Os pecados imperdoáveis ​​dos padres diante das santas virtudes dos católicos analfabetos na fé

OS PECADOS "IMPERDÁVEIS" DOS SACERDOTES PERANTE AS SANTAS VIRTUDES DOS CATÓLICOS ANALFABÉTICOS DA FÉ

 

… poderíamos modificar e reescrever a parte final de nossa profissão de fé: "Eu acredito em mídia social e na vida do mundo vindouro". E se alguma coisa,, em vez de o Credo Niceno-Constantinopolitano, poderíamos renomeá-lo Símbolo da fé do católico analfabeto, que ri do conhecimento e que deu vida à fé de «…, Eu penso isso …". E tudo isso, isso é muito claro: não é culpa dos sacerdotes.

- Realidade -

.

.

artigo em formato de impressão PDF

 

.

.

usando ficção fantasia Padre Ariel S.. Levi di Gualdo deu a quem questiona e procura respostas uma viagem ao mistério da vida, encerrando a doutrina sobre derradeiro por trás das linhas de um romance distópico ou “fantateologico”

Ao colocar a mão a um novo livro ou artigos relacionados com a doutrina da fé, Eu sempre me faço uma pergunta: esta perda de tempo adicional é necessária, considerou que o primeiro a mostrar que quer pão, circo e muita coceira são os católicos em primeiro lugar, ou auto-estilizado, ou o pouco que resta do desastroso mundo católico? É legítimo e admissível que um presbítero e um teólogo sejam assaltados por perguntas que o levem a se fazer perguntas tão sérias e pesadas.?

.

Na era digital eu mídia social eles trouxeram legiões de tolos que até ontem discutiam de forma bizarra as questões históricas mais complexas, social, políticos e religiosos dando suas "pérolas de sabedoria" em bares ou salões de cabeleireiro, onde tudo permaneceu fechado no final de suas discussões "aprendidas". Hoje, no mundo de cabeça para baixo destruído em que vivemos, em uma condição de decadência irreversível - um fenômeno sobre o qual tenho falado e escrito há duas décadas -, o ignorante munido de uma cultura que nem chega a um nível médio-baixo, atormentado por essas formas de analfabetismo que podem ser recorrentes e digitais, em mídia social pode ter classificações e seguidores que os especialistas científicos ou divulgadores mais qualificados não podem sequer imaginar. Basta pensar no chamado influência, que, como o nome indica, têm as piores influências sobre nossos jovens e adolescentes, inutile dettagliare a quali bassi e immorali livelli.

.

Neste caos confuso também encontramos um grande exército de católicos verdadeiros ou presumidos, lançar-se na busca mórbida espasmódica por coisas que podem excitar suas coceiras, mas nada têm a ver com as verdades da fé revelada. No máximo, deles é puro fideísmo, quase sempre apoiado por elementos mágicos, supersticioso, esotérico, milenar, em conclusão: neopaganesimo decadente, que nada tem a ver com aquela grande cultura pagã à qual o cristianismo é o primeiro a dever, basta citar Sócrates, Platão, Aristóteles, seguir os grandes pensadores, literatos e juristas romanos.

.

Para retornar ao analfabetismo e analfabetismo digital se junta a outra forma de analfabetismo, a dos analfabetos na doutrina da fé, l’arroganza dei quali è spesso superiore alla loro stessa ignoranza. Que nunca um padre ou um teólogo ouse intervir, pior lembrar ou destacar os erros de certos analfabetos na doutrina da fé. ja fiz varias vezes tambem, geralmente com esses resultados: o diálogo começa com um agressivo "você é incompetente porque não sabe disso...", terminar com um imperativo «tenha vergonha!», se não pior com um lapidário «você é um padre envergonhado!».

.

eu mídia social eles não devem ser subestimados com espírito de superioridade e esnobismo clerical chique, porque constituem um mundo em que hordas de católicos ou supostos católicos se deleitam nas mais improváveis ​​aparições marianas já reconhecidas pela Igreja, que muitas vezes os repudiou publicamente de forma decisiva e inapelável, eles eram tão falsos, mas sobretudo desviante para a fé, especialmente das pessoas mais simples e frágeis. Seguem-se revelações surpreendentes sobre o verdadeiro Terceiro Segredo de Fátima, segundo eles, mantidos escondidos pela Igreja de forma maliciosa. As "profecias" de Nostradamus, escrito em quadras tão ambíguas que qualquer um pode inventar o que quiser depois. A sensacional falsidade das "profecias sobre papas" atribuídas ao irlandês São Malaquias Bispo de Armagh, viveu no século XII, amplamente negado pelo erudito jesuíta Claude-François Menestrier no final do século XVII[1] e già rimaneggiate à manipolate in precedenza nel XVI secolo. As "profecias" do Beato também são muito tentadoras Anna Katharina Emmerick, declarado inautêntico pela Congregação para as Causas dos Santos ao mesmo tempo que sua beatificação[2]. Ainda que infelizmente eu tenha achado o quão inútil e infrutífero é explicar a certos analfabetos na doutrina da fé que beatificar um servo de Deus ou canonizar um beato não significa beatificar e canonizar tudo o que ele disse., escrito ou feito, muito menos reconhecer suas visões místicas ou locuções interiores. Igualmente inútil explicar que as aparições e mensagens marianas, incluindo os reconhecidos pela Igreja, não constituem pilares da depósito de crédito e non obbligano affatto i credenti a una adesione di fede.

.

Diante disso e ao que se segue que é prejudicial à fé e à saúde das almas, ressoa a terrível advertência do Beato Apóstolo Paulo:

.

"No dia, na verdade, em que não suportarão a sã doutrina;, mãe, tendo comichão nos ouvidos eles, amontoarão para si doutores para atender os seus próprios gostos, recusando-se a ouvir a verdade e voltando às fábulas " (II Tm 4, 2-4).

.

Sui mídia social as críticas dirigidas aos padres e para todas as mais altas hierarquias eclesiásticas brotam como flores silvestres depois da chuva, de práticas sempre severas e impiedosas. Nesse sentido, acho que sou a última pessoa a ser acusada de partidarismo, eles tentam vários dos meus livros - que é claro que eu convido você a não ler, que grande perda de tempo seria! - e numerosos artigos nos quais destaco os piores defeitos do clero e das nossas hierarquias eclesiais, fazendo uma análise profunda, impietose e severa, Maio terminou em se stesse, porque toda análise crítica sempre contém soluções possíveis, junto com tanta amargura, mas sobretudo ao meu amor inextinguível pela Igreja, che è eterno come lo è il sacerdozio col quale sono stato segnato e ontologicamente trasformato con un carattere indelebile.

.

Hora extra Vi em primeira mão como os defeitos e as deficiências do nosso clero constituem um esplêndido pretexto para aquele exército de católicos, ou auto-estilizado, que de modo algum pretendem comprometer-se com um sério caminho de fé, o que implica antes de tudo ser treinado e orientado, confiar nos professores e segui-los. Muito mais fácil ficar online, digite uma frase de pesquisa e comece a mudar de um blog para outro, onde os incompetentes sensacionais se atrevem a falar dos fundamentos mais complexos e delicados da fé temperada com um molho sensacionalista, sem nunca perder dois elementos essenciais para despertar a coceira necessária: catastrofismo e conspiração.

.

Você talvez seja assaltado pela antiga questão: quem nós somos, de onde viemos, Para onde vamos? Você quer saber qual é o mistério da vida eterna, o julgamento imediato ou particular de Deus, a ressurreição dos mortos e o juízo universal? Não perca tempo comprando e lendo meu livro O caminho das três chaves, onde em forma narrativa eu ​​falo de derradeiro através de um romance distópico, entre outras coisas, custa 22 Euro, seria apenas dinheiro jogado fora, afinal é o trabalho inútil de um padre e um teólogo que tentou traduzir os principais mistérios da fé em literatura na época de sua maturidade humana, intelectual e espiritual. Você quer saber qual é o mistério da vida? Basta digitar uma frase-chave em um mecanismo de busca e depois beber as páginas mais absurdas em que "teólogos" da internet improváveis ​​e principalmente anônimos misturam mitos, crenças pagãs, legendas, teorias de reencarnação, experiências de quase morte, peças extrapoladas de alguns escritos descontroladamente manipulados dos Padres da Igreja, finalmente apresentando deuses potpourri que não têm nada católico e cristão. E se um padre ou um teólogo se atreve a explicar que os fundamentos da fé católica são bem diferentes, será o suficiente para responder como de costume: «…ah, mas eu li isso...". E se começarmos a conversar com essas pessoas sobre alguns mídia social, exercendo nosso ministério como pastores no cuidado de almas e teólogos, reações e respostas serão aquelas que já mencionei: "Estar envergonhado!», sempre na melhor hipótese, claro.

.

Na opinião de muitos católicos que se proclamam devotos e praticantes, a culpa por tudo isso é atribuída apenas aos padres que não pregam bem, que não fazem catequese, que não estão disponíveis, seguir com toda a sequela dos defeitos do nosso clero, que o abaixo assinado nunca negou nem pretende negar, tendo-os trazido à luz sem hesitação.

.

Vamos tentar examinar o vidro que como sempre está sempre meio vazio e meio cheio, a partir da crise das vocações, pela redução progressiva do número de sacerdotes e sua idade cada vez maior em todos os países ocidentais. Se hoje, um padre sozinho, é obrigado a cuidar de quatro ou cinco paróquias espalhadas por um território, vários quilômetros de distância um do outro, em que até cinquenta anos atrás havia um pároco em cada, até setenta ou oitenta anos atrás também o pároco adjunto, cumpriu seu doloroso ministério de "celebrador compulsivo" de Santas Missas correndo de uma igreja para outra, quanto tempo ele terá para todas as outras atividades pastorais, incluindo especialmente a catequese e a formação dos fiéis, além de cuidar da vida espiritual? Quantos, estudar e preparar? A celebração eucarística representa o culminar de um caminho de vida que envolve o cristão em muitas ações. A experiência de fé e a vida de fé não se reduz a uma Santa Missa dominical, que o caminho da vida cristã é a realização máxima. Portanto, não seria melhor deixar aberta apenas uma igreja paroquial em todo aquele distrito e fechar as outras, se os padres forem enviados a todas as paróquias espalhadas de cidade em cidade, não haverá mais? Não, Não pode ser feito, porque os fiéis se levantarão instantaneamente - e geralmente de forma turbulenta -, apresentar o problema dos idosos que teriam de se deslocar desconfortavelmente na freguesia a quatro ou cinco quilómetros de distância, coisa tão inaceitável. Seus protestos quase sempre acrescentam referências à falta de caridade cristã, a não ser nem mesmo saber o que é esta virtude teologal fundamental para a fé católica, que, no entanto, constitui um termo com efeito, especialmente se pronunciada por alguém que nem sabe o seu significado. Nesse momento o bispo, sem a intenção de ter problemas com os fiéis que conhecem a palavra "direitos", mas ignoram a palavra "deveres" de Fideles Christi, chama o pobre sacerdote e convida-o amavelmente a sacrificar-se pelo bem de salvação das almas, ignorando - espero que involuntariamente -, que não é uma questão de fiéis, mas do pior tipo de infiéis: o dos egoístas arrogantes.

.

Teve a Santa Missa no Domingo na esquina da casa e obrigou um pobre padre agora à beira da exaustão a celebrar em três paróquias a partir de 8.30 Todos 12.30 pela manhã e em outras duas 17 Todos 19, aqui vemos os mesmos "pobres idosos" - para quem é impossível percorrer quatro ou cinco quilômetros para chegar à igreja mais próxima no domingo -, entrar no carro no início da tarde e dirigir 40 o 50 quilômetros para ir a um grande centro comercial na capital provincial. Mas eles devem ter a igreja ao lado, porque nesse caso são pessoas idosas para quem seria pecado mortal faltar caridade não especificada, enquanto se eles tiverem que percorrer uma distância dez vezes maior na direção do grande shopping, nesse caso eles de repente se tornam jovens, preferindo descontos promocionais muito mais, ou o ganha três paga dois, a todos os princípios fundamentais da caridade cristã, que deve ser exercido também em relação aos sacerdotes.

.

A teoria de que as falhas são todas dos sacerdotes, enquanto os fiéis que constituem os membros do Povo de Deus são criaturas inocentes torturadas por pastores inadequados, está destinado a ser levado a sério apenas por aqueles bispos que, para não ter problemas com os protestos dos pretensiosos e egoístas, preferem sacrificar a saúde física e a espiritualidade de seus padres, não hesitando em reduzi-los a celebradores em série de Messe correndo de uma igreja paroquial para outra em todas as aldeias vizinhas.

.

Uma tarefa completamente secundária dos bispos seria também para lembrar seus súditos[3] que se as famílias cristãs, ou o pouco que resta, eles não são mais capazes de promover o nascimento, acolher e estimular novas vocações ao sacerdócio, ninguém pode reclamar que a Igreja não "faz" mais sacerdotes, também porque os sacerdotes não são fabricados, o primeiro núcleo em que uma vocação é acolhida e cultivada é a família cristã. mas quanto, como dissemos agora, os bispos da nova geração estão felizes em receber todas as honras do episcopado, não, no entanto, os pesados ​​encargos que isso implica, eles preferem espremer seus padres cada vez mais reduzidos em número como limões no espremedor de frutas cítricas, cada vez mais em idade avançada, cada vez mais esgotado, muitas vezes frustrado e desmotivado, cercado por fiéis auto-intitulados egoístas, preguiçoso, fofocas e brigas, dos quais, no entanto, eles decidem agradar caprichos e caprichos, evitando assim ter problemas para resolver e decisões impopulares para tomar, como a supressão de paróquias que não podem mais ter um pároco, algo que a maioria dos bispos tem o cuidado de não fazer.

.

Reclamam que a Igreja e os sacerdotes não difundem a sã doutrina é falso e pouco generoso. São inúmeras as instituições religiosas que se preocuparam em montar excelentes sites na internet para tornar o texto da Catecismo da Igreja Católica e os documentos de Magistério da Igreja, a letra do Antigo Testamento, do Santos Evangelhos e do Cartas Apostólicas com comentários e explicações. Existem vários sites que coletam homilias de domingo, vídeos em que os bispos, párocos e teólogos engajados em atividades pastorais e na divulgação da doutrina católica realizam palestras e conferências, muitos bispos publicam um comentário a cada semana com explicações precisas do Santo Evangelho (apenas alguns exemplos: WHO, WHO, WHO, WHO, WHO, etc …). Nosso editor e teólogo capuchinho Ivano Liguori deu aos nossos leitores uma série de catequeses sobre o Sacramento da Penitência reunidas na coluna Catecismo café da manhã com Cappuccino, que publicamos em vídeo no nosso Ilha de Patmos. Que difusão eles tiveram? Eles foram muito apreciados por vários católicos de "nicho" interessados ​​em aprofundar verdadeiramente seu conhecimento da fé e dos sacramentos.

.

Nós confessores sabemos bem disso quando certas pessoas vêm a confissão, muitas vezes sem saber por que, como eles confessam ou como eles não confessam. Repetidamente, depois de ouvir penitentes que por dez minutos fizeram fofocas sem sentido, Com toda a bondade do caso, lembrei que este precioso sacramento é usado para absolver pecados e retornar à comunhão da graça de Deus, não é por acaso que a fórmula lê: «Eu te absolvo de seus pecados ... ». Este precioso Sacramento não serve para absolver de uma conversa, dos quais Deus é o primeiro a saber o que fazer com. Mais uma vez, perguntemo-nos: se um homem que deixou sua esposa, que mais tarde se casou civilmente, então ele também deixou sua segunda esposa, ir morar com uma garota muito mais nova que ele, que sempre levou uma vida que constitui em si mesma uma negação dos valores básicos da vida cristã, confessar-se apenas porque tem de ser padrinho ou testemunha de um crisma ou de um casamento - o que, aliás, não devia e não podia fazer -, nunca é possível dizer-lhe sobre isso: «beh, eu não mato, não roubar, Eu não machuco ninguém... talvez às vezes eu fique com raiva, às vezes acontece que ele conta algumas pequenas mentiras ... ". Pergunta: nunca é possível? E se isso acontecer, temos a certeza de que a culpa é dos sacerdotes que, segundo alguns, não se dedicaram ao precioso ministério dos confessores? O exército de católicos dominicais que recebem a Sagrada Eucaristia apesar de terem suas consciências sobrecarregadas com pecados mortais e que têm o cuidado de não confessar, talvez convencido de que apenas os padres cometem pecados, por acaso eles também constituem nossa grave culpa? Nós, sacerdotes, somos culpados pelo fato de que um grande número de fiéis não tem mais nem mesmo o senso do bem e do mal? É culpa de nós sacerdotes se nos encontramos com fiéis ou presumíveis fiéis dispostos a cobrir-nos de pesados ​​insultos mídia social se nos atrevemos a lembrar que o aborto é um crime grave, que a eutanásia não é de forma alguma um gesto de amor por uma pessoa em estado terminal, que dois homens ou duas mulheres não podem se casar, muito menos adotar "crianças de brinquedo", porque longe de ser amor, questo è piuttosto l’abominio della desolazione? Anche questa è colpa dei preti che non svolgono bene il loro ministero? O più semplicemente si tratta invece soltanto di sedicenti cattolici che ci aggrediscono per avere ricordato loro l’ovvio: che il male non può essere chiamato bene, meno che mai amore?

.

Se é verdade a teoria de que os números falam na internet que constituem um termômetro preciso da realidade, o panorama que se abre diante de nossos olhos é sombrio, para ser exato isso: um vídeo enviado para YouTube por um homem anônimo sem rosto e nome que fala das "profecias" de Nostradamus finalmente interpretadas, um mês após a sua publicação ter registado 545.321 Visualizações. O mesmo dia, um bispo italiano, já um excelente especialista em eclesiologia, professora, formador de sacerdotes e leigos, pastor dedicado durante anos à catequese de adultos, publica uma exegese catequética sobre a ressurreição dos mortos referindo-se ao Santo Evangelho daquele domingo do ano litúrgico, um mês após a sua publicação ter registado 223 Visualizações. Mas outro anônimo logo foi servido com lacunas anormais nos fundamentos da fé católica YouTube publica um vídeo que anuncia a revelação do verdadeiro Terceiro Segredo de Fátima mantido escondido pela Igreja desde o título, um mês após a sua publicação ter registado 361.222 Visualizações. O mesmo dia, um erudito teólogo dominicano especializado em mariologia, publica uma catequese de 30 minutos para explicar o significado e o significado profundo das aparições marianas de Lourdes e Fátima, um mês após a sua publicação ter registado 644 Visualizações.

.

A Igreja compreendeu desde o advento da era digital a importância de mídia social e os meios de comunicação oferecidos pela internet, aproveitou a oportunidade e teve o cuidado de disponibilizar todos os materiais que outrora os fiéis católicos poderiam encontrar em livrarias ou bibliotecas, enquanto aqueles que quisessem ouvir as exegeses de um bom especialista teriam que ir sabe-se lá onde ouvir uma de suas palestras. Hoje eles podem ir online e encontrar todos esses materiais. Mas os números, como acabei de explicar, eles falam claramente, acima de tudo eles falam sobre outra coisa.

.

Se os números falam na internet, a pergunta é obrigatória: tudo isto, o que é bom? Talvez para criar sui mídia social uma praça onde se eleva o lamento perene para a Igreja e os sacerdotes, por aqueles que seguem o novo Frei Cipolla da memória de Boccaccesca que exibe suas relíquias improváveis ​​e absurdas aos tolos, enquanto as catequeses organizadas nas paróquias estão desertas, nossos livros não são vendidos e nossas catequeses e conferências não são ouvidas? Este desinteresse pela doutrina da fé, talvez seja tudo culpa dos sacerdotes?

.

A Internet serviu para dar voz a um exército de pseudo-católicos sempre pronto para o lamento público e severo contra a Igreja que "já não evangeliza" e contra "os sacerdotes que já não agem como sacerdotes, que não fazem catequese e que não instruem os fiéis". Vamos esclarecer: conhecendo a fundo os graves defeitos da Igreja visível e as deficiências dos meus confrades, os números, no entanto, dizem o contrário. Se os fiéis querem aprofundar as questões relacionadas com os fundamentos da fé, ou saber algo sobre o mistério da vida, de morte, da vida eterna, da ressurreição dos mortos... eles não vão abrir as numerosas páginas em que a Igreja visível defeituosa disponibilizou o Catecismo e o guia comentado para sua leitura, eles vão a blogs de bebida e vídeos onde perfeitamente incompetentes falam sobre experiências de quase morte, agradando a curiosidade mórbida das pessoas. Eles não começam a estudar i derradeiro, eles vão e aproveitam os vídeos irritantes sobre as profecias de Nostradamus. Não se aprofundam na mariologia ou na devoção católica e saudável à Virgem Maria, mergulham como golfinhos no oceano de bobagens de sujeitos que ignoram os fundamentos da fé e os provocam com bobagens de charlatães perfeitos sobre os verdadeiros Segredos de Fátima não revelados. Além disso, você sabe, para alguns a Santa Igreja não é mãe, é mestra, mas mentirosa, um cruzamento entre uma seita secreta de poderosos e uma associação criminosa que não anuncia nem guarda a verdade, muito pelo contrário: esconde e desfigura (!?).

.

Eu voo para outra doença virulenta que vem se desenvolvendo após 11 de fevereiro 2013 o Sumo Pontífice Bento XVI tornou livre e legítimo ato de renúncia al sacro soglio. Além dos inevitáveis ​​teóricos da conspiração, personagens sombrios foram desencadeados, movido por rara violência verbal e agressão, que declararam a renúncia inválida porque, segundo eles, ocorreu sob coação, invalidando assim a eleição do Sucessor, definido por vários líderes amarrados de certo teorias dementes como «antipapa usurpador, herege e apóstata "assim como "emissário do anticristo". Essas pessoas apoiam suas próprias teorias bizarras sobre a falta de conhecimento da história da Igreja que tem um, citar a Constituição Apostólica Rebanho Dominic que rege a eleição do Romano Pontífice, mas infelizmente eles nunca leram, nem há evidências de que eles citam erroneamente um artigo depois de tê-lo entendido mal e ignorando completamente que nos três artigos seguintes suas declarações são totalmente negadas. Fazem referências absurdas ao Código de Direito Canônico, mas não sabem como nasce a lei da Igreja, ele se desenvolve, é interpretado e aplicado. Um verdadeiro salteado de legumes finalmente afogado com o molho das profecias e aparições marianas, por sua vez distorcido e manipulado. O que mais dizer e adicionar, se não... que dor! Mas é a Igreja visível que não está à altura de fiéis tão sedentos de verdade, ser povoado por sacerdotes que não estão à altura das necessidades dos católicos tão exigentes e ansiosos por exercer as mais altas e sagradas virtudes da vida cristã.

.

A triste realidade - querendo ridículo, se o todo não constituísse o desastre da fé e sobretudo das almas -, é que se um católico ou autoproclamado tem dúvidas, ele tem o cuidado de não consultar todos os materiais e fontes disponibilizados à Igreja Católica sobre mídia social, mas se estica o Facebook, seu Twitter ou seu Instagram, que, como se sabe, são conhecidos centros de catequese e doutrina. Infelizmente, há pouco para se surpreender: ser tramita e mídia social muitos vieram para a medicina Faça Você Mesmo ou para as ciências exatas Faça Você Mesmo, talvez falte fé Faça Você Mesmo?

.

A queixa generalizada sobre a Igreja que não evangeliza mais ou sacerdotes preguiçosos que não ouvem e que não fazem catequese, sem tirar nada das deficiências da Igreja visível e dos sacerdotes, é apenas uma falsa justificativa. Há muitos párocos, mesmo de grandes paróquias, que depois da missa dominical permanecem os seis dias restantes sem ver um paroquiano, com a mãe viúva idosa e o sacristão que participam das liturgias dos dias de semana constituindo a única assembleia dos fiéis. Apesar de ter tentado organizar encontros catequéticos para adultos e várias atividades para jovens. Obviamente, se tudo não deu certo, isso não se deve à indiferença dos fiéis, a culpa é inteiramente do padre, se alguma coisa, também do bispo que o colocou naquela paróquia. Então, quando alguns desses fiéis ou pseudo-tal se apresentam porque precisam do padre, quero uma folga, quero um certificado, à menor objeção levantada a eles, a resposta será: "... mas eu li na internet que ...".

.

Temos a certeza de que são os sacerdotes que se tornaram fugitivos que não ensinam os fundamentos da fé e doutrina católica? Porque os números dizem outra coisa, sobretudo, as consequências produzidas pelos próprios números o dizem.

.

Animado por esta consciência Decidi publicar um novo trabalho depois do verão onde explicarei o nosso eu acredito o Profissão de fé, cujo nome verdadeiro é o Credo Niceno-Constantinopolitano, porque é o resultado de dois grandes concílios dogmáticos da Igreja e de uma história antiga, complexo e também fascinante, embora esteja ciente de que nunca poderei despertar o encanto de um ou de outro madona falsa que deposita segredos tremendos a um grupo de charlatões que há quarenta anos provocam a coceira dos beócios anunciando "estamos perto agora ... estamos perto ...". Todos os também pela boca - infelizmente! - o diretor da Rádio Maria, deixados livres para falar por nossos bispos omissos que toleraram dolorosamente certas formas de mariolatria que às vezes são piores que uma blasfêmia contra a Santíssima Virgem proferida por um bêbado em uma taverna ...

.

Se você quiser, este meu, você pode chamar isso de "santa frustração sacerdotal". Administrando confissões a numerosos confrades sacerdotes dos quais sou confessor há anos, Muitas vezes me vi tendo que responder a esta pergunta dramática: «A quem dei a minha vida, se dia após dia sou obrigado a reconhecer que todas as iniciativas voltadas para a evangelização dos fiéis terminam em fracassos sensacionais?». Pergunta verdadeiramente dramática à qual eu respondi: "Você deu sua vida a Cristo Deus que suou sangue no Horto das Oliveiras (cf.. LC 22,39-44), a Cristo Deus, diante de quem a multidão escolheu Barrabás (cf.. MT 27, 15-26), a Cristo Deus abandonado pelos discípulos que fugiram (cf.. MC 14, 50-52), a Cristo, Deus negado três vezes por Pedro (cf.. LC 22, 54-62). Mas acima de tudo a Cristo Deus que morreu na cruz, diante do qual o bispo que nos consagrou sacerdotes dirigiu a solene advertência: “Esteja ciente do que você vai fazer, imitar o que você comemora, conformai a vossa vida ao mistério da cruz de Cristo Senhor"[4]».

.

estou plenamente ciente que passarei um verão inteiro escrevendo um novo livro que venderá poucos exemplares e que será lido por poucas pessoas, os mesmos que vamos encontrar reclamando mídia social contra a Igreja que não evangeliza e os sacerdotes que não cumprem o seu dever de mestres e pastores no cuidado das almas, ou faça perguntas sobre as páginas o Facebook em que, sem pena de ridículo, eles pedem que você explique o mistério da Encarnação do Verbo de Deus com uma piada de três linhas, e, em seguida, replicar após alguns segundos: "... mas eu discordo, perché secondo me … perché ho letto che …». Um livro que talvez seja útil principalmente para mim, poder dizer a Deus, o dia em que me encontro cara a cara com ele, que procurei cumprir de todas as maneiras a missão que Cristo me confiou, chamando-me para ser seu sacerdote, Apesar, como se sabe "... mas na internet li isso...".

.

O que mais adicionar em conclusão, caso pudéssemos modificar e escrever novamente a parte final de nossa profissão de fé: "Eu acredito em mídia social e na vida do mundo vindouro". E se alguma coisa,, em vez de o Credo Niceno-Constantinopolitano, poderíamos renomeá-lo Símbolo da fé do católico analfabeto, que ri do conhecimento e que deu vida à fé de «…, Eu penso isso …". E tudo isso, isso é muito claro: não é culpa dos sacerdotes.

a Ilha de Patmos, 6 junho 2022

.

Notas

[1] Ver. Refutação de profecias falsamente atribuídas a S.. Malaquias sobre as eleições dos Papas, editado por Cristiano Wagnero, Leipzig em 1691.

[2] Cardinale Jose Saraiva Martins, Prefeito da Congregação para as Causas dos Santos: «[...] as obras em questão não podem ser consideradas escritas ou ditadas por Emmerick e nem mesmo transcrições autênticas de seus depoimentos e narrativas, mas uma obra literária de Clemens Brentano e com tais extensões e manipulações que é impossível estabelecer qual é o verdadeiro núcleo que pode ser atribuído ao beato. Conclui-se que os escritos em questão não são o verdadeiro espelho do pensamento e das experiências místicas da freira agostiniana.. As declarações individuais, ambos aqueles que expressam uma religiosidade saudável, e aqueles que apresentam peculiaridades e sentimentos anti-semitas, surgiu da criatividade e imaginação artística de Brentano ". O Osservatore Romano, edição de 7 Outubro 2004.

[3] No novo léxico pastoral este termo caiu em desuso, que, por outro lado, tem um significado profundo a nível sacramental e eclesial, dado que "sujeito" significa "sujeito à autoridade apostólica do bispo", tais são seus presbíteros colaboradores e tais são os fiéis da Igreja particular que lhe foi confiada e na qual desempenha a função de pontífice na qualidade de membro do Colégio dos Apóstolos.

[4 Do sagrado rito da ordenação presbiteral.

.

.

______________________

Queridos leitores,
esta revista exige custos de gestão que sempre enfrentamos apenas com suas ofertas gratuitas. Aqueles que desejam apoiar nosso trabalho apostólico podem nos enviar sua contribuição pela maneira conveniente e segura PayPal clicando abaixo:

Ou se preferir, você pode usar o nosso
conta bancária em nome do:
Edições A ilha de Patmos

Agência n. 59 De Roma
IBAN:
IT74R0503403259000000301118
Para transferências bancárias internacionais:
Código SWIFT:
BAPPIT21D21

Se você fizer uma transferência bancária, envie um e-mail para a redação, o banco não fornece seu e-mail e não poderemos enviar uma mensagem de agradecimento:
isoladipatmos@gmail.com

Agradecemos o apoio que deseja oferecer ao nosso serviço apostólico.

Os Padres da Ilha de Patmos

.

.

.

5 respostas
  1. Mário Voltaggio
    Mário Voltaggio diz:

    Una riflessione sull’apostolato “digital”.
    Non credo che scrivere o parlare utilizzando internet per cercare di adempiere al mandato di Cristo fatto ad ogni discepolo di predicare il Vangelo ad ogni creatura sotto il cielo sia dissimile dallo scrivere su carta o dal parlare in presenza.Forse si potrebbe approfondire se sia più conforme a questo mandato lo scrivere o il parlare dal momento che Cristo no ha lasciato nulla di scritto ma ha preferito parlare e ha comandato di predicare. O forse lo scrivere è solo una forma del parlare e la distinzione non sussiste.Tuttavia bisogna cogliere un aspetto del mondo di internet che a volte potrebbe sfuggire. Quelli che scrivono su internet intorno alla fede non corrispondono numericamente a quelli che leggono internet su contenuti di fede, anzi sono una minoranza. È forse poco realistico estrarre da internet un campione rappresentativo di quello che sono i cattolici in base ai cattolici che sono attivi in internet.

  2. orenzo
    orenzo diz:

    Acredito firmemente que o Filho Jesus Cristo “Per noi uomini e per la nostra salvezza discese dal cielo, e per opera dello Spirito Santo si è incarnato nel seno della Vergine Maria e si è fatto uomo.
    Credo inoltre che lo Spirito Santo abbiaoperato” No “senodella Sempevergine Maria senza alcun apporto esterno.
    Sono pertanto razionalmente portato a pensare che, antes de o “opera dello Spirito Santo”, c’era l’ovulo della Semprevergine Maria, depois de “opera dello Spirito Santoc’era lo zigote di Gesù Cristo e che il suo DNA fosse diverso da quello della sua Semprevergine Madre.

  3. Stefano Delle Chiaie
    Stefano Delle Chiaie diz:

    Proprio non mi riesce di trovare un senso compiuto in questo voler cercare per forza un colpevole della situazione tratteggiata nell’articolo. Ricordo solo che “il regno dei cieli è simile a un uomo che seminò il buon seme nel suo campo, mãe, mentre tutti dormivano, il suo nemico sparse la zizzania in mezzo al grano”. Mas, anche a volersi cimentare a tutti i costi in questo esercizio di colpevolizzazione, mi sembra del tutto improprio che, per difesa d’ufficio della categoria, si proceda subito verso il basso per tirare la croce addosso ai fedeli, ancorché “cosiddetti”; se alguma coisa, dovendo proprio farlo, sarebbe più giusto trovare chi è che “dormiva” mentre il nemico agiva nelle tenebre. Se infatti la colpa di tutto questo non è dei preti, allora deve essere dei Vescovi e dei loro Seminari; se poi non è nemmeno dei Vescovi, il passaggio logico-deduttivo seguente è breve, em vez de, brevissimo. Ma questo è proprio il gioco al massacro a cui ci vuole spingere il nemico. E mi sorprende che la caccia all’untore nella Chiesa parta proprio dal livello da cui ci si aspetterebbe invece uno sforzo maggiore per placare gli animi.

    • Pai de Ariel
      Pai de Ariel diz:

      Lei dovrebbe semplicemente rivolgere a se stesso questa domanda e poi rispondersi da solo: le vocazioni al sacerdozio, nascono o no all’interno delle famiglie cristiane?
      O forse lei pensa che attraverso chissà quali processi di clonazione i preti siano creati in laboratorio dai vescovi all’interno delle diocesi?
      Si domandi come mai sono sempre più rare le famiglie cristiane all’interno delle quali si sviluppano vocazioni al sacerdozio.
      Fatto questo avrà trovato i colpevoli.

  4. chiamatelaneuro
    chiamatelaneuro diz:

    Concordo con il contenuto dell’articolo, um pó’ meno con il tono, non perché non comprenda che è dovuto alla suddettaSanta Frustrazionema perché è dimostrato che più la gente si sente trattata da stupida e più se ne va, al contrario bisognerebbe cercare di comprendere il motivo per cui la gente è diventata così refrattaria. I video di Nostradamus funzionano perché la gente si sente intelligente a guardarli, sono alla loro portata intellettuale (ricordiamoci che i preti sono pur sempre persone mediamente più istruite rispetto alla popolazione) e spesso li fanno sentitegli unici che hanno capito tutto”. Contrariamente i video ecclesiastici richiedono l’umiltà di mettersi ad ascoltare davvero e un po’ Do “scafaturaper capire se quel prete è abbastanza ortodosso o piùcreativo” na doutrina. Cosa che non è facile. Forse bisognerebbe spingere di più sulla virtù dell’umiltà, utile non solo per la spiritualità ma anche per la salutein una società sempre più egoista e narcisista. Para o resto, le parrocchie che ho visto funzionare meglio (finora) sono quelle dove il sacerdote spendeva molto tempo e infatti il fatto di averne 4 o 5 difficilmente funzioneràanche perché funzionavano perché oltre alle catechesi e agli eventi il sacerdote stava in mezzo alla gente anche soltanto per prendere una birra. Insomma era (quase! 🤣) un uomo normale. Saluti e grazie per lo spunto di riflessione.

Comentários estão fechados.