais:
Código SWIFT:
BAPPIT21D21

Se você fizer uma transferência bancária, envie um e-mail para a redação, o banco não fornece seu e-mail e não poderemos enviar uma mensagem de agradecimento:
isoladipatmos@gmail.com

Agradecemos o apoio que deseja oferecer ao nosso serviço apostólico.

Os Padres da Ilha de Patmos

.

.

.

Gabriele Giordano M. Scardocci
Da Ordem dos Pregadores
Presbítero e Teólogo

( Clique no nome para ler todos os seus artigos )
Padre Gabriel

Aborto, o novo dogma do nosso tempo com o grito de liberdade, Igualitário, fraternidade …

ABORTO, O NOVO DOGMA DO NOSSO TEMPO clama LIBERDADE, IGUALDADE, FRATERNIDADE...

Pela moral católica que desce do Evangelho e da tradição viva da Igreja, bem como pela reflexão racional, o aborto é um mal e um pecado, um crime grave contra a vida pior que o assassinato de um homem ou o feminicídio. Um homem ou mulher cujas vidas estão sendo atacadas, de alguma forma, eles também poderiam se defender e escapar da morte, ou fugir do ataque do assassino, mas uma criança no ventre da mãe não é, ele não pode se defender de forma alguma ou escapar.

 

Autor:
Gabriele Giordano M. Scardocci, o.p.

 

artigo em formato de impressão PDF

 

 

Vencedora do Prêmio Nobel Madre Teresa de Calcutá ele repetiu uma frase: «O maior destruidor da paz é o aborto». A expressão lapidar contém um desafio às tendências do pensamento moderno que muitas vezes escolhem a lógica da morte em vez da vida. Entre estes está uma certa cultura de liberdade que impôs a possibilidade de escolher o aborto, a ponto de torná-lo um “dogma” contemporâneo., enraizado nas crenças mais profundas das pessoas e, naturalmente, dos políticos que votam nos parlamentos e promulgam leis que favorecem a interrupção voluntária da gravidez. Na última campanha eleitoral italiana, até mesmo alguns políticos de inspiração católica tranquilizaram os seus eleitores programa de entrevista afirmação da televisão: “o aborto continua a ser um direito intangível” (!?).

 

Sobre isso Gostaria de me referir aos acontecimentos políticos que ocorreram em duas democracias maduras, o que são os americanos e os franceses, em que podemos reconhecer a fraqueza de uma cultura de liberdade de um lado, em detrimento de outro mais fraco, quase sem direitos: a do nascituro que aspira à sua própria existência.

Em novembro 2022 no estado de Montana (EUA) ocorreu um referendo em que a seguinte questão foi proposta aos eleitores:

«Os cuidados médicos devem ser prestados às crianças que deles necessitam, se eles sobreviveram a uma tentativa de aborto?».

O voto "não" venceu, com uma percentagem igual a 52% dos eleitores. Na opinião de 231.345 os eleitores desse estado americano não deveriam receber tratamento a uma criança que está morrendo porque a primeira tentativa de acabar com sua vida falhou: a "liberdade" de uma mulher vem antes de seu direito de viver. Segundo os defensores do voto “não”, os profissionais de saúde têm todo o direito de deixar uma criança morrer, desde que a mulher veja sua escolha e seu corpo “respeitados”.. São aberrações que escapam a uma consciência moral; na verdade é muito difícil entender como o evento ocorreu, vamos dar uma olhada, de uma menina que sobreviveu a uma tentativa fracassada de aborto, pode ser definida como violência contra o corpo daquela mulher que não o quis e, portanto, deveria ser deixada para morrer, impedindo-a de receber cuidados que salvam vidas.

Logo disse: precisamente hoje, quando a chamada boa sociedade anseia por casos de feminicídio, ao mesmo tempo, devemos tomar nota de que não é considerado feminicídio se uma menina nasce viva após um aborto mal sucedido, é deixado para morrer. Na verdade, só é feminicídio se um homem mata uma mulher dominado por um impulso criminoso, mas não se um ginecologista matar uma menina, porque neste segundo caso estamos perante o exercício de um direito legalmente protegido, exercido pela mãe que é reconhecida como detentora do poder de vida e de morte e realizado pelo ginecologista que utiliza a arte médica para ajudar a mulher a usufruir deste direito indiscutível. Pelo contrário, mais que indiscutível, dogmático!

Muito mais significativo que o referendo em Montana foi a recente aprovação definitiva da alteração à Constituição pelo Parlamento francês, o Congresso do Parlamento, do que em câmaras montadas, Segunda-feira 4 Março deste ano, queria incluir o “direito” ao aborto na Carta Constitucional. A França é agora o país líder não só na Europa, mas também no mundo, incluir o direito ao aborto na sua carta fundamental. Este direito na França era regido pela lei Simone Veil de 1975. A votação do Parlamento francês e tons triunfalistas dos comentários que o exaltaram, tanto na França como na imprensa internacional, parecem transformar uma tragédia para se indignar e lutar contra, numa afirmação suprema da dignidade e da liberdade das mulheres. O aborto se torna um símbolo de emancipação, profecia de uma nova forma de compreender a feminilidade. Mais uma vez ofuscando a urgência de investir mais recursos para dar às mulheres, em vez da licença para eliminar os filhos, a possibilidade de não fazer isso. A alteração agora aprovada à Constituição, fortemente apoiado pelo Presidente Emmanuel Macron para marcar uma diferença de abordagem em relação a uma decisão anterior do Supremo Tribunal dos Estados Unidos (veja WHO), coloca vários problemas, por exemplo, aos franceses que, seguindo uma confissão religiosa que repudia o aborto, eles agora consideram isso um direito consagrado na constituição. Nenhum americano, no caso previsto na citada Sentença que adiou a decisão sobre o aborto aos Estados Federados, ele foi colocado na posição de escolher entre ser cidadão e sua consciência. No caso francês, porém, sim.

O aborto sempre foi uma necessidade dolorosa para muitas mulheres, dos quais eles próprios foram as primeiras vítimas. Matar a criança que você carrega no ventre sempre foi e é, para uma mãe normal, um drama, tornada ainda mais terrível pelo facto de uma sociedade chauvinista, ainda, ele não faz tudo que pode para evitá-lo, muitas vezes deixando-a sozinha para vivenciar em primeira mão os muitos problemas que tornam a maternidade problemática. Por esta razão, confiar no reconhecimento lógico da liberdade das mulheres para motivar tal posição política coloca vários problemas do ponto de vista filosófico., moral e biológico. Para biologia, por exemplo, não há “saltos” entre a vida pré-natal e a vida pós-nascimento e uma cesura entre uma e outra seria arbitrária: os nascituros são indivíduos biologicamente humanos, como aqueles que nasceram. Tudo então depende das justificativas filosóficas e éticas que podem ser dadas para justificar o aborto e muitos estudiosos, mesmo os não religiosos, destacaram que a ética cristã colocou pelo menos uma barreira ao que poderiam ser as consequências de direitos semelhantes sancionados constitucionalmente e decorrentes das liberdades pessoais. Desta forma, quem poderá decidir no futuro quem é um sujeito autoconsciente e quem não está entre um feto, uma criança, uma pessoa com doença mental ou em coma, uma pessoa que sofre de demência total, incapaz de compreender e querer?

Os dois casos políticos relatados acima eles nos fazem pensar naquela tradição espartana ligada ao Monte Taygetos. Naquela montanha as crianças indesejadas por não estarem aptas para a vida militar ou “defeituosas” eram jogadas de lá e feitas para morrer. «A cultura do desperdício», como o Santo Padre Francisco chamou lá atrás 2023. Porque, como sabemos, pela moral católica que deriva do Evangelho e da tradição viva da Igreja, bem como pela reflexão racional, o aborto é um mal e um pecado, um crime grave contra a vida pior que o assassinato de um homem ou o feminicídio. Um homem ou mulher cujas vidas estão sendo atacadas, de alguma forma, eles também poderiam se defender e escapar da morte, ou fugir do ataque do assassino, mas uma criança no ventre da mãe não é, ele não pode se defender de forma alguma ou escapar.

O Catecismo da Igreja Católica lembre os crentes: «A vida humana é sagrada porque, desde o seu início, envolve a ação criativa de Deus e permanece para sempre numa relação especial com o Criador, seu único propósito. Somente Deus é o Senhor da vida do começo ao fim: ninguém, em qualquer circunstância, pode reivindicar o direito de destruir diretamente um ser humano inocente " (Nº 2258). E o número 2302 recorda - eco das palavras de Madre Teresa relatadas no início - que entre os inimigos da paz encontramos antes de tudo o assassinato.

Os Pontífices afetados por esta questão do aborto todos eles assumiram uma posição clara e contrária. O Santo Padre Francisco, com a atitude colorida que muitas vezes o distingue, ele afirmou repetidamente que esta espiral de ódio é clara no aborto porque quando você faz um aborto é como pagar um assassino para cometer um assassinato (cf.. WHO). O Santo Padre Bento XVI recordou há alguns anos a terrível ferida aberta pelas leis do aborto, declarando: “Criaram uma mentalidade de degradação progressiva do valor da vida” (cf.. WHO). O Magistério de São João Paulo II foi muito claro neste sentido: «Tudo parece decorrer com o máximo respeito pela lei, pelo menos quando as leis que permitem o aborto ou a eutanásia forem votadas de acordo com as chamadas regras democráticas. Em verdade, estamos apenas diante de uma aparência trágica de legalidade e do ideal democrático, que o é verdadeiramente quando reconhece e protege a dignidade de cada pessoa humana, é traído em seus próprios fundamentos: «Como é possível ainda falar da dignidade de cada pessoa humana, quando os mais fracos e inocentes podem ser mortos? Em nome de que justiça se pratica a discriminação mais injusta entre as pessoas?, declarando alguns dignos de defesa, enquanto a outros é negada esta dignidade?». Quando essas condições ocorrem, já foram desencadeados aqueles dinamismos que levam à dissolução da autêntica convivência humana e à desintegração da própria realidade estatal.. Reivindique o direito ao aborto, para infanticídio, à eutanásia e reconhecê-la legalmente, equivale a atribuir um sentido perverso e injusto à liberdade humana: o do poder absoluto sobre os outros e contra os outros. Mas esta é a morte da verdadeira liberdade: "Verdadeiramente, na verdade eu te digo: quem comete pecado é escravo do pecado (GV 8, 34)» (cf.. Evangelho da vida, n. 20).

O drama do aborto, porque continua assim, portanto, não parece exatamente liberal, desde que tirou a vida de alguém, foi dito no início, a paz passa por um ferida; e essa paz interior também desaparece, da alma, em alguém que faz um gesto tão violento. Eventualmente, com isso, além da liberdade e da paz, até a esperança morre. Em primeiro lugar, o do feto, porque o futuro está barrado para ele, sua história humana entre seus pares. Mas também o da mulher que, apesar de toda a ajuda sanitária e psicológica, ela se verá sozinha ao dar esse passo terrível. Talvez você se sinta consolado naquele momento em saber que o aborto foi incluído entre seus direitos constitucionais? Ou ele se lembrará de toda a ajuda de que precisaria - não apenas moral e espiritual, mas também econômico, social e político - para que ele não tivesse que fazer uma escolha semelhante, ela e todas as mulheres do mundo que tiraram a vida de seus filhos?

santa maria novela em Florença, 16 Março 2024

.

Padre Gabriel, Roma, Praça da República (anteriormente Piazza Exedra) Marcha pela vida

.

.

Inscreva-se em nosso canal Jordânia a clube teológico dirigido por Padre Gabriele clicando na imagem

 

OS ÚLTIMOS EPISÓDIOS ESTÃO DISPONÍVEIS NO ARQUIVO: WHO

.

Visite as páginas de nossa loja livro WHO e apoie nossas edições comprando e distribuindo nossos livros.

.

.

.

______________________

Queridos leitores,
esta revista exige custos de gestão que sempre enfrentamos apenas com suas ofertas gratuitas. Aqueles que desejam apoiar nosso trabalho apostólico podem nos enviar sua contribuição pela maneira conveniente e segura PayPal clicando abaixo:

Ou se preferir, você pode usar o nosso
conta bancária em nome do:
Edições A ilha de Patmos

Agência n. 59 De Roma
IBAN:
IT74R0503403259000000301118
Para transferências bancárias internacionais:
Código SWIFT:
BAPPIT21D21

Se você fizer uma transferência bancária, envie um e-mail para a redação, o banco não fornece seu e-mail e não poderemos enviar uma mensagem de agradecimento:
isoladipatmos@gmail.com

Agradecemos o apoio que deseja oferecer ao nosso serviço apostólico.

Os Padres da Ilha de Patmos

.

.

.

Um bom sacerdote é tal se espera o fim do seu mandato para louvar o seu Bispo: Andrea Turazzi, a partir de hoje Bispo emérito da Diocese de San Marino-Montefeltro

UM BOM PADRE É TAL QUE PARA ELOGIAR O SEU BISPO ESPERA O FIM DO SEU MANDATO EPISCOPAL: ANDREA TURAZZI, A PARTIR DE HOJE BISPO EMÉRITO DA DIOCESE DE SÃO MARINO-MONTEFELTRO

«Venerável Bispo, Quero que saiba que durante o seu episcopado você me deu os dez melhores anos do meu sacerdócio, isso é algo pelo qual sempre serei profundamente grato a você"

- Notícias da Igreja -

.

artigo em formato de impressão PDF

 

.

A partir de hoje H.E.. Mons. Andrea Turazzi ele é bispo emérito de San Marino-Montefeltro, minha Diocese de pertencimento.

Meu bispo por um ano, depois de me conhecer, ele me contou naquele distante maio 2015: «Você nasceu para ser caçador e eu nasci para ser veterinário». Ele sorriu para mim com carinho e continuou: «Tanto caçadores como veterinários são necessários na Igreja, só por favor não atire com chumbo pesado, se alguma coisa, use pellets menores".

Para um padre, não amar um Bispo que se apresenta desta forma é impossível. E eu amei meu bispo, mesmo que eu nunca tenha dito isso publicamente, porque não teria sido apropriado e prudente.

Ano passado, enquanto crescia uma polêmica na qual eu havia mergulhado diretamente de batina, sem sequer me despir e vestir o maiô, ele me disse: «Eu não questiono suas razões, impecável em nível doutrinário e teológico, Só peço que você tente ser um pouco mais moderado.". Depois de me estender este convite, ele acrescentou: "Claro, ninguém pode dizer que te falta coragem, talvez você até tenha muito disso. Por isso não tenho vontade de me dirigir a você de forma alguma, pois esta é a sua natureza e o caráter que Deus lhe deu, ninguém pode pedir que você seja diferente do que você é, Só peço um pouco de moderação na polêmica legítima, nada mais".

Como sempre eu o escutei. E poucos dias depois enviei-lhe uma mensagem privada na qual lhe agradeci nestes termos: «Venerável Bispo, Quero que saiba que durante o seu episcopado você me deu os dez melhores anos do meu sacerdócio, isso é algo pelo qual sempre serei profundamente grato a você".

Se usar essas palavras de carinho ele é alguém como eu, que não hesitei em chamar publicamente de criminoso um poderoso cardeal, afirmando que teria preferido lidar com os da Banda della Magliana em vez de com ele e os seus capangas (cf.. WHO), isto significa que tive a graça de ter como Bispo um autêntico homem de Deus e um verdadeiro modelo de Pastor no cuidado das almas, algo que é cada vez mais raro nestes tempos tristes que a Igreja universal vive. Na sua vida e no seu governo episcopal, o meu Bispo foi um alto modelo e uma viva realização do ensinamento dos Padres da Igreja que exortam:

«Todos os sacerdotes, em união com os bispos, eles participam do mesmo e único sacerdócio e ministério de Cristo, de tal forma que a mesma unidade de consagração e missão exige a comunhão hierárquica dos presbíteros com a ordem dos bispos […] Os bispos, portanto,, graças ao dom do Espírito Santo que é concedido aos sacerdotes na sagrada ordenação, têm em si os colaboradores e assessores necessários no ministério e na função de instruir, santificar e governar o povo de Deus […] Por esta participação comum no mesmo sacerdócio e ministério, os bispos devem, portanto, considerar os sacerdotes como irmãos e amigos, e cuide deles, em tudo que podem, seu bem-estar material e sobretudo espiritual" (Ver. Por decreto dos Presbíteros da Ordem, n. 7).

Somente agora que já não tem o poder de governo pastoral sobre a Diocese e sobre mim, Posso dizer publicamente o quanto o reverenciei, apreciei e amei meu bispo. E como não foi difícil para mim, com um Bispo assim, pôr em prática esta exortação dos Padres da Igreja:

«Eu presbiteri, Por seu lado, tendo presente a plenitude do sacramento da ordem de que gozam os bispos, venerem neles a autoridade de Cristo, pastor supremo. Unam-se, portanto, ao seu bispo com sincera caridade e obediência. Esta obediência sacerdotal, permeado pelo espírito de colaboração, baseia-se na mesma participação do ministério episcopal, conferido aos sacerdotes através do sacramento da ordem e da missão canônica”. (Ver. Por decreto dos Presbíteros da Ordem, n. 7).

Para o bispo É filial respeito devido e obediência devota pelo presbítero, Prometemos isto solenemente no dia em que recebemos a consagração sacerdotal. E eu respeitei e obedeci ao meu bispo, porque foi devido a ele. Então eu também o respeitei e amei, mas não porque era devido a ele, porque nem estima nem amor são devidos a qualquer Bispo como tal; se eu os derramasse sobre ele, é porque ele os merecia profundamente.

Desculpe pelos irmãos sacerdotes e isso machuca Fideles Christi desta Diocese de Feretra que o mandato do Bispo não foi prorrogado. Quase se gritaria “desperdício”.!”na frente de um homem de 75 anos em perfeita saúde física, equipado com todas as forças humanas e espirituais necessárias, de conhecimento e sabedoria. Mas por outro lado, a Roma da “Igreja hospital de campanha” e dos “subúrbios existenciais” parece habituada a isso, hoje ainda mais que ontem, decidir sobre as cartas secas, especialmente quando se trata dos tão alardeados "subúrbios".

Não tenho ideia de quem é seu sucessor porque eu não o conheço, Só sei que o nome dele é Domenico Beneventi, 49 anos, sacerdote da Diocese de Acerenza, uma Diocese particularmente querida ao Cardeal Crescenzio Sepe, muito ativo e diligente nos últimos tempos na apresentação de novos candidatos adequados para o episcopado. De agora em diante desejo que o novo Bispo eleito não seja apenas respeitado e obedecido, como devido a ele por vínculo sacramental; Desejo também que ele seja amado e estimado como o foi o seu antecessor.. Mas o amor e a estima do clero e dos fiéis devem ser conquistados a um preço elevado, muitas vezes mesmo ao custo de lágrimas e sangue, precisamente porque não são coisas necessárias. Este é o trabalho mais difícil para qualquer bispo, que sempre se traduz em sucesso apenas em homens autênticos de Deus, prontos a conformar-se com o mistério da Cruz de Cristo Senhor.

 

a Ilha de Patmos, 3 fevereiro 2024

.

.

______________________

Queridos leitores,
esta revista exige custos de gestão que sempre enfrentamos apenas com suas ofertas gratuitas. Aqueles que desejam apoiar nosso trabalho apostólico podem nos enviar sua contribuição pela maneira conveniente e segura PayPal clicando abaixo:

Ou se preferir, você pode usar o nosso
conta bancária em nome do:
Edições A ilha de Patmos

Agência n. 59 De Roma
IBAN:
IT74R0503403259000000301118
Para transferências bancárias internacionais:
Código SWIFT:
BAPPIT21D21

Se você fizer uma transferência bancária, envie um e-mail para a redação, o banco não fornece seu e-mail e não poderemos enviar uma mensagem de agradecimento:
isoladipatmos@gmail.com

Agradecemos o apoio que deseja oferecer ao nosso serviço apostólico.

Os Padres da Ilha de Patmos

.

.

.

A caridade lava e limpa até o dinheiro sujo, Os grandes Santos da Caridade nos ensinam isso na história da Igreja

A CARIDADE LAVA E FAZ LIMPAR ATÉ O DINHEIRO SUJO, OS GRANDES SANTOS DA CARIDADE NOS ENSINAM NA HISTÓRIA DA IGREJA

Certos bispos de Migrantopoli e Pauperopoli parecem querer apresentar-se hoje mais puros e imaculados que a Bem-Aventurada Virgem Maria, apenas para agradar o mundo e agradá-lo. Até entendermos que a caridade “tudo cobre” e “tudo transforma”, que, no entanto, eles não conseguem captar e compreender, se encontrarem uma pessoa que se afirme como seu presidente: “o Evangelho não é uma destilação da verdade”.

- Notícias da Igreja -

.

Formato de artigo PDF carimbouma

 

.

.

 

Quando o Beato Apóstolo Paulo ele compôs o louvor da caridade e também falou hoje. Esta é a característica da Palavra de Deus: uma linguagem eterna que se comunica com os homens de todos os tempos e que ao longo dos séculos revela novas mensagens contidas nessas mesmas palavras.

As Sagradas Escrituras eles têm um estilo e linguagem apocalípticos no sentido etimológico do termo. Embora o termo apocalipse seja comumente falado, o grego revelação, é erroneamente usado para indicar um evento catastrófico ou o fim do mundo, seu verdadeiro significado é “revelar”, “remova o véu que cobre”, então descubra. Entre o termo apocalipse e o termo epifania, derivado do grego superfície, que significa “eu me manifesto”, há uma ligação estreita. A epifania entendida como manifestação da divindade é um “desvelamento” contínuo dos conteúdos contidos nas falas, dentro das linhas e além das linhas das Sagradas Escrituras que contêm a Palavra de Deus.

Na música em questão, também conhecido como Hino à Caridade, o Beato Apóstolo Paulo expressa:

«A caridade é paciente, caridade é gentil; caridade não é invejosa, não se vangloria, não incha, não falta respeito, não busca o interesse dele, ele não está bravo, não leva em consideração o mal recebido, não gosta de injustiça, mas tem prazer na verdade. Tudo cobre, todo mundo acredita, espero tudo, aguenta tudo. Caridade nunca vai acabar. […] Estas são as três coisas que permanecem: fé, esperança e caridade; mas de tudo o maior é a caridade!» (I Coríntios 1, 1-13)

Vamos comparar esta passagem paulina, fácil e compreensível apenas na aparência, com um recente evento de notícias eclesiais:

«"O hospital pediátrico Bambino Gesù de Roma teve razão em recusar a rica doação da empresa Leonardo" porque "é dinheiro sujo, sujo com armas, manchado de sangue, sujeira de guerra". Mons. Giovanni Ricchiuti presidente nacional da Pax Christi e bispo de Altamura-Gravina-Acquaviva delle Fonti, assume uma posição mais que clara depois disso A República ele escreveu que um milhão e meio de euros teria sido rejeitado. “Finalmente”, diz ele, “estamos alinhados com uma Igreja que realmente se liberta dessas restrições, dessas doações que chegam, como no caso, de uma indústria que produz armas. O Vaticano estava certo em recusar esta oferta. Digo isso como bispo: é uma Igreja que ama a verdade"" (cf.. WHO e WHO).

Primeiro uma pergunta. Depois do presidente do Paz de cristo anunciou que a nossa corrente “é uma Igreja que ama a verdade”, seria necessário esclarecer duas coisas fundamentais. O primeiro: anteriormente, a Igreja, por dois mil anos que verdade ele amou, presumindo que ele a amava? A segunda: o que é a verdade?

Recentemente, o Presidente dos Bispos da Itália, no silêncio total do nosso episcopado nacional afirmou que “o Evangelho não é uma destilação da verdade” (cf.. WHO). Pelo menos, Pôncio Pilatos, na época ele não fez uma declaração como a do Presidente dos Bispos da Itália, de uma forma muito mais elegante ele fez uma pergunta a Cristo: «O que é verdade?», O que é verdade (cf.. GV 18,38).

Não é fácil falar sobre a verdade na hoje emocionante Igreja de Migrantopoli e Pauperopoli. Então, tentemos voltar àquele São Tomás de Aquino que nas salas de estar dos clérigos cada vez mais ignorantes chique radical é referido como "antigo" e "desatualizado". Para o Doutor Angélico o Doutor Comum A verdade é o próprio Deus a mais alta e primeira verdade em si (Summa, eu q. 16 uma. 5 c). A verdade nunca se revela totalmente, por esta razão «a verdade e a opinião errada, verdade e mentiras no mundo estão continuamente misturadas de uma forma quase inextricável [...] torna-se reconhecível, se Deus se tornar reconhecível. Ele se torna reconhecível em Jesus Cristo. Nele Deus entrou no mundo, e elevou o critério da verdade no meio da história" (Joseph Ratzinger, dentro Jesus de Nazaré, A pergunta de Pilatos, pp. 216-218).

Por vontade do seu divino fundador a Igreja de Cristo não nasceu para agradar o mundo e agradá-lo, mas para lutar contra isso:

"Se o mundo vos odeia, sei que ele odiava-me antes. Se você fosse do mundo, o mundo amaria o que era seu; porque não sois do mundo, mas eu vos escolhi a vós do mundo, é por isso que o mundo te odeia" (GV 15, 18-19).

Se opiniões errôneas se sobrepõem à verdade que ganham vida a partir de elementos emocionais subjetivos ou coletivos, permanece completamente escondido na comovente Igreja de Migrantopoli e Pauperopoli, onde não há hesitação em afirmar que “o Evangelho não é uma destilação da verdade”, tudo no silêncio de todo o episcopado italiano.

Ao recusar essa doação mais uma vez tentamos agradar o mundo, em particular aquela formada por pessoas que longe de irem à Santa Missa na Páscoa e no Natal, eles nem sabem fazer o sinal da cruz. Este é o mundo que esta nossa Igreja visível e de sabor cada vez mais exótico quer agradar a todo custo, esquecendo sua própria história, a partir daquele dos grandes santos da caridade.

Vamos começar com os Jesuítas, a quem no presente momento histórico é justo dar um merecido direito de prioridade: os institutos faraônicos construídos ao redor do mundo, muitas vezes beirando a megalomania, juntamente com as igrejas adjacentes, suas faculdades, que em muitas ocasiões irritaram muito os bispos diocesanos, porque eles foram deliberadamente construídos maiores, rico e solene de suas igrejas catedrais, com o dinheiro e contribuições de quem os construiu? Porque os espanhóis e portugueses que lhes ofereceram amplo financiamento eram os mesmos que administravam o mercado de escravos ou que, quando necessário, administravam a justiça de forma casual, ou seja,: primeiro eles cortaram sua cabeça ou te enforcaram, então eles finalmente avaliaram se você realmente fez algo errado. Os jesuítas de hoje, que são o motor ideológico de Migrantopoli e Pauperopoli, Eles realmente não têm nenhuma memória da história?

Aos grandes Santos da Caridade e aos grandes pedagogos a quem devemos a fundação de preciosas instituições de bem-estar para órfãos, idosos abandonados, para a educação das crianças pobres e para o acolhimento e cuidado das pessoas com deficiência, da San Filippo Neri mas para Santo João Bosco, passando por São Vincenzo de 'Paoli e chegando aos mais recentes São José Benedito Cottolengo, São Giovanni Calábria e São Luís Orione, que forneceram os recursos financeiros necessários para a realização de suas obras? quando em 1980 Luís Orione foi beatificado, pouco depois surgiram vários protestos de círculos de pessoas que nem sequer conheciam as primeiras seis palavras do Nosso pai, incluindo o patético protesto da ANPI (Associação Nacional de Partidários Italianos) que o acusou de ter sido um apoiante do regime fascista graças ao qual recebeu fundos para a criação das suas obras; protesto que se repetiu em 2004, quando o beato Luís Orione foi canonizado.

As grandes obras destes Santos da caridade eles ainda estão ativos hoje, alguns dos quais constituem centros clínicos e assistenciais considerados de verdadeira excelência a nível europeu: a obra de Turim de San Giovanni Benedetto Cottolengo, as enormes obras assistenciais de São Luigi Orione em Gênova, o Hospital do Sagrado Coração de Verona em San Giovanni Calabria... alguém, você já se perguntou de onde e de quem veio o dinheiro? Mais do que tudo, alguém se pergunta se hoje, especialmente diante de certos protestos absurdos, a Igreja visível teria tido a coragem de beatificá-los e canonizá-los, ou se, em vez disso, ele teria cedido a grupos de pessoas que nem sequer conhecem as primeiras seis palavras do Nosso pai mas que, no entanto, afirmam ditar a lei para nós, com as nossas Autoridades Eclesiásticas que inclinam a cabeça e cedem aos caprichos políticos e ideológicos de ambientes não católicos e não cristãos. A este respeito, refiro-me aos meus trabalhos Ervas Amare e Pio XII e a Shoah no qual explico as influências externas exercidas por certos grupos agressivos que tentaram por todos os meios injustos, ao ponto de recorrer à fabricação de falsificações históricas, bloquear a causa de beatificação de Pio XII e a cerimônia de beatificação do Padre Leão Dehon para o qual a data já havia sido marcada 24 abril 2005 na Praça de São Pedro, mas que foi cancelado devido a improváveis ​​acusações de anti-semitismo levantadas contra ele por alguns círculos judaicos. Dado que nunca e sob nenhuma circunstância a Igreja pode receber ordens do moderno Grande Sinédrio e aceitar os seus protestos, a pergunta a fazer era a seguinte: assumindo que o Padre Leon Dehon escreveu algumas frases críticas sobre os empresários judeus - que precisavam de ser lidas e contextualizadas historicamente no contexto da Revolução Industrial -, dado que o seu processo de beatificação durou quase meio século, porque certos círculos judaicos esperaram pacientemente até que a cerimônia de beatificação fosse marcada para dar origem àquela polêmica pública na imprensa mundial? Simples: mesmo que eles sempre tivessem conhecido esses escritos, eles tiveram que provar, com um verdadeiro teste de força, que puderam dar ordens à Igreja e induzi-la a recuar não só numa decisão tomada, mas mesmo de uma cerimónia de beatificação já formalizada e agendada. Este era o verdadeiro propósito, o que foi em grande parte conseguido através da sua arrogância e da nossa fraqueza. O problema não foi a beatificação em si do Padre Leon Dehon, a Igreja pode beatificar quem quiser e nunca deve aceitar protestos nesse sentido, já que os judeus não têm nenhum tipo de obrigação de venerar nossos Beatos e Santos em suas sinagogas, assim como certas franjas do sionismo político, nasceu e se desenvolveu a partir do coração do Judaísmo, eles não aceitam críticas dirigidas ao Exército Israelita quando este arrasa centros populacionais inteiros na Faixa de Gaza, exceto gritar como um anti-semita para qualquer um que ouse discordar de ações que não constituem legítima defesa, mas verdadeiros crimes contra humanidade.

Estes grandes santos da caridade não hesitaram em aceitar dinheiro do património de indivíduos conhecidos e conhecidos pela sua imoralidade e pela forma bastante casual como conduziam os seus negócios sem muitos escrúpulos. Os bons jesuítas quais eles eram, cuja moral rígida era bem conhecida e que durante muito tempo tentou transformar adolescentes em meio a crises hormonais num casto exército de São Luís Gonzaga, eles nunca tiveram nenhum escrúpulo particular em aceitar grandes doações dos maiores prostitutos e trapaceiros dos tribunais espanhóis. Apenas os adolescentes deveriam ser puros e castos, a quem ele se impôs em suas faculdades, até longe dos tempos remotos, dormir com as mãos fora dos lençóis para evitar o risco de cometer “abomináveis ​​atos impuros”, enquanto ao mesmo tempo, sob os lençóis daqueles a quem deviam grandes doações em dinheiro para a construção de suas estruturas faraônicas, em vez disso, tudo e muito mais poderia ter sido feito, em atos impuros verdadeiramente abomináveis.

O grande problema - dado que “o Evangelho não é uma destilação da verdade” - é dada pela incapacidade de ler as palavras do Beato Apóstolo Paulo sobre a caridade, por exemplo, a afirmação de que "cobre tudo". Se suas palavras fossem lidas e compreendidas em profundidade, entenderíamos que para a realização de obras de caridade deveríamos aceitar não apenas o dinheiro das empresas que fabricam armas, mas até o dinheiro doado pelos narcotraficantes mexicanos. Porque se esse dinheiro sujo for inteiramente usado em obras de caridade para os pobres, fraco, oprimido, deficiente e doente, eles ainda ficarão limpos, porque a caridade “cobre tudo”, ou se preferirmos: «tudo se transforma», porque só a caridade divina, que é Cristo, pode transformar o mal em bem, então dinheiro sujo em dinheiro limpo. Caso contrário, poderia surgir um problema teológico de não pouca importância.: negar que a graça de Deus pode transformar o mal em bem. Como é bem conhecido, no entanto,, uma das coisas que está menos na moda hoje em dia na Igreja do emocional e do politicamente correto é justamente a teologia.

Certos bispos de Migrantopoli e Pauperopoli parece que querem apresentar-se hoje mais puros e imaculados que a Bem-Aventurada Virgem Maria, apenas para agradar o mundo e agradá-lo. Até entendermos que a caridade “tudo cobre” e “tudo transforma”, que, no entanto, eles não conseguem captar e compreender, se encontrarem uma pessoa que se afirme como seu presidente: “o Evangelho não é uma destilação da verdade”.

a Ilha de Patmos, 23 Janeiro 2024

.

.

______________________

Queridos leitores,
esta revista exige custos de gestão que sempre enfrentamos apenas com suas ofertas gratuitas. Aqueles que desejam apoiar nosso trabalho apostólico podem nos enviar sua contribuição pela maneira conveniente e segura PayPal clicando abaixo:

Ou se preferir, você pode usar o nosso
conta bancária em nome do:
Edições A ilha de Patmos

Agência n. 59 De Roma
IBAN:
IT74R0503403259000000301118
Para transferências bancárias internacionais:
Código SWIFT:
BAPPIT21D21

Se você fizer uma transferência bancária, envie um e-mail para a redação, o banco não fornece seu e-mail e não poderemos enviar uma mensagem de agradecimento:
isoladipatmos@gmail.com

Agradecemos o apoio que deseja oferecer ao nosso serviço apostólico.

Os Padres da Ilha de Patmos

.

.

.

Giuseppe Betori, um homem de cultura e um bispo que conseguiu a difícil tarefa de se tornar querido pelo presbitério florentino

GIUSEPPE BETORI, UM HOMEM DE CULTURA E UM BISPO QUE TEM SUCESSO NA DIFÍCIL TAREFA DE TORNAR O PRESBITERIO DE FLORENÇA COMO ELE

Enquanto um miserável traficante de veneno afirma: «Sem esquecer que o clero de Florença está farto de Betori que causou mais danos do que qualquer outra coisa», Em vez disso, ressoa em todos nós uma pergunta que, se desejada, desperta ansiedade em nossas almas: e depois?

- Notícias da Igreja -

.

Autor
Simone Pifizzi

.

artigo em formato de impressão PDF

.

.

A partir da última semana do Advento e seguidas pelas solenidades do Santo Natal, os Padres da Ilha de Patmos - que antes de serem estudiosos e publicitários são antes de tudo sacerdotes - estavam empenhados em atividades pastorais. Certas solenidades, em particular Santo Natal e Santa Páscoa, eles são sempre precedidos por sermões, confissões e orientações espirituais, hoje mais do que nunca tudo menos fácil, considerando os tempos de confusão que os fiéis católicos vivem, por um lado, nós sacerdotes, por outro lado. Retomamos assim a nossa actividade publicitária nesta nossa revista com a apresentação de um vídeo muito interessante que recomendamos que vejam..

No final do próximo mês de fevereiro Cardeal Giuseppe Betori, Arcebispo Metropolitano de Florença, celebrará seu 77º aniversário. Ele passou muitos desses anos de sua vida 16 à frente da Igreja Florentina, que está chegando em breve’ deixar nas mãos de seu sucessor.

Apesar dos julgamentos maliciosos recentemente difundido por algum personagem obscuro e doloroso que se estabeleceu como juiz intransigente de toda a hierarquia eclesiástica (cf.. WHO) e que costuma afirmar «nós no Vaticano… aqui no Vaticano…», exceto não poder sequer chegar perto dos portões de entrada daquele pequeno Estado Soberano, entre a maioria do clero florentino há a consciência de que este bispo da Úmbria - apesar das limitações de cada ser humano - deu verdadeiramente uma grande contribuição à sua Igreja particular e a toda a Igreja italiana. Por esta razão, será sem dúvida lamentável o equilíbrio, a clareza e profundidade teológica e cultural que demonstrou no seu serviço apostólico.

Fazendo uma análise realista dos últimos vinte anos, verificar-se-á que tivemos a oportunidade de experimentar dois tipos completamente diferentes de bispos. antigamente, entre o final do pontificado do Santo Pontífice João Paulo II e o pontificado do Venerável Bento XVI tivemos a temporada dos “professores bispos”. Compreensível, a crise da doutrina gerou situações que ele ilustrou bem 14 anos atrás nosso Padre Ariel S. Levi di Gualdo em um de seus livros sobre a análise da Igreja:

«A crise da doutrina gerou uma profunda crise de fé que por sua vez deu origem a uma crise moral dentro do nosso clero» (cf.. E Satanás se tornou trino, Edições A ilha de Patmos, 2010).

Nesse assunto Nosso Padre Ivano Liguori também retornou recentemente com um artigo preciso e dramático de sua autoria:

«Da desorientação doutrinária da Igreja ao pecado dos sacerdotes e à reciclagem dos leigos. Perspectiva de uma cultura intransigente que ao condenar santifica e condena santificando" (cf.. WHO).

Os chamados “professores bispos”, à luz dessas questões, por si só, eles não eram uma má ideia, mas os resultados nem sempre são felizes, quando começamos a ter pessoas catapultadas de uma cátedra universitária para uma cátedra episcopal à frente das dioceses, porque são duas cátedras substancialmente diferentes. Bispos muitas vezes sem experiência pastoral que tendiam a relacionar-se com os seus sacerdotes como professores com estudantes ou que transformavam assembleias e reuniões do clero em aulas académicas, ignorando, muitas vezes não entendendo nada, os problemas que seus sacerdotes vivenciaram e tiveram que enfrentar todos os dias.

Na próxima mudança de vento a necessidade de “pastores com cheiro de ovelha” começou a ser invocada, o que por si só não seria uma má ideia, assim como a dos “professores bispos” não foi. Infelizmente, quando a ideologia mina por trás das aparentes boas intenções, ou se queremos uma verdadeira prevenção em relação aos "principescos" (!?) episcopado italiano, os resultados só podem ser infelizes. E hoje nos encontramos com um número substancial de bispos retirados dos centros da Caritas ou de “periferias” não especificadas, só é capaz de falar dos pobres, migrantes e a “Igreja em movimento”.

Em vez de seguir em frente fomos catapultados para trás, no início dos anos setenta, quando os sessenta e oito falaram de “proibido proibir” e de “imaginação no poder”. Sobre a preparação doutrinal e teológica destes bispos, todos projectados num sistema social que já vimos fracassar abundantemente nos vários campos sociais e políticos, vamos tirar um véu compassivo da caridade cristã. De fato, quando o Presidente dos Bispos da Itália responde afirmando que “o Evangelho não é uma destilação da verdade” (cf.. WHO), não há muito mais a acrescentar, tanto em relação aos padres de “fronteira” ou de “rua”, tanto em relação à "Igreja em saída" que nos aparece, mais do que "extrovertido", à beira da falência, prova disso é o facto de há alguns anos que tentamos resolver os problemas colocando sob comissário todos os comissários possíveis e imagináveis, com uma exceção: a Companhia de Jesus.

Cardeal Giuseppe Betori, talvez um dos últimos de uma geração agora em extinção, soube colocar a sua ciência e a sua cultura ao serviço integral da pastoral. Personagem na primeira abordagem introvertido e tímido, nas relações com o clero demonstrou grande capacidade de escuta e acolhimento, ele era um professor e um guardião da fé, não é um professor na cadeira. Amou a sua Igreja e soube fazer-se amar, mesmo por aqueles que o acolheram à sua chegada com aquele ar de condescendência, suspeita e desconfiança típicas de nós, florentinos, que somos historicamente sujeitos que não são exatamente fáceis de lidar, tratar e governar. Suas homilias, sempre profundo, mas ao mesmo tempo claro e compreensível, despertaram estima e respeito por parte dos fiéis católicos.

E enquanto um miserável traficante de veneno afirma: «Sem esquecer que o clero de Florença está farto de Betori que causou mais danos do que qualquer outra coisa» (cf.. WHO), Em vez disso, ressoa em todos nós uma pergunta que, se desejada, desperta ansiedade em nossas almas: e depois?

Florença, 12 Janeiro 2024

.

______________________

Queridos leitores,
esta revista exige custos de gestão que sempre enfrentamos apenas com suas ofertas gratuitas. Aqueles que desejam apoiar nosso trabalho apostólico podem nos enviar sua contribuição pela maneira conveniente e segura PayPal clicando abaixo:

Ou se preferir, você pode usar o nosso
conta bancária em nome do:
Edições A ilha de Patmos

Agência n. 59 De Roma
IBAN:
IT74R0503403259000000301118
Para transferências bancárias internacionais:
Código SWIFT:
BAPPIT21D21

Se você fizer uma transferência bancária, envie um e-mail para a redação, o banco não fornece seu e-mail e não poderemos enviar uma mensagem de agradecimento:
isoladipatmos@gmail.com

Agradecemos o apoio que deseja oferecer ao nosso serviço apostólico.

Os Padres da Ilha de Patmos

.

.

.

A quem Marco Felipe Perfetti se refere quando afirma no site Silere Non Possum «aqui no Vaticano … nós no Vaticano", se ele não consegue nem pôr os pés no Vaticano?

QUEM É MARCO FELIPE PERFETTI REFERENDO-SE À DECLARAÇÃO DO SITE NÃO POSSO FICAR EM SILÊNCIO «AQUI NO VATICANO… NÓS NO VATICANO…», SE VOCÊ NÃO PODE NEM PÔR OS PÉS NO VATICANO?

Por que se preocupar com essa pessoa que não desperta em nós nenhum encanto e interesse, mas apenas a compaixão cristã e sacerdotal? Porque tem acontecido com muita frequência que múltiplas pessoas da Itália e do exterior nos pediram informações sobre este “grande conhecedor” e “frequente” da Santa Sé e do Vaticano.

- Notícias da Igreja -

.

Autor
Editores da ilha de Patmos

 

 

 

 

 

 

.

Os Padres da Ilha de Patmos eles têm muitos temas interessantes para tratar no contexto da doutrina da fé e falar sobre certos personagens não está em suas aspirações. No entanto, temos deveres que não podemos evitar. O gerente do site Eu não posso ficar em silêncio continua a apresentar-se como um excelente especialista na Cúria Romana, da Santa Sé e do Estado da Cidade do Vaticano. E isso realmente cria vários problemas.

Recentemente, quando tentou beatificar o infeliz Arquiabade de Montecassino, falecido há algumas semanas, aludindo em suas diversas postagens que a Igreja deveria pedir desculpas a este “inocente” (!?), ignorando completamente o fato de que seus atos foram e permanecem indescritíveis, por essas colunas ele foi sensacionalmente negado pelos deuses dubia ao qual ele obviamente nunca respondeu (ver artigo WHO).

Ele sempre atirava em rajadas sobre pessoas e instituições da Santa Sé, indo contra a vontade de todos, do Sumo Pontífice aos soldados da Gendarmaria do Vaticano. Durante meses, ele zombou e insultou incansavelmente Paolo Ruffini, Prefeito do Dicastério para as Comunicações da Santa Sé, e Andrea Tornielli, Diretor de Comunicação Social da Santa Sé, indicando-os como «incapazes, incompetente, ignorante…», a ponto de acusá-los de serem "analfabetos". Quer Andrea Tornielli – goste ou não – é um profissional de renome internacional na área do jornalismo e, após mais de trinta anos de profissão, um dos especialistas do Vaticano mais conhecidos no mundo, Não é algo que pareça interessar ao Sr. Marco Felipe Perfetti, a quem seria inútil lembrar que o diretor da Comunicação Social do Vaticano, repetidamente acusado de "analfabetismo", ele certamente não publicou por conta própria, como ele fez, um livreto às suas próprias custas, porque ele é autor de dezenas de livros traduzidos em vários idiomas, incluindo biografias substanciais sobre os Sumos Pontífices do século XX que, a nível documental, permanecem obras de elevado interesse histórico.

No entanto, se "dubia" calmas forem dirigidas a ele que é insolente e zomba de tudo e de todos, pelo Sumo Pontífice para seguir (veja coleção de vídeos WHO), neste caso ele não hesitaria em enviar algum padre alegre para reclamar ao Bispo de um de nós. Já, porque há algum tempo o Sr. Perfetti queria liberar o cavalo de Tróia gay para dentro da Igreja, afirmando em seus escritos e vídeos que os clérigos dedicados à prática da homossexualidade são apenas pessoas que têm o direito de viver sua sexualidade como bem entenderem em suas vidas privadas. Desta forma, porém, demonstra que desconhece – apesar de se apresentar como especialista em Direito Canónico – que para um sacerdote o conceito de “vida privada” é muito diferente da forma como o entende., tanto no nível da moral católica quanto no do direito. O exercício da sexualidade não natural - porque a homossexualidade continua a ser antinatural segundo a doutrina católica - se praticado por um clérigo cai de facto e de direito no gravíssimo crime de sacrilégio carnal, certamente não no exercício das liberdades ligadas à vida privada dos clérigos.

Por que se preocupar com essa pessoa que não nos desperta qualquer fascínio ou interesse, mas apenas a compaixão cristã e sacerdotal? Porque acontecia com muita frequência que mais pessoas, da Itália e do exterior, pediram-nos informações sobre este “grande conhecedor” e “frequente” da Santa Sé e do Vaticano.

Como já foi dito e explicado anteriormente (ver artigo WHO), Este personagem não pode pisar no Vaticano, tanto pelo que escreve como pelas explosões de insolência que pronuncia. E se ele chegasse perto de uma das portas de acesso ao território deste estado, nem sequer permitiriam que ele entrasse.

Quando ele usa expressões como essa em seus vídeos «aqui no Vaticano… nós no Vaticano…», ele se orgulha de conhecimentos e conexões que ele absolutamente não possui. As únicas pessoas que ele conhece são alguns minutantes anônimos de baixo escalão que permaneceram vinculados ao cargo e que expressam através dele suas frustrações decorrentes de sua carreira eclesiástica fracassada., fornecendo-lhe doses de veneno para espalhar pelo mídia social. Se não, para as muitas pessoas ingênuas que seguem seu site e consideram verdadeiro o que ele diz e escreve, ele deveria provar suas conexões gravando um de seus vídeos de dentro da Cidade do Vaticano. Se ele não puder fazer isso no Pátio San Damaso, ou enquanto caminha sob os afrescos da Terceira Loggia da Secretaria de Estado, poderia atirar em um dos Jardins do Vaticano, ou na esquina do Palácio do Governador sob a estátua de San Michele Arcangelo, ou em frente à bela Fontana del Veliero. Em vez disso, ele continua a se apresentar como um grande especialista em assuntos do Vaticano, ao mesmo tempo que continua a filmar e distribuir vídeos enquanto está perto da Via della Conciliazione., ou fora da Colunata de Bernini, ou principalmente de outros locais externos ou internos, todos rigorosamente localizados no território da República Italiana, exceto para dizer "aqui no Vaticano... nós no Vaticano...".

Se crescer envolve esforço que alguns não suportam isso é problema deles, desde que não façam as pessoas acreditarem que são o que não são, ou entrar onde ele não tem permissão para pisar, forçando outros a responder que este grande frequentador e conhecedor da Santa Sé que começa dizendo "aqui no Vaticano... nós no Vaticano...", a ponto de datar seus vídeos com as palavras "Cidade do Vaticano", ele é simplesmente alguém que não consegue nem chegar perto dos portões de acesso ao Estado da Cidade do Vaticano. E se a pessoa em causa pudesse demonstrar o contrário, isso prova isso, responder rigorosamente ao mérito do que lhe foi impugnado à luz da verdade dos factos.

a Ilha de Patmos, 8 dezembro 2023

.

.

.

______________________

Queridos leitores,
esta revista exige custos de gestão que sempre enfrentamos apenas com suas ofertas gratuitas. Aqueles que desejam apoiar nosso trabalho apostólico podem nos enviar sua contribuição pela maneira conveniente e segura PayPal clicando abaixo:

Ou se preferir, você pode usar o nosso
conta bancária em nome do:
Edições A ilha de Patmos

Agência n. 59 De Roma
IBAN:
IT74R0503403259000000301118
Para transferências bancárias internacionais:
Código SWIFT:
BAPPIT21D21

Se você fizer uma transferência bancária, envie um e-mail para a redação, o banco não fornece seu e-mail e não poderemos enviar uma mensagem de agradecimento:
isoladipatmos@gmail.com

Agradecemos o apoio que deseja oferecer ao nosso serviço apostólico.

Os Padres da Ilha de Patmos

.

.

.

O caso do bispo de Tyler e do cardeal Raymond Leo Burke, o saudável relativismo sobre a figura do Sumo Pontífice e a sábia lição do Cardeal Carlo Caffarra

O CASO DO BISPO DE TYLER E DO CARDEAL RAYMOND LEO BURKE, O RELATIVISMO SAUDÁVEL SOBRE A FIGURA DO SUPREMO PONTÍFIDE E A SÁBIA LIÇÃO DO CARDEAL CARLO CAFFARRA

Melhor ter um Sumo Pontífice que governe mal a Igreja, no entanto, cumprindo o poder apostólico das chaves conferidas por Cristo Deus a Pedro e seus sucessores, em vez de um pontífice piedoso que tem as chaves consignadas por Cristo Deus a Pedro tiradas dele, deixando outros abrirem e fecharem, amarrar e desamarrar.

- Notícias da Igreja -

.

artigo em formato de impressão PDF

 

 

Alguns argumentam que Francisco não é um bom Sumo Pontífice. Se é ou não é totalmente relativo, porque Francisco é o legítimo sucessor do Beato Apóstolo Pedro. Se ele cumpriu bem o seu alto cargo, receberá de Deus a merecida recompensa, se ele teve um mau desempenho, terá que tremer diante da advertência do Santo Evangelho:

"A quem muito é dado, muito será pedido; para quem os homens cometeram muito mais, Ele vai pedir mais " (LC 12, 48).

Alguns argumentam «Eu não gosto de Francesco». Simpatia é inteiramente relativa, um Sumo Pontífice não deve despertar simpatia emocional, mas respeito católico e devoto, porque é devido a ele, portanto, deve ser seguido e obedecido, se ele é legal ou não.

Alguns argumentam que Francisco governa mal a Igreja. Se você governa bem ou mal, é inteiramente relativo, melhor um Sumo Pontífice que governe ainda mal a Igreja, causará danos muito menos graves do que alguém que se deixa governar por grupos de poder ferozes ou que se deixa governar, porque o dano causado por este último será muito maior do que o causado por um mau governo. Portanto, é melhor ter um Sumo Pontífice que governe mal a Igreja, porém, cumprindo o poder apostólico das chaves conferidas por Cristo Deus a Pedro e aos seus Sucessores (cf.. MT 16, 19), em vez de um pontífice piedoso que tem as chaves entregues por Cristo Deus a Pedro tiradas dele, deixando outros abrirem e fecharem, amarrar e desamarrar.

Alguns argumentam «Francisco se expressa de forma ambígua, espalhando confusão em matéria de doutrina e fé e por isso deve ser corrigida". Esta afirmação marca a transição do relativo para o absurdo: o Sumo Pontífice é o guardião supremo do depósito da fé, por mais paradoxal que possa parecer, pode ser legitimamente criticado com o devido respeito, no entanto, não pode estar correto. A correção, mesmo o fraterno (cf.. MT 18, 15-17) implica que seja exercido por uma única pessoa, ou um colégio inteiro de pessoas dotadas de autoridade doutrinária e moral superior. Nem mesmo um concílio ecumênico, órgão máximo expressivo da Igreja, poderia definir qualquer coisa, sem a aprovação do Chefe Supremo da Igreja. Criticando o Sumo Pontífice, nas esferas onde a crítica é legítima e possível, implica o exercício da liberdade dos filhos de Deus, enquanto corrigi-lo implicaria o exercício de uma autoridade superior à sua, do qual ninguém neste mundo é o guardião.

Certos publicitários e comentaristas eles estão rasgando suas roupas chorando sobre perseguição pela remoção de S.E.. Mons. Joseph Edward Strickland, presidente da Diocese de Tyler, no Texas. Alguns dias mais tarde, o rasgo de roupas continuou com o cardeal Raymond Leo Burke, a quem o Sumo Pontífice decidiu revogar o benefício do alojamento gratuito propriedade da APSA (Administração do Patrimônio da Sé Apostólica) ele nasceu em prato cardinal, hoje conhecido como subsídio cardinalício. Também neste caso é necessário entender com um exemplo: se eu disser que convidar uma figura questionável e problemática como Luca Casarini para o Sínodo dos Bispos foi imprudente, neste caso, expresso uma opinião crítica completamente legítima, igualmente legitimamente eu poderia pedir ao Santo Padre que talvez fosse apropriado pedir um relato e uma razão àquelas pessoas de confiança que o apresentaram a ele, sem explicar a ele de maneira prudente, preciso e detalhado que este personagem é um ideólogo que, tanto no debate como na esfera política, sempre criou grandes divisões e fortes contrastes. É uma coisa completamente diferente se, como fez o Bispo de Tyler antes do Sínodo e depois durante o atual Sínodo, Eu havia declarado que aquela assembléia de discussão era gravemente prejudicial à doutrina da fé, para a Igreja e o Povo de Deus, porque esta não teria sido uma opinião crítica completamente legítima, mas um julgamento de peso inaceitável, também porque contém uma acusação implícita: o Sumo Pontífice não é capaz de supervisionar a doutrina da fé e, portanto, salvaguardá-la.

Cardeal Raymond Leo Burke ele vem realizando reuniões e conferências em todo o mundo há anos, minando efetivamente, embora de uma forma pomposa, o magistério do Sumo Pontífice, convidando a uma «resistência» nebulosa e não especificada, sem explicar quem deve ser resistido, mas deixando claro para quem. Mesmo neste caso estamos muito além do direito legítimo de crítica.

Aliás, gostaria de mencionar do que em 2020 Publiquei um livro provocativamente intitulado A tristeza de amor, dedicado à memória do Cardeal Carlo Caffarra, de quem fui discípulo, muitas vezes alinhado com ele, outras vezes, respeitosamente crítico de algumas de suas posições sobre questões morais. E ele, que era um grande homem e acima de tudo um homem de Deus, gostava de discutir comigo precisamente sobre aqueles pontos em que eu talvez não concordasse., porque esta é uma especulação teológica baseada em debate de acordo com os estilos e tradição da escolástica clássica. Infelizmente, alguns bispos e padres apenas leram o título provocativo desse livro, sem nunca ter lido nem duas páginas, acusaram-me de ter escrito uma obra de não ficção contra esta exortação apostólica pós-sinodal. O que é falso e extremamente mesquinho comigo, porque naquele livro foram feitas críticas ao estilo de linguagem, aos numerosos e na minha opinião inúteis sociologismos, em várias passagens ambíguas, pouco claro e sujeito a diferentes interpretações. Estamos na esfera do exercício legítimo do pensamento crítico, o que deixaria de sê-lo se eu tivesse feito críticas, mesmo que indiretamente ou subliminarmente, àquele Sínodo e à exortação final publicada pelo Sumo Pontífice sob o título de alegria do amor. Uma exortação que deixa hipóteses em aberto para discussão sobre temas ainda não definidos, sem a disciplina prévia estabelecida pelo Santo Pontífice João Paulo II na sua exortação apostólica pós-sinodal Consórcio Familiar foi modificado, por exemplo, no que diz respeito à admissão aos Sacramentos de pessoas divorciadas e recasadas que vivem em estado de irregularidade. Portanto, bispos e sacerdotes que afirmam a legalidade desta admissão, porque dizem contido e dado em alegria do amor, eles afirmam falsamente, eles estão em grave erro e enganam os fiéis. Dentro alegria do amor na verdade, nenhuma permissão neste sentido é sancionada.

Cardeal Carlo Caffarra deu uma lição solene em 2017 a alguns dos nossos hoje que vagam de conferência em conferência clamando por "resistência". Ele transmitiu esta lição solene com uma de suas declarações memoráveis, feito depois que alguns tentaram apresentá-lo como um antagonista do Sumo Pontífice Francisco:

«Desculpe a piada: Teria ficado mais satisfeito se se dissesse que o Arcebispo de Bolonha tem uma amante, em vez de se dissesse que ele tem uma mente contrária à do Papa.. Porque se um bispo tem um pensamento contrário ao do Papa, ele deve ir, mas ele realmente tem que deixar a diocese. Porque levaria os fiéis por um caminho que não é mais o de Jesus Cristo. Ele, portanto, perder-se-ia eternamente e arriscaria a perda eterna dos fiéis. Ser considerado contra o Papa é algo que me entristeceu profundamente, porque é calunioso. Porque não só o Papa nunca falou sobre isto, mas quando ele falou ele pediu um debate. E o debate é verdadeiro se todas as vozes puderem falar. Eu nasci papista, Eu vivi como papista e quero morrer como papista!».

Eu acredito que o Santo Padre, na atual conjuntura, apesar de tudo, também foi bom demais, com o Bispo de Tyler e o Cardeal Raymond Leo Burke. Pessoalmente eu não estaria, porque para o tipo que sou, a um Bispo ou Cardeal que repetidamente questionou a proteção da doutrina da fé pelo Sumo Pontífice, talvez eu os tivesse levado a dizer que Inocêncio III, Bonifácio VIII e Alexandre VI, todos os três juntos, eram muito mais ternos e menos severos do que eu..

a Ilha de Patmos, 6 dezembro 2023

.

.

______________________

Queridos leitores,
esta revista exige custos de gestão que sempre enfrentamos apenas com suas ofertas gratuitas. Aqueles que desejam apoiar nosso trabalho apostólico podem nos enviar sua contribuição pela maneira conveniente e segura PayPal clicando abaixo:

Ou se preferir, você pode usar o nosso
conta bancária em nome do:
Edições A ilha de Patmos

Agência n. 59 De Roma
IBAN:
IT74R0503403259000000301118
Para transferências bancárias internacionais:
Código SWIFT:
BAPPIT21D21

Se você fizer uma transferência bancária, envie um e-mail para a redação, o banco não fornece seu e-mail e não poderemos enviar uma mensagem de agradecimento:
isoladipatmos@gmail.com

Agradecemos o apoio que deseja oferecer ao nosso serviço apostólico.

Os Padres da Ilha de Patmos

.

.

.