É mais bonito coronel Gaddafi ou o Cardeal Kasper que ofende a Eucaristia e aprova as heresias de Lutero?

- Church News -

È PIÙ SIMPATICO IL COLONNELLO GHEDDAFI O IL CARDINALE KASPER CHE OFFENDE L’EUCARISTIA E APPROVA LE ERESIE DI LUTERO?

.

A questão da permissão da comunhão aos protestantes é realmente a responsabilidade de Direito Canônico, mas o material é limitado por sacramentaria dogmática e eclesiologia, enquanto o cardeal Walter Kasper, infelizmente, não tem em conta estes constrangimentos de pequena importância, terminando com as heresias endossar Luterana.

.

.

Autor
John Cavalcoli, o.p.

.

.

PDF artigo formato de impressão

 

.

.

.

Coronel Muammar Gaddafi [1942 – 2011] O líder líbio

A Agência de Imprensa Vatican Insider Ele mostra uma entrevista conduzida por Andrea Tornielli ao Cardeal Walter Kasper sobre a questão da legalidade da comunhão eucarística para Luterana [veja entrevista, Quem]. A questão não é o entrevistador, mas o entrevistado. Portanto, que estigmatiza Andrea Tornielli, como está acontecendo, comete um erro grave. Seria como culpar Oriana Fallaci ter entrevistado o coronel Gaddafi em 1979, em uma entrevista memorável ele permaneceu na história do jornalismo. Fallaci, só ele fez seu trabalho [Ver texto, Quem]. Ou, como eu disse há pouco o Pai Ariel S. Levi Gualdo: "Seria como se eu, Ele chamou antes de sua morte na cabeceira de uma assassino em série, Recusei-me a confessar. E, em seguida, qual dos dois, Cardeal Kasper eo coronel Gaddafi, ser mais simpático e menos perigoso, Isso não é algo que diz respeito, por qualquer motivo este artigo. Vamos atribuir o prémio simpatia aos leitores, desde hoje, mais do que nunca, a imaginação grotesca realmente parece chegar ao poder.

.

Já motivado em nossos outros escritos o ensino e diretrizes da Igreja sobre este delicado tema da Eucaristia e sua administração, que, como St. John Paul II na encíclica Igreja da Santíssima Eucaristia de 1993: "Ele recapitula o coração do mistério da Igreja" [n.1]; a Eucaristia "constrói a Igreja" [c. (II)] e é "o culminar de todos os sacramentos em aperfeiçoar a nossa comunhão com Deus Pai através do cumprimento do Filho Unigênito do Espírito Santo" [n. 34].

.

É o princípio gerador e hélice, o cúpula e ápice da vida da Igreja, em si mesmo e nos crentes individuais, a razão de ser de sua existência, que dá forma à sua essência. É o laço de amor que une Cristo à sua noiva, é o alimento do Corpo Místico de Cristo.

.

Ele cria unidade na diversidade; obediência em liberdade, caridade na verdade. Ele combina os irmãos entre si e com Deus; Ele se junta os pastores do rebanho; Ele se junta o rebanho para Peter e Peter a Cristo. Ele contém todos os mistérios da fé, todo o tesouro dos dons do Espírito, do outro lado da fonte e da força das virtudes e os segredos da santidade. Ele empurra constantemente para o progresso e reforma; dá o fervor da caridade; Ele mantém firme na perseverança e fidelidade. É uma antecipação da glória futura e penhor da vida eterna. Ele deve ser tomado com devoção, intenção correta, sincera fé e integra, a plena comunhão eclesial, col proprio Vescovo e col Sommo Pontefice [Igreja da Santíssima Eucaristia, n.39], a consciência preparado e purificado a partir de pecado.

.

Cardeal Kasper diz que a concessão de permissão para Comunhão Luterana está contida tanto no Decreto Vínculo do Concílio Vaticano II, ou em duas encíclicas de St. John Paul II. Agora, se lermos estes documentos, vamos notar que eles estão em conformidade com as directivas de Direito Canônico [lata. 844 § 3-4], I citado e comentado no meu artigo anterior.

.

Quanto ao documento do Conselho, ele lê como:

.

«Questa communicatio É regido principalmente por dois princípios: expressar a unidade da Igreja; a partilha dos meios de graça '.

.

Faço notar que há dois princípios em tensão entre eles, portanto, devem ser cuidadosamente ligados: o primeiro está preocupado com a comunhão com a Igreja; il secondo bada alla salvezza del credente. O primeiro é o mais perto do exterior do furo; o segundo, o foro interno. O primeiro é acentuada justiça; no segundo, a misericórdia.

.

Nesta matéria, como observou o Direito Canônico, Ele funciona da autoridade pastoral da Conferência Episcopal ou o indivíduo Bispo diocesano. O Decreto exata fato:

.

"Sobre o curso de ação concreto, Tendo em conta todas as circunstâncias de tempo, lugar, pessoas, decida prudentemente l’autorità episcopale del luogo».

.

A lei concede à Igreja vão atender às demandas de nossos irmãos separados apenas em casos de urgência séria. Não é de todo parte do caso de que o requerente é o cônjuge não-católica. De fato, a situação do Luterana em perigo de morte, cônjuge ou não-cônjuge, previsto na Lei, Ele é incomparável com a do cônjuge Luterana em boa saúde. O primeiro, como é suposto, Ele vai ter que prestar contas a Deus de sua vida, enquanto assume-se que o segundo tempo e tem maneira de formar e correcta sobre a Eucaristia e emendar a conduta anterior de Lutheran.

.

il Cardinale Kasper cita i testi delle due encicliche di Giovanni Paolo II e dice:

.

«Por um lado; [1995] e Igreja da Santíssima Eucaristia [2003] Eles formularam uma posição mais avançada pode ser a regra de interpretação da taxa em plena harmonia com o Concílio Vaticano II. Na primeira das duas encíclicas de St. John Paul II, para o número 24 [1] ler: "É uma fonte de alegria lembrar que os ministros católicos podem, em certos casos particulares, administrar os sacramentos, penitência, Unção dos enfermos aos cristãos que não estão em plena comunhão com a Igreja Católica, mas quem desejo muito receber, pedir-lhes livremente, e manifestam a fé que a Igreja Católica professa nestes sacramentos ".

.

Enquanto na segunda encíclica do mesmo Papa, para o número 45, ler: "Se nunca é legítima para concelebrar na ausência de plena comunhão, Isso não acontece a mesma administração respeito da Eucaristia, em circunstâncias especiais, a pessoas individuais que pertencem a Igrejas ou Comunidades eclesiais que não estão em plena comunhão com a Igreja Católica. Neste caso, de fato, l’obiettivo è di provvedere a un grave bisogno spirituale per l’eterna salvezza di singoli fedeli».

.

E o cardeal diz:

.

"As duas encíclicas insistir muito sobre a adesão do protestante a doutrina católica sobre a Eucaristia, ou seja, manifestando "a fé que a Igreja Católica confessa, para citar o Papa João Paulo II. Isso parece muito importante, porque os sacramentos são sacramentos da fé. Para um verdadeiro Luterana, que se baseia em confissões, a presença real de Cristo na Eucaristia é óbvio [...] Claro que você não pode aplicar para um protestante do que você normalmente leva um católico. Basta acreditar: "Este é (é) o corpo de Cristo, dado por vós ". Nesta Lutero também insistiu fortemente. As doutrinas mais desenvolvidos cerca de transubstanciação ou consubstanciação, Também um fiel católico "normal" não sabe…».

.

Refutação dos erros cardeal Kasper

.

Cardinal cai em uma bolsa de ar assustador, de fato, se "você não pode tomar a partir de um protestante como normalmente preciso para ser um católico", então temos de dizer francamente a esta protestante que não pode ir para a Comunhão. E, em seguida, o plano, mesmo despenca:

.

"Basta acreditar: "Este é (é) o corpo de Cristo, dado por vós ". Nesta Lutero também insistiu fortemente. As doutrinas mais desenvolvidos cerca de transubstanciação ou consubstanciação, anche un fedele cattolico “normale” non le conosce».

.

Mas acreditar no que? Um católico que conhece e aceita o dogma da transubstanciação não é um católico "normal", mas é ignorante Católica, precisa urgentemente de ser educado, para que não caia em heresia e não ele acontece, como St. Paul adverte, indignamente para comer o corpo do Senhor, ou seja, para não reconhecer e, em seguida, a "comer sua própria condenação" [I Coríntios 11,29]. De qualquer maneira, se você gosta Cardeal diz, Protestante acredita verdadeiramente as palavras "este é o corpo do Senhor", pronunciada pelo padre na missa, isso significará que acredita na transubstanciação. E se acreditarmos, Ele não pode continuar a manter a fé luterana, deve dizer: "Não é o Senhor", neste pão. Mas isso significa que ele se converteu ao catolicismo.

.

Aggiunge poi il Cardinale Kasper:

.

"Se essas pessoas, em um contexto bastante secularizada, Eles são os verdadeiros crentes que acreditam e estão unidos no mesmo batismo e, portanto, fazem parte da única Igreja de Cristo (embora não em plena comunhão), e eles também estão ligados no sacramento do matrimônio e da união que representa o mistério de Cristo e da sua Igreja e de viver, Eles estão juntos com seus filhos, uma igreja doméstica. É normal sentir o desejo íntimo de também compartilhar a Eucaristia. Se eles também compartilham a fé eucarística católica, o que impede? [CF. Atos dos Apóstolos 7, 37; 10,47]».

.

Os textos de São Paulo não precisa de nada para a tese do Cardeal, porque eles lidar com outros assuntos. Em vez disso, nós sabemos como exigindo a eclesiologia e os sacramentos da Santíssima Apóstolo Paulo, que não ignora as classes mais baixas ou imperfeita da comunhão eclesial que sejam adequados aos catecúmenos, mas quando se trata de comunhão eucarística exige a plena comunhão eclesial, como pode ser visto a partir do mesmo termo "comunhão".

.

Paul é professor de ecumenismo por sua extraordinária abertura de espírito, por seu respeito pela diversidade e os valores da cultura greco-romana, para o sentido da universalidade da mensagem evangélica, e para a sua compreensão para as formas mais baixas e as fraquezas de espiritualidade humana, por sua capacidade de diálogo com todos e em todos os lugares aproveitar o positivo, conduzindo a Cristo.

.

ecumenismo de Paulo não é, no entanto, desempenhar um sull'equivoco, um silêncio erro anziché correggerlo; não é uma marcha lenta inconclusivos, um para estar sempre no limiar da Igreja, sem nunca incentivar seu irmão para entrar all'interno del santuario, mas em vez disso é um verdadeiro fator de reconciliação mútua em Cristo e na Igreja sob a orientação de Peter, É sempre uma chamada gratuita para a conversão e para aceitar a plenitude da verdade, É um convite poderoso e quente para experimentar em profundidade do mistério de Cristo e da sua Igreja.

.

Com relação ao Papa aos bispos para "encontrar uma solução comum», diz cardeal Kasper:

.

"Acho que o Papa deu uma resposta muito sábio. Ele manteve-se em completa harmonia com a idéia de colegialidade da Igreja. Mas ele também apontou que nas questões fundamentais não apenas a maioria do canonicamente legal, Ele precisa de unanimidade ".

.

O Papa, , exortando os bispos a chegar a um "consenso possível", Ele certamente não pode nem ter entendido que pode conceder a comunhão no sentido entendido pelo cardeal Kasper, o que implicaria uma profanação da Eucaristia, nem pode entender que deve chegar a um acordo por maioria simples dos votos, como eles iriam interpretar outra, pronto para acusar o Papa de irresponsabilidade, não saber como avaliar a gravidade do problema e da mentalidade política, mas certamente isso implica que o acordo deve ser baseada na Escritura, na tradição, Direito Canônico.

.

É concebível que a discussão dos Bispos sobre este tema surgir uma proposta ao Papa para alterar as actuais disposições sobre o direito canônico, mas, claro, sempre em consonância com as exigências imperativas do direito divino, para o qual ele não pode ser legal para tratar um irmão que não está em plena comunhão com a Igreja, nem tem a intenção de ser tão, como um, ou ele pode ser legal para fingir estar em plena comunhão com a Igreja, que ele realmente se recusa, a menos que ele pretende ou quer se tornar um católico, como é entendido no caso da Comunhão protestante em perigo de morte.

.

Ele continuou o cardeal Kasper:

.

"Acho que a admoestação do Apóstolo Paulo, examinar-se para ver se você pode comer e beber do altar [1 CR 11,26]: uma indicação de que não são apenas os protestantes, mas também para os católicos. As aplicações iniciais são as mesmas: Eu realmente acredito no mistério eucarístico e minha maneira de vida está em sintonia com o que é celebrado e que está presente na Eucaristia?».

.

O Cardeal Kasper não percebem a diferença que existe aqui entre os católicos e protestantes. De fato, enquanto o católico pode certamente fazer uma comunhão sacrílega, se você se aproxima da Eucaristia em estado de pecado mortal e sem as disposições necessárias, Luterana é desprovido das disposições necessárias como luterana, pelo que, exceto em casos de boa-fé, se não for remediada com antecedência, removendo estas disposições ruins, mas mantém consciente e voluntariamente, Não pode ser réu do corpo e do sangue do Senhor, e por isso muito mais grave Católica, que aceita o dogma da Eucaristia com todas as verdades de valores religiosos e morais que estão conectados e está em plena comunhão com a Igreja, embora com os católicos sacrilégio maus compromissos que a comunhão e, portanto, precisa de conserto. No entanto, ao contrário do protestante, que permanece em uma bolsa parcial, Católica menos sabe o que fazer para recuperar a comunhão rachado e que é suposto fazê-lo.

.

Até o Cardeal Kasper:

.

"Se um protestante participando da celebração eucarística, ouve o que dizemos na Oração Eucarística. Devemos nos perguntar: pode, no final da doxologia realmente responder com toda a igreja: "Um homem, Eu acho que sim. "Também vamos sentir que citar o nome do papa e do bispo, o que significa que nós celebramos em comunhão com ele. Você deve perguntar: "Eu realmente quero essa comunhão?ˮ ».

.

É um protestante, realmente, Sinceramente, não finja, uma missa atrás e ele acredita que todas essas coisas, Ele deve, antes, pedir o luteranismo se ele não abandonou para se tornar um católico. Neste caso, ele é certamente pronto, dispostos e permissão para receber a Comunhão, depois de entrar em comunhão com a fé católica.

.

Acrescenta o cardeal Kasper:

.

"Eu conheci muitos protestantes que têm mais estima e muitas vezes ainda mais amor por Papas atuais do que eles têm alguns críticos católicos e céticos".

.

Infelizmente, ele está estimando que muitos protestantes têm para o presente Papa Não tem nada a ver com a aceitação do primado do Papa, Mestre infalível da Doutrina da Fé, possuidor das "chaves somas", liturgista Supremo, Keeper e dispensador dos mistérios celestes e sacramentos da salvação e Moderador da Divina Liturgia, mas é motivado por interesses puramente humanos, ou seja, desde o simples fato de que o Papa Francis não corrigi-los de seus erros e exorta-os a converter-se à Igreja Católica. Mas se eles ler esses protestantes que Lutero disse o Papa Leão X ou São Pio V e Beato Pio IX e Leão XIII e Pio X, Eu acho que iria mudar opinião sobre o papado.

.

A outra parte, é verdade que alguns Católica, muito apegado ao passado e rebeldes no Concílio Vaticano II, um mau exemplo de comportamento para com o Papa. Mas há também aqueles que se voltam para o Papa, com o respeito que é devido, crítica legítima, precisamente a fim de ajudar na liderança da Igreja, qual é o Povo de Deus, Guiados pelo Espírito, colegialmente, ovelhas e pastores, Sob Peter e Peter.

.

Concluímos estas considerazionEu observando que o desejo do cônjuge para receber a comunhão luterana deve ser levado a sério, mas deve ser examinada com cuidado, para garantir que não é ditada pelas emoções psicológicas, sim simpatia humana, pela partilha empática necessidade, por instinto de imitação, a necessidade de ser aprovada, por um desejo de não se sentir deixado de fora ou tornar-se atraentes, da finzione con secondi fini e cose del genere.

.

O assunto deve ser iniciado gradualmente e metodicamente, com uma catequese apropriada, a experiência do sublime mistério, de modo que eles são removidos, como indicado por 'Vínculo [n. 3], todos esses "obstáculos" que Lutero escalonadas, com a sua falsa reforma, o desgaste digno do pão eucarístico.

.

De fato, o desejo de receber a comunhão, permanecendo Luterana Não faz sentido e é uma atitude inconsistente não dizer esquizofrênico e que não tem nada a ver com o ecumenismo. A escassez Luterana eclesiologia, de fato, Ele consiste precisamente na ausência dos fatores mais nobres e sobrenaturais da realidade eclesial, qual sou precisamente os sacramentos, entre os quais o mais sagrado eo mais divina de tudo é precisamente a Eucaristia, introduzido pelo sacramento da Penitência, e, em seguida, subir para a celebração da missa em plena comunhão com a Igreja e ao Papa.

.

Se, portanto, uma abordagem Luterana sinceramente quer Comunhão, este deve ser o sinal comprovada e claro que ele quer recuperar todos os elementos da Igreja e todos os elementos de fé que Lutero havia destruído e que são o pré-requisito para a recepção da Eucaristia; Em outras palavras, Vai ser um sinal de que quer ser católica. E bendizer a Deus por esta inspiração divina!

.

O erro fundamental da teologia do Cardeal Kasper

.

Todo o argumento do Cardeal Kasper repousa sobre uma falha grave o caráter epistemológico, Eu mostrei em meu ensaio a ser publicado e dedicada à epistemologia do cardeal Kasper. A luz deste vício é dado pelas seguintes palavras:

.

"Claro, sempre se aplicam os princípios teológicos, mas a sua aplicação prática não é feito de uma maneira dedutiva e mecânica. Se fizéssemos, Seria a heresia do gnosticismo, che giustamente viene denunciata dal Papa attuale».

.

É o método de dedução racional é especulativo e moral, que o cardeal Kasper não é baseado na objetividade da realidade e da verdade, mas o "princípio moderno de subjetividade", ou seja, em Cogito Cartesiana ", pelo qual o homem se torna consciente de sua autonomia e liberdade como se torna o ponto de partida, e medição significa para toda uma concepção da realidade " [CF. Jesus, o Cristo, Queriniana Publishing, 1981, uma vez. 253]. conseqüentemente, continuado cardeal Kasper:

.

"Um Deus que agora é pensado dentro do horizonte da subjetividade já não pode ser entendida como o Ser Supremo, perfeita e imutável ", por isso precisamos de uma "de-substancialização o conceito de Deus '.

.

Portanto, por Kasper, como Hegel, l'Vai ser identificado com a tornar-se, Deus torna-se, mudança, e se identifica com a história: o Absoluto não é sobre a história, mas na história, secondo il titolo di un suo studio su Schelling [2]. Daí a mutabilidade da natureza humana e da lei moral, como já denunciou São Pio X na encíclica Pascendi Dominici Gregis.

.

agora, a Cogito Cartesiana contém em si, como tem sido demonstrado por estudos Fabro e Maritain, o princípio de idealismo e panteísmo hegeliano, como resulta da observação cuidadosa da história da filosofia, eo explícita referem-se idealistas Descartes e panteísta. O que significa que a Cogito já que ele contém in nuce o princípio da Absolute Conhecimento Hegel, que é precisamente a forma mais elaborada do gnosticismo moderno.

.

Se há alguém para culpar por isso hoje do gnosticismo, estes é o cardeal Kasper e não ao mecanismo de dedução lógica, aplicação de princípios morais em casos particulares. A lei positiva eclesiástica admite exceções, mas não a lei moral natural, salvo il caso della epiquéia, onde exatamente não é uma exceção, mas para suspender a aplicação de uma lei inferior em nome da aplicação de uma lei maior. Invece la legge divina non ammette mai neppure la epiquéia.

.

A questão da permissão da comunhão aos protestantes É realmente a competência Direito Canônico, mas o material é limitado por sacramentaria dogmática e eclesiologia, enquanto o cardeal Walter Kasper, infelizmente, não tem em conta estes constrangimentos de pequena importância, terminando com as heresias endossar Luterana.

.

O Holy Night, em que Cristo é, recolitur memoria passionis eius, a mente se enche de graça e um penhor da glória futura que nos é dado, [Antífona di San Tommaso d'Aquino]

.

Varazze (Itália), 14 Maio 2018

.

NOTA

[1] De Fato, se você vai a 24 de ' Por um lado; É um texto diferente. O 24 em vez disso, é citado por St. John Paul II # 46 dell 'Igreja da Santíssima Eucaristia.

[2] O Absoluto na história última filosofia de Schelling, Livro de Jaca, Milan 1986.

.

.

.

«Você saberá a verdade, ea verdade vos libertará» [GV 8,32],
mas trazer, difundir e defender a verdade não só de
riscos, mas também os custos. Ajude-nos a apoiar esta ilha
com as suas ofertas através do sistema Paypal seguro:



ou você pode usar a conta bancária:
Eram TI 08 (J) 02008 32974 001436620930
neste caso, envie-nos um aviso de e-mail, porque o banco
Ele não fornece o seu e-mail e nós não poderíamos enviar-lhe um
ação de graças [ isoladipatmos@gmail.com ]

.

.

.

.

.

Acerca de isoladipatmos

14 thoughts on "É mais bonito coronel Gaddafi ou o Cardeal Kasper que ofende a Eucaristia e aprova as heresias de Lutero?

  1. carissimo p. John,

    lei e anche padre Ariel avete ragione a indicare l’intervistato rispetto all’intervistatore, togliendo a quest’ultimo ogni responsabilità. Voi dite chefa il suo lavoro”. In realtà fa oltre il suo lavoro. Il giornalista deve riportare le informazioni e le notizie e non pilotarle. Tornielli fa questo, le interpreta per il lettore, quindi le pilota. Riporto qui un piccolo periodo copiato dall’intervista:

    Una decisione, quella di Francesco, che ha provocato repliche indignate, non soltanto da parte dei soliti clerical-blogger che si ergono a maestri di teologia e sottopongono tutti ai loro esami di dottrina prima ancora di conoscere le decisioni che saranno prese. Reazioni a dir poco eclatanti si sono infatti registrate anche da parte di eminenti ecclesiastici, come il cardinale arcivescovo di Utrecht, Willem Jacobus Eijk, il quale è arrivato ad evocare visioni apocalittiche di apostasia dalla vera fede”.

    Lui li chiama i soliti clerical blogger e ovviamente non per far loro un complimento ma in maniera dispregiativa. Inoltre non è esente da ironia nei confronti del cardinale di Utrecht.

    Non so… ma non mi sento di escludere che il Tornielli abbia indicato anche a ilha de Patmos vir clerical blogger.

    Portanto, siamo sicuri che stia facendo il suo lavoro di giornalista? Io credo invece che sia completamente d’accordo con le idee assurde di Kasper e quindi agisce di conseguenza.

    Se è vero che le teorie sono di Kasper ma al loro spargimento ha certamente contribuito Tornielli.

    Portanto, è innocente?

    1. Caro leitor,

      rispondo io perché conosco bene di persona tutti i soggetti che adesso le nominerò a titolo di esempio.

      Ammettiamo che quanto lei afferma sia aderente al vero oggettivo. In tal caso io non vi troverei proprio nulla di male, nel modo di esprimersi di Andrea Tornielli.

      Deixe-me explicar: conosco Andrea Tornielli dal lontano 2002, come conosco altri giornalisti di indubbia professionalità e talento. Conosco dal 2005 Maurizio Blondet, noto anche come il sommo maestro del complotto, al quale non bisogna riconoscere solo delle semplici capacità professionali ed una ordinaria intelligenza, perché Blondet è dotato di una intelligenza genialoide. Conosco dal 2006 Marco Tosatti, altro ottimo professionista e cattolico devoto. Conosco dal 2013 Antonio Socci, cresciuto con un profondo sentimento cristiano sin da bambino in una famiglia profondamente e autenticamente cristiana, giornalista e autore di talento.

      Come lei sae come di certo leggetutti questi giornalisti diversamente accomunati da talento, professionalità consolidata, ed anche spirito cristiano sincero, esprimono giornalmente critiche nei riguardi sia di questo pontificato, sia del nuovo corso in cui la Chiesa è stata lanciata. Commentando questi problemi, che poi sono dati di fatto, ciascuno col proprio stile. Por exemplo: Antonio Socci è un pacifico-aggressivo, nel senso che non nuocerebbe neppure a una mosca, infatti usa la penna, non certo la spranga di ferro; e dizendo – sia benintesonon poche cose giuste, quasi sempre accentuate dalla sua focosa toscanità. Marco Tosatti, esprime di giorno in giorno le proprie legittime critiche in modo garbato, come un maestro di scherma che gioca con il fioretto. Maurizio Blondet è invece esilarante, capace a costruire delle iperbole ed a giungere talvolta a dei livelli di tale ironia che, se in quel momento uno l’avesse davanti, gli darebbe un bacio sulla punta del naso.

      Lei capisce che la stessa facoltà, o diritto, noi non possiamo certo negarlo ad Andrea Tornielli, al quale non devono ne possono essere precluse tutte le legittime licenze concesse per criteri di libera espressione e di legittima critica a tutti i suoi colleghi.

      Caso contrário, rischiamo di cadere in una pericolosa insidia: a chi esprimecertocritiche, ciò è concesso, a chi invece ne esprimealtre“, non è concesso.

      Personalmente io considero empie buona parte delle risposte del Cardinale Walter Kasper e considero un autentico e prezioso uomo di Dio il Primate della Chiesa d’Olanda. Ma al tempo stesso non cesserò mai di nutrire amicizia verso Andrea Tornielli che non ritengo affatto colpevole di avere riportata unavelata opinione”, specie a fronte di colleghi suoi che, in modo per nulla velato, le proprie opinioni le riportano tutti i giorni; e verso i quali nutro e seguito a nutrire stima, amicizia e anche apprezzamento.

      Para mim, la oggettiva qualità umana delle persone, è superiore alle loro opinioni soggettive. Così sono abituato a instaurare i miei rapporti di amicizia.

  2. In compenso, se il card Kasper ha affermatoche sulle questioni fondamentali non basta una maggioranza dal punto di vista canonico legale, ci vuole l’unanimità”,
    il presidente della Conferenza episcopale tedesca card Reinhard Marx, forse consapevole delle difficoltà di raggiungere l’unanimità, ha risposto sabato al Katholikentag di Münster cheCome conferenza episcopale non possiamo prendere alcuna misura legislativa per i singoli vescovati. I legislatori della diocesi sono sempre i singoli vescovi. (…) La Conferenza episcopale non ha autorità per i vescovati “.
    ( “Wir können ja als Bischofskonferenz keine gesetzgebenden Maßnahmen ergreifen für die einzelnen Bistümer. Gesetzgeber im Bistum ist immer der einzelne Bischof. (…) Die Bischofskonferenz hat keine Anweisungskompetenz für die Bistümer.”)

  3. ammesso che conti qualche cosa l’unanimità, quale unanimità ci vuole ? Forse solo quella di quella piccola frazione presuntuosa che sono i vescovi tedeschi ? ma la Chiesa non è solo la Germania, è cattolica, e allora l’unanimità deve essere quella cattolica. E, cari tedeschi, anche le tanto disprezzate Chiese africane sono la cattolicità.
    Il colonnello Gheddafi, right or wrong, ha lottato ed è stato assassinato per difendere il suo Paese: ha fatto il suo dovere di politico, e il Signore glielo accrediterà; il cardinal Kasper non pare proprio che faccia alcunché (men che meno morire) per difendere la sua Chiesa.

  4. a taxa 844, oltre ai § 3-4, ha anche il § 5 onde se lê: “Per i casi di cui nei §§2, 3 e 4, il Vescovo diocesano o la conferenza dei Vescovi non diano norme generali, se non dopo aver consultato l’autorità competente almeno locale della Chiesa o della comunità non cattolica interessata.

    Premesso dunque che il § 4 afferma che i fedeli delle chiese riformate devono manifestare “estes sacramentos, la fede cattolica,” significa che, se si accostano all’Eucarestia, fanno pubblica professione di fede nella transustanziazione e nel fatto che ai loro pastori non è stato conferito il sacramento dell’ordine: le chiese riformate sono disposte ad accettare questo?

  5. pomada, mi chiamo Fabio, vorrei domandare perché dal Concilio Vaticano II la Chiesa non condanna
    più il modernismo? Anzi oggi ne ha interprete il Sommo Pontefice, che deve pensare un fedele?
    Vi ringrazio

    1. Caro Fabio,

      la Chiesa condanna il modernismo sotto altri termini: Secularismo, relativismo, immanentismo, individualismo, panteísmo, ateismo, egocentrismo, gnosticismo, Pelagianismo. E’ falso che il Papa sia un modernista: sarebbe un eretico, perché il modernismo è un complesso di eresie. Egli piuttosto cerca di discernere il positivo che si trova nella modernità, secondo le direttive del Concilio Vaticano II.

      Diciamo che non sempre è abbastanza critico verso il modernismo.

        1. Nessuno di noi ha detto che non sia eretico, anzi abbiamo scritto più e più articoli per svariate decine e decine di pagine, per mettere in luce tutte le sue eterodossie. Questi materiali si trovano nel nostro archivio.

          Em vez, se lei si limita ai lapidari commenti, rischia di interloquire e di porre domande a persone che hanno scritto eccome, su Walter Kasper, ma senza sapere neppure che cosa hanno scritto.

          Allora cerchiamo di essere seri: lei non può postare un commento nel quale chiede in modo lapidario se un certo cardinale è eretico. E noi cosa dovremmo fare, in modo lapidario le dovremmo forse rispondere semmai “e”, dandole così il necessario tempo per andare a postare altri dieci commenti in appena cinque minuti su altri dieci blog, nella giungla di queste rete nella quale tutti commentano ma nessuno legge?

          Allora si legga i nostri non pochi articoli nei quali si parla di Walter Kasper, ed eviti di rivolgere questo genere di domande a chi, più che dire “e”, ha spiegato con rigore teologico il pensiero pericoloso di questo teologo tedesco.

          http://isoladipatmos.com/la-gnoseologia-teologia-di-walter-kasper-che-di-questi-tempi-si-diletta-anche-a-dare-degli-gnostici-agli-altri/

          http://isoladipatmos.com/e-piu-simpatico-il-colonnello-gheddafi-o-il-cardinale-kasper-che-offende-leucaristia-e-approva-le-eresie-di-lutero/

          http://isoladipatmos.com/il-concilio-vaticano-secondo-il-cardinale-walter-kasper-in-un-articolo-che-e-tutto-un-programma/

          http://isoladipatmos.com/il-falso-ecumenismo-del-cardinale-kasper-che-invece-di-fare-teologia-in-ginocchio-rischia-di-fare-teologia-al-cesso/

          http://isoladipatmos.com/il-paradigma-dellutile-idiota-e-la-lodevole-fedelta-di-walter-kasper/

Deixe uma resposta