Peço perdão a Sua Santidade para a “April Fools” oferecendo uma reflexão sobre o carreirismo-camaleão

WONDER o perdão a Sua Santidade, o 'ENGANADO"Oferta UMA REFLEXÃO SOBRE Carreirismo-camaleão

 

Quem espera conseguir algo nunca diz a verdade, limitada apenas para tentar agradar de todas as maneiras o chefe para obter todos os benefícios possíveis a partir dele. E na Igreja de hoje, infelizmente, não temos nem um São Bernardo de Clairvaux ou Santa Catarina de Siena, que dirigirá ao Romano Pontífice por isso decidimos, embrulhado com amor e respeito pelo sagrado Augusta Pessoa da Santidade de Nosso Senhor; Receio, portanto, que, nestes tempos de magro Vossa Santidade deve se contentar com metade sucata como eu.

 

"Ninguém costura remendo de pano em roupa velha; caso contrário, o novo patch rasga o velho, e uma lágrima pior '

[Evangelho de São Marcos 2, 21]

Autor Padre Ariel
Autor
Ariel S. Levi Gualdo

Pai de Santo mais.

Ciente de que um "patch" pode trazer um "rasgo pior" [MC 2, 21] humilde e sincero eu peço perdão por ter feito a sua estreia em 1 de Abril, seguindo a revista on-line A ilha de Patmos com uma espécie de piada conhecido na Europa como "April Fools» [ed. veja Quem], o mesmo tipo de piada que as terras de origem de Vossa Santidade é conhecida em vez como "brinca dia de los Santos Inocentes» [Piadas do dia dos Santos Inocentes], que na América Latina cai 28 Dezembro.

A confiança também no sorriso de S.It é. Mons. Guido Pozzo que pela Pontifícia Comissão Ecclesia Dei foi promovido núncio apostólico na República de Nauru, porque também em sua vida da igreja, talvez recebido ou feito algum "piada como sacerdote", a partir dos dias em que ele foi um estudante da antiga Collegio Capranica, a partir do qual saiu durante as últimas décadas de assuntos cordate de piadas para a Igreja fez vários e pesado; muitos dos bispos doada à diocese italiana de quest'Almo Colégio sob a presidência anterior do CEI. eles são, de fato, evidências claras.

Ninguém pode dizer que não tenho os sentimentos ocultos de carreirismo, flagelo contra o qual muitas vezes tenho lutado e escreveu em tons ásperos em meus livros e artigos; que quem procura dentro de si mesmo para qualquer coisa é cuidado para não promover a si mesmo como uma piada para um bispado, muito é conhecido e reconhecido que mesmo aquele que aspira a tornar-se pastor de uma igreja no país faria piadas como esse público.

Os carreiristas não desapareceram, apenas mudaram como: sob o pontificado de seu Predecessor Supremo foram todos levados em prepotente de atenção para a sagrada liturgia e de seu principal equipamento, tanto que na época os alfaiates paramentos eclesiásticos e fábricas de artístico fez o negócio vivo. Hoje, a pobreza no entanto, os mesmos adaptar lojas e fábricas chorando, porque o novo estilo inaugurado por Sua Santidade é todo baseado na simplicidade e uma pobreza franciscana que mesmo São Francisco de Assis nunca soube, viu que seus irmãos eram tão pobres, mas suas igrejas foram equipados para a glória de Deus as mais belas vestes e mobiliário mais valiosas. O crock óculos começou a usar recentemente para "pobreza" ostentação aqueles certo Frades Menores, que, em seguida, empurrou sua Ordem em falência por especulação financeira irresponsável com bancos suíços, enquanto alegre cantar os louvores de Senhora Pobreza e colocado ao mesmo tempo o Corpo e Sangue de Cristo em cerâmica terracota decorados com as cores do “bandeira da paz“, que resulta, contudo, no campo de esotéricos e oculto, como já é bem conhecido e muitas vezes desnecessariamente repetido para vários padres que insistem em colocá-lo no altar do qual tempo eles removeram o crucifixo do centro, para que a sombra de nosso Senhor não deve manchar a imagem do “padre-protagonista“.

Por isso, estou certo de que, com a graça de seu estado e sabedoria de que você é o Mestre Supremo será prudente e perspicaz o suficiente para não confiar nesses camaleões, porque carreiristas que falam hoje de pessoas pobres e sem-teto são as mesmas que até dois anos atrás estavam gastando quantias exorbitantes de dinheiro apenas para organizar um suntuoso jantar para comemorar seu aniversário de ordenação episcopal, na presença de Gotha a velha aristocracia e membros das ordens de cavalaria que, durante alguns festivais dignos dos tribunais Renascença derramar lágrimas de saudade da velha Papal States. Mas, então, de repente, eles são encontrados antes totalmente transformado, e apenas dois anos depois, em seguida,, Hoje, cada oportunidade de falar sobre os pobres e sem-teto em cada ocasião propícia público.

Talvez fosse bom para informar Vossa Santidade que há bispos que em suas homilias já colocados no fundo da Palavra de Deus que se fez homem para falar aos fiéis dos sem-teto, chuveiros e barbeiros que o Romano Pontífice tem postos à sua disposição. Tanto quanto se pode dizer, no entanto, nenhum deles tem disponibilizado aos sem-abrigo, nem a sua super-cobertura na cidade, nem a sua villa, nem o precioso casa de campo que você está preparado com muito cuidado e desperdício de dinheiro para ser capaz de retirar a vida tranquila quando estão "bispos aposentados"; nem parece que qualquer um deles tenha disponibilizado para os desabrigados das economias substanciais acumuladas durante os anos de seu ministério episcopal.

Minha modesta experiência me ensina que você nunca deve confiar naqueles que passaram com tal facilidade de brocados com decoração em ouro e prata para trapos Synthetic acrílico brega, porque isso mostra que esses artistas mudança clericais nunca são eles mesmos e depois nunca manifestar a genuína sinceridade do seu ser. Aqueles que, após sua eleição para Augusta Sagrado Trono têm colocado nas cruzes peitorais seguras de ouro para mostrar-se em reuniões de bispos ou em audiência privada pelo Papa com peitoral cruzes de ferro, ou aqueles que parecem mais pobre ainda ocorrem diretamente com cruzes peitorais de madeira em forma Seu Franciscano, são o sinal vivo de insegurança mais falsa e perigosa, bem como o paradigma de que a mediocridade atroz que hoje sufoca a Igreja de Cristo, do mais baixo ao mais alto nível.

Aqueles que brincam muito a sério são muito mais confiável do que estes transformistas, porque, como fomos ensinados que santo lúdica de Philip Blacks eles realmente servir a Igreja e ao Romano Pontífice até ao derramamento de sangue, enquanto camaleões sempre trair; e não apenas trair os vivos, trair até os mortos.

Desejo que, durante a bênção Urbi et Vossa Santidade é apresentada sentado no trono dourado com o vestido coro papal, depois de celebrar a solenidade da Páscoa com as vestes do mais belo histórico que abundam na basílica papal de São Pedro, porque nesse momento, aqueles que montam um quadro de pobreza, de marketing vagabundos mídia e oferecendo homilias baseadas unicamente, descrever a nossa muitos fiéis que já não sabem mesmo o básico do Catecismo da Igreja Católica a importância de chuveiros e barbeiros colocados ao seu serviço; hereges modernistas, por um lado, e das outras hereges mão lefebvrianos, iria colocar todos eles em total confusão; e vamos colocá-los em mais confusão, a maioria vai levá-los para o exterior; a maioria vai levá-los para o exterior, a melhor chance que teremos para libertar a Santa Igreja de Cristo nestas células tumorais dispersas em seu Corpo Santo como metástase.

Nos dias de hoje, para preservar e salvar a Santa Igreja de Cristo não devemos trazer a paz, mas uma espada [MT 10, 34], que, se necessário, também pode ser uma faca de som e ironia Christian útil para expor aqueles que estão prontos para mudar muito facilmente bandeira e pular instantaneamente na onda do novo vencedor, a fim de continuar a ser a mesma de sempre, tentando obter tudo o que você pode ser capaz de entrar em benefícios e cargos eclesiásticos, mesmo depois de algumas mudanças radicais de governo. E eles, a partir do qual Vossa Santidade é, infelizmente, cercado, são a encarnação moderna do Judas repreendeu Mary tinha ungido o Senhor com um óleo de nardo precioso que no dell'Iscariota opinião poderia ser vendido por 300 dinheiro para, em seguida, dá-o aos pobres [GV 12, 5]; são o mesmo depois que acompanhou o Senhor em sua entrada triunfal em Jerusalém, pouco depois o abandonou antes do perigo e fugiu [MT 26, 56], enquanto a multidão ontem, como hoje, escolheu Barrabás e gritou para a sala de julgamento de Pilatos: "Crucify, crucificar!» [GV 19, 6].

Meu coração se alegra antes da misericórdia e ternura repetidamente invocado por Vossa Santidade e isso me deixa confiante de que juntos seremos capazes de receber estes benefícios até mesmo vagabundos nós seus filhos e servos devotos da Igreja, rendido indigno de partilhar o mistério da graça para o sacerdócio ministerial de Cristo, apesar de nós, sacerdotes, cada vez mais deficiente tanto em misericórdia tanto carinho por nossas autoridades da Igreja.

Sua santidade nunca ninguém pensou — e com você seus veneráveis irmãos no Episcopado dedicou-se hoje para a pregação do novo Evangelho de vagabundos - enviá-los amável vagabundos para celebrar o Sacrifício Eucarístico, para dar os ritos sagrados a um doente, para absolver os fiéis de seus pecados, para conduzir de várias maneiras o povo de Deus no caminho da fé em todas essas regiões do mundo onde a falta de sacerdotes está aumentando cada vez mais, e onde a idade do clero é sempre maior? Porque também nós sacerdotes que servem a Igreja com as nossas vidas e com o custo de nossas vidas e que muitas vezes somos muito mais sozinho e abandonado os sem-teto, precisamos “chuveiros”, de “barbeiros” e várias outras atenções, mas ninguém nos dá.

Quem espera conseguir algo nunca diz a verdade, limitada apenas para tentar agradar de todas as maneiras o chefe para obter todos os benefícios possíveis a partir dele. E na Igreja de hoje, infelizmente, não temos nem um São Bernardo de Clairvaux ou Santa Catarina de Siena, que dirigirá ao Romano Pontífice por isso decidimos, embrulhado com amor e respeito pelo sagrado Augusta Pessoa da Santidade de Nosso Senhor; Receio, portanto, que, nestes tempos de “magro” Vossa Santidade deve apenas se contentar com metade sucata como eu.

Prostrado aos seus pés beijar com obediência devota anel do Pescador, com os olhos iluminados pelo dom da graça na fé através da qual eu nunca deixará de adorar em o Mistério da Igreja construída pela Palavra de Deus sobre a rocha de Pedro.

Ariel S. Levi Gualdo, presbítero

Da ilha de Patmos, 1 Abril 2015, horas 23.00
Eve of Missa da Ceia do Senhor

papa crisma
Na figura: Papa Francisco durante a Missa Crismal de 2014

Redentor, receber canção

clique Quem

Acerca de isoladipatmos

9 thoughts on "Peço perdão a Sua Santidade para a “April Fools” oferecendo uma reflexão sobre o carreirismo-camaleão

  1. Caro Pai, Obrigado por este artigo que talvez será indigesto para aqueles demasiado hastily recrutou como líder do progressismo ultra teológico e pastoral (Como resultado de sua mais recente canings unidirecional de notas) Mas que é bastante bem vindo e reconfortante para aqueles que simplesmente acredita Católica (sem adjetivos) e: 1) Considere um valor indispensável a integridade da doutrina expressada pelo Catecismo da Igreja Católica, 2) considera que a atenção para os pobres, corrigir-se, Não deve nos fazer esquecer que o maior amor do vizinho é expresso no desejo de sua salvação eterna e tentar ajudá-los desta forma porque o bem espiritual é infinitamente mais importante bom material. Eu espero, Querido pai, que você continuará neste balanço adequada pastoral, sem mais pagam anátemas de uma parte ou pelo menos volgendoli com altrattanta também a dureza do outro lado.

  2. Querido pai, Falo de um pai de 64 anos, pai de três filhos de 32, 29, 26 anos. Se meu filho virou para mim desta forma tive pessoalmente em primeiro lugar profundamente comovido, Então eu diria a mesmo que talvez juntamente com minha esposa fizemos um bom trabalho educacional. Rezo para que o senhor irá proteger nestes dias de “galinhas” e não de “Eagles”, como ele escreveu no artigo a seguir por “desculpas” leitores, Acho que não precisamos inventar desculpas.

  3. Deixe-me explicar o que vai acontecer a uma pessoa como o pai de Ariel, este: um dia o telefone vai tocar., Ele responderá, e do outro lado vai ouvir a voz do Papa que se comunica por tê-lo escolhido para uma determinada posição, Mas a vontade do pai de Ariel é um imitador, e responderá com uma torrente de palavras coloridas certeza se é uma piada.
    Tempo para datas de tempo, e depois me diga se eu não tinha razão.

  4. … Parece-me então que você está não concordo com a idéia de “Igreja pobre para os pobres”, como o Papa delineado-se imediatamente em seus primeiros discursos pelo início de seu pontificado …

  5. Caro Stephen.

    Na verdade, o Santo Padre tomou imediatamente todo mundo de mídia dizendo que uma das suas primeiras audiências secularistas: “Como gostaria de uma igreja pobre para os pobres”.
    Na minha humilde opinião aqui que só interdersi no conceito de “pobre” e “pobreza”, Porque pelo menos de acordo com minha experiência pessoal e pastoral, os pobres mais pobres que conheço são aqueles pertencentes às classes sociais mais altas e pobres; são passeios que sinto falta mesmo na Argentina, país onde há pessoas com grandes riquezas e bandas perturbadoras dos pobres, como no Brasil, onde o contraste entre riqueza e pobreza galopante particularmente nos olhos é imediatamente: de trabalhador casual que corre com uma bicicleta velha enferrujada enriquecida para charme europeu no Brasil que irá mover-se para a cidade de helicóptero privado.
    Eu nunca vou esquecer uma conversa com uma senhora da mais alta sociedade italiana, uma bela dama de 50 ano de idade que confessou o seu pecado de inveja e disse: “Tenho inveja de minha empregada, que tem um marido que a ama e que após 30 anos de casamento, vem buscá-la no fim do trabalho como um namorado, Eu tenho um marido que me trai com todos os seus secretários jovens, e eu tenho que fingir que não notou, Porque os cordões segurando ele. Tenho inveja de minha casa porque tem um filho trabalhando e estudando graduado com honras e não encontrar um emprego adequado para seus estudos, que ele aceitou sem problema para fazer um trabalho modesto, tem uma namorada que é fiel e que também você de trabalhar; meus dois filhos são preguiçosos e praticam todos os vícios existentes, Você é o primeiros graduados no caros escolas privadas, onde os exames foram uma farsa, Então, enviamos-lhes a pós-graduação nos Estados Unidos, porque na Itália não teria sido possível fazer de formatura, e basicamente compramos seus graus de faculdade pagando 30/40.000 cada uma para o semestre acadêmico, para não mencionar suas despesas extras. Uno dei due abbiamo dovuto ricoverarlo a fine estate in una clinica svizzera per una terapia di disintossicazione da cocaina per un costo equilente di 80.000 euro per 45 giorni di soggiorno”.
    E piangendo seguitò a dirmi: “Io invidio la mia domestica, a volte persino la odio e ogni tanto la tratto male per rabbia, perché lei ha avuto dalla vita tutto quello che non ho avuto io”.

    Quante volte mi sarebbe piaciuto domandare al Santo Padre, posto che la Chiesa è madre di tutti: chi di noi si dovrebbe occupare di questo genere di poveri; veramente poveri e profondamente sofferenti, appartenenti a ben altre “arredores de existência”, molto più poveri di altri generi di poveri di beni materiali?
    Si tratta di poveri che ti passano davanti con diecimila euro di vestiti griffati addosso, con un orologio di Cartier in oro da 30.000 e con una Ferrari che costa mezzo milione di euro. E ogni tanto qualcuno di questi, giunto all’apice della disperazione, ti si pone davanti con la morte nel cuore e con una vita di fallimenti umani, morali e affettivi alle spalle.
    E posso dire che costoro sono i più poveri tra i poveri, ed anch’essi sono figli della Chiesa; e Dio solo sa quanto sia difficile, anzi difficilissimo, recuperarli alla grazia e alla salvezza.

    Come uomo e prete di 51 anos, posso dirle che questi poveri sono i più difficili da assistere, da aiutare e da riportare al sentimento cristiano autentico. E talvez, proprio a questo genere di poveri, tutto sommato la Chiesa dovrebbe essere anche un pograta, porque então, quando ogni tanto qualcuno di loro si converte, ecco che la Chiesa può aprire centri per l’infanzia abbandonata od ospedali nei paesi in via di sviluppo, scuole per bambini di famiglie povere, centri di assistenza per anziani abbandonati e via dicendospesso costruiti proprio con le generose donazioni di questi ex poveri, che nella giusta mentalità del Santo Padre, sono i responsabili della povertà altrui, in quanto divenuti ricchi a scapito ed a danno delle grandi fasce di poveri oggi esistenti in tutti gli angoli del mondo.

    E chi vuol capire capisca, sempre ammesso che voglia capire.

    1. … pai, che le devo dire? Magistrale! Ha spiegato tutto quello che c’era da spiegare, mi permetto solo di dirle che spero che questa sua risposta sia letta da ben altri oltre che da me e dai lettori dell’Isola. Obrigado!

  6. Rotação. e caro Padre.

    Primeiro de tudo: Dio la benedica ela protegga, O tempo todo, que precisam dela!
    Io appartengo alla bistrattata categoria dei ricchi, e oltre a essere ricco sono cattolico, fedele e praticante.
    Creda se le dico che le messe sono diventate una pena, proprio come lei dice
    Omelie del parroco: pobre, barboni, pobre, barboni, pobre …
    Omelia del vescovo per la festa del patrono della parrocchia: pobre, barboni, pobre, barboni, …
    I poveri al primo posto, avanti a tutto e a tutti?
    Pai, Me conta, ma da quando, essere poveri, è diventato sinonimo di bontà e santità? Perchè a me non risulta che tutti i poveri siano buoni e santi, e non mi risulta nemmeno che siano tutti stinchi di santi solo perché poveri, come non mi risulta che tutti i ricchi siano egoisti, ruim, sfruttatori
    Ma sopratto le domando, Como, noi ricchi brutti e cattivi, trattati oggi spesso come tali nelle prediche di preti e vescovi, siamo poi quelli che devono tirare subito fuori i soldi a comando appena la parrocchia ha una necessità, comprese le necessità delle famiglie veramente povere (italiano), per i bisogni delle quali, a natale, in memoria di mio figlio morto di repentina malattia anni fa, ho mollato 50.000 euro sull’unghia al parroco pauperista affinché potessero garantire delle dignitoste feste in famiglia ai figli loro?
    E se un giorno, di predica in predica, mi scocciassi?
    Il Signore l’accompagni sempre.

  7. Caro amigo.

    A caldo le dovrei rispondere: “Alla prossima richiesta di aiuto, dica al suo parroco di andare a chiedere i soldi ai barboni”. Ma certe risposte non si danno a caldo e tanto meno in modo umorale, portanto, a próxima, dica al suo parroco: “Premesso che un demagogo come te non meriterebbe neppure un soldo bucato, ma siccome certe famiglie e figli mi stanno a cuore, aiuterò loro per ciò che meritano e non certo te per ciò che invece dimostri di non meritare”.

    Vorrei spendere poi due parole sui barboni che oggi vanno di gran moda, perché io li ho conosciuti, mentre coloro che vivono nelle curie ovattate sinceramente non so
    Anni fa io ho prestato servizio in uno stupendo complesso basilicale romano a pochi passi dalla stazione centrale di Roma, la stazione Termini.
    I titolari dei bar di tutto il circondario, credo possano riferire a chicchessia senza particolare problema quanto alto fosse il numero dei barboni la cui spesa media giornaliera di soli alcolici oscillava tra i 30 eo 50 euro al giorno.
    Io stesso posso testimoniare di avere visto più e più volte barboni prelevare moneta contante ai bancomat.
    Ho conosciuto una barbona che aveva con sé due coniglietti nani, per i quali acquistava in farmacia complessi di vitamine omeopatiche il cui costo era di 42 euro per una scatola da 6 fiale. Si era laureata a pieni voti alla Luiss e con grande disperazione dei genitori, imprenditori del Triveneto, che avevano tra l’altro solo questa figlia, aveva scelto di fare la vita da barbona. Il padre, che più volte tentò di convincerla a tornare a casa e che inutilmente si recò varie volte a supplicarla a Roma, parlò più volte con me in lacrime, nonché letteralmente a pezzi.

    Dietro alle storie dei barboni ci sono anche e non poche storie di persone che hanno fatto questa precisa scelta di vita e che provengono da situazioni tutt’altro che di povertà e che spesso hanno alle spalle famiglie che li mantengono.

    Un caso paradigmatico: Filippo Odescalchi, della omonima famiglia dei Principi Odescalchi e figlio della principessa Lante della Rovere, tutt’oggi proprietari dello splendido castello di Bracciano e della residenza patrizia di Piazza Santi Apostoli, negli anni Ottanta scelse di vivere da barbone.

    Ogni tanto capita di leggere su qualche giornale: “Ondata di freddo, un barbone muore sotto i portici“. Su nessun giornale è stata però mai scritta questa vera notizia risalente al 2011: “Ariel S. Levi Gualdo, sacerdote cattolico, rischia di finire accoltellato da tre barboni nei pressi della stazione Termini per avere tentato di convincerli ad andare al dormitorio della Caritas, dove si sarebbero potuti lavare, rifocillare e dove avrebbero potuto dormire al caldo in quella serata di freddo”. E ritrovarsi al buio con tre barboni, due dei quali col coltello in mano, dietro alla stazione Termini, non lo auguro a nessuno, soprattutto al Santo Padre.

    A mim, caro amico, la complessità della cosa è chiara da sempre, come mi è chiaro il fatto che spesso, infelizmente, alla base della povertà di certe famiglie c’è la gestione dissennata del danaro. Anche questo bisognerebbe dire al Santo Padre: quanti sono i poveri che vanno in parrocchia a chiedere il pagamento di una bolletta della luce o del gas, od a chiedere generi di prima necessità, ma che in casa hanno gli strumenti tecnologici di ultima generazione più sofisticati e costosi, od i telefoni cellulari appena usciti da pochi giorni sul mercato?

    La povertà del povero italianoo del presunto talenon è quella dei poveri delle favelas, ed applicare certi criteri di conoscenza soggettiva all’ambito italiano, più che sbagliato è surreale.

    Una volta rimproverai duramente un giovane parroco che alla fine della messa dava il ricavato delle offerte agli zingari dopo avere detto all’assemblea: “E dopo la Messa condivideremo le offerte con i nostri fratelli zingari”. E lo rimproverai duramente perché quegli zingari, dentro le case da loro abusivamente occupate in quel centro storico, avevano dei maxi schermi televisivi con collegamenti satellitari che né quel prete né io ci saremmo mai potuti permettere, più tutto l’altro resto; e la mattina, fuori dalle loro porte, c’erano sacchetti pieni di bottiglie di liquore vuote che costavano 50/60 euro l’una.

    E non vado oltre

    De qualquer maneira, le auguro che la sciocchezza demagogica di certi preti e di certi vescovi non la induca a non fare la carità a favore dei veri bisognosi, inclusi soprattutto i genitori di quel figlio che lei ha tragicamente perduto e per il quale le assicuro le mie preghiere di suffragio per la sua anima.

    1. querido irmão, un felice lunedì dell’Angelo e una proficua ottava di Pasqua.
      Come sempre hai individuato e sbattuto pubblicamente in faccia la verità. Purtroppo temo che la verità sia più ancora preoccupantela verità è che si ha quasi la sensazione di avere a che fare con vescovi che non vivono (come invece ci viviamo noi) a contatto con la realtà, e que, alla realtà, hanno sostituito un grande spot pubblicitario dell’azienda Chiesa cattolica, che pare a volte andare avanti a colpi di pubblicità.
      In parrocchia ho dovuto litigare con un gruppo di mamme e di catechiste, quelle pie donne che in altri scritti (per intendersi quelli riferiti ai lefevriani e alla Guarini) tu indichi come quelle che vorrebbero scalzare il prete per fare loro le pretesse, o le teologhessemotivo del litigio: ho rifiutato di fare la lavanda dei piedi a 6 ragazzi e 6 ragazze dicendo che gli apostoli erano 12 homens, scelti non solo per la lavanda dei piedi, ma per il sacerdozio. Ovvia la replicama Papa Francesco …”, ho chiuso la bocca a tutte dicendo che prendessero le loro figlie e le portassero al carcere di Rebibbia e gli facessero fare la lavanda dei piedi da Papa Francesco, perché io non gliela facevo.
      Naturalmente mi hanno minacciato che avrebbero detto al vescovo che io erocontro il Papa” (!?!)
      A quale pro tutto questo … em que pro, Eu me pergunto?
      Perchè poi, a contatto con il reale, non ci stanno certi vescovi (incluso quello di Roma) ma ci stiamo noi, con tutti i problemi che certi vescovi (incluso a volte quello di Roma) ci creano con i loro gesti plateali.
      Forse per queste parole noi pagheremo tuttopagheremo tanto, ma spero che anche per questo avremo l’anima salva.
      Di nuovo. felice ottava di Pasqua.

Deixe uma resposta