A crítica e a piada: crimes de opinião, ficção científica ou insultos gratuitos à comunidade gay? Vamos usar o bom senso no caso de Silvana De Mari e seu livro retirado da distribuição pela Amazon

- notícias Church -

A CRÍTICA E A BANDEIRA: OFENSAS DE OPINIÃO, FICÇÃO CIENTÍFICA OU INSULTOS GRATUITOS PARA A COMUNIDADE GAY? UTILIZAMOS O SENTIDO COMUM NO CASO DE SILVANA DE MARI E SEU LIVRO COLETADO DA DISTRIBUIÇÃO AMAZÔNIA

.

[…] especialistas clínicos consultado na sequência das declarações da Dra. Silvana De Mari, eles responderam que um certo número de mulheres também praticava sexo anal - às vezes também por razões socioculturais, algo encontrado por vários ginecologistas e obstetras, ao ponto que os dados estatísticos clínicos também são possuídos neste sentido. No entanto, não parece que a prática de sexo anal por mulheres esteja ligada às patologias indicadas por este especialista em relação às relações homossexuais..

.

Autor
Ivano Liguori, ofm. Capp.

.

.

PDF artigo formato de impressão

 

.

.

.

Placa de terracota da Mesopotâmia representando a relação anal e datando do primeiro segundo milênio AC. e preservado no Museu Arqueológico do Estado de Israel

Agradeço Silvana De Mari, especialista em cirurgia geral e endoscopia, dos quais li os artigos sobre a Verdade, mesmo que nem sempre concorde com suas análises. Na verdade, acredito que o apreço pessoal nunca deve se transformar em uma veneração crítica. Quando estimamos uma pessoa, é preciso manter a lucidez diante de suas posições., sem perder o sentido crítico e analítico. Isso sem desprezar o fogo sagrado da paixão em uma personalidade, elemento positivo se canalizado sabiamente, porque excessos de paixão podem produzir mais problemas do que bem.

.

Algumas posições do pensamento da Dra. Silvana De Mari que dizem respeito a questões de moralidade sexual, como é o caso da homossexualidade e sua expressão física, eles precisam de um excedente da prudência não só no campo médico, mas também naquela multidisciplinaridade que faz a medicina dialogar com a moral católica e pastoral.. E eu digo isso não tanto em referência aos sujeitos diretamente envolvidos - pessoas com orientações e atitudes homoafetivas - mas em referência às práticas sexuais e estilos de vida que a homossexualidade carrega consigo..

.

Saindo com paixão excessiva em lidar com questões tão delicadas, como qualquer jovem colunista de jornal faria, mais do que profissionalmente arriscado, também é eticamente arriscado se o orador for um médico, portanto, um homem da ciência que, por meio de observação e estudos clínicos, deve fornecer dados documentados, também destacando os possíveis lados sombrios da questão e os impasses. A última tempestade que afetou Silvana De Mari diz respeito ao seu livro Não vamos ser amordaçados, recentemente censurado pela Amazon na rede de distribuição conectados. A editora Fé&Cultura com quem esta autora publicou seu livro expressou solidariedade a essa postura por meio de um comunicado da editora Giovanni Zenone:

.

«Na sexta-feira recebemos um email da Amazon a dizer que o nosso livro foi escrito por Silvana De Mari, Não vamos ser amordaçados, foi removido da venda no e-book e no impresso, pois viola as diretrizes da Amazon (essencialmente porque diz a verdade sobre as consequências médicas da prática sodomita)» [cf.. Quem].

.

Este editor que hoje reclama da censura e martírio talvez nos portões, deve pensar em nosso Pai Ariel S. Levi Gualdo, do que no domínio público, editorial nacional e televisão não são tão desconhecidos. Como sacerdote e teólogo, ele abordou várias vezes questões relacionadas à homossexualidade e ao mundo LGBT., Também falo para mais transmissões ao vivo com alguns expoentes bem conhecidos deste mundo, usando, quando necessário, muita severidade e decisão no apoio aos fundamentos e à doutrina moral católica, certamente não suas opiniões pessoais. No episódio de Em linha reta e reverso de 8 de outubro 2020 o Honorável Alessandro Zan contestou a respeito do projeto de lei sobre transomofobia. Dias atrás, em um de seus artigos publicados em nossa revista sobre 17 Março [cf.. Quem], referindo-se ao seu amigo Paolo Poli - a quem fica claro pelas falas o quanto ele gostava -, usando uma linguagem que não é picante ou suja, mas literária e teatral, fez várias referências irônicas a "bichas", termo agora referenciado - com razão - naquela sequência de insultos pelos quais qualquer gay pode tomar medidas legais, pedir e obter a condenação quase certa daqueles que o insultaram publicamente como pessoa natural, ou toda a comunidade gay. Mas é precisamente aqui que algo não está certo: Padre Ariel sempre criticou lobbies LGBT, se opõe aos tumultos da mídia contra o homossexualismo, para Orgulho Gay aquele desfile em Roma em frente aos mais antigos lugares simbólicos do Cristianismo e sempre se opôs a todas as tentativas de imposição forçada da teoria da sexo. Ele também escreveu tudo isso em seus livros publicados por nossas edições, que não são distribuídos apenas pela Amazon, também são impressos nas duas tipografias europeias localizadas na Polónia e na Inglaterra. Portanto, "dependemos" do excelente serviço da Amazon, às quais somos afiliados como edições, não apenas para venda conectados, mas também para impressão e distribuição. Para isso, o Editor de Fé&Cultura quem reclama da censura por um lado é talvez um martírio às portas do outro, ele deveria estar se perguntando: porque os livros do Padre Ariel nunca tiveram problemas? Acima de tudo, porque ele nunca foi processado por associações LGBT, apesar de ter feito sua estreia na televisão ao vivo, o 31 Outubro 2019, afirmando diante de vários casos de homossexualidade verdadeiramente extrema: “Esta noite parece ser no pequeno teatro queer!». Expressão hiperbólica claramente humorística com a qual até os expoentes do mundo LGBT riam. Porque, expoentes do mundo LGBT, neste padre e teólogo eles vêem um "rival" que expressa o pensamento da doutrina e da moral católica e leva adiante as idéias baseadas nelas, enquanto na médica especialista Silvana De Mari eles vêem uma pessoa que insultou toda a sua comunidade? Esta seria a pergunta a fazer e a responder, Considerando que a juíza criminal do Tribunal de Torino Melania Eugenia Cafiero esclarece na fundamentação da sentença que a acusada foi condenada pela seguinte sentença escrita em seu blog: “O movimento LGBT quer aniquilar a liberdade de opinião e está espalhando cada vez mais a pedofilia”, enquanto as demais afirmações a respeito da comunidade LGBT não são puníveis porque “o direito de se expressar é um direito constitucionalmente garantido [...] Portanto, não é o pensamento que se julga, mas sua ofensiva à propriedade jurídica protegida em uma ação penal ”., ou seja, ter associado a pedofilia a um sujeito coletivo identificável, a comunidade LGBT.

.

Do comunicado de imprensa do editor de Fé&Cultura o livro deste autor é apresentado como politicamente incorreto e perigoso, portanto, merecedor de ser boicotado e retirado do mercado editorial, porque afirma que a prática sexual homoafetiva do ponto de vista médico é altamente prejudicial. O que está errado? Que falsidades são afirmadas? Quais dados científicos e médicos foram alterados? O que omitiu verdades? Especificamente, a síntese da fala da doutora Silvana De Mari especialista em cirurgia geral e endoscopia sobre o tema relatado em seu livro é baseada em uma simples observação.: relacionamentos homoafetivos insistem em um estilo sexual anatomicamente incompatível e arriscado, no qual o parceiro ativo expõe o passivo ao estresse orgânico na parte final do intestino. De fato, trauma e uma miríade de microlacerações ocorreriam nas delicadas paredes do reto e canal anal devido à passagem do pênis não anatomicamente compatível como ocorre na vagina. Isso levaria a condições extremamente dolorosas e ao risco de facilitar a transmissão de doenças sexualmente transmissíveis [cf.. Quem].

.

Aparentemente, não há nada de errado com isso na opinião médica deste especialista, mas o que eu gostaria de apontar é uma generalização do problema apenas para a esfera sexual homoafetiva e para a única prática clínico-experiencial que ela teve a oportunidade de encontrar em seus anos de atividade como médica.. Então, se houver um erro, consiste em uma generalização extrema do problema e uma univocidade da experiência relativa aos casos tratados apenas..

.

Desejo lembrar aos leitores que comportamentos não naturais em questões sexuais não são prerrogativa exclusiva dos homossexuais, mas também dos heterossexuais. Quando a Igreja fala de relações sexuais "à maneira humana", ela não se refere apenas a uma complementaridade natural, fisiológico e anatômico, mas também funcional e relacional. Todas as variantes alternativas sobre o tema distorcem a sexualidade humana, que é única e ordenada por Deus para um propósito específico, deixando de fora as implicações omo e heterodireto, do qual um componente psicológico deve também e acima de tudo ser mantido em mente. Se esta é a razão pela qual queremos fazer isso, devemos ampliar o alcance da discussão, não reduzi-la, se alguma coisa, analisando casos específicos, como tal e não tão absoluto. O bom médico-especialista deve tentar imaginar quantos padres no exercício do seu ministério se deparam com mulheres acossadas por constantes pedidos de práticas sexuais alternativa dos maridos, companheiros e namorados que às vezes faziam corar os atores pornôs mais inescrupulosos. E tudo isso em silêncio e indiferença geral, que justifique e inclua tudo na normalidade dos deveres das mulheres para com os homens. Para essas pobres meninas de todas as idades, o único consolo e saída diante dessas propostas consiste no diálogo fraterno e franco com o confessor ou com o pai espiritual, a fim de encontrar uma solução para a angústia sentida e o sentimento de desordem despertado na alma.

.

No entanto, não devemos esquecer ao mesmo tempo a existência de um estudo de caso que vê o sexo justo como o candidato a serviços sexuais alternativos de seus parceiros, que, se alguma coisa, estão muito impressionados com esses pedidos, porque eles não consideram a sodomia como a conquista de uma prática erótica, mas como uma séria falta de respeito para com a mulher. E hoje nós, padres, temos que lidar com isso também: mulheres, especialmente os jovens, que pedem certos serviços e homens que os recusam, muitas vezes sendo muito tocados por certos pedidos.

.

Por essas e outras razões Eu acredito que as digressões sobre o uso dell’ano multitarefa não são objeto de investigação científica nos livros da Dra. Silvana De Mari, nem pela censura da Amazônia e do Pessoas do arco-íris. Na verdade, são práticas sexuais que podem preocupar e aprofundar em situações de vida muito mais comuns e graves, medicamente mais crítico e moralmente mais comprometedor. Numa sociedade como a nossa, que acredita ter se libertado dos tabus sexuais, nada mais moralista do que um silêncio que cala sobre o silêncio de tantos pobres que vivem um martírio cotidiano originado de uma sexualidade ainda não entendida como libertadora e amiga de 'homem.

.

Para os poucos padres que gostam de nós três padres de A ilha de Patmos eles tiveram o precioso prazer de frequentar o curso em seu próprio tempo audiendas em preparação para o exercício do Sacramento da Reconciliação na Penitenciária Apostólica, ele não poderá escapar do exemplo e das recomendações do moralista santo Alfonso Maria de 'Liguori. Na época do santo bispo de Pagani, a última seção do intestino estava atrasada, na ignorância generalizada do povo duro, para a relação entre o homem e o animal e vice-versa. Mas para nós, homens evoluídos, ethero ou LGBT, l’ano multitarefa ele estudou em profundidade aquela filosofia do prazer hedonístico que conhece práticas extremamente "corajosas" e até o limite que envolve a introdução de objetos de vários tipos até a mão., para o punho, para o pé naquela prática extrema conhecida como punho. Por que não abordar todas essas realidades sexuais alternativas e suas implicações médicas e morais em um discurso científico abrangente.? Por que focar apenas na esfera homossexual e não lidar também com a heterossexual? Na verdade, gostaríamos de saber por esta mulher da ciência em quais casos clínicos ela tratou, entre a população homossexual, evidências clínicas mais evidentes e evidentes foram observadas em relação aos eventos patológicos descritos em comparação com aqueles presentes entre heterossexuais? Do contrário, você corre o risco de cair no humor e recorrer a explicações hilariantes, como as dadas em tom irônico e brincalhão por um amigo gay culto e inteligente de nós. A ilha de Patmos, que, discutindo uma vez sobre a prática do sexo anal, começou dizendo: “Mulheres não são permitidas, nem! Para eles é contra a natureza ".

.

Nem todos os especialistas em medicina interna e gastroenterologia e urologia, incluindo vários católicos, eles concordam com a colega Silvana De Mari. Afirme como membro da profissão médica que os homossexuais, para o estilo de vida deles, eles representam uma categoria exposta e mais propensa a certas doenças e até mesmo a certos tipos de câncer, incluindo câncer colorretal, tudo sem trazer qualquer evidência científica e muito menos estatísticas documentadas, é realmente arriscado e arriscado, além de censura e piadas.

.

A este respeito, os especialistas clínicos peritos consultados durante este procedimento na sequência das declarações da Dra. Silvana De Mari e das reclamações que se seguiram, eles responderam que um certo número de mulheres também praticava sexo anal - às vezes também por razões socioculturais, algo encontrado por vários ginecologistas e obstetras, ao ponto que os dados estatísticos clínicos também são possuídos neste sentido, mesmo ligado a esta prática em relação às diferentes regiões geográficas da Itália. Porém, não parece que a prática de sexo anal por mulheres esteja ligada às patologias indicadas por este especialista, na verdade, pode haver casos de infecção por mulheres e homens na ausência de profilaxia e prevenção adequadas. Portanto, de fato, o que ele afirmou em sua publicação ainda não foi demonstrado com clareza científica e estatística suficiente. E esses erros, em questões civis e criminais, inevitavelmente, eles são pagos, se a parte afetada é o lobby gay, cuja suscetibilidade não podemos nem mesmo discutir, em vez disso, dê-o como um fato estabelecido, mas ao mesmo tempo devemos evitar que o mesmo seja apontado e atingido sem motivações e sem suporte científico.

.

Eu pessoalmente vejo o perigo para tornar os gays ainda mais guetizados, uma categoria protegida para patologia, favorecendo aquela lacuna corporativa que justifica uma vitimização que gera leis temerárias como as que são propostas no parlamento, Estou obviamente me referindo ao projeto de lei Zan-Scalfarotto, que pode correr o sério risco de ir para os crimes de opinião. Exatamente como o Padre Ariel disse ao Excelentíssimo Senhor Alessandro Zan naquele programa de Em linha reta e reverso de 8 de outubro 2020, certamente não trazendo suas opiniões pessoais, mas apontando que os bispos italianos haviam levantado muitas perplexidades, conhecendo as consequências produzidas por leis semelhantes aprovadas em outros países do mundo em aplicação das quais já tivemos mais bispos e padres condenados pelos tribunais simplesmente por terem dito que o casamento só é assim entre um homem e uma mulher e que uma criança pode só nascer de pai e mãe.

.

Para este discurso adicione a possibilidade concreta de ler tais patologias relacionadas como uma punição divina por um estilo de vida pecaminoso. Se a masturbação antes tornava os adolescentes cegos, hoje o câncer de cólon ou reto talvez fosse consequência do uso inadequado dos intestinos.? Percebemos a extensão de tais declarações e as consequências risíveis que nos relegariam, católicos, a fanáticos irrecuperáveis ​​ou sexofóbicos.?

.

Se for preciso fazer crítica e resistência então é necessário partir de um longo e meticuloso trabalho, rigoroso e com inúmeros testes em diferentes campos disciplinares, bem como associações Vida profissional eles fizeram para desmantelar a legalidade do aborto. Se esta abordagem não existe ou existe em parte - porque sou eu quem diz -, o jogo é facilitado por organizações LGBT que vão processar e atacar todas as pessoas com ações judiciais como a Dra. Silvana De Mari, com o único resultado de endossar as acusações de homofobia que então na esfera penal encontrarão aceitação em sentenças que não afetem a faculdade de expressar o pensamento como um direito constitucional, mas como uma intencionalidade ofensiva subjacente a um pensamento veiculado. Por isso dei o exemplo do Padre Ariel e a linha que nós, Padres de A ilha de Patmos em nossa revista de teologia eclesial e atualização pastoral: nossa tarefa como padres, teólogos e pastores no cuidado das almas é condenar o pecado de forma decisiva, mas sempre dando boas-vindas ao pecador, especialmente os piores pecadores. E, em seguida, se com a desculpa de dar boas-vindas ao pecador, alguém deveria reivindicar o direito de pecar, passando o mal ao bem, sem hesitar sempre responderemos que o pecado não é um direito e que nunca pode ser aceito.

.

Talvez alguém torça o nariz para essas palavras, mas hoje devemos ser astutos e protegidos de todas as maneiras possíveis. Ser mártires do Evangelho e do ensino da Igreja é algo louvável, ser assim pela própria imprudência ou paixão é um pouco menos. E eu digo isso salvando todas as boas intenções que não são imediatamente conhecíveis. Por esta, para mim e meus irmãos, Lamento muito pela Dra. Silvana De Mari, mulher que vive da paixão, mas também da teimosia inegável, que, da mesma forma que outros irmãos cristãos, pode provocar, com todas as boas intenções do caso, dano ao fraco, o simples e confuso do nosso tempo.

.

Laconi, 25 Março 2021

.

Caros leitores,

abrimos a página do Facebook de Edições A ilha de Patmos no qual nós convidamos você a colocar

Você pode abri-lo diretamente aqui clicando no logotipo abaixo:

.

.

.

.

.

.

«Você saberá a verdade, ea verdade vos libertará» [GV 8,32],
mas trazer, difundir e defender a verdade não só de
riscos, mas também os custos. Ajude-nos a apoiar esta ilha
com suas ofertas através do sistema seguro PayPal:









ou você pode usar a conta bancária:

a pagar a Editions A ilha de Patmos

IBAN TI 74R0503403259000000301118

SWIFT DO CODICE: BAPPIT21D21
neste caso, envie-nos um aviso de e-mail, porque o banco
Ele não fornece o seu e-mail e nós não poderíamos enviar-lhe um
ação de graças [ isoladipatmos@gmail.com ]

 

 

Acerca de pai Ivano

Ivano Liguori Dell'Ordine dei Frati Minori Cappuccini Presbitero e Teologo ( Clique no nome para ler todos os seus artigos )

30 thoughts on "A crítica e a piada: crimes de opinião, ficção científica ou insultos gratuitos à comunidade gay? Vamos usar o bom senso no caso de Silvana De Mari e seu livro retirado da distribuição pela Amazon

  1. Sr. Stefano,

    anch’io come lei trovo assurdo che un tribunale discuta di verità scientifiche, dovrebbe essere appunto una questione tra scienziati e invece noi si sta ripetendo l’errore rinfacciato alla Chiesa di aver sottoposto ad indagine vari scienziati del passato tra cui Galileo, ma nessuno lo fa notare. Temo purtroppo che in questo abbia giocato il fatto che anche la Chiesa attuale ha ormai messo da parte il pensiero naturale. Papa Francesco ritengo non creda più di tanto al diritto naturale e quindi troppi vescovi e Cardinali sono stati ben felici di liberarsi di qualcosa che anche essi considerano evidentemente anacronistico e soprattutto qualcosa che è di ostacolo al dialogo con i seguaci del convencional, come si definisce oggi il pensiero unico di cui parlava Papa Benedetto, non dimentichiamo che dialogo troppe volte significa denaro a palate per le casse “eclesiástico” nazionali e vaticane

    eu sei, non dovrei dirlo siamo a Pasqua, ma non dobbiamo essere troppo ingenui per capire qual è la realtà dura e cruda. E, chiunque incapperà nelle maglie della legge non si aspetti solidarietà dal Vaticano o dalle varie conferenze episcopali non ne avrà come non ne hanno avuto la De Mari e i medici che hanno scoperchiato le magagne di Planned Parenthood, i genitori messi in carcere perché non volevano che i loro figli fossero sottoposti a bombardamenti ormonali come il papà di questi giorni che rischia 5 anni o che non trascinava o i figli ad assistere a lezioni di sesso spinto a scuola come accaduto troppe volte in Germania, Canada.

    Buona Pasqua signor Stefano

  2. La cosa ridicola è che ci si rivolga a un Tribunale penale affinché stabilisca la verità scientifica. Agora, premesso che il metodo scientifico è solo un metodo di indagine e che dunque non può esistere una verità scientifica in quanto tale, qualunque ricercatore in qualunque campo dello scibile che lavori coi numeri può testimoniare che ai numeri si può far dire qualunque cosa, né più né meno che ai fondi del caffè (basti ricordare l’esame al C14 della Sindone). Senza l’etica, la serietà e il buon senso, e tanto più se deviati da avidità di guadagno o da deformazioni ideologiche, l’unica verità scientifica dimostrabile è la manipolazione scientifica dell’informazione.
    La perizia di parte che il Giudice ha acquisito comescientificamente vera”, era anche scientificamente strumentale alla tesi accusatoria per dimostrare l’omofobia dell’imputata. Il Giudice ha poi assolto l’imputata dalle accuse di omofobia (di questo dobbiamo essergli grati, visto che tale reato non è ancora contemplato dal Codice), ma l’ha condannata “apenas” per diffamazione, per avere sostenuto che l’omosessualità è contro natura. Agora, al di là di ogni giudizio professionale sulla dott.ssa De Mari e sulla sua distanza da ogni verità scientifica, io penso che essere condannati da un Tribunale per aver detto una Verità (questa sì) Rivelata e sentirsi pure dare torto da prelati della propria Chiesa, e essere dileggiati per questo, dev’essere un’esperienza di grande prova per la propria fede. Per questo la Dott.sa De Mari è persona che io stimo e rispetto molto.

  3. Querida Ilha de Patmos,

    Há alguns anos publicou artigos relatando os estudos de várias universidades sobre a maior incidência de doenças venéreas em homossexuais e transexuais em relação à população.. Eu não sou bom com links, mas eu 2 os artigos que encontrei são de janeiro e agosto 2012, Eu acredito que De Mari se refere a estes. Não sei se esses estudos foram refutados. Não tenho formação científica, mas pelo que li, acredito que há um interesse generalizado de que esses estudos não sejam de domínio público. Ninguém pensa que o Tribunal de Torino é um conspirador, mas também os juízes vivem nesta realidade de homossexualismo generalizado e, portanto, podem ser influenciados como qualquer ser humano. Nos EUA, o estudo do prof.. Regnerus foi publicado em meio a forte oposição, a universidade praticamente definida “homofóbico” ou então…., o “terapias reparadoras” agora praticamente fora da lei já na Alemanha, condenado ao ostracismo e cada vez mais ignorado deveria nos dizer algo. De Mari terá uma atitude apaixonada, mas não acho que o que ela e outros estudiosos internacionais dizem ser coisas completamente inventadas.
    Tenha um bom dia

  4. Caro Pai, Não li o livro de De Masi e, portanto, não sei se as informações dela são científicas ou apenas pessoais., no entanto, acredito que você está documentado sobre isso. Em seu artigo, li com grande interesse que as práticas anais são pecaminosas, sejam cometidas por heterossexuais ou gays, mas não expressa nada do ponto de vista da saúde, avaliando o que De Masi escreve, o resultado de considerações pessoais. Afirmando que é pecado e pecado grave, mas dizer que do ponto de vista médico não envolve nenhum problema sério é, na minha opinião, um desserviço, ambos heterossexuais e gays. Na relação anal desprotegida, há uma probabilidade muito alta de contrair aids e sífilis, em sujeitos gays ainda hoje, depois de anos de campanhas de informação, o percentual é de cerca 30 vezes mais alto. Esta informação nunca será publicada por ninguém porque é muito desconfortável. Quando aconteceu o trágico atentado à boate gay nos EUA, o cantor Ricky Martin queria doar sangue e, para seu espanto, foi impedido de ser homossexual. presidente Obama, solicitou, perguntou ao órgão governamental competente o motivo desta gravíssima restrição, que o informou de que existiam sérias razões científicas que justificavam esta disposição.. Obama encobriu o problema sem falar muito porque seria politicamente desconfortável. Você tirou uma bela pedrinha com o De Masi e eu também posso entender.

    1. Faça a si mesmo estas perguntas e, acima de tudo, dê a si mesmo e a quem o leu as respostas necessárias.:

      1. o Tribunal Criminal de Torino, ele recorreu a uma comissão científica, antes de emitir uma sentença motivada sobre De Mari que trouxe razões científicas que não se revelaram tais, ou devemos ter como certo que essa sentença é o resultado de uma conspiração?

      2. se, como ela diz, «a probabilidade de contrair aids e sífilis, em sujeitos gays ainda hoje, depois de anos de campanhas de informação, o percentual é de cerca 30 vezes maior ", isso significa que nem tanto mulheres e homens têm ânus e trato gastrointestinal diferentes, mas os gays têm um ânus e trato gastrointestinal diferentes, o que os expõe a um risco maior de infecção; e se isso fosse verdade, como isso o justificaria, talvez com o fato de que os gays pertencem a uma terceira espécie humana (homens, mulheres, homossexual) e que, portanto, têm um aparelho sexual e gastrointestinal diferente em comparação com mulheres e homens, o que os torna mais propensos a certas infecções?

      3. onde o caso de Ricky Martin que você mencionou está documentado e que envolveria até o Presidente dos Estados Unidos da América com altas motivações científicas relatadas e depois ocultadas? A fonte, cite a fonte de notícias tão importantes, caso contrário, você compromete a confiabilidade do que escreve e sua seriedade humana pessoal.

      1. boa noite. O talentoso cantor Ricki Martin que eu interpreto indignamente no topo da minha garganta no chuveiro. República 16 Junho 2016 e aprofundar sites em inglês do período,. Quanto às práticas sexuais alternativas, você pode verificar qualquer circular de estatísticas médicas científicas. Nunca alegou que os humanos têm órgãos diferentes. Mas falando em voz baixa, talvez fantasias mais ou menos arriscadas? eu não sei, Eu sou apenas um leitor. Sobre a De Mari posso dizer que até ontem nem sabia que ela estava escrevendo e sinceramente acho que ela se movia com muita superficialidade.? No entanto, acredito que dedicar um artigo tão longo de condenação adicional a ele talvez seja uma pedra irritante que você tirou., o interessante seria saber os motivos que te comoveram. Você está ótimo e muito preparado, Eu te sigo com ardor mesmo quando você está presente, com Don Ariel, do seu querido amigo Del Debbio. Um abraço autêntico e nada melindroso.

  5. Também nas vacinas, De Mari faz pelo menos declarações bizarras…

  6. Nos sentamos do lado errado, uma vez que todos os outros lugares foram ocupados (Brecht). Ocupada pela amazônia? Ocupado com Facebook? ocupado pelo Twitter? Ocupado pelo Google ? Ocupado por Zan ? Ocupado por Scalfarotto e Cirinnà? Ocupado por Biden? Ocupado por Nethanyau? Ocupada pelo “comunidade (!) LGBTQeccetera”? Ocupado por Gates? Ocupado por tantos comentaristas sábios e tão pensadores? Mantenha-os, seus lugares.

  7. “Ser mártires do Evangelho e do ensino da Igreja é algo louvável, ser assim pela própria imprudência ou paixão é um pouco menos” expressa em belas palavras o que também penso da Dra. Silvana De Mari, que na minha opinião é um especialista na arte de ir do certo ao errado.

    1. Se De Mari estiver certo, não pode estar errado, pelo menos pelos méritos do que diz. Então eu acho que você a está culpando no método, mas isso, querido amigo, é um assunto questionável, não de fé ou moral. A este respeito, minha opinião é que um leigo – não necessariamente católico – que ele quer defender, Não quero dizer lei natural, mas, por exemplo, o direito de seus filhos não terem suas mentes plagiadas na escolaridade obrigatória por pervertidos organizados em associações financiadas com dinheiro de famílias de contribuintes, ele não pode falar como se fosse um padre com o penitente em confissão; ele não sabe como fazer isso (caso contrário, ele teria feito aquele trabalho), mas mesmo se ele soubesse como fazer, não é justo pedir a ele para fazer isso. E’ certo, em vez disso, ele pode expressar sua denúncia nas formas e tons que a mente e o coração o inspiram. O que, pelo contrário, Acho manifestamente injusto quando tal leigo – Repito, não necessariamente católico – ao exercer essa liberdade de pensamento e esse direito de falar, ele é alvo do fogo amigo fingido dos ideólogos do catto-do-bem., com ou sem batina.

  8. Vangloriar-se de que a Amazon mantém suas publicações sob controle é estonteante, quão sério é usar esta plataforma. Não é estranho, já que vocês outros são seguidores da conta bancária, alimentando a reserva fracionária.

    É bom não falar nisso, pois forçaria vários seres humanos que não querem ser cúmplices de um crime a marginalizar o sistema produtivo. (não, portanto, como cristãos, bem como em relação ao aborto ou sodomia, desde o “direito natural”)!
    Tudo para provar apenas uma coisa : dizer / escrever tal coisa por teólogos ou pregadores é uma coisa, de economistas bastante diferentes e já está claro que a comparação De Mari vs Don Ariel não se encaixa.

    Portanto, independentemente da correção da declaração escrita por mim (infelizmente é correto, portanto, você é uma gangue de opressores e ladrões coniventes) é fácil para quem é mais descolado, principalmente de clérigos ou religiosos privilegiados que, devido aos seus lançamentos na TV, não arriscam seu trabalho ou reputação tendo a permissão para falar sobre “coisas para padres”.

    PS. se ele entende a construtividade do comentário , não é surpreendente que o “desistiu” dos traços que são do seu costume entre ironias, cílios e provocações. Em qualquer caso, interessa-se pelo funcionamento dos bancos e como escreveu Giacomo “Religião pura e imaculada diante de Deus e Pai é esta: ajudar órfãos e viúvas em suas aflições sem se deixar contaminar pelas coisas deste mundo”.

    1. Caro Sr. Dadaumpa,

      deixe-nos contar: ela é ótima!
      Ivano Liguori, Ordem dos Frades Menores Capuchinhos, representada como parte de um sistema criminoso político-econômico-bancário conivente com o poder das multinacionais, é algo hilário.

      Saudações, tanto os adoráveis ​​gêmeos Kessler cantando Dadaumpa

      1. Não é Ivano Liguori, mas do Vaticano na liderança e todos os leigos que têm algum dinheiro economizado nas gangues de bancos, incluindo sua associação que vive de doações filtradas por este sistema ( sobre o qual bela e culpadamente não se pergunte ) apoiando-se nesta infame multinacional, então exultando com o significado adequado do que foi colocado antes dele, isto é:
        uma) uma comparação impossível que distorce as críticas feitas
        b) sua baixeza comunicativa contínua
        já que só qusto eu processei: o que em Roma é chamado de ter seu traseiro salvo.
        Fácil de passar para aqueles então, apesar de ser igual “o pior” da senhora em questão, eles são tão bons que são inatacáveis…quando se trata apenas de fraude.

        1. Vai falar com minha mãe e irmão, eles explicam isso a eles – e também documentam com todas as transferências bancárias relativas – quantos milhares de euros me deram ao longo dos anos para pagar as despesas necessárias à gestão do site desta revista face a um trabalho muito exigente e muito cansativo que os meus confrades e eu realizamos de graça por nosso ministério e o povo de Deus.
          Grande idiota !!!

  9. Reverendo Padre IVANO

    ela escreve “É claro e evidente que a sodomia é um pecado. Isso é claro tanto como um ensinamento da Igreja, ambos como um argumento do meu artigo”
    parece-me que aos cardeais ,bispos e alguns padres não são mais
    Eu vou te trazer algumas novidades https://genova.repubblica.it/cronaca/2021/03/28/news/liguria_il_parroco_di_bonassola_se_non_posso_benedire_coppie_gay_neppure_le_palme-294196647/
    https://www.lafedequotidiana.it/il-cardinale-schonborn-contro-la-congregazione-per-la-dottrina-della-fede-si-alla-benedizione-delle-coppie-omosessuali/ Eu pergunto é normal?

  10. Caro p. Ivano,

    sua afirmação de que devemos falar como um diretor espiritual na confissão, mesmo quando tentamos nos opor às nossas habilidades limitadas, intelectuais, moral e retórica aos ataques omnidirecionais do homossexualismo prevalecente é realmente ingênuo. Talvez você seja um novo padre Leopoldo, muito ocupado confessando pecadores o tempo todo para perceber como o mundo é.

    Ele certamente nunca teve a oportunidade de ouvir Vladimir Luxuria na TV que, em uma área protegida, realça as propriedades taumatúrgicas da sodomia para hipertrofia prostática. Você terá facilidade em relegar-me também aos orgulhosos e orgulhosos, mas eu não apenas aprecio o que ela diz sobre o Dr. De Mari, mas também como ele diz isso. Porque hoje no ocidente, como ontem na Palestina, incorreção política é a única figura comunicativa possível para um cristão; porque hoje no oeste, como ontem na Palestina, O que é verdade?

    Quanto ao Dr. De Mari, ela é uma cientista talentosa com vasta experiência clínica da qual extrai; portanto, acusá-la de inventar mentiras por causa de gays insolentes é uma operação hipócrita. Se você está procurando esclarecimentos sobre o que diz, o método correto seria pedir a você para disponibilizar as evidências que você tem, não se voltar para aqueles que os negam.

    Por fim, aceite meus cumprimentos pelo seu argumento vencedor “até mesmo pessoas heterossexuais fazem isso ", uma destilação de rimbottismo e um seguro de vida real. Tenha certeza de que ninguém jamais irá censurá-lo e, pelo contrário, continuará a convidá-lo para…

    1. Não é sempre que um católico como hobby pode me tirar da minha mente como ela. E agora vou explicar porque eu respondo. Eu não respondo como editor-chefe desta revista, Eu respondo porque o Padre Ivano é um presbítero capuchinho de tal sabedoria e santidade de vida que quero ser protegido de certas contaminações., é melhor para um pecador como eu sujar as mãos, que para alcançar as virtudes da vida sacerdotal deste meu irmão eu teria que viver outras 57 anos, algo humanamente e biologicamente impossível.

      Eu chamo sua atenção para a primeira de suas frases infelizes:

      «Talvez você seja um novo padre Leopoldo, muito ocupado confessando pecadores o tempo todo para perceber como o mundo é "

      Me conta: você está realmente limitado a esses níveis, ou sua crassa ignorância a impede de entender que São Leopoldo Mandic, precisamente porque ele passou seus dias absolvendo pecadores de pecados, o mundo o conhecia melhor do que ela e todas as Silvana De Mari enfileiradas uma após a outra?

      Mas ela, de nós, sacerdotes de Cristo, chamados a santificar, ensinando e orientando o Povo de Deus, ele tem apenas essa total falta de conhecimento?

      No caso de, considerando que em breve você deve cumprir o preceito sagrado da Páscoa, faça como eu te digo agora: ir de Silvana De Mari, ter um bom tubo endoscópico colocado no corpo enquanto o especialista recita esta fórmula sacramental:

      «Eu te absolvo de seus pecados […]»

      Feito isso, ele poderá ir em paz em paz com Deus, porque isso é o que assuntos como ela merecem. O que posso dizer que sou um pecador inveterado, não o padre Ivano que é um santo sacerdote.

      1. De toda a sua resposta grosseira, apenas aquela me machucou “católico como hobby” infligido com aquela luxúria irreprimível que causa a humilhação de outros, dos quais apenas certas sensibilidades são capazes. Diferente de um pecador endurecido.

        1. Você tomou a liberdade de me chamar de luxuriosa? E com base no que, quais elementos e quais evidências ele tem para uma acusação tão séria?

          Como você deve saber, a luxúria é um dos pecados capitais, embora não seja o primeiro. Sei bem que quem gosta dela gostaria que o sexo e a sexualidade fossem considerados o centro de todo o mistério do mal, Mas não é assim, Eu não estou dizendo isso, mas o depósito da fé e da doutrina católica. O primeiro dos pecados capitais é, portanto, o orgulho, apenas o que ela teimosamente pratica. E não é porque afirmando isso me atrevo a julgar sua consciência, que eu nunca me permitiria fazer, simplesmente porque, pelos seus escritos e pela maneira como ataca os padres, noto que no orgulho você é realmente gangrenado.

          E acredite em mim, uma pessoa lasciva também pode ser fácil de redimir, mas para redimir um orgulhoso … muitas vezes nem mesmo os santos tiveram sucesso na empresa.

          Deus te abençoe.

          1. Senta p. Ariel, relendo as falas dessa escaramuça surreal, tenho a impressão de que não estamos dando um show muito edificante. Quando alguém percebe que deve ter, não quero dizer humildade, mas a astúcia de puxar o freio. Não pretendo estar certo, muito menos nestas condições. Então eu peço desculpas e você, se puder, perdoe-me; e se ele tiver a bondade de me conceder isso, Espero poder continuar falando em registros mais moderados.

  11. Cito uma passagem de Santa Catarina de Sena do Diálogo da Divina Providência:

    "Não só eles têm aquela sujeira e fragilidade, ao qual você está inclinado por sua natureza frágil (embora a razão, quando o livre arbítrio quiser, mantenha esta rebelião quieta), mas esses miseráveis ​​não reprimem essa fragilidade: na verdade eles fazem pior, cometendo o pecado maldito contra a natureza. Que cegos e tolos, a luz de seu intelecto diminuindo, eles não sabem o fedor e a miséria em que estão; porque não só me enoja, quais são a pureza mais elevada e eterna (para quem tão abominável, que apenas por este pecado cinco cidades afundaram pelo meu julgamento, não querendo mais suportar minha justiça), mas os demônios também lamentam, que se fizeram senhores daqueles miseráveis. Não é que os demônios se importem com o mal, como se gostassem de algo bom, mas porque sua natureza é angelical, e, portanto, evita ver ou ficar para ver aquele enorme pecado cometido”».

    Reverendo Padre Ivano, Também peço que esta etapa seja censurada?

    1. Querido Fabio,

      Eu lembro do meu professor de psicologia, sacerdote da Congregação dos Camilianos, durante a especialização em Teologia Pastoral da Saúde, fez esta pergunta:

      “Em um discurso, como você entende que seu interlocutor entendeu seu raciocínio? simples, das perguntas que ele faz a você mais tarde ".

      Pois bem, você, com sua pergunta e citação relacionada, não está apenas além da intenção do artigo, mas também do sentido em que foi redigido.. Certamente não é a citação erudita e gratuita, muito na moda hoje em dia, de Diálogo da Divina Providência de Santa Caterina que resolve o problema da sodomia. poderia, mais simples, referem-se ao ensino da Igreja em termos de sexualidade humana, mas não. Porque? Porque ele preferiu citar uma passagem que hoje é usado como arma por aqueles que consideram o pecado sexual o único culpado e digno de punição.

      Eu quero compartilhar uma confiança com você: não foi um pecado sexual que condenou Adão e Eva, mas um pecado de orgulho e arrogância, o mesmo que o dia do nosso batismo é tirado de nós pela graça de Cristo. A mesma pena dos famosos freiras de Port Royal eles cometeram: “Puro como anjos, orgulhoso como Lúcifer, rebeldes como demônios ".

      E’ claro e evidente que a sodomia é um pecado. Isso é claro tanto como um ensinamento da Igreja, ambos como um argumento do meu artigo. E uma vez que a sodomia é um pecado, assim como as relações não naturais entendidas de outra forma, este discurso tem valor tanto para heterossexuais quanto para homossexuais. O pecado não é sobre orientação afetiva, diz respeito a todos os homens, vem de uma falta, de uma privação gratuita de Deus. Essa é a tara contida no livro de De Mari, quem é médico e não teólogo moral ou confessor. E se acreditarmos que algumas pessoas são mais pecadoras do que outras, mostramos apenas uma grande miopia, o mesmo que no tempo de Jesus condenou a mulher adúltera ao apedrejamento e não o homem que consumiu o pecado com ela.

      ambos clara, minha resposta não soa como uma repreensão, mas se eu batesse na cara do penitente no confessionário – quem está lá para confessar e mudar de vida – frases como a que você citou, não só eu induziria o penitente ao desespero, mas seria muito difícil levá-lo à conversão porque ele me veria como um torturador em vez de um pai ansioso por seu retorno para casa e sua cura do pecado.

      Digo a ela que é mais fácil se converter e dialogar com aqueles que violam o sexto mandamento do que com os orgulhosos e orgulhosos.. eu te abençoo.

  12. … Eh, Rosto de De Mari, outro que parece dirigir-se aos padres apenas para insultá-los, veja seus vídeos de insultos divulgados durante o bloqueio em que ele nos contou tudo: coelhos, covardes, sem atributos viris …
    Se, do auge de sua evidente arrogância, ele tivesse, em vez disso, ouvido e pedido conselhos nossos, tanto quanto coelhos, covardes, sem atributos viris … em julgamento certamente não terminou aí, e nem mesmo condenado, porque teríamos explicado brevemente o ABC da moralidade católica.
    E, tendo dito isso, fico em silêncio e não vou mais longe.

  13. Gostaria de parabenizá-lo Rev. P. Ivano Liguori, como católica e especialista em cirurgia interna.
    Eu corro em média entre 4200/4600 colonoscopias por ano e certos danos relacionados à relação anal e homossexualidade que nunca encontrei e quando me deparei com problemas infecciosos, por exemplo, estes sempre afetaram os homens, sem distinção, mulheres, heterossexuais e homossexuais.
    Obrigado por este artigo.

  14. O pai dela ivano, como o pai Ariel, uma coisa para saber certamente bem: os homossexuais se respeitam dizendo-lhes acima de tudo o que não querem ouvir, frequentemente dobrados como estão em seu mundo surreal e brilhante. E acho que posso falar com conhecimento dos fatos, porque eu sou homossexual, mesmo que ele nunca tenha ostentado isso.
    Uma vez fui mexido por um padre, e logo depois percebi o quanto ele realmente me amava, tratando-me com aquela dureza. Em outra ocasião eu conheci um padre muito doce, amoroso, inclusivo … Pobrezinho! Ele era mais homossexual do que eu, para o que, no nível do espelho, ele queria se consolar mais do que qualquer outra coisa.

    Quando perdemos a discrição e a modéstia, trazemos à tona o que há de pior em nós mesmos. Isso se aplica a nós, homossexuais, agora cada vez mais desavergonhada na ostentação de nossos piores vícios, e se aplica ao Dr. De Mari, cada vez mais desavergonhado em sua falta de caridade cristã.

  15. pai Ivano, você é realmente ótimo, mas não é bom nisso “católicos adultos”, grandes como homens de fé, cultura profunda, e modelos de vida sacerdotal.
    Obrigado por este artigo

    Don Paolo de Bolonha (cidade de … “católicos adultos”)

  16. 92 minutos de aplausos e aplaudido de pé pelo padre Ivano!

    Muito obrigado por escrever este artigo. Eu conheço De Mari e sua veemência quando ela expõe suas ideias. Em particular quando fala de pessoas como eu que vivem a condição de homoafetividade e as implicações clínicas baseadas praticamente apenas em sua experiência ambulatorial, Rejeito totalmente o que ele diz, porque é claro que o preconceito prevalece em suas palavras mais do que a pessoa da ciência. Mas rejeito o que ele afirma e escreve porque não me reconheço naquela visão que ele dá da sexualidade homoafetiva que transmite.. Acima de tudo, Rejeito essas declarações porque podem levar outros a pensar que todos os homossexuais são tão pervertidos … Mas mesmo não!

  17. Caro Pai,

    Eu concordo totalmente com sua distinção. Também deve ser considerado que a Amazon, a qualidade da operadora de um serviço privado, obviamente tem todo o direito de retirar do mercado os produtos que, por várias razões, considera inadequado. No entanto, gostaria de observar o fato de que:

    uma) seguindo os eventos do mundo político e intelectual americano muito de perto, Fiquei profundamente impressionado com a política desta empresa de retirar livros que não continham nada ofensivo para a comunidade LGTBQevattelapesca. Estou pensando acima de tudo em um trabalho do bioeticista Ryan T.. Anderson, Quando Harry se tornou Sally, relativos ao problema do transexualismo de um ponto de vista filosófico. Eu não li o livro em questão, mas estou bastante familiarizado com os livros de Anderson e devo dizer que ele nunca se entregou a afirmações ofensivas e generalizadas. Ainda mais preocupante é o fato de que, no presente caso, o livro foi disponibilizado pela Amazon há pelo menos dois anos, apenas para ser retirado no momento Anderson, das páginas de Wall Street Journal, fez uma forte crítica a um editorial escrito no Washington Post por um conhecido ativista esquisito. A Amazon, é claro, tem todo o direito de implementar políticas empresa que acredita, mas eu suspeito que era uma forma de “retaliação” na pressão de alguns ambientes é forte, também dada a posição de destaque de Anderson na direção de um pense obrigado Conservador;

    b) não diz respeito estritamente aos casos em consideração, mas devemos também lembrar que a Amazon desempenha um papel quase monopolista no mercado e o fato de que retira certos produtos com base em considerações puramente ideológicas e não com base em considerações de oportunidade lucrativa, na verdade, elimina a possibilidade generalizada de acessar certos recursos. É verdade que cabe ao mercado encontrar uma solução criando plataformas competitivas, mas o problema permanece.

    Concluo concordando que, infelizmente, muitas vezes, as publicações católicas e as vozes públicas prestam um péssimo serviço ao bom combate, concedendo claramente acima de tudo impróprio ou, pior, falso.

    Lembro-me da cruzada lançada por um amigo meu do colégio que era membro da Alleanza Cattolica (e então felizmente fez a transição para o hedonismo mais extremo) que, tornou-se diretor da revista escolar (e nunca foi entendido como ele fez isso, tanto pelas más qualidades de um escritor, e para a esmagadora maioria da esquerda nas altas posições da escola), ele dedicou três artigos em uma série de questões relacionadas à homossexualidade e contracepção. Nada de errado com isso até agora, na minha opinião. O problema estava nos tons usados ​​e na decidida inoportunidade de publicação. Uma mera provocação por si mesma. Como você pode pensar em sensibilizar um público hostil para questões tão delicadas por meio de declarações que poderíamos definir eufemisticamente transe, com o risco certo de radicalizar ainda mais os destinatários?

Os comentários estão fechados