Os limites precisos da infalibilidade: Sumo Pontífice como um médico particular

- IN ANEXO: ENTREVISTA COM ARCEBISPO DE CHICAGO -

 

As fronteiras exactas de

Infalibilidade:

O AS PAPA

Médico particular

 

Um problema delicado é dado pelas condições para que o Papa pode entrar no setor, sem ser doutrinário infalível. Em seguida, é o caso em que ele se expressa como um médico particular ou teólogo tão simples. Aqui ele não pode valer-se do carisma de Pedro, mas o que ele diz depende apenas de sua sabedoria humana, embora fundada na fé. Neste campo, ele pode formular pareceres ou chegar certeza científica, mas também pode errar, é intende, teologicamente, mas não na fé, porque ele é protegido pelo carisma de Pedro.

 

Autor John Cavalcoli OP
Autor
John Cavalcoli OP
estátua de Peter
Archbasilica Papale di San Pietro: a estátua dedicada ao Príncipe dos Apóstolos

Sobre a importância e significado a ser dado a intervenções, ensinamentos, as alegações e declarações do Sumo Pontífice Francis, você dá hoje dissensão considerável no não-católicos católica ou entre si qual, como é conhecido, são freqüentes e muito diversificada em forma e conteúdo, dirigidas ao público e os indivíduos mais diferentes, Católicos e não-católicos, fazendo uso dos meios de comunicação mais diversificada, frutos da tecnologia moderna, incomum em comparação com a utilização de papas anteriores.

Muitos entusiastas do Papa Francis, tomar tudo o que ele diz com fanatismo ou fingir filiação, sem exame crítico, só para fazer o que gosta ou explorando o que ele diz o uso de golfinhos, especialmente se ele satisfaz seus desejos e as suas ambições. Outro, anexado ao estilo dos Papas anteriores, seguir ou, pode-se dizer, pedinano passo atrás de si todos os dias com o olhar perspicaz e uma arma, suspeitava que ele era um Papa inválido, pegá-lo em sua palavra antes incomum, vendo nele maçantes parcelas escuras conspiração maçônica ou heresias secretos Lutheran, idéias ainda sofrem de que criptoereticale Conselho, este foi dizer-lhes que o Concílio Vaticano II. Eles ignoram que, como eu vou falar mais tarde, O Papa não ensinar a verdade da fé, que é, como se diz, não é “infalível” ou somente quando ele proclama solenemente define ou por si ou através de um conselho de um novo dogma, mas, embora em graus mais baixos e menos autoritário, sempre que ele nos instrui como mestre da fé.

A condição essencial para o valor desses níveis mais baixos é que o Papa ensina a Palavra de Deus, da doutrina e do mistério de Cristo e da Igreja, os dados revelados (Escritura e Tradição), os sacramentos, Virtudes cristãs, o caminho do Evangelho e da salvação, verdades ou dogmas de fé, os artigos do Credo, você expressar o quanto você quer expressar, não está interessado. Ela não afeta nem as circunstâncias, o modo e os meios destas comunicações, a partir da encíclica, a carta pastoral, ao Motu Proprio, Audiência Geral, a homilia da Missa, ao discurso, a entrevista ou telefonema jornalística. O importante é que ele é desses materiais, directa ou indirectamente, explícita ou implicitamente.

passeio de papa
O Santo Padre Francis, filmagens

A questão sensível, e é o assunto deste artigo, é dada pelas condições para que o Papa pode entrar no setor, sem ser doutrinário infalível. Em seguida, é o caso em que ele se expressa como um médico particular ou teólogo tão simples. Aqui ele não pode valer-se do carisma de Pedro, mas o que ele diz depende apenas de sua sabedoria humana, embora fundada na fé. Neste campo, ele pode formular pareceres ou chegar certeza científica, mas também pode errar, é intende, teologicamente, mas não na fé, porque ele é protegido pelo carisma de Pedro.
No passado, os Papas nos deixaram documentos que não eram uma expressão do carisma de Pedro. Se antes de escalada se tornou Papa Pio II, Enea Silvio Piccolomini, como outros papas, havia publicado seus escritos, Papas, uma vez eleito seu ensino não era geralmente que a expressão de seu escritório para os Sucessores de Pedro e mestres da fé. Eles queriam apagar o aspecto humano do seu pensamento e não ser nada, mas tramiti do Evangelho.
Este enclose todas as suas atividades de pensamento e de ensino, dentro dos limites do funcionalismo provavelmente foi motivada pelo medo dos últimos Papas na manifestação de suas idéias pessoais poderia ser trocado para o ensino papal, coisa à verdade pode realmente acontecer em crentes não suficientemente preparados para distinguir o pensamento teológico e de ensino da fé, ou seja, o Papa Francis.

01-00262187000002
O Santo Padre Francis em uma de suas saudações espontâneas informais

Caso contrário, em vez, com o século passado, ou seja, com St. John Paul II, inicia-se com a utilização de a papa não se limita ao seu escritório papal, mas também produz literária ou teológica em um puramente humana. A partir deste ponto de vista é notável é a trilogia cristológico de Bento XVI, sobre a qual ele próprio convidou estudiosos para discutir com ele. Um sinal claro de que ele não tinha a intenção de mostrar-se com estes escritos como médico universal e fé infalível, mas também de forma simples e modestamente, como teólogo entre os teólogos, embora ele seja grande teólogo.
Eu acredito que essa mudança na atividade intelectual Papas foi motivada pelo fato de que hoje a educação cultural católica é mais capaz de um tempo para esclarecer o comum fiel a diferença entre o Papa como o Papa e do Papa como um médico particular, No entanto, embora a actual Papa, com a variedade ea aparência incomum de seu numeroso e freqüente, seriamente posto à prova aqueles que querem distingui-lo Simone - a saber, Jorge Mario Bergoglio - manifestar as suas ideias, por vezes questionável, por Peter professor infalível da fé.

Papa Francis chegou ao Brasil
O Papa Francisco durante uma entrevista informal com um jornalista brasileiro

Hoje é mais do que nunca urgente problema de como podemos distinguir com certeza, ensino adequada e clara de um Papa como Papa a partir de um discurso ou teológica escrita literária ou ocasional, improvisada ou extemporânea. A distinção é muito importante, como é evidente que enquanto a palavra de Pedro é sempre verdadeira e obrigatória, o que ele pensa ou diz Simone, ou seja, o homem Bergoglio, embora sempre digno de respeito, diz-se que é sempre indiscutível, única e necessária para a salvação. A respeito disso,, podemos responder em primeiro lugar que o próprio Papa é cuidadoso Francesco geralmente vamos entender manifestar suas intenções e, dependendo das circunstâncias. Desde o seu escritório comum é petrino, normalmente temos de pensar que o que ele expressa é manifestação de que o escritório, especialmente quando se trata dessas questões de fé a que aludi acima. Mas o nível de autoridade do seu ensinamento, podemos deduzir a partir do seu próprio conteúdo e na forma de expressá-las. Há, de facto conhecido por doutrinas teológicas e não magisterial, doutrinas, se encontrar na boca ou nos escritos do Papa, será óbvio que expressam o seu pensamento simplesmente como um médico privado.

telefones Papa
O Papa Francis em um momento com a juventude informal

Nós, por exemplo, que o Papa Mary deu o título de “Redentora” ou que teria apoio com Santo Agostinho essa maldita ultrapassa a beati ou o Santo Sudário é verdadeiramente que a impressão do corpo de Cristo ou a Virgem Maria aparece realmente a Medjugorje ou que Judas é no inferno ou vai haver animais ou que os anjos foram submetidos por Deus no início do mundo para um teste de lealdade a ressurreição ou a transferência de judeus desde o mar vermelho era simplesmente um fenômeno milagroso favorável da maré ou que Adão e Eva expulsaram do paraíso tinham uma aparência simiesca ou mesmo embriões são batizados para Cristo ou que lá foram as coisas que Cristo não sabia ou que o Anticristo é uma única pessoa ou dois “testemunhas” Apocalipse fala deles são os santos Pedro e Paulo, e assim por diante. Todos estes pressupostos são claramente compatível com os dados da fé. É sem dúvida respeitáveis ​​doutrinas e provável, mas que não correspondem em si mesmos a verdade da fé, porque você não pode encontrá-los diretamente nem nas Escrituras nem na Tradição. As fontes da Revelação poderiam endossar mas também não endossa. No momento não é possível saber com certeza e é por isso que o magistério papal, como tal, não é pronunciado.

passaporte Papa
Em Fevereiro 2014 o Santo Padre Francis queria renovar formalmente o passaporte da República da Argentina sob o nome de Jorge Mario Bergoglio

Estas doutrinas, contudo, graças a um estudo mais aprofundado teológica, poderia comprar um amanhã um tal grau de probabilidade, certeza quanto a tornar-se. Por esta, é perfeitamente legítimo para apoiá-los com toda a modéstia, e é igualmente legítimo discordar deles com a devida prudência, à espera de um possível esclarecimento. Neste caso, o debate e confronto entre opiniões contrárias, conduzida com respeito mútuo e com métodos científicos, ajuda a descobrir a verdade, Mas talvez que nunca será descoberto até à Parusia.
Ele pode realmente acontecer que uma tese teológica é bem demonstrado tão bem aceita pela Igreja, o suficiente para subir para o nível de dogma de fé definido, como foi o caso para a alma tomista tese só a forma do corpo no Conselho das Viennes 1312 ou imortalidade da alma no Conselho Quinta de Latrão 1513.
Nada nem ninguém vai restringir o Papa, como um médico particular, para se encaixam nesta investigação e participar na discussão com outros teólogos em pé de igualdade e em seu peril, avançando sua maneira de ver as coisas e deixando concurso se seus argumentos revelar-se errado ou questionável.
Também pode acontecer que a sua opinião torna-se particularmente autoritária e convincente entre os teólogos, mas a opinião permanece; pelo que, embora expresso pelo Papa, absolutamente não pode subir para o nível de ensino oficial papal e infalível, Se dogma definido ou indefinido.

Papa nariz de palhaço
O Papa Francis em um momento informal na Piazza San Pietro com um casal

Note-se que ao longo da história os fiéis têm ido sempre sujeitos a um risco duplo para as ideias expressas pelo Papa. Ou o de subestimar e diminuir ou restringir a autoridade, sob vários pretextos, ou, pelo contrário, o risco de que o fanatismo ea sujeição supina, indiscreto, mal iluminado e também afetou, que toma como indiscutíveis também as posições do Papa como um médico particular.
Entre os primeiros a tempos recentes, há aqueles que restringem a notas infalibilidade papal de ensino as condições muito especiais e muito raros estabelecidas pelo Concílio Vaticano I, ondas sentir autorizado a negar a infalibilidade e, em seguida, pelo menos, a suspeitar de fraude ou falsificação das doutrinas do Vaticano II, que seria apenas a sua segunda “pastoral”, bem como todos os ensinamentos e ações dos Papas pós-conciliares, em qualquer nível ou em qualquer forma, não claramente marcado pelas características.
Eles acreditam na imutabilidade do dogma; mas como a infalibilidade do Papa e ao Conselho, rejeitar a Instrução da Congregação da Doutrina da Fé supracitado, Além da Carta Apostólica Para defender a fé St. John Paul II 1998, em que você ensina, afirmando a doutrina do Concílio Vaticano I, que o Magistério da Igreja (Papa ou Conselho), abaixo infalibilidade notável e solenemente definida, é expressa de acordo com duas outras qualidades inferiores de autoridade, sobre o qual a Igreja Católica diz que é certo que o verdadeiro autenticamente, definitivamente, irreformabilmente e imutavelmente. Agora, o nível de autoridade da doutrina conciliar e ensinamento dos Papas posterior à atual, pertence a um destes dois níveis.

audiência geral na Praça de São Pedro
O Papa Francis durante um momento informal, na Praça de São Pedro

Outros, é um caso de nosso tempo, gnoseologies infectados relativista, soggettiviste ou evolutiva, não acreditam na infalibilidade do Papa, pelo que, se eles acham que o Papa está em conflito ou ruptura com doutrinas tradicionais previamente definido ou, e o novo, bem como os meios, ao seu gosto, escrúpulos para melhorar um Papa Francis, que eventualmente actualizada, um papa “revolucionário”, que eventualmente abraçou “modernidade”, um Papa que sabe “conversar” com todos.
A partir desses fatos, entendemos o quão fácil é para os fiéis e também é possível que um imprudente teólogo, este é um conservador ou um liberal, Julgar não é baseada em critérios objectivos, mas com o seu gosto, para você negar a infalibilidade ou a verdade para papal doutrinas que não gostam, embora absolutamente verdadeiro; e, inversamente, são considerados indiscutível ou “Avançado” ou mesmo “Revolucionário” ideias do Papa, e vezes fraintese digerite, que o Papa expressou talvez passagem e sem a intenção de ensinar as verdades da fé ou apenas de expressar uma opinião ou uma impressão pessoal.

Eles, o leitor já terá percebido que eles são os modernistas, em realtà, historicismo embebido, Não acredito na infalibilidade papal, porque eles não acreditam que a imutabilidade da verdade. Mas isso não impede que eles foram fazer um dogma absoluto certas declarações do Papa puramente contingente e ocasional, no entanto, interpretada como se o Papa daria espaço para as idéias modernistas.
Na verdade, o historicist, como por exemplo, o hegeliano, acredita em seu próprio caminho no absoluto, apenas que, para ele a não absoluta transcende a história em un'immutabilità metafísico, mas não é nada, mas a absolutização do evento histórico que lhe interessa. Assim, por exemplo, para a Escola de Bologna, as doutrinas do Conselho não se referem a qualquer coisa imutável e supra, mas representam o evento epocal, revolucionário, escatológico e profético do tempo presente. Neste sentido, para o historicist, o próprio absoluto torna-se com o desenvolvimento histórico. Nada permanece, nada permanece, mas tudo evolui na história, como história e como Absolute na história. Nenhuma história sem Absolute, mas também nada Absolute sem história.

Papa beija a mão
O Papa Francis durante um gesto espontâneo em direção a um grupo de sobreviventes judeus idosos a partir dos campos de extermínio

Os modernistas não têm nenhum respeito pelo Papa como mestre da fé, que tendem a resolver todos os seus ensinamentos em opiniões teológicas simples, que, em seguida, permitir que o tempo para acomodar, agora para desafiar, como eles gostam, como se fossem as de qualquer outro teólogo. E isso é porque, como já foi salientado acentuadamente no São Pio X Pascendi Dominici Gregis, eles são “fenomenisti”, que substitui o aparecimento sendo, o que parece que é. Para eles, nenhum dano, em seguida, certezas objetivo, universal e imutável, mas tudo é discutível, variável dependente do tempo, de lugares e pontos de vista.
Modernistas fingir discípulos e admiradores do Papa para um pouco de sua frase ou gesto que parece conhecê-los. E, infelizmente, o papa atualmente não parece fazer muito para dissipar esta interpretação e tomar as distâncias desses falsos amigos. Mas o mal-entendido não pode durar para sempre. Em breve, o Papa, cansado de suas abordagens cada vez mais curiosos, vai falar com uma voz franca e clara. Há um temor de que, neste ponto eles fingiram admiração será transformado em ódio. Esta sobre-face do resto vai estar em consonância com seus princípios morais camaleão. É a idéia de que o Papa poderia correr perigo a sua própria vida. Assim, aparentemente, conseguiu dor matar o Papa João Paulo I.
Se em vez de outros temas, prático ou moral, começando com os atos mais importantes do governo papal, orientações litúrgicas, as disposições pastoral, legal, administrativo ou disciplinar, Aqui, o Papa é falível e pode até deixar de virtude, coragem, caridade e prudência. Mas é sempre um dever, se for considerado útil ou necessário, desempenhar um educada crítica, modesta e respeitosa, como filhos de um pai.

Papa maradona
O Papa Francis durante um cumprimento informal para menino de ouro Diego Armando Maradona

Observa-se neste ponto que, à medida que emerge a partir dos estudos dutos Antonio Livi cujas referências, A teologia é uma ciência, Como tal, acompanha opinião. Por esta, o Papa como um médico particular, pode chegar a conclusões teológicas científica, que está provado e demonstrado, como pode ser limitado ao campo dell'opinabile, o provável, hipotético, incerto.
A ciência nos dá a evidência mediada, riconducile aos primeiros princípios da razão, o senso comum ou a fé; irrefutavelmente nos mostra o que é verdade. A opinião, em vez, sem ser capaz de refazer esses princípios, mas com base na aparência (glória, Doxa), argumentos que avançam provável ou, Phys, “dialetal”, ou seja, que mais pesquisas são necessárias para verificar com. Na verdade, eles só têm a aparência da verdade e, portanto, a opinião não chega a algumas conclusões, mas apenas provável.
A ciência é a aparência ou manifestação (fenómeno fainòmenon) mediada a verdadeira. A opinião (glória) em vez disso, dá o que parece ser verdadeiro (parece). Para quaisquer informações adicionais que você pode descobrir ou que ela é verdadeira ou é falsa. A opinião aparentemente deixa de. Só a ciência nos faz distinguir com certeza o verdadeiro do falso.

laranjada pai
O Papa Francisco cumprimenta a rainha Ranja da Jordânia durante uma reunião oficial

A ciência é um, ou porque algo é ou não é; não podem coexistir duas ciências que se opõem sobre a mesma coisa. Os pontos de vista, porém, são muitos e podem legitimamente coexistir e se opõem, porque a partir de oposição é suposto não saber o que é o real, mas ambos têm a aparência de verdade.
Por princípios de fé é possível obter a opinião de teologia ou da ciência: opinião, se o teólogo não pode fazer uma dedução rigorosa; a conclusão científica, em vez, se ele pode fazer essa dedução. Um Papa teólogo pode estar em um como no outro sentido. A infalibilidade do seu carisma como professor de fé ajuda-lo por nada nessas investigações e nas presentes conclusões, remessas que são totalmente contrários à sua sabedoria humana, seu rigor científico e lógico de seu método.

Petrus sepultura em São Pedro em Roma
Archbasilica Papale di San Pietro: Túmulo do Príncipe dos Apóstolos sob o altar da Confissão

Papa Francisco não é um teólogo acadêmico, como era Bento XVI, ele nos deixou como um privado livros preciosos teólogo da cristologia, a que já mencionei. Papa Francis vez é um teólogo querigmática, um pregador incansável do Deus Encarnado, Jesus Cristo e do seu Espírito, alimentando sua vida intelectual, seu coração, sua paixão de um apóstolo e pastor, prótese para a salvação de todos os homens. Ele me lembra da minha Ordem Fundador, St. Dominic de Guzman, dos quais se dizia que “ou falar com Deus ou Deus”.
Até o Papa Francis, como para os Papas anteriores, deve ser capaz de discernir o tempo de sua abordagem pessoal a Cristo, sua sensibilidade teológica, sua devoção privada, seu ponto de vista humano particular - também podemos aceitar ou não aceitar, podemos discutir livremente ou aprofundamento de nossa escolha - o mestre da fé, pelo pastor e doutor da Igreja Universal, Vigário de Cristo, Sucessor de Pedro, Testemunho da Palavra de Deus, Escritura e Tradição, que infalivelmente assistida pelo Espírito Santo, prega oficialmente e publicamente o mandato de Cristo chamando todos os homens para a salvação.

Fontanellato, 23 Novembro 2014

_____________________________

EDITORIAL Autor
Autor
REDACÇÃO

 

ARCEBISPO EMÉRITO DE CHICAGO:

"SANTO PADRE criou a expectativa de que não pode cumprir"

 

O cardeal GeorgeDepois de um par de dias de publicação deste artigo do Padre John Cavalcoli, foi publicada uma entrevista com o cardeal Francis George, Arcebispo de Chicago, recentemente deixou a presidência da Arquidiocese, por razões graves de saúde; o cardeal, doente com câncer, é de facto a viver a fase culminante de sua doença.

O artigo original completo está disponível Quem

Abaixo,, vem do famoso blog de Sandro Magister, a tradução italiana da entrevista do Cardeal que sentimos deve ser incluído no anexo a este nosso artigo.


George Francis, próprio

Posso entender a ansiedade de algumas pessoas. À primeira vista não fechar, você pode parecer que Francis questiona as declarações doutrinais. Mas se você olhar para trás, especialmente quando você ouvir suas homilias, ver que não é tão. Muito frequentemente, quando diz certas coisas, sua intenção é entrar no contexto pastoral de alguém que é tomada, por assim dizer, numa armadilha. Talvez este expressa sua simpatia de uma forma que leva as pessoas a se perguntar se ele ainda suporta a doutrina. Eu não tenho nenhuma razão para acreditar que ele faz,. [...]

Isso levanta a questão: Francisco não explicar por que essas coisas ele mesmo? Por que é necessário que os apologistas para suportar o peso de ter que fazer toda vez que um cara boa? Ele percebe as conseqüências de algumas de suas declarações, ou até mesmo de algumas de suas ações? Ele percebe as repercussões? Talvez não. Eu não sei se ele está ciente de todas as conseqüências de suas palavras e gestos daqueles que criam essas dúvidas na mente das pessoas.

Esta é uma das coisas que eu gostaria de ter a oportunidade de fazer, se acontecer de eu estar lá para ele: “Você percebe o que aconteceu com essa frase "Quem sou eu para julgar?', de como ele foi usado e abusado?”. Foi realmente abusado, porque ele estava falando sobre a situação de alguém que já pediu misericórdia e recebeu a absolvição, alguém que ele conhecia bem. É uma coisa completamente diferente de falar com alguém que afirma ser aprovado sem pedir perdão. Você constantemente abusada, que a sentença.

Expectativas criadas em torno dele que ele não pode cumprir. Isto é o que me preocupa. A um certo ponto, aqueles que tê-lo pintado como um peão em seus cenários sobre as mudanças na Igreja vai achar que ele não é o que nós acreditamos. Isso não ir nessa direção. E então talvez você se tornará o alvo não só de uma decepção, mas também uma oposição que poderia ser prejudicial para a eficácia do seu ensino. [...]

Pessoalmente, Acho interessante que este Papa cita que novela: “Master of the World”. É algo que eu gostaria de perguntar: “Como você coloca juntos o que ela faz com o que ela diz é a interpretação hermenêutica do seu ministério, ou seja, essa visão escatológica que o anticristo está entre nós? É isso o que você pensa?”. Eu gostaria de fazer esta pergunta ao Santo Padre. De uma maneira, Isso poderia explicar por que, talvez, ele parece ter tanta pressa. [...] O que você acha do Papa sobre o fim dos tempos? [...]

Eu não o conheço bem antes de sua eleição. Eu o conhecia através dos bispos brasileiros, que o conheciam mais, E a eles muitas perguntas. [...] Não visitou desde que ele foi eleito. [...] Papa Francis não sabia o suficiente. Certamente respeitá-lo como papa, mas eu ainda não têm uma compreensão de que tenciona fazê-.

Tradução por Sandro Magister [veja que]

Acerca de isoladipatmos

36 thoughts on "Os limites precisos da infalibilidade: Sumo Pontífice como um médico particular

  1. Rev.mo P. John Cavalcoli, um artigo magistral em todos os sentidos em todos os aspectos.
    Não sei se a coisa foi agendada, mas sua escrita parece aprofundar o pai Ariel anterior (Bombeiros de Serviços …) em que se faz menção em várias partes para “médico particular”, talvez deixando-, Pai João, o aprofundamento deste conceito.
    Posso dizer- (mas talvez já algum tempo sabe,bem e melhor do que eu) que nós sacerdotes estamos em grandes dificuldades para vários “atirar” braço do Papa Francis. Mas ele sabe o que é realmente paradoxal? Que se levantam dúvidas calmas e respeitosas sobre reivindicações de papa Francis, que não têm nada que ver e fazer com as doutrinas da igreja têm ligação, ficamos com pessoas que todas as suas vidas fizeram profissão de anticlericalismo, anti-catolicismo, untralaicismo, Ateísmo etc.. estamos dizendo para rimprovevare: “mas como? Você não sabe que o papa é infalível?”.
    Obrigado e profunda gratidão a ela, Pai Ariel, Mgr. Livi por nos dar apoio na Ilha de Patmos!

  2. Grande pai John, Grande! Neste “floresta escura” tradicionalistas de loucos, de pizzettari&merlettari triste e deprimida, sedevacantistas de falar psiquiátrica de papas anticristos apostatici e hereges, leia os artigos do trio já lendário Cavalcoli-Levi de Gualdo-Livi, é como tomar remédio que cura a doença e saudável.
    Viva a ilha de Patmos e seus habitantes !!!

    1. Caro Don Stefano,

      EU, Don Ariel e Mons. Livi estamos muito unidos em nossas idéias, tantas vezes que somos espontaneamente em harmonia, sem qualquer programação prévia.
      O apoio dado pelos modernistas ao Papa Francis é totalmente instrumental, porque gostaria de tirá-lo do seu lado, e, infelizmente, o Papa nem sempre distanciado.
      Cabe a nós, teólogos, portanto, esclarecer o significado de suas ações, e ajudar os fiéis a distinguir quando ele fala veramte como Sucessor de Pedro e, quando ele expressa suas posições, improvisado, totalmente discutiubili, não dizer errado.
      Assim, a censura que nos fazem os modernistas de não estar com o Papa é pura hipocrisia. Nós, em vez disso, os verdadeiros crentes do Papa, -nos que, por um lado, usar contra ele a liberdade dos filhos em questões de opinião ou pastoral, enquanto então bem-vindo sem problemas que o ensino infalível que ele nos dá,sobre os quais, então, tomar cerca de.

  3. Caro Anonymous,

    e seus professores talentosos jesuítas também ensinou a atirar a pedra para a pilha de ser perfeito anônimo e retirar a mão para que a pedra bateu, mas ninguém sabia onde e por quem chegou? Vou lhe dizer por quê: Eu reconheço neste estilo tudo o que a sua.
    Tendo em conta que os teólogos dominicanos tinham o direito sacrossanto quando seu tempo acusou os missionários jesuítas do sincretismo e quando levantou reservas sobre a filosofia de Suarez, Devo dizer que eu também tenha sido aluno dos jesuítas, o suficiente para saber que você pode ficar em contato com eles por anos e anos, sem nunca realmente entender o que eles pensam e se alguma coisa, um dia, como que por magia, você pode encontrar-se de repente na frente, depois de uma década de relacionamento contínuo, uma pessoa totalmente diferente do que você sempre acreditou que ele estava terminando muito chocado com perguntando: “Mas este, quem é?”.
    Claro: Não generalize, Acho simplesmente que o “masculino” é inerente ao estilo de sua formação que recebem, basta olhar para o que semearam em todo o mundo a partir dos anos sessenta; e isso é um fato.
    Por isso eu me lembro de uma campanha de informação sobre ditado AIDS: “SIDA? Se você sabe como evitar”. Aqui, tê-los testado na minha pele, a campanha contra a AIDS, eu apliquei para a Companhia de Jesus: “JESUÍTA? Se você souber evitá-los”.
    Como você vê as opiniões decorrentes de nossas experiências são sempre diferentes e, acima de tudo, Nesta matéria, são sempre muito subjectiva, Por conseguinte, como tal bastante questionável, a partir deste livre minha opinião, que é e permanece totalmente discutível, mas este é, e esta é a minha experiência pessoal triste e doloroso, pago “preço total” na minha pele com lapelas tão vergonhosas e dolorosas em que eu decidi calar a boca e que eu vou levar comigo para o túmulo, Espero naturalmente o mais tarde possível.
    Por outro lado, e sempre falando sobre experiências subjetivas, Posso dizer-vos, porém, que, na medida do possível verificar, o dominicano em vez disso é estruturalmente formado para trair e se deitar com duplicidade magistral sentindo, mas apenas para isso com a consciência limpa perfeitamente bem, Acredita-se que agiu desta para a maior glória de Deus.

  4. Quando Bergoglio telefonou uma senhora Argentina divorciada casou novamente “aconselhando” para receber a Eucaristia por um outro padre que não sabe disso, como agiu nessa circunstância? a partir de um médico particular ou não?

    1. Este é preciso perguntar a ele, porque se tivéssemos o poder de ler mentes, os corações e as consciências profundas, estaremos em um sentido os substitutos perfeitos do Pai do Filho e do Espírito Santo.

  5. Então dizemos que ela tem agido como um médico particular expressa “enorme disparate”; se ele não agiu como um médico privado também refuta a tese de que Cavalcoli Bergoglio sempre é infalível quando fala de fé, independentemente dos meios utilizados para expressar (neste caso o telefone).

    1. … então dizemos que não leu o artigo do Padre John Cavalcoli, que também tem o dom de clareza evidente, mesmo quando ele fala das questões metafísicas mais complexos, que é testemunhado por gerações de seus alunos.

  6. “A condição essencial para o valor desses níveis mais baixos é que o Papa ensina a Palavra de Deus, da doutrina e do mistério de Cristo e da Igreja, os dados revelados (Escritura e Tradição), os sacramentos, Virtudes cristãs, o caminho do Evangelho e da salvação, verdades ou dogmas de fé, os artigos do Credo, você expressar o quanto você quer expressar, não está interessado. Ela não afeta nem as circunstâncias, o modo e os meios destas comunicações, a partir da encíclica, a carta pastoral, o motu proprio, Audiência Geral, a homilia da Missa, ao discurso, a entrevista ou telefonema jornalística. O importante é que ele é desses materiais, directa ou indirectamente, explícita ou implicitamente.” Eu li isso,entre outras coisas, a intervenção da P Cavalcoli

    1. Não, esta não é uma leitura: extrapolação é o seu belo e bom, em uma tentativa de dizer ao Padre João o que ele disse; e para isso ela relata – Extrapolando – apenas o que o teólogo dominicano escreveu. Na prática, ela faz isso, leva e relatar corretamente as palavras de Jesus que disse aos Madeleine: "Seus muitos pecados foram perdoados, porque ela muito amou " (MC 2,2-12).
      Se, no entanto, esta frase não acrescenta que GESA disse muito claramente: "Nem eu te condeno; vontade’ e de agora em diante não peques mais "» (GV 8,4-11), pode-se inferir que o Senhor abençoa Maddalena ter amado tanto durante o exercício da arte da prostituição convidando-a a fazê-lo de continuar a “amar” como antes, e mais do que antes seus clientes.
      O “porque amou” implica sim o amor de Madalena para a Palavra de Deus, a que ela tem fé, aquela fé que a salvou.

  7. Eu não trouxe mais porque não tem espaço, Eu não extrapolaram a mínima, a tese de Cavalcoli P que tente compreender e isso é claro em toda a sua escrita é aquela infalibilidade você contemplar sempre que o Papa fala na fé. Eu só peço para ter certeza, porque “parecia” (Posso estar errado) infalibilidade que exigem uma outra condição como tal e que é a vontade de definição como determinado pela dogmática CVI.

    1. … olhar, Eu entendi perfeitamente o que ela quer: proclamou herege Vaticano II, repudiou todo o ensinamento da Igreja dos últimos 50 anos, que são declarados ilegais todos os papas eleitos pelo 1958 em, é novamente puxado para fora os gestatoria cadeira dos museus do Vaticano e ao Romano Pontífice é carregado em triunfo entre a aristocracia e solidéu flaubelli, Finalmente a sua aplicação rigorosa, em 2014, como um dogma de fé autêntica, a encíclica Mirari Vos publicada em 1832 da Gregório XVI. Obviamente: a canonização de Dom Marcel Lefebvre e sua proclamação como Doutora da Igreja.

      Padre João foi muito claro em seu artigo, com todo o rigor do método filosófico, metafísica e teológica que distingue. E se ela não quiser entender, Este é o seu problema, não a nossa.

  8. Todos os papas até Bento XVI são Pontífices legítimos. Para o resto eu acho que o dogma da Papal proclamada pela CVI ainda é válida é de fato uma proposta infalível Igreja Católica, então eu acho que é desrespeito imprudente

  9. Para entender melhor é preciso distinguir entre infalibilidade e inerrância do Magistério e do papa sobre fé e moral, caso contrário, você não consegue entender, Sempre Gianlub está realmente interessado.

  10. Reverendo padre,

    A distinção sobre o Magistério do Romano Pontífice e os ensinamentos do médico particular é sacrossanta, mas eu não acho que jamais foi questionada por alguns.

    Singular é exibido em vez tese dell'infallibilismo total do Romano Pontífice, a tese de que – pessoalmente – Eu ouvi de seu único apoio; Eu seria muito mais cautelosos em propô-la como “sentença comum”; Proponho ao contrário, é inaceitável como “dogma de fé definido”.
    Esse ponto de vista, de fato, parece reduzir as condições de infalibilidade colocados pelo Vaticano para uma: o “questão de fé e moral”. Conseqüentemente, é minar todo o ensinamento do Vat: qual é o ponto, de fato, determinar certas condições se infalibilidade, em vez, Esta infalibilidade se estende a todo o ensinamento de RP?
    Além de, este argumento parece-me confundir o conceito de “carisma” com a de “hábitos”, CIOE um acidente de transição com um acidente de permanente.
    Afinal, o que permitiria distinguir diferentes graus de adesão ao Magistério (fé crença, Fé realizada, serviço religioso) se cada palavra do Magistério da RP foi igualmente infalível. Qual a distinção entre ensino infalível e magistério autêntico?

    1. Caro leitor,

      Falo da infalibilidade do Papa ao ensinar ou expõe as verdades da fé. Neste sentido,, qualquer crente que dá testemunho de sua fé, infalível. Mesmo quando a missa de domingo proclamar o Creed, estamos infalível.
      “Infalível” significa simplesmente “sempre é verdade”, “não falível”, “unfalsifiable”: então você pode pensar que o Magistério pontifício da Igreja, ou em qualquer nível de autoridade nos ensinam falsa ou talvez falso?
      Assim, estes níveis não significa que a Igreja é infalível apenas no primeiro, enquanto nos dois inferiores é falível, mas simplesmente significa três graus de autoridade com a qual a Igreja nos ensina a verdade do Evangelho:
      O grau: dogmas definidos crer com fé divina e teológica; que não acredita que é herético;
      Grade II: verdade vir à fé para acreditar um ato de fé na Igreja; que não acredita, está perto de heresia;
      Grau III: o ensinamento autêntico da Igreja ligados às verdades da fé, a acreditar com submissão religiosa da vontade. Quem não acredita, falta de confiança na Igreja assistida pelo Espírito Santo.
      A infalibilidade papal é certamente uma passageira acidente, mas podemos muito bem chamá- “carisma”, ter um presente sentido do Santo. Na verdade, o Papa é infalível apenas como Papa, isto é, como mestre da fé, não como um pastor, nem como um médico particular.
      A Igreja, com o Vaticano I definiu as condições de infalibilidade do grau de autoridade doutrinária, sem excluir os menos autoritário, mas sempre autêntica, que foram dalI'lstruzione esclareceu anexo à carta do CDF Para defender a fé St. John Paul II 1998. Assim, o dogma do Concílio Vaticano I não é frustrado, mas apoiado e completado com a distinção adicional de graus inferiores de infalibilidade ou verdade.
      E’ Claramente, se o Papa define a fé seja uma dada proposição, estamos absolutamente certos de que é da fé. Mas estes são casos muito raros, como foi o caso para o dogma da Assunção em 1950 ou Imaculada em 1854. Isso não significa que em todos os casos em que o Papa não define (“definirá“), o que ele diz pode estar errado.
      Para isso deve ser acrescentado aos critérios estipulados pelos outros critérios de segurança do Vaticano, que são precisamente aqueles fornecidos pelo Para defender a fé Deduzi a passo. O critero distinguir a opinião teológica a partir da doutrina da fé que eu forneci no meu artigo.

      1. Reverendo padre,

        Obrigado pela sua atenção e para a resposta atempada; sua posição é muito clara e expressa com grande precisão. No entanto, devo dizer que, pessoalmente, não me convence e que eu não posso segui-lo em um peso que ultrapassa a mera opinião teológica, lícita, mas questionável.
        Até onde sei, o magistério de grau III é autêntico; é devido todo crente respeito inteligência, mas não é ensinamento infalível; conseqüentemente, dado o pressuposto de que “que não pode ser, às vezes não”, Ele realmente poderia interferir com o erro, ainda que em casos muito raros e excepcionais.

        Vai demorar pelo menos conceder que a minha opinião – também, Acredito, lícita e questionável – ainda é apoiado por grandes teólogos, tais como Piolanti ou Gherardini.

        1. Dearest,

          Também no terceiro grau, o Magistério é uma questão de fé, embora, na verdade, só exigem submissão religiosa da vontade.
          Agora “infalível” significa simplesmente “sempre é verdade”,”unfalsifiable”. Você pode imaginar que a doutrina da Igreja em matéria de fé pode ser ou tornar-se falsa?
          O Para defender a fé não diz que o terceiro grau não é infalível. Simplesmente não usa a palavra. Mas eu não acho que você tem que ficar com a palavra, mas prestando atenção ao conceito: o conceito é que, mesmo a este grau a Igreja fala de Cristo e do Evangelho.
          E, em seguida,?
          É’ Lefevriani atentos reconhecer que as doutrinas da Concilo pertencem ao terceiro grau. Se a Igreja não pode errar aqui, acabar na armadilha de boa Lefebvre! Você insinuar o worm de dúvida.

          Não confundir a aparência de algo que não existe com a visão embaçada ou borrão de uma coisa existente, ou seja, a verdade. Lembre-se de fato de que até mesmo o terceiro grau é o Magistério da Igreja ensina que palavra que dura para sempre. De modo algum se confunde com a autoridade do Magistério da opinião teológica. Se você já teologicamente certo nunca pode ser negado, muito menos o Magistério da Igreja, que é assistida pelo Espírito Santo! o fato de que a adesão às doutrinas da rhieda III grau não um ato de fé divina, não significa que não devemos aderir a eles todo o coração e com certeza.
          Eu nunca pode pensar nessas coisas em um dia a Igreja diz-me com lágrimas nos olhos: relógio, filho, perdoe-me, Eu estava errado? E’ simplesmente ridículo.
          Infelizmente, o terceiro equívoco grau é o crack através do qual entra a fumaça de Satanás. O lefevrismo expressas ou implícitas, consciente ou inconsciente, voluntária ou involuntária, declarada ou não, culpado ou inocente, entra através desta ranhura.
          Se em uma sala que você quer evitar a entrada de insetos, você não deve deixá-los de qualquer passagem. Portanto, assim como impedir a entrada para o veneno da dúvida? Reconhecendo francamente contra qualquer distizione vão bizantino ou insignificante que a Igreja, quando falamos da doutrina de Cristo, não pode sbgliarsi em qualquer nível. Nós podemos e devemos confiar plenamente.
          Não é que eu posso estar em infaliibile e, no outro é falível. O Para defender a fé diz absolutamente presente. Em vez disso, dizem que a doutrina da fé em todos os três graus. A diferença entre os três é apenas um diferente grau de certeza e clareza, gostaria de ver como a Basílica de São Pedro, em Roma por quatro quilômetros de distância e vê-la na Praça de São Pedro. E’ sempre a Igreja de San Pietro.
          São as doutrinas teológicas para ser falível e incerto. Mas só quando você tem a incerteza, pede-nos a resposta da Igreja. Se esta resposta é falível, vamos apelar para aqueles que? E porque sabemos que a verdade da Igreja, não tem a definição solene do primeiro grau, mas apenas o simples juízo de Chisa: aqueles que têm ouvidos para ouvir, tenciona.
          Contra a doutrina da Igreja, deve evitar fiscalismo: recebe-o com facilidade e confiança que ela ensina e você colocar seu coração em repouso. Não interpelação de uma boa mãe, mas sim uma madrasta. Não é que todas as vezes que Jesus ensinou, os apóstolos estavam exigindo uma definição solene: ouviu e apenas.
          E’ verdade que, enquanto eu posso para a Igreja exige a adesão a fé divina, III apenas a submissão religiosa simples de vontade. Mas isso não quer dizer que mesmo a este nível a Igreja não nos ensina, embora não com total clareza e certeza, A Verdade Revelada, pelo menos de forma indirecta ou implicitamente (emirtualiter revelado). A própria Igreja, em que a história avança no seu conhecimento e certeza da fé.
          Os lefevriani são assuntos para que, ou a verdade é absolutamente certo, precisos, unívoca, clara e distinta, ou não existe. É o cartesiano, maníacos certeza. Eles, com zelo aparente para a verdade e preparação teológica peculiar, pode confundir até mesmo os grandes teólogos.
          Esta doutrina sofisticada da falibilidade do terceiro grau é o truque que costumavam ter bom jogo e uma aparente razão para se sentir livre para negligenciar das doutrinas do Conselho (são grau III!!). E’ operação objetivamente sly, desigual e injusta, que deve ser rejeitada.
          Se realmente houvesse liberdade de aceitar ou rejeitar, Papas exigiria tão severamente pela adesão lefevriani às doutrinas da Segunda. Tenha cuidado e não ser conduzido pelo nariz quando se trata da Palavra de Deus.

          Com carinho e estima

          1. Reverendo padre,

            Obrigado novamente por sua bondade; o comprimento ea articulação de suas respostas dizem que o compromisso e paixão que ela coloca em ensinar que no fundo.

            Ela me diz que negar a infalibilidade do terceiro grau corresponde à tese de Lefebvre; Eu poderia responder que admitir tal infalibilidade corresponde à tese sedevacantista. Entre os dois, Sinceramente, Eu prefiro a primeira, porque parece mais de acordo com as promessas feitas para a Igreja de Cristo.
            Voltemo-nos para os eventos atuais. Em frente ao Patriarca Bartolomeu diz Papa Francis: "Quero garantir que, para alcançar a meta desejada da plena unidade, A Igreja Católica não pretende impor qualquer exigência, se não o da comum profissão de fé, e que estamos prontos para buscar juntos, à luz do ensinamento da Sagrada Escritura e da experiência do primeiro milênio, os meios para garantir a necessária unidade da Igreja, nas circunstâncias actuais ".
            Papa Francis certamente não está falando como um médico particular, mas está fazendo uma declaração magistral presumivelmente pertencentes ao terceiro grau. Em toda a honestidade, é possível que um católico a aceitar tal…

          2. Como você pode dizer que a Igreja de Roma não é impor nada igrejas cismáticos do Oriente? Como pode-se afirmar que o único requisito é representado pela fé comum, Mas o que é baseado em experiência e escritura (o que você quer dizer? Tradição? Ensino?) de “primeiro milênio”? Se o Concílio Vaticano I , por exemplo, tem sentido definido infalivelmente de Mt 16, não se pode excluir a aceitação de tal conselho da unidade de pesquisa? Um católico imediatamente ciente de que esta declaração é sem precedentes. No entanto, é uma declaração magistral do Romano Pontífice. Será, portanto, ser forçado a aplicá-lo como infalível?Definitivamente não. Pode-se dizer que se trata de uma declaração do médico particular que vive em Francis? Seria ridículo.

            Você fala da gravidade dos papas em relação lefebvrianos…. Eu acho que, à luz destas declarações do Papa, ela deve considerar infalível, essa objeção cai por si só. Na verdade, não entendo por que eles seriam forçados a aceitar Dignitatis Humanae, quando os ortodoxos pode feliz rejeitar um milênio de ensino sem sair da comunhão com Roma….

  11. Cavalcoli Reverendo Padre, pense exatamente como ela; Na verdade, eu sou muito tempo com medo da face chamado de falsos amigos do Papa Francis. A partir da experiência pessoal, eu tenho que admitir que o “Modernista” Quando eles estão desapontados em suas expectativas de uma nova igreja, Democrático, Livre, mas não em todos Católica sitematicamente tornar-se agressivo e incontrolável.
    Que Deus abençoe a ela e seus irmãos aprenderam a revista on-line.

      1. Caro amigo,

        pessoas também estamos abertos a críticas e acima, Mas ela tenta briga controvérsia através dos gritos do estádio; e tudo é inútil, muito menos para a salvação da Igreja, e que ainda estarão em cada caso salvos por Cristo, porque ela pertence a ele que esta noiva mística.
        Devo dizer-lhe com toda a franqueza que, por vezes, seus comentários, porque eu me alegro com sua piadas lapidar pode rasgar um sorriso, como em último caso. Afirmando fato tão forte e certeza “o papa é um maçom”, soa grotesca, da mesma forma que soaria dizer que Roberto Benigni normalmente vai para pregar um retiro em conventos de freiras carmelitas de clausura, onde em cada caso, o estado da situação da Igreja, seria muito mais grave do que alguns pregadores muito populares, como por exemplo por Enzo Bianchi, só para lhe dar um nome ao acaso.
        Admitamos que o pontífice reinante é absurdo mesmo o pior papa da história: mais uma razão para ser respeitado e honrado para o cargo sagrado que cobre, atacando mal, porque a pessoa – que ataca o médico particular ou Deus me livre ele ataca o papa – você é provável em ambos os casos para atacar o mistério da fé, segurando seu ministério, intimamente relacionado com o mistério fundamental da Igreja edificada sobre Pedro.
        Esta é a razão por que o Pai John Cavalcoli esclareceu tão bem determinados papéis e funções do Romano Pontífice e do médico particular, magistralmente afirmando que nunca se deve aproveitar a oportunidade para criticar ou pior ataque “médico particular” para ir de fato para bater o Romano Pontífice.
        Como alguns irão compreender, tudo seria resolvido com um simples clik, cestinanto sua epígrafe apenas. Uma vez que, no entanto,, os três de nós, estamos em primeiro lugar, dos pastores no cuidado das almas que também usar esta ferramenta on-line para fins pastorais, o que queremos é para encaminhar todo o salvação das almas de Fideles Christi. Em seguida, responder a aqueles que perseveram em erro nunca é um desperdício de tempo, é o principal objetivo do nosso ministério sagrado.

  12. Só porque você está pastores no cuidado das almas deve saber “o lobo em pele de cordeiro” e não justifica ,por subir no vidro, o que estas diz e contra a doutrina de Cattollica. Você desta forma em vez de considerar o grave perigo para as almas. trazer estas almas diretamente “Boa sorte”. Ela vive em um mundo próprio, se ele não sabe (ou não finge saber) de “forte presença da Maçonaria eclesiástica” entre a alta hierarquia da qual os actuais legítimo Pontífice Bento XVI foi forçado a demitir-se desta seita ter no Trono de Pedro, seu expoente: precisamente Bergoglio. O conselho, entre outras coisas, ler a profecia da Catherine Emmerich Santíssimo sobre o papa eo antipapa e ver que reflectem fielmente a situação atual.

    1. Eu tenho o maior respeito pelo Santíssimo Catherine Emmerich, mas no final da sua “revelações privadas” não termina a leitura dizendo “Palavra do Senhor” ou “Palavra de Deus”. Então eu prefiro ler a “divulgações públicas” contido no Livro do Apocalipse de São João Apóstolo, leitura que terminou, como parte da liturgia da palavra, conclui dizendo: “Palavra de Deus”.
      O Anticristo é uma realidade ligada ao mistério do bem e do mal, que é inerente também na Santa Igreja desde o seu nascimento, vivendo e apresentar o Verbo de Deus encarnado, basta apenas pensar em maneiras e seguir através do qual Judas trai Cristo.
      O que caracteriza a minha fé e, em vez parece não tocá-la, é a teologia da esperança, a virtude teologal que está no meio e ler juntos fé e de caridade.
      Não é um pensamento católico, mas de cunho gnóstico e Pelagian, típico de certos ambientes escuros “Tradicionalistas” e certos desvios sedevacantiste herética, e, como tal, não leva em conta a promessa feita pela Palavra de Deus em pessoa: ” … e as portas do inferno não prevalecerão sobre ela prevarrano”.
      Tudo isso é confirmado pela sucessão de imagens que fazem progressão em todo o Apocalipse de João, culminando com a derrota do Anticristo, já marcado desde o início dos tempos.
      Por que Satanás é cada vez mais furiosa, porque ele sabe sempre ter perdido.
      Tenha certeza de que eu faço eu vou estar passivamente com as nossas mãos para dizer: “tanto, as forças do inferno não prevalecerão”. Vou tentar fazer o meu próprio e fazê-lo de uma forma activa e não por omissão, mas sem perder de vista o elemento de esperança, sem a qual não pode ser implementado e desenvolvido fé e verdadeiramente recebeu a Palavra de Deus, colocar a Palavra de Deus em uma posição para produzir fruto em nós.

    1. O falso profeta do Apocalipse, também disse “besta masculino”, é como profeta sedutor, mas é claro que não é. Na verdade, luta contra as forças do bem, a partir do qual irá inexoravelmente derrotado.
      Eu não sei, Sinceramente, quem é esse personagem, ao longo dos séculos tem sido identificado com várias figuras, incluindo Mohammed, que, sem dúvida, é um falso profeta. Vários personagens que foram associadas esta figura, mas a resposta que posso dar-lhe apenas o autor, St. John the Apostle. Se você quiser, pode entrar em contato com ele pelo e-mail, está sempre disponível para responder a perguntas: apostologiovanni.ilprediletto@Paradiso.org

      1. Ele, que atualmente “passeios” para a direita e para a sua falta “Mostrar ecumênico” curvando-se na frente de cismáticos e hereges de todos os matizes, enquanto commissariare atrás católicos fiéis à doutrina como o caso dos Franciscanos da Imaculada: isso é que é, Pai caro, o falso profeta do Apocalipse.

        1. Vista direita e vista da esquerda: o “Falso profeta” poderia ser o Papa Clemente V, em 1311-1312 decretou a supressão da Ordem dos Templários com o Conselho de Viena, ou, talvez, poderia ser o Papa Clemente XIV que, com curta Senhor e Redentor ( de 21 Julho 1773 suprimiu a Companhia de Jesus …
          Aplicando seu método, muitos no curso da história poderia ter sido o “Falso profeta” Apocalipse, ter as coisas muito “o pior” o comissário dos Franciscanos da Imaculada, dentro do qual ela pode, naturalmente, attestarci que tudo funcionou perfeitamente absolutamente de um ponto de vista canônico, teológica, religiosos, educacional e administrativa, verdadeiro?
          Certain, antes de chegar aos Franciscanos da Imaculada fui ver numerosas congregações e também várias ordens históricas, Jesuítas incluído.
          Sem Peter, minha querida, você não pode ser fiel a qualquer doutrina católica, porque o guardião supremo da doutrina católica é ele.
          O pontífice reinante pode fazer gestos questionável externo o que queremos – e executa-las – mas até agora nunca falhou de forma alguma com a verdade e com os dogmas da fé católica.
          Ele quer que ele diga claramente para fechar estes discursos polêmicos infrutíferas?
          Logo disse: se o Sumo Pontífice vestiu os paramentos pontificais solenes do Beato Pio IX, sentar-se no trono de ouro e vestindo a tiara, em seguida, com vista para a loggia central do St. Peter e proferisse uma heresia trinitária autêntica (é um exemplo paradoxal), ela e seu iria defendê-la ao máximo como revestido exteriormente de tudo o que com certeza são as substâncias verdadeiro e único, que é: acidentes externos (formal e não substancial) pela sua natureza, estão mudando.
          Se não gosta de mim, nem as calças velhas negros transpirando sloppily de túnica branca do Santo Padre, nem eu gosto de usar certas vestimentas de queijo com todas as coisas boas que estão na sacristia de São Pedro, onde armários transbordando vestimentas que são principalmente o resultado do amor e da arte das mãos de tantos artesãos e bordadeiras que doaram à Santa Sé; mas as velhas calças negros que acontecem a partir do manto branco não é para me opor e teológico e eclesiológico para questionar a autoridade do Pontífice Romano baseado substâncias eterno e imutável: “Você está Petrus”.

  13. Do irmão mais novo na fé, Acho comparação útil também “azedo” com intervenções gianlub, cílios estão desafiando sua, Eu não acho que animado apenas por polêmica. Bolsas, Talvez esmague também em qualquer circunstância, mas também de imediato, paixão é suas respostas que você reiterate em não termos facilmente decifrável cada vez mais o que o Magistério da Igreja ensina sobre o papel do Papa, as diferentes naturezas de suas declarações. Sua distinção direita: completo, absoluto respeito e obediência ao Vigário de Cristo. Enquanto lá esimete de tiratine de ouvido agora pequeno empurrão, Ore fraternalmente, correções saudáveis, empresa agora express, desacordo obsceno com as declarações incorretas, errônea ou simplesmente não é apropriado para um príncipe da Igreja, alguns pastores, da alegada priori, Bonecas de teólogos, etc..

    Hoje, você fala demais da Igreja “mundano”, dos seus aspectos externos, facções, dos lados na hierarquia, de “alegada pastoral novidade”…
    Falamos muito pouco da Igreja de Deus,a missão recebida de Jesus e quase esquecido: ide e pregai… a Igreja para as almas dos…

  14. Obrigado pai Cavalcoli para o artigo. Concordo plenamente com o fato de que você quer introduzir distinções sofistas entre os graus do Magistério na verdade é erro lefevriano: quando ele é chamado para a firme adesão da inteligência e da vontade de uma fórmula do Magistério em relação à fé ou à moral, pena de pecado mortal, você não pode acreditar que esta fórmula está errada: para mais, eu admito que ele não conseguia entender.
    Bastante, Fiquei surpreso com a alusão a entrevistas: a partir de fontes que considero confiável (site antigo totustuus) Eu tinha sido ensinado que só a carta encíclica-se não há dúvida nenhuma esse erro. A questão tinha sido levantada em relação ao livro-entrevista "Luz do Mundo’ quando, no entanto falsificar o significado das palavras do Sumo Pontífice, você queria acreditar que têm apuradas pelo uso do preservativo costumes em determinadas circunstâncias. Além interpretação tendenciosa, Lembro-me que também foi feito este esclarecimento.

Deixe uma resposta